Projeto da Secretaria de Educação de Petrolina vai implantar hortas em escolas da rede municipal

A Escola Governador Miguel Arraes de Alencar, pertencente à rede municipal de Petrolina, foi a primeira a receber no início da semana que passou o Projeto ‘Horta: Saúde a Saber’. Idealizado pela Secretaria de Educação, o projeto pretender difundir ações de cunho ambiental entre os alunos.

De acordo com a equipe pedagógica do projeto, o objetivo é fazer do espaço um ‘laboratório vivo’ e uma sala interdisciplinar, onde será trabalhada uma diversidade de temas, potencializando o aprendizado dos alunos – com destaque para a produção e consumo de alimentos naturais, a culinária, troca de conhecimentos, entre outros.

Para a gestora da escola, Maria Gorete, a ideia é auxiliar na mudança dos hábitos alimentares das crianças. “Percebemos, na hora da merenda, que os alunos tinham dificuldades em consumir as hortaliças. Por isso, pensamos nesse projeto para conscientizar e inserir no dia a dia das crianças hábitos saudáveis na alimentação”, conta.

A professora do 4º ano, Kátia leite, explica que a horta também será um instrumento em favor da comunidade escolar. “Vamos disponibilizar as sementes para que os alunos e seus pais possam plantar em suas casas e estender os novos hábitos para a mesa da família“, pontua.

Secretário

O evento contou com a participação do secretário municipal de Desenvolvimento Econômico e Agrário, Zé Batista da Gama, responsável pela implantação de hortas comunitárias na cidade desde o final dos anos 90. Ele falou sobre a importância dos alimentos, os benefícios das hortaliças na saúde e o cuidado que se dever ter com o solo. Zé Batista se comprometeu em colaborar com o desenvolvimento desse projeto na escola com as orientações técnicas, nutricionais e equipamentos, e informou estar à disposição para ampliar a ação em outras escolas da rede.  (Fonte/foto: Ascom PMP/divulgação)

Escolas da rede municipal iniciam programação de lazer e cultura aos finais de semana em Petrolina

Diversão e aprendizado. Estes foram os ingredientes que animaram as escolas da rede municipal de Petrolina no último final de semana. Atrações culturais, jogos, brincadeiras, palestras, música e danças fizeram parte das atividades desenvolvidas pelos alunos no primeiro sábado letivo do calendário escolar. Para completar a carga horária, como preconiza o MEC, a rede incluiu ao longo do ano quatro sábados letivos.

De acordo com a Secretaria de Educação, a orientação é que as atividades nestes dias sejam lúdicas e que sirvam para pôr em prática os projetos interdisciplinares das unidades. No Centro Municipal de Educação Infantil Nossa Senhora Rainha dos Anjos (antigo Caic), os alunos participaram das apresentações do projeto circense. Na escola Nicolau Boscardin, no bairro Fernando Idalino Bezerra, a festa de aniversário da unidade contou com a participação das bandas Philarmonica 21 de Setembro e de Fernando Rêgo.

Os estudantes da comunidade do Mandacaru, da Escola Walter Gil, debateram a inclusão dos estudantes com autismo e o combate ao mosquito Aedes aegypti, através de uma feira que contou com palestras e atividades. Outro tema debatido, desta vez com os alunos da zona oeste da cidade, foi o bullying. Os estudantes da escola Ariano Suassuna receberam uma mesa redonda que contou com a participação da jornalista Calincka Crateús, que já sofreu com esse tipo de descriminação na escola, escreveu um livro e participou de programa de TV relatando como enfrentou o problema.

Na Escola Nossa Senhora Rainha dos Anjos o projeto Stop Bullying foi lançado com o objetivo de debater e reduzir a prática na unidade. (Foto: Ascom)

Empreendedorismo será incluído no currículo escolar de escolas do norte baiano

Estudantes do ensino fundamental de escolas públicas nos municípios de Sobradinho, Remanso, Sento Sé, Canudos e Paulo Afonso, no Norte da Bahia, vão aprender na sala de aula noções de empreendedorismo.

