Líder também no Facebook

No Facebook o Blog também é líder

Miguel desmistifica polêmica sobre o São João 2017: “Serão 13 dias de festa, quatro nos bairros e nove no pátio oficial”

A matemática entra em campo para pôr fim à polêmica de quantos dias serão de festa no São João 2017 em Petrolina. E quem resolveu fazer a conta direitinho para que todos vejam que matemática é ciência exata, foi o prefeito Miguel Coelho (PSB), durante sua entrevista na transmissão ao vivo pela página do Blog no Facebook, ocorrida na tarde desta quarta-feira, 22.

Conforme o prefeito houve uma confusão nas cabeças das pessoas depois que ele disse que o São João este ano seria iniciado dia 16 de maio com o retorno dos festejos nos bairros, e que de 16 a 24 de junho, a festa vai acontecer no pátio oficial Ana das Carrancas.

“Quem critica que são 34, 35, 39 dias de festa, simplesmente não esta sabendo fazer a conta, porque o que anunciamos e que iriamos iniciar o período junino mais ou menos em 16 de maio nos bairros, indo até  16 de junho que é quando começaremos a festa no pátio oficial que vai de 16 a 24 de junho. Mas esses quatro finais de semana não quer dizer que serão todos os dias de festa, ninguém aguenta, a Prefeitura iria quebrar”, assinalou o gestor.

 A proposta, conforme Miguel Coelho é a retomada do São João dos Bairros quando serão escolhidos quatros bairros nas quatro regiões da cidade, para que um dia em cada final de semana, haja os festejos juninos nesses locais.

“É fazer o São João em cada bairro, para movimentar a economia para que a gente possa valorizar o artista local, enfim, para poder resgatar os desafios da rua mais ornamentada, quem fazia a melhor quadrilha, a dança mais bonita, valorizar o artista do bairro. Então, se for juntar todos os dias de festa e somar, são quatro dias nos bairros e mais nove no pátio de evento. Então são 13 dias de festa”, ressaltou o prefeito petrolinense.

Miguel comentou que fará a festa junina em Petrolina, ampliando os festejos e tudo dentro do controle, e ainda assim, economizando se comparar com o que se investiu na festa no ano passado.

“Não estamos fazendo nada fora do controle e, outra, mesmo com a volta do São João dos bairros, conseguiremos reduzir em R$ 1 milhão o que foi investido na festa no ano passado. Portanto, é fazendo mais, gastando menos e fazendo melhor, e ainda por cima, valorizando a cultura dos bairros e a cultura local”, concluiu o prefeito.

Miguel Coelho participa de transmissão ao vivo na página do Facebook do Blog

 

O prefeito de Petrolina, Miguel Coelho (PSB), está agora, nesta quarta, 22, ao vivo no Facebook do Blog, falando de projetos, ações balanço de mais de 80 dias de administração. Miguel disse antes de iniciar a Live que sobre comentários que poderia não querer a aprovação do reconhecimento dos quebradores de pedras artesanais da área do Serrote Pelado, ele foi taxativo.

“O prefeito não interfere em ações do legislativo. As decisões são de inteira responsabilidade dos vereadores”, registrou. Acompanhe e converse com o prefeito também no facebook.com/blogdocarlosbritto .

Vamos conversar, ao vivo, com você hoje no facebook

Estudante de Juazeiro a caminho da matrícula em universidade de Sergipe é detido e critica polícia

Três estudantes de Juazeiro (BA) foram detidos no município de Piranhas, Sertão de Alagoas, dentro de um ônibus interestadual. Um deles fez uma postagem no Facebook criticando a ação dos policiais, dizendo que foi xingado e chamado de vagabundo. A polícia alagoana diz que a operação era para prender suspeitos de roubo a banco e nega que tenha havido abuso.

O caso foi registrado na quinta-feira (2), na Delegacia Regional de Delmiro Gouveia, município vizinho ao de onde aconteceu a abordagem. O estudante Diogo Delláias afirmou que saiu de Juazeiro com um amigo para fazer a matrícula na Universidade Federal de Sergipe (UFS). “Houve uma confusão porque acharam que eu e meu amigo estávamos conversando com o suspeito, mas isso não aconteceu. Minha cadeira era mais na frente e meu amigo estava no final do ônibus, sentado ao lado dessa pessoa procurada. Fui para a parte de trás ficar perto do meu amigo. Mas não chegamos a falar com o outro jovem“, disse Delláias.

De acordo com o estudante, ele e o amigo, Matheus Gomes, foram aprovados nos cursos de química e química industrial, e seguiam viagem juntos. O terceiro estudante detido era conhecido deles, mas não seguia para a UFS.

