Izacolândia: Mães reclamam de condições de escolas no primeiro dia de aula, mas Secretaria afirma que unidades estão preparadas

As mães que possuem filhos estudando em Centros de Educação Infantil (CMEIs) e escola do povoado de Izacolândia, zona rural de Petrolina, usaram os meios de comunicação da cidade na última segunda-feira, 13, para reclamar das condições em que as unidades foram encontradas no primeiro dia de aula. Algumas mães disseram ainda que foi informada pela gestora da escola que elas não podiam deixar os filhos lá porque os prédios ainda estavam sendo preparados para receber as crianças.

A gestora também teria dito que a unidade ainda estava sem pessoal de apoio para atuar como merendeira e auxiliar de serviços gerais. Diante do fato, as mães questionaram por que colocar o ano letivo para iniciar no dia que não ia dispor de condições.

Em resposta, a Secretaria de Educação de Petrolina negou a informação sobre a falta de estrutura e condições das unidades. Conforme a nota, a unidade escolar de Izacolândia está preparada para os estudantes e conta com profissionais efetivos para a merenda e limpeza. Além disso recebeu na última semana mais dois profissionais oriundos do processo de seleção simplificada para auxiliar no serviço.

Nesta terça-feira, 14, uma tutora de gestão visitará a unidade para acompanhar a gestão escolar e resolver possíveis situações.

Ano letivo nas escolas estaduais em Petrolina começa com cobrança de porteiros por salários e profissionais nas unidades descobertas

O ano letivo nas escolas estaduais mal começou e os problemas já começaram a aparecer. Segundo nota enviada à redação do Blog, os porteiros das escolas da rede pública do estado em Petrolina já ameaçam cruzar os braços para protestar contra o atraso no pagamento dos salários. Os servidores estão sem receber os vencimentos equivalentes ao mês de janeiro, que segundo os profissionais, teria sido prometido para dia 7. Só que até esta quinta, 9, não tinha entrada nenhum real na conta deles.

Os porteiros disseram que após o fim do contrato do governo estadual com a empresa Soservi, a categoria vive na expectativa, pois a outra empresa vencedora da licitação “ainda não deu as caras”, diz a nota enviada ao Blog. Eles contam que só receberam um e-mail orientando que os porteiros continuassem o trabalho desde 2 de janeiro;

A Gerência Regional de Educação (GRE) em Petrolina já foi procurada pelos porteiros das escolas da rede, e tinha dito que os pagamentos sairiam até dia 7, o que não aconteceu. Eles ameaçam cruzar os braços, deixando as escolas sem segurança. Muitas em Petrolina não têm condições de funcionar sem porteiro, como alegam professores, funcionários e familiares dos estudantes matriculados na rede.

 Pagamento para dia 15

Em resposta ao Blog, a Secretaria de Educação do Estado informou que o atraso no pagamento dos porteiros das escolas estaduais na cidade aconteceu devido ao processo de transição da empresa anterior para a nova empresa licitada. A pasta informa ainda que o início do novo contrato aconteceu no primeiro dia útil do mês de janeiro de 2017, e que até o final do mesmo mês a nova empresa ainda estava recolhendo todas as documentações necessárias dos funcionários para a nova contratação.

De acordo com a Secretaria, toda a documentação já foi encaminhada para o banco credenciado à empresa. A previsão de pagamento dos vencimentos é na próxima quarta-feira, 15 de fevereiro.

Obras paralisadas em escolas de Petrolina desde a gestão anterior serão auditadas para que possam ser reiniciadas

A Secretaria de Educação de Petrolina (Seduc), em nota, informou que está fazendo um levantamento das unidades escolares que estão com obras paralisadas desde a gestão anterior. Depois disso, conforme a Seduc,  as obras serão auditadas para que possam ser reiniciadas.

Com relação à reclamação de uma mãe de aluno da comunidade do C-3 do Perímetro de Irrigação Senador Nilo Coelho, área rural da cidade, a Seduc já havia esclarecido que a reforma da escola da agrovila é fruto de um convênio com o governo federal.

Em tempo, os alunos matriculados na unidade receberão atenção da gestão escolar para que essas situações sejam minimizadas até a conclusão total da reforma/ampliação”, garante a Secretaria.