Durante um ano, as escolas classificadas no edital do Programa Jovens Empreendedores Primeiros Passos (JEPP), desenvolvido pelo Sebrae, vão inserir a disciplina de empreendedorismo na grade curricular da escola ou por meio de atividades extras. Em todo o estado, 43 municípios serão beneficiados. O objetivo do programa é disseminar o empreendedorismo no ensino formal e despertar nas crianças características empreendedoras que as tornem no futuro jovens e adultos inovadores e atuantes. Assim, o curso, aliado a um ambiente de aprendizagem, incentiva os alunos a buscarem o autoconhecimento, novas experiências, além do espírito de coletividade.

Para o gerente regional do Sebrae em Juazeiro, Carlos Cointeiro, a educação exige novos métodos de ensino que preparem os estudantes para o atual cenário econômico e social do país. “Nós estamos contribuindo com esse processo, levando a cultura empreendedora, por meio do JEPP, para dentro das escolas. E essa parceria possibilita que o empreendedorismo faça parte da rotina dos alunos e forme cidadãos criativos e com espírito empreendedor”, destaca.

De forma dinâmica e interativa, o JEPP vai tratar em nove cursos, temas ligados ao comportamento empreendedor, cultura da cooperação e da inovação, sustentabilidade, ética, cidadania, em diversas áreas de mercado, como indústria, comércios, serviços. Para atender essa proposta os professores das instituições de ensino classificadas no norte baiano serão capacitados no mês de maio para atuar no programa. A metodologia será aplicada aos estudantes a partir do segundo semestre deste ano e segue até 2018.

Projeto que sugere leitura da Bíblia em escolas de Petrolina continua rendendo polêmica

O projeto do vereador Elias Jardim (PP), aprovado na sessão da Câmara Municipal de Petrolina da última terça-feira (28) e que sugere a leitura da Bíblia em escolas do município, vem desde então gerando polêmica, debates e dúvidas entre os que defendem o estado laico como reza a Constituição Federal e o que avaliam que o PL não é inconstitucional, por apenas sugerir a leitura bíblica, não obrigar.

Por defenderem a questão constitucional, os vereadores do PT, Professor Gilmar Santos e Cristina Costa, se abstiveram da votação, e vêm sendo criticados e na Câmara, especialmente os que formam a bancada evangélica na Casa Plínio Amorim, como os vereadores Pastor Alex de Jesus (PSL), Osinaldo Souza (PTB) e Ruy Wandeley (PEN) que subscreveram a proposta de Jardim, não têm poupado os colegas petistas. (mais…)

Afrânio: Prefeitura atende recomendações do TCE-PE e recupera escolas

O monitoramento de um Termo de Ajuste de Gestão (TAG), realizado na Prefeitura de Afrânio (PE), no Sertão do São Francisco, pela Gerência de Auditorias de Obras Municipais (GAOM) do Tribunal de Contas do Estado (TCE-PE), no final do ano passado, constatou que o município atendeu às recomendações apresentadas pelo acordo para implementar melhorias nas unidades de ensino do município.

O acompanhamento ocorreu de modo a prestar subsídios ao Processo TCE nº 1503545-1, de relatoria do conselheiro João Carneiro Campos. O julgamento, pelo cumprimento do termo, ocorreu na Primeira Câmara. O Ministério Público de Contas foi representado pela procuradora Germana Laureano. (mais…)

Dois graves acidentes com carros alegóricos marcam desfile das escolas de samba do RJ, deixando disputa por título em segundo plano

O Carnaval de 2017 entra para a história de uma forma triste. Nunca a Passarela do Samba do Rio de Janeiro tinha sido palco de tantas cenas trágicas. Os acidentes com os carros alegóricos de Paraíso do Tuiuti e Unidos da Tijuca deixam o coração dos amantes da folia com uma ferida difícil de curar. Pela primeira vez, o noticiário até a Quarta-feira de Cinzas não será dominado pela gostosa expectativa sobre qual escola será a grande campeã.