A polícia diz que no momento da abordagem ao suspeito, preso com dinheiro queimado, arma e munições, os estudantes conversavam com ele e por isso foram levados para a delegacia, para prestar esclarecimentos.

No post, que viralizou na internet, ele relata como aconteceu a ação policial. “A polícia manda os suspeitos (inclusive nós) sentarem no asfalto, sim, às 14h, ou seja, asfalto ‘frio’. Aí vem os xingamentos… ‘A casa caiu, vagabundo’, ‘Tá de tênis porque sabia que ia cair’, ‘Bora, fala logo, vagabundo'”, descreve o estudante.

Ele diz que, mesmo informando e mostrando aos policiais os documentos que comprovam que iriam fazer a matrícula na universidade, os dois foram colocados no camburão junto a outros dois jovens. “Sabe aquele lugarzinho apertado que os presos são levados? Fomos nele. Aí me vi naquela situação e não contive as lágrimas, chorei sim”, diz outro trecho do post na web.

Na delegacia, segundo Delláias, os estudantes ficaram em uma cela com os outros suspeitos. “Só pensava em minha família e amigos. Mas tudo ocorreu bem, na medida do possível. Prestei depoimento, nos pediram desculpas e fomos liberados”, continua o post.

Depois de liberados, os estudantes pegaram um transporte para Paulo Afonso e depois conseguiram outro carro para Aracaju, onde fizeram a matrícula. “Não recebemos ajuda para ir a Aracaju, o que poderia ser feito, já que ficou comprovado que houve o engano“, questiona. “Não somos contra a polícia nem toda a equipe, mas a atitude de alguns, que mesmo percebendo e vendo documentos comprovando que não éramos culpados, ainda nos levaram para a delegacia“, critica Delláias.

Polícia

O delegado regional de Delmiro Gouveia, Rodrigo Cavalcanti, confirmou que os dois estudantes foram detidos, mas negou que tenha ocorrido excesso. O delegado disse que quando a polícia recebeu a denúncia, foi informada de que havia mais de um suspeito no ônibus. “Eles foram conduzidos para a delegacia porque estavam conversando com um jovem suspeito de roubo a banco. A polícia encontrou com esse suspeito arma de uso restrito, munições e dinheiro, e como testemunhas disseram que eles estavam conversando, todos foram levados para a delegacia”, disse o delegado.

Sobre a informação de que os estudantes ficaram em uma cela, o delegado negou. “Todos ficaram em uma antessala até serem ouvidos. Depois que foi esclarecido que só um era suspeito, os outros três foram liberados. O suspeito foi preso e levado para a cela. Em nenhum momento houve abuso ou eles foram maltratados”, falou o delegado.

O comandante do 9º Batalhão da PM, major Hebert, que participou da operação, negou que os estudantes foram maltratados.  “Não existe isso. Recebemos a denúncia e fizemos o procedimento padrão. Os policiais pegaram um rapaz com armas e dinheiro queimado. Como os quatro detidos estavam conversando, todos foram levados para a delegacia para os devidos procedimentos”, afirma o major. (fonte: G1-AL/foto: reprodução Facebook)

Após ser excluído de debate, Márcio Feitosa volta a soltar o verbo contra emissora de TV: “Covarde”

Após ser excluído do debate promovido pela TV São Francisco, realizado na noite de ontem (29), o candidato a prefeito de Juazeiro (BA), Márcio Feitosa (PRP), soltou o verbo novamente com a afiliada da TV Bahia/Rede Globo. Segundo informações, o motivo pelo qual o candidato não foi convidado pela emissora para participar da sabatina diz respeito ao seu partido, que não tem dez deputados na Câmara. Apesar de o Supremo Tribunal Federal (STF) ter liberado a participação dos partidos ‘nanicos’ em debates promovidos por rádios e TVs, a afiliada da Globo no norte baiano negou o pedido de Feitosa.

Antes do debate, o candidato fez uso de seu perfil no Facebook para tecer novas críticas à emissora, que segundo ele, é covarde e agrediu a democracia.

Acompanhe:

marcio-feitosa-juazeiro

Com a palavra, a emissora. (foto/reprodução)

Aprovados em concurso da Prefeitura de Juazeiro criam até grupo nas redes sociais para pressionar por convocação

Sem títuloDepois de conseguir a tão sonhada aprovação num concurso público realizado pela Prefeitura de Juazeiro (BA), um grupo de estudantes do Vale do São Francisco enfrenta mais uma batalha: agora para garantir a convocação.

O certame foi realizado em abril último, mas até o momento os aprovados aguardam ser chamados para trabalhar.

A indignação é tanta que eles decidiram criar um grupo nas redes sociais para pressionar a administração municipal. No grupo www.facebook.com, os participantes trocam informações e planejam ações para tentar assegurar o ingresso no serviço público. Haja bronca.