Araripina: Secretaria de Educação apresenta relatório de escolas e diz que situação da rede municipal é precária

A Secretaria de Educação  de Araripina, no Sertão do Araripe,  recebeu nesta segunda (16), o relatório completo do levantamento realizado nas escolas municipais. Foram vistoriadas 17 escolas e creches da sede, distritos e zona rural. A vistoria técnica – que também analisou a rede hidrossanitária, elétrica, além de questões logísticas e relação da população com as unidades públicas – constatou sérios problemas na estrutura física dos estabelecimentos de ensino.

Entre as principais irregularidades encontradas estão a falta d’água, banheiros sem a menor condição de higiene, risco de desabamento do teto, ferragem e fiação elétrica expostas, além de cisternas quebradas e portas danificadas. Os locais de armazenamento da merenda escolar também estão inadequados.

A infraestrutura comprometida das escolas e creches municipais é mais um dos fatores que influenciaram os altos índices de evasão escolar nos últimos anos, conforme avaliou a equipe que comanda a educação da principal cidade do Araripe. Com a palavra, a gestão anterior. (Foto: Ascom/PMA)

Ministro Mendonça Filho libera mais de R$ 347 mil para escolas municipais de Petrolina

Depois de Araripina (PE), no Sertão do Araripe, o ministro da Educação, Mendonça Filho, também dará suporte a Petrolina. Ele destinou, desde que assumiu o Ministério da Educação, até hoje, R$ 347.731,45 para escolas do município. Esses valores, no entanto, são referentes a obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2) e do Plano de Ações Articuladas (PAR), que preveem aquisição de mobiliário e equipamento escolar.

“São recursos relevantes, que mostram nossa disposição no investimento na educação básica e que nos motiva a cada vez mais seguir nesse caminho”, destacou o ministro Mendonça Filho.

Além desses valores, Petrolina recebeu R$ 79,1 mil do Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE). Esse montante é a soma de todos os repasses feitos desde que o ministro assumiu o ministério. “Esses recursos são essenciais para a gestão escolar. Com eles os gestores conseguem adquirir materiais de uso diário, realizar projetos pedagógicos e realizar pequenos reparos nas unidades educacionais”, detalhou Mendonça. (foto/divulgação)

Paulo Afonso: Alimentação saudável nas escolas será tema de audiência pública promovida pelo MPBA nesta sexta

alimentacao-saudavelO Ministério Público da Bahia (MPBA) promoverá nesta sexta-feira (16), em Paulo Afonso, no norte do Estado, uma audiência pública para tratar da qualidade da alimentação oferecida nas escolas do município. Com o tema “Educação Saudável nas Escolas”, o encontro tem o objetivo de alertar para a necessidade das unidades de ensino disponibilizarem produtos mais saudáveis aos estudantes. A audiência está marcada para as 8h, no Memorial Chesf, Rua Carlos Berenhauser Jr, s/n°, Bairro Alves de Souza.

O promotor de Justiça Moacir Silva Nascimento Júnior salienta que, além de chamar a atenção das escolas sobre os produtos oferecidos, a discussão leva em conta pais de alunos que chegam ao MPBA reclamando por não ter controle da alimentação de seus filhos, tendo em vista a disponibilidade de refrigerantes, doces, balas e salgados. “A criança não consegue fazer o julgamento adequado sobre o produto que ela está comprando. O número de crianças obesas está cada dia crescente e isso precisa ser pensado, porque elas não terão problemas agora, e sim no futuro”, pondera.

Polícia realiza atividades de prevenção à violência em escolas do Sertão Central

prevencao-violencia-sertao-central

O Núcleo de Prevenção à Violência (Nuprev) e o 8° Batalhão de Polícia Militar (BPM) de Salgueiro (PE), juntamente com as Escolas Estaduais Carlos Pena Filho e  a Escola de Referência do Ensino Médio (Erem) Professor Manoel Joaquim Leite – situada no Cedro (PE), Sertão Central -, realizaram novas atividades de prevenção à violência.

Em Salgueiro, na Escola Carlos Pena, 60 alunos dos 9° ano participaram de um bate-papo sobre as principais formas de combater, prevenir e identificar os perfis de quem pratica abuso sexual.