Todos estarão preocupados com o estado de saúde das vítimas internadas após o atropelamento de domingo e dos componentes da Unidos da Tijuca. Após a trágica ocorrência de domingo, 26, o discurso dos dirigentes, tanto da Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa), quanto do Paraíso do Tuiuti, era construído em torno de uma palavra: fatalidade. Ou seja, algo que fugiria à ordem natural das coisas.

O gigantismo dos carros alegóricos parece ser inevitável devido às dimensões da Sapucaí. Porém, o evento ocorrido durante o desfile da Unidos da Tijuca tem outra característica. A alegoria em questão não era tão grande. Porém, carregava um número expressivo de componentes fazendo coreografias – outro sintoma do Carnaval contemporâneo.

O desabamento do segundo carro alegórico da azul e amarela tem ainda outro aspecto, esse mais preocupante: em vez de se preocupar com o estado de saúde dos desfilantes, diretores estavam imbuídos da tarefa de colocar a alegoria na pista de desfiles a fim de não prejudicar a pontuação da escola. A reação da plateia do setor 1 foi imediata e enfática: uma chuva de latas de cerveja.

Todos sabem da importância do Carnaval para a economia do Rio de Janeiro e, principalmente dos interesses envolvidos, seja da emissora de TV que detém a exclusividade de transmissão, seja dos patrocinadores, agências de turismo e outros prestadores de serviço. Porém, naquele momento, em que pessoas necessitavam de socorro médico, continuar o desfile era algo totalmente impensável. A disputa se tornou apenas um detalhe.

Faz-se necessária uma reflexão do que se tornou o desfile das escolas de samba do Rio de Janeiro. O aspecto visual predomina sobre os quesitos que dependem do canto, dança e habilidade de tocar instrumentos. Isso já é fato há mais de 40 anos. O crescimento desordenado dos carros alegóricos é prova viva desse processo. Porém, nada justifica que o desfile não tenha sido interrompido até que as pessoas fossem atendidas de forma digna. Que o relógio parasse e depois o desfile fosse retomado. É inacreditável a disputa insana de espaço entre bombeiros, socorristas e desfilantes. Que a lição seja aprendida para os próximos Carnavais. (Com informações e foto do UOL)

Izacolândia: Mães reclamam de condições de escolas no primeiro dia de aula, mas Secretaria afirma que unidades estão preparadas

As mães que possuem filhos estudando em Centros de Educação Infantil (CMEIs) e escola do povoado de Izacolândia, zona rural de Petrolina, usaram os meios de comunicação da cidade na última segunda-feira, 13, para reclamar das condições em que as unidades foram encontradas no primeiro dia de aula. Algumas mães disseram ainda que foi informada pela gestora da escola que elas não podiam deixar os filhos lá porque os prédios ainda estavam sendo preparados para receber as crianças.

A gestora também teria dito que a unidade ainda estava sem pessoal de apoio para atuar como merendeira e auxiliar de serviços gerais. Diante do fato, as mães questionaram por que colocar o ano letivo para iniciar no dia que não ia dispor de condições.

Em resposta, a Secretaria de Educação de Petrolina negou a informação sobre a falta de estrutura e condições das unidades. Conforme a nota, a unidade escolar de Izacolândia está preparada para os estudantes e conta com profissionais efetivos para a merenda e limpeza. Além disso recebeu na última semana mais dois profissionais oriundos do processo de seleção simplificada para auxiliar no serviço.

Nesta terça-feira, 14, uma tutora de gestão visitará a unidade para acompanhar a gestão escolar e resolver possíveis situações.

