Enfermagem do HDM/Imip discute metas para 2017

A coordenação de enfermagem do Hospital Dom Malan (HDM)/Imip em Petrolina reuniu os profissionais da área para traçar as metas para o novo ano. A reunião ocorreu nesta terça-feira, 10, com o grupo ‘Qualidade e Segurança no Cuidado com o Paciente’ – pós-graduação promovida pela unidade, em parceria com o Ministério da Saúde e reúne seis profissionais.

Como metas para 2017, o grupo elencou o fortalecimento do trabalho de comunicação entre os profissionais de saúde e acompanhantes, incluindo a passagem de informações na troca de plantão; a ratificação da medicação segura; diminuição do risco de quedas; sensibilização da equipe com relação aos objetivos; e atenção ao “quase evento” como forma de prevenção.

As enfermeiras terminaram em novembro a pós-graduação, que faz parte de um projeto educacional voltado ao desenvolvimento de profissionais do SUS, com o objetivo de melhorar a gestão da clínica e a integralidade do cuidado seguro. Com essa nova bagagem de conhecimentos, o grupo pretende reavaliar alguns protocolos e práticas relacionadas à segurança do paciente no HDM, melhorando assim o atendimento público prestado à população.

“Já temos o Núcleo de Segurança do Paciente, implantado desde 2013, do qual fazem parte representantes de todos os setores do hospital. Conseguir que seis das nossas gerentes pudessem participar dessa especialização foi um bônus enorme para nós, pois elas estão trazendo um novo olhar sobre o trabalho. Ganha o profissional por poder fazer parte de um projeto, que tem como objetivo melhorar o serviço prestado pelo SUS, o hospital por poder contar com profissionais especializados e os usuários pela assistência de qualidade”, avalia a coordenadora de enfermagem. Fátima Michelle. (com informações da Ascom/foto divulgação)

Municípios pernambucanos têm até 24 de junho deste ano para apresentar metas dos planos de educação

Educação_-reprodução-internetO Plano Nacional de Educação (PNE), aprovado em junho de 2014, está próximo de completar o primeiro ano de vigência. União, estados e municípios começaram a cumprir tarefas e se preparam para alcançar as metas e estratégias de curto, médio e longo prazos até 2024.

De acordo com o Ministério da Educação (MEC), os dispositivos da lei são levados em conta na reelaboração do planejamento estratégico de programas da educação básica, da educação profissional e da educação superior, que precisam ser adequados à execução do PNE.

A rede da Campanha Nacional pelo Direito à Educação, através do Comitê Pernambucano, defende que o esforço precisa ser de todos – estado e municípios. Um grande movimento precisa ser realizado com a participação dos gestores, educadores, estudantes e principalmente da sociedade em geral para o cumprimento do prazo de elaboração ou adequação dos planos municipais e estadual ao PNE.

O MEC reforça que a lei estabelece um ano para que esses planos estejam aprovados e em consonância com o plano nacional – a data limite é 24 de junho deste ano.

No Brasil, cerca de 30% dos municípios ainda não têm planos e, muitos dos que possuem, não o utilizam para planejar suas políticas, mantendo-os desconhecidos da população. Com relação aos planos estaduais de educação, a situação não é muito diferente: mais de 60% dos estados ainda não possuem esse mecanismo.

Os municípios que necessitarem informações podem obter auxílio através do portal ‘De Olho nos Planos’ acessando o endereço: www.deolhonosplanos.org.br. As informações são do Comitê Pernambucano.

Pela primeira vez, Pacto Pela Vida do Governo de Pernambuco não atingirá metas

pacto pela vidaConsiderando os números de 2014, o Pacto pela Vida do Governo de Pernambuco deverá ter resultados negativos pela primeira vez desde que foi lançado. Embora não tenha atingido a meta de diminuir o número de homicídios em 12% no ano passado, registrando queda de 7,6%, o programa agora deverá ter o primeiro aumento anual no índice de Crimes Violentos Letais e Intencionais (CVLIs).

Um levantamento feito pelo repórter Jorge Cavalcanti, que assina a coluna JC nas Ruas, mostrou que, de janeiro a 27 de novembro deste ano o número de vítimas era 3.075, segundo a Secretaria de Defesa Social (SDS). Segundo a coluna, são apenas 26 a menos que o ano passado – quando foram registrados 3.101.

“Sob a ótica da estatística, não há mais qualquer possibilidade de salvar o balanço do último ano do atual governo”, diz o texto. O Pacto pela Vida foi implantado ainda no primeiro ano de gestão de Eduardo Campos, em 2007. Desde então, a meta só foi batida em 2009 e 2010, mas o número de vítimas sempre foi menor a cada ano.

“A cada semestre de queda, o número de ‘vidas salvas’ pelo governo era exibido com destaque no projetor da sala de entrevistas da SDS. Neste ano, infelizmente, será diferente”, afirma a coluna. O resultado, no entanto, já era antecipado pelos resultados mensais. Até agora, a SDS disponibilizou os relatórios até setembro, que apontavam crescimento no número de vítimas desde março.

Isso ficou claro nas contas trimestrais. Enquanto 764 pessoas foram mortas de forma violenta entre abril e maio de 2013, no mesmo período deste ano foram 925. Essa realidade contrasta com a comparação anterior, quando o número no segundo trimestre passou de 835 vítimas em 2012 para 164 em 2013.

