Reunião entre representantes da Celpe, Cubape e Jardim Petrópolis tenta resolver questão da energia elétrica no bairro

Uma reunião na manhã desta segunda-feira (24) entre o gestor local da Celpe, Edmilson Fonseca, o presidente da Central Única de Bairros de Petrolina (Cubape), Pedro Caldas, e o presidente da Associação de Moradores do Jardim Petrópolis, Flávio José da Silva (o ‘Romarinho’) tentou buscar uma saída para o problema da falta de extensão na rede elétrica daquela comunidade da zona oeste, ocasionada pela retirada das ligações clandestinas conhecidas como ‘gambiarras’.

Ao final da reunião, ficou acertado que a prefeitura deverá encaminhar uma equipe de topografia para fazer um levantamento e, em parceria com a empresa, realizar a extensão da rede. “As famílias precisam ter energia em suas casas, e vejo que o gestor da Celpe tem todo o interesse em solucionar o mais rápido possível essa situação”, ressaltou o presidente da Cubape, Pedro Caldas.

 

Celpe esclarece motivos para remoção de ‘gambiarras’ de energia no Jardim Petrópolis

Em nota enviada pela assessoria a este Blog, a Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) esclareceu os motivos de remover as ligações clandestinas – conhecidas como gambiarras – do Bairro Jardim Petrópolis, zona oeste de Petrolina. O fato motivou até uma reunião na comunidade, promovida pela Cubape (Central Única de Bairros), que aconteceu na última terça (18).

Confiram a nota da Celpe, na íntegra:

Em esclarecimento aos moradores da comunidade do Jardim Petrópolis, na zona oeste de Petrolina, a Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) informa que realizou a remoção de instalações clandestinas de energia na área, uma vez que a rede de distribuição apresentava sobrecarga, devido ao grande número de ligações irregulares, causando transtornos aos moradores do entorno. A concessionária lembra que o roubo de energia ocasiona prejuízos ao fornecimento de toda a população e oferece riscos de acidente fatal, além de ser crime previsto no artigo 155 do Código Penal Brasileiro, com pena que pode chegar a oito anos de prisão. Em relação ao caso relatado, a Celpe assevera que fará as ligações regulares de energia no local, tão logo as moradias sejam devidamente regularizadas. A Celpe se coloca à disposição.

Celpe/Ascom

Reunião no Jardim Petrópolis discute retirada de ‘gambiarras’ na rede elétrica

A comunidade do Jardim Petrópolis, zona oeste de Petrolina, participou na noite de ontem (18) de uma reunião com representantes da prefeitura no sentido de pedir soluções para um problema gerado em decorrência de uma operação realizada pela Celpe/Neoenergia, que retirou as chamadas ‘gambiarras’ (ligações não autorizadas) por falta de extensão de rede nos finais de vias. São mais de 200 famílias prejudicadas – sobretudo crianças, que precisam da energia elétrica para ter o aparelho de nebulização, e pacientes diabéticos que precisam da geladeira para acomodar suas insulinas. (mais…)

Sem energia elétrica há mais de 10 horas, moradores do Jardim Maravilha reclamam de “gambiarras” da Celpe

IMG-20150402-WA0007Os moradores do bairro Jardim Maravilha, na zona oeste de Petrolina, estão literalmente perdendo o sono por conta das constantes quedas de energia elétrica que atingem a comunidade. De acordo com a comunitária Renata Carla, as quedas de energia já fazem parte da rotina e, apesar de várias reclamações, até agora nenhuma providência foi tomada pela Celpe/Neonergia, responsável pelo serviço.

Renata conta que o problema voltou a se intensificar no último domingo (29/03), quando os moradores ficaram boa parte da noite sem energia elétrica. “No domingo faltou energia por volta das onze horas da noite e só voltou às duas da madrugada, ai na segunda de novo faltou energia no mesmo horário e só voltou por volta das seis horas da manhã e ontem (1º) faltou por volta da meia noite e até agora não voltou”, contou Renata.

Aborrecida, Renata conta que o problema tem alterado a rotina dos moradores da Rua Terra Nova, que já não sabem a quem recorrer. “A gente não sabe mais o que fazer porque liga para a Celpe e eles só dizem que não tem resposta para dar. Ninguém dorme direito por conta do calor e no outro dia não conseguimos nem trabalhar direito. Fora os prejuízos que todos terão”, reclamou.

Sem solução

Segundo Renata, desde quando os problemas começaram, técnicos da Celpe já estiveram no local algumas vezes para trocar um equipamento conhecido como ‘canela’, mas mesmo assim, o problema não foi resolvido em definitivo. “Eles vão lá e só fazem uma gambiarra. Trocaram a canela um monte de vezes, mas não resolvem o problema de vez”, diz.

O Blog entrou em contato com a Celpe/Neonergia, que informou que uma equipe da Companhia trabalha para sanar o problema na comunidade. Ainda segundo a Companhia, o fornecimento de energia deve ser restabelecido em breve.

‘Gambiarras’ em Pernambuco representam consumo de energia de um mês na cidade do Recife

gambiarraAs fraudes e ligações clandestinas, conhecidas popularmente como ‘macacos’ ou ‘gambiarras’, respondem por 8,7% da energia elétrica distribuída na área de concessão da Companhia Energética de Pernambuco (Celpe). Numa comparação simples, o percentual desviado ilegalmente equivale ao consumo de um mês de toda a cidade do Recife, segundo informa a assessoria da empresa. São quase 230 gigawatts furtados, mensalmente, da rede de distribuição.

Para tentar reverter essa realidade, a Celpe tem intensificado as fiscalizações e ações de combate ao furto em toda a sua área de concessão. Até o último mês de setembro, a concessionária havia realizado aproximadamente 110 mil inspeções em unidades consumidoras, principalmente em comércios e indústrias. Desse total, 30% foram consideradas procedentes. Outras 35 mil inspeções técnicas devem ser promovidas até o fim do ano.

Uma outra ação desenvolvida pela concessionária é a regularização das unidades consumidoras que estavam sendo supridas por ligações clandestinas. Devido a essa ação, aproximadamente dez mil famílias deixaram de furtar energia e passaram a ser clientes da concessionária nos primeiros nove meses de 2013.

Além das unidades consumidoras, a Celpe também promove ações de combate às ligações clandestinas em vias públicas – tais como comércios ambulantes e lava-jatos irregulares. Foram mais de 1,2 mil até setembro. Até o final de dezembro, 1,6 mil ações devem ser concluídas.

Risco

Além de representar risco de vida para pessoas e animais, a prática de gambiarras prejudica toda a sociedade. As ligações realizadas fora dos padrões de segurança expõem crianças e adultos ao perigo de sérios acidentes e podem provocar sobrecarga na rede elétrica, gerar oscilações, comprometendo a qualidade do fornecimento.

A companhia lembra que o furto de energia configura crime, previsto no Artigo 155 do Código Penal Brasileiro. O infrator que for flagrado fazendo ligação clandestina pode pegar de um a quatro anos de reclusão. As denúncias sobre furto de energia podem ser feitas por meio do teleatendimento 0800 081 0120 ou pelo site www.celpe.com.br. (Foto/reprodução)

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br