Ano letivo nas escolas estaduais em Petrolina começa com cobrança de porteiros por salários e profissionais nas unidades descobertas

O ano letivo nas escolas estaduais mal começou e os problemas já começaram a aparecer. Segundo nota enviada à redação do Blog, os porteiros das escolas da rede pública do estado em Petrolina já ameaçam cruzar os braços para protestar contra o atraso no pagamento dos salários. Os servidores estão sem receber os vencimentos equivalentes ao mês de janeiro, que segundo os profissionais, teria sido prometido para dia 7. Só que até esta quinta, 9, não tinha entrada nenhum real na conta deles.

Os porteiros disseram que após o fim do contrato do governo estadual com a empresa Soservi, a categoria vive na expectativa, pois a outra empresa vencedora da licitação “ainda não deu as caras”, diz a nota enviada ao Blog. Eles contam que só receberam um e-mail orientando que os porteiros continuassem o trabalho desde 2 de janeiro;

A Gerência Regional de Educação (GRE) em Petrolina já foi procurada pelos porteiros das escolas da rede, e tinha dito que os pagamentos sairiam até dia 7, o que não aconteceu. Eles ameaçam cruzar os braços, deixando as escolas sem segurança. Muitas em Petrolina não têm condições de funcionar sem porteiro, como alegam professores, funcionários e familiares dos estudantes matriculados na rede.

 Pagamento para dia 15

Em resposta ao Blog, a Secretaria de Educação do Estado informou que o atraso no pagamento dos porteiros das escolas estaduais na cidade aconteceu devido ao processo de transição da empresa anterior para a nova empresa licitada. A pasta informa ainda que o início do novo contrato aconteceu no primeiro dia útil do mês de janeiro de 2017, e que até o final do mesmo mês a nova empresa ainda estava recolhendo todas as documentações necessárias dos funcionários para a nova contratação.

De acordo com a Secretaria, toda a documentação já foi encaminhada para o banco credenciado à empresa. A previsão de pagamento dos vencimentos é na próxima quarta-feira, 15 de fevereiro.

Obras paralisadas em escolas de Petrolina desde a gestão anterior serão auditadas para que possam ser reiniciadas

A Secretaria de Educação de Petrolina (Seduc), em nota, informou que está fazendo um levantamento das unidades escolares que estão com obras paralisadas desde a gestão anterior. Depois disso, conforme a Seduc,  as obras serão auditadas para que possam ser reiniciadas.

Com relação à reclamação de uma mãe de aluno da comunidade do C-3 do Perímetro de Irrigação Senador Nilo Coelho, área rural da cidade, a Seduc já havia esclarecido que a reforma da escola da agrovila é fruto de um convênio com o governo federal.

Em tempo, os alunos matriculados na unidade receberão atenção da gestão escolar para que essas situações sejam minimizadas até a conclusão total da reforma/ampliação”, garante a Secretaria.

Araripina: Secretaria de Educação apresenta relatório de escolas e diz que situação da rede municipal é precária

A Secretaria de Educação  de Araripina, no Sertão do Araripe,  recebeu nesta segunda (16), o relatório completo do levantamento realizado nas escolas municipais. Foram vistoriadas 17 escolas e creches da sede, distritos e zona rural. A vistoria técnica – que também analisou a rede hidrossanitária, elétrica, além de questões logísticas e relação da população com as unidades públicas – constatou sérios problemas na estrutura física dos estabelecimentos de ensino.

Entre as principais irregularidades encontradas estão a falta d’água, banheiros sem a menor condição de higiene, risco de desabamento do teto, ferragem e fiação elétrica expostas, além de cisternas quebradas e portas danificadas. Os locais de armazenamento da merenda escolar também estão inadequados.

A infraestrutura comprometida das escolas e creches municipais é mais um dos fatores que influenciaram os altos índices de evasão escolar nos últimos anos, conforme avaliou a equipe que comanda a educação da principal cidade do Araripe. Com a palavra, a gestão anterior. (Foto: Ascom/PMA)

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br