Prefeito de Dormentes é punido por propaganda no Facebook

Roniere2O prefeito de Dormentes (PE), Roniere reis, sofreu um revés na justiça. O gestor foi punido por propaganda extemporânea.

Roniere foi acusado de usar seu perfil no Facebook para promover ações políticas do seu governo, além de enaltecer suas qualidades pessoais. Uma das frases divulgadas pelo prefeito, através do Facebook, foi a seguinte: “Nosso forte é nosso povo. Roniere Reis 15”.

A ação foi movida pelo diretório municipal do PSB. O juiz Francisco Josafá Moreira acatou a ação, entendendo que houve propaganda antecipada (extemporânea). Ele determinou, entre outras medidas, ao prefeito que retirasse o material do seu Facebook, sob pena de pagar uma multa diária de R$ 5 mil. Com a palavra, o prefeito.

Confiram abaixo a decisão do juiz Josafá Moreira:

Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco

Ex-secretário Heitor Leite afirma que postagens em seu Facebook não são críticas ao Governo Julio Lossio

heitor leiteApós repercussão na imprensa local das críticas que fez à Prefeitura de Petrolina, ao dizer em sua página no Facebook que o atendimento odontológico oferecido pela Secretaria de Saúde “precisa avançar”, o ex-secretário de Educação e ex-prefeiturável, Heitor Leite, deu sua versão para os fatos.

Ele disse que não estava criticando a gestão (da qual, inclusive, fez parte há bem pouco tempo). Segundo Heitor Leite, as postagens em seu Facebook abordam diversas áreas do governo municipal e têm apenas o objetivo de chamar a população para o debate.

“São áreas que considero prioritárias para qualquer gestor. Quis apenas colher opiniões. Não faz sentido dizer que relatei como críticas à gestão”, argumentou Heitor Leite.

Dr.Pérsio ironiza Lossio ‘sanfoneiro’ enaltecendo Edinaldo pelo Facebook: “Está na mesma sintonia do governo”

dr pérsioA repercussão de um vídeo do prefeito de Petrolina, Julio Lossio (PMDB), em seu perfil no Facebook, no qual parece tocando uma sanfona e defendendo seu pré-candidato à disputa majoritária, vereador Edinaldo Lima (PMDB), ganhou ironias do integrante da bancada de oposição, Dr.Pérsio Antunes (PV).

Ex-aliado do prefeito, Dr.Pérsio disse que o som desafinado da sanfona de Lossio “está na mesma sintonia” do seu governo. Em tom mais sério, o oposicionista disse que o estilo espalhafatoso do peemedebista já faz parte de sua estratégia. “Ele tem a maneira de fazer a política dele”, afirmou.

Quanto ao nome de Edinaldo para disputar a prefeitura nas eleições deste ano, Dr.Pérsio disse que prefere falar da pré-candidatura do indicado do seu grupo, o deputado estadual Miguel Coelho (PSB). Perguntado se pode sair na vice do socialista, o vereador foi bem claro. Disse que trabalha para renovar seu mandato na Casa Plínio Amorim, mas está à disposição do grupo se for convocado “para uma missão maior”.   

Justiça manda desbloquear serviço do WhatsApp

whatsappUma decisão desta quinta-feira (17) do Tribunal de Justiça de São Paulo determinou o restabelecimento do aplicativo de mensagens WhatsApp no Brasil. As operadoras de telefonia móvel ainda vão ser notificadas da determinação.

De acordo com a decisão do desembargador Xavier de Souza, “em face dos princípios constitucionais, não se mostra razoável que milhões de usuários sejam afetados em decorrência da inércia da empresa” em fornecer informações à Justiça.

Cumprimos a ordem para bloquear e para desbloquear. Independentemente de termos prejuízo em relação à nossa imagem, por cumprir tudo que a justiça brasileira determina”, diz Eduardo Levy, presidente do SindiTeleBrasil, ao G1. As empresas vão cumprir imediatamente o que a Justiça determinou. Usuários de Claro, Tim e Vivo relataram o retorno.

Em nota publicada no site do Tribunal de Justiça de São Paulo, o desembargador afirma ainda que considera o aumento do valor da multa uma solução adequada, “para inibir eventual resistência da impetrante”.

Isso porque, segundo o TJ-SP, o WhatsApp não atendeu a uma determinação judicial de 23 de julho de 2015. A empresa foi notificada mais uma vez em 7 de agosto, com uma multa fixada em caso de não cumprimento.

O WhatsApp não atendeu à determinação novamente, de acordo com o TJ-SP. Por isso, “o Ministério Público requereu o bloqueio dos serviços pelo prazo de 48 horas, com base na lei do Marco Civil da internet”.