Já na cidade do Cedro, na Erem Manoel Joaquim, 210 estudantes participaram do Projeto “Maria vai à Escola”, que visa a levar conhecimentos sobre a Lei Maria da Penha. Em consequência da quantidade de alunos, foi necessário dividi-los em dois grandes grupos. As ações do Nuprev têm o objetivo de trazer conscientização, prevenção e de aproximação. (foto/divulgação)

Escolas municipais de Petrolina são destaque no Idepe

alunos-petrolina

As Escolas Moisés Barreto, na Agrovila Massangano, e João Rodrigues de Macedo, em Cristália, ambas da rede municipal de Petrolina, alcançaram o primeiro lugar no Índice de Desenvolvimento da Educação de Pernambuco (Idepe).

A colocação foi nos anos iniciais e também nos finais. A secretária adjunta de Educação de Petrolina, Lindamária Amorim, e a gestora da Escola Moisés Barreto (1º lugar nas séries iniciais), Gildete Alves de Oliveira, além da gestora da Escola João Rodrigues de Macedo (1º lugar nas séries finais) participaram ontem (10) da solenidade de entrega dos certificados do Idepe 2015.

O índice avalia o desempenho das escolas públicas de Pernambuco com os mesmos critérios utilizados para o cálculo do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), do Governo Federal. A medição leva em conta a taxa de fluxo escolar e o nível de conhecimento dos estudantes nos Ensinos Fundamental e Médio. São levados em consideração, tanto os resultados da avaliação do Saepe, em Língua Portuguesa e Matemática, dos alunos do 5º e 9º anos do Ensino Fundamental e do 3º ano do Ensino Médio, como também a média de aprovação dos alunos. As informações da assessoria da Seduc/PMP. (foto/divulgação)

MP-BA recomenda que escolas de Paulo Afonso e outras cidades do norte baiano ofereçam alimentação saudável para alunos

O Ministério Público da Bahia (MP-BA), por meio do promotor de Justiça Moacir Nascimento Júnior, recomendou que as escolas de Paulo Afonso, Santa Brígida e Glória (norte do estado) cumpram o que determina a Lei nº 11.947/2009, oferecendo alimentação saudável aos alunos, respeitando a cultura, as tradições e os hábitos alimentares adequados.

Além disso, as escolas devem inserir a temática da alimentação saudável como matéria obrigatória no currículo escolar de forma horizontal; contratar serviços de nutricionista para assumir a responsabilidade pela escolha e pela fiscalização dos produtos ofertados nas cantinas; promover diagnóstico nutricional e atividades físicas dirigidas aos alunos de risco ou portadores de distúrbios nutricionais, especificamente excesso de peso; e realizar atividades de estímulo à alimentação saudável como campanhas, palestras, seminários e oficinas durante o ano letivo.

Segundo o promotor de Justiça Moacir Nascimento Júnior, grande parte das cantinas das escolas de Paulo Afonso comercializa produtos de baixa qualidade nutricional e com grande concentração de açúcares, como refrigerantes e frituras. O promotor remeteu também a recomendação aos secretários municipais, ao gestor da rede pública estadual e ao Instituto Federal da Bahia (IFBA). As informações são do MP-BA.

Enquanto escolas são roubadas em Petrolina, gestora diz que “investimentos ficam em segundo plano”

escola roubada petrolina

Mais dois estabelecimentos de ensino em Petrolina foram alvo do vandalismo nesta semana: as Escolas Ricardina Ferreira, no N-11 do Perímetro de Irrigação Senador Nilo Coelho, zona rural da cidade, e a Nossa Senhora Rainha dos Anjos, no Caic, localizada na Cohab Massangano, zona oeste. Até aí, essa rotina já deixou de ser uma infeliz realidade há algum tempo. O problema é o que pouca gente sabe além desses fatos.

Uma gestora, que prefere o anonimato por receio de represálias, informou que os recursos para a aplicação em obras nas escolas, a exemplo de reformas, consertos, instalações de dispositivos eletrônicos de segurança e até carteiras escolares foram deixados de lado.

Um projeto aprovado pela Câmara de Vereadores prevê a construção de muros altos, portões, cercas, alarme e câmeras de monitoramento em todos os estabelecimentos escolares. A gestora frisa que os muros e as cercas até foram colocados, mas depois que a administração municipal paralisou os investimentos, deixou de concluir a instalação das câmeras e os alarmes e não gasta mais nada com as escolas. Com a palavra, as autoridades responsáveis.

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br