Sobradinho:Vereador alerta para queda no Ideb de escolas da rede municipal

escola_Paulo_Pacheco

Em Sobradinho, norte da Bahia o resultado do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) referente ao ano de 2013 mostrou que a educação no município encontra-se em situação de alerta, pois houve uma queda considerável nos indicadores.  A informação é do vereador Adilson Ribeiro (PT). Ele questionou a gestão municipal sobre o fato e cita como exemplo a Escola Municipal Geraldo Silva, a qual “tinha como meta 4 em 2011, e alcançou 4,6. Já no ano passado a meta era 4,3 e só alcançou 2,8”, lamentou o vereador, acrescentando que as demais escolas da rede municipal também tiveram desempenho aquém do esperado.

De acordo com Adilson Ribeiro, o diagnóstico do Ideb só evidencia a falta de compromisso e, consequentemente, de atenção do gestor atual com o setor.

A partir de visitas às escolas e da análise dos dados disponibilizados pelo MEC, o vereador pontua que a ampliação da qualificação profissional, infraestrutura básica como bibliotecas, laboratórios, salas de leitura e a atenção e acessibilidade para portadores de necessidades especiais são prioridades e precisam ser urgentemente assegurados nas escolas da sede e interior do município.

O vereador também cita a ausência de vice-diretores como um prejuízo à comunidade escolar, pois quem acaba assumindo esta função em muitas escolas são os coordenadores pedagógicos, que deveriam estar dedicados a garantir a implementação dos projetos político-pedagógicos.

Justificativa

Em resposta ao ofício enviado à Secretaria de Educação, a dirigente da pasta, Ducilene Kestering, considerou a redução das metas do Ideb em Sobradinho “uma característica comum” dos municípios em todo o país, justificando que a melhoria do índice está atrelada ao papel dos educadores. “Acredito que a mudança passa obrigatoriamente pela sala de aula, pois o professor é o detentor do conhecimento e está diariamente com o aluno na mediação da aprendizagem”, diz a secretária. “Meu dever, como dirigente municipal de educação, é mobilizar os professores, os pais e a sociedade para, em conjunto com a escola, melhorar esses índices”. As informações são da assessoria do vereador. (foto/divulgação)

Secretaria de Educação de PE inicia maratonas no Sertão pela pactuação de metas em 2014

pacto educação PEO município de Floresta, no Sertão de Itaparica, é o próximo a receber, nesta quarta-feira (7) a equipe técnica das Secretarias de Educação e Esportes e Planejamento e Gestão de Pernambuco. Os profissionais começaram ontem (6) a maratona de reuniões para pactuação das metas da Educação em 2014 com os gestores das escolas no interior do Estado.

A ação tem o objetivo de fortalecer a política do Pacto pela Educação (PPE) de alavancar a qualidade do ensino com foco na melhoria da aprendizagem dos estudantes e dos ambientes pedagógicos.

O primeiro encontro aconteceu em Salgueiro. Na reunião o secretário de Educação e Esportes, Ricardo Dantas, detalhou as ações realizadas nas 38 escolas da Gerência Regional de Educação (GRE) do Sertão Central. “Precisamos do engajamento diário de todos, professores, gestores e alunos. Se trabalharmos juntos, em equipe, com um mesmo objetivo, conseguiremos vencer os desafios e alcançar bons resultados”, disse o secretário.

Nesta quinta (8) é a vez de Afogados da Ingazeira, no Sertão do Pajeú, receber a comitiva. Até 6 de junho, Dantas pretende percorrer as 17 GREs, realizando a avaliação dos resultados de 2013 e consolidando as metas do Pacto pela Educação (PPE) para este ano.

Monitoramento

Atualmente, 770 escolas de Ensino Médio, incluindo escolas indígenas, quilombolas, de aplicação e centros tecnológicos da rede estadual são monitoradas pelo PPE. Nesses encontros o secretário vai destacar a importância do acompanhamento permanente e do uso de indicadores para alcançar as metas acordadas. O monitoramento do Pacto Pela Educação é um instrumento de gestão que traça um perfil do desempenho da unidade escolar. As informações são da Secretaria de Educação. (Foto: Ademar Filho/divulgação)

Para atingir metas do Ideb, escolas de Petrolina estariam reduzindo carga horária de algumas disciplinas

Educação_ reprodução internetUma decisão da Secretaria de Educação de Petrolina está gerando revolta em alguns pais de estudantes da rede municipal de ensino: para atingir as metas estabelecidas pelo Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), as escolas estariam reduzindo a carga horária de algumas disciplinas e intensificando em outras.

A denúncia chegou ao Blog através do comunitário e pai de uma estudante, Antônio de Araújo. O pai diz que só tomou conhecimento do assunto depois que percebeu a ausência de conteúdo no caderno da filha.

Nos últimos dias comecei a observar que havia pouca coisa ou quase nada escrito nas matérias de ciências, geografia e história. Achei estranho, pensei até que ela estivesse perdendo aulas. Aí ela me disse que estava tendo apenas uma aula por semana de cada uma destas matérias”, revelou. Antônio diz ainda que ao procurar a professora da filha, foi informado que a redução era necessário para que a escola pudesse atingir as metas estabelecidas pelo Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).

Quando procurei a professora, ela me disse que a secretaria de educação tinha reduzido as aulas, que eram de três por semana, para apenas uma aula, e aumentou a carga horária de português e de matemática, isso para aprofundar o conhecimento nessas duas matérias que os alunos são avaliados no Ideb. Acho isso um desrespeito com a educação, com os alunos e com os pais, que sequer foram avisados ou questionados sobre esta decisão”, finalizou. Nossa equipe já entrou em contato com a assessoria de comunicação da prefeitura e aguarda resposta sobre o fato.

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br