O caso

Na quarta-feira (16), as principais operadoras de telefonia móvel do Brasil foram intimadas pela Justiça a bloquear o WhatsApp em todo o território nacional por 48 horas. O bloqueio começou a valer à 0h de quinta (17).

O recebimento da determinação judicial foi confirmado pelo Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviços Móvel Celular e Pessoal, o SindiTelebrasil, que representa as operadoras Vivo, Claro, Tim, Oi, Sercomtel e Algar.

A Justiça em São Bernardo do Campo, no ABC paulista, determinou a derrubada do WhatsApp por 48 horas por causa da investigação de uma quadrilha de roubo a banco e caixas eletrônicos, de acordo com o SPTV.

Segundo o SPTV, a determinação judicial foi uma punição ao Facebook, dono do WhatsApp, que não liberou mensagens usadas pelos criminosos no aplicativo para a investigação policial. A quadrilha é investigada há dois meses.

A Justiça havia autorizado a interceptação das conversas pelo WhatsApp para investigar a facção criminosa que também tem envolvimento com o tráfico de drogas. A decisão foi da  juíza da 1ª Vara Criminal de São Bernardo, Sandra Marques, que tinha autorizado e determinado o grampo oficial e ainda estabeleceu multa diária de R$ 100 mil em caso de descumprimento.

Como o WhatsApp não se manifestou, a multa já estaria em R$ 6 milhões, de acordo com o SPTV. Diante disso, a polícia e o Ministério Público (MP) pediram a interrupção do serviço à Justiça, que concordou.

Histórico

Essa não é a primeira tentativa de bloquear o WhatsApp no país. Em fevereiro, um juiz de Teresina (PI) determinou que as operadoras suspendessem temporariamente o acesso ao app de mensagens. O motivo seria uma recusa do WhatsApp em fornecer informações para uma investigação policial que vinha desde 2013. (fonte: G1/foto reprodução)

Site revela motivo por trás do bloqueio do WhatsApp

whatsapp_2_900_451_90_s_c1_smart_scale_0A rede social WhatsApp teve operações bloqueadas no Brasil por não ter quebrado o sigilo para fornecer informações a uma investigação criminal que acontece em segredo de Justiça em São Bernardo do Campo (SP). É o que revelou o site de tecnologia Gizmodo.

De acordo com um documento obtido site, a origem do documento vem do Grupo de Combate às Facções Criminosas (GCF). No documento enviado às operadoras, a ordem pede que elas bloqueiem acesso a domínios e subdomínios do WhatsApp, e também façam tudo “o que for necessário para a suspensão do tráfego de informações, coleta, armazenamento, guarda e tratamento de registro de dados pessoais ou de comunicações entre usuários da rede”.

A decisão do Supremo se deu por excesso de prazo. De acordo com o Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), a polícia pediu ao Facebook, que é dono do WhatsApp, para quebrar o sigilo de investigados, mas não obteve resposta.  Após notificação, que também não foi respondida, houve uma nova notificação, acompanhada de uma multa pelo não pronunciamento, e aí sim o bloqueio.

O fundador do Facebook e atual dono do aplicativo, Mark Zuckerberg, criticou o bloqueio na manhã desta quinta-feira (17). Na publicação, em seu perfil no Facebook, ele disse que está trabalhando duro para reverter a situação e que “este é um dia triste para o país”. (fonte:NE10)

Prefeito de Salgueiro presta queixa contra denúncias em rede social sobre suposto pagamento de propinas

Marcones_640x427O prefeito de Salgueiro (PE), Marcones Libório de Sá (PSB), prestou queixa na Delegacia de Polícia Civil local e encaminhou medida judicial para que o responsável por acusações publicadas na rede social Facebook apresente provas sobre o pagamento de propinas, pelas quais acusou a administração municipal.

O gestor também quer o nome (ou nomes) dos culpados, se a denúncia for verídica. Caso não passe de calúnia, Marcones pede que o autor da publicação no Facebook seja responsabilizado.

“O que o prefeito deseja é tão somente a verdade dos fatos”, diz a nota enviada pela assessoria da prefeitura sobre o caso.

‘Não me enterrem’: apelo de menino ferido se torna símbolo contra a guerra no Iêmen

farred

Um vídeo de um menino do Iêmen (país Árabe) deitado em uma cama de hospital sendo atendido por médicos após um ataque com míssil foi visto mais de 50 mil vezes no Facebook e virou um símbolo do custo humano da guerra em seu país. O vídeo mostra Fareed Shawki, de seis anos, com lágrimas nos olhos, pedindo aos médicos: “Não me enterrem”. (mais…)

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br