Governo de Pernambuco convoca 1.322 aprovados em concurso da PMPE

O governador Paulo Câmara determinou a convocação imediata de 1.322 candidatos aprovados no concurso público para soldados da Polícia Militar de Pernambuco (PMPE), para matrícula no Curso de Formação e Habilitação de Praças da instituição. Participam dessa etapa os candidatos aprovados no exame de habilidades e conhecimentos, de aptidão física, avaliação psicológica e julgados aptos nos exames médicos.

O chamamento foi publicado nesta terça-feira (18), no Diário Oficial do Estado (DOE), numa portaria conjunta assinada pelos secretários Milton Coelho (Administração) e Ângelo Gioia (Defesa Social).

Cada candidato deverá apresentar, no período de 02 de maio a 02 de junho de 2017, a documentação prevista no Edital e protocolá-la no Campus de Ensino Mata, localizado na BR 408, Km 76,5, Paudalho/ PE, das 8h às 12h, que será analisada para confirmação das matrículas e início do curso de formação.

Após a conclusão do curso na Academia de Paudalho, os novos Praças entrarão em serviço até dezembro deste ano. A lista dos convocados pode ser conferida aqui. As informações são da Secretaria de Imprensa do Estado. (Foto/arquivo reprodução)

Marinha abre 146 vagas na área da saúde

Estão abertas até 15 de maio as inscrições para o concurso público de médicos, dentistas, enfermeiros, farmacêuticos, fisioterapeutas, fonoaudiólogos e nutricionistas, no Corpo de Saúde da Marinha. A inscrição é realizada no site www.ingressonamarinha.mar.mil.br, onde também pode ser encontrado o edital. A taxa de inscrição é de R$ 110,00.

Para concorrer é necessário ser brasileiro nato, de ambos os sexos, ter menos de 36 anos de idade no dia 01/01/18, e ter concluído o curso até 05/02/2018, para os concorrentes às vagas de âmbito nacional, e ter concluído a Residência Médica para as vagas de Medicina de âmbito regional, entre outros requisitos previstos em edital. As áreas de Medicina para este ano têm âmbito nacional.

As especialidades são as seguintes: Anestesiologia (6), Cancerologia (1), Cardiologia (7), Cirurgia Cardíaca (1), Cirurgia Geral (8), Cirurgia Plástica (1), Cirurgia Vascular (1), Clínica Médica (6), Dermatologia (2), Endocrinologia/Metabologia (1), Gastroenterologia(2), Ginecologia e Obstetrícia (7), Infectologia (1), Medicina Intensiva(6), Nefrologia (1), Neurologia (3), Oftalmologia (4), Ortopedia e Traumatologia (7), Otorrinolaringologia (4), Patologia (1), Pediatria (7), Pneumologia (2), Proctologia (1), Psiquiatria (9), Radiologia (8), Reumatologia (1) e Urologia (2).

Para o concurso em âmbito regional as vagas de Medicina para Salvador são: Ginecologia e Obstetrícia(1) e Ortopedia e Traumatologia(1). Na área de Odontologia há vagas, em âmbito nacional, para Dentista (3), Endodontia (1), Odontopediatria (1), Periodontia (3) e Prótese Dentária (4). Nas áreas de Apoio à Saúde há vagas, também em âmbito nacional, em Enfermagem (4), Farmácia (4), Fisioterapia (1), Fonoaudiologia (1) e Nutrição (1).

Após a aprovação em todas as etapas do concurso, os alunos realizarão o Curso de Formação de Oficiais (CFO), na cidade do Rio de Janeiro (RJ), com a duração de 39 semanas, quando serão promovidos a 1º Tenente e passarão a receber remuneração de cerca de R$ 10.500,00.

Marinha promove concurso público para músicos

Estão abertas até dia 28 as inscrições para o concurso público de admissão ao Curso de Formação de Sargentos Músicos do Corpo de Fuzileiros Navais, para 2018. As 36 vagas são distribuídas de acordo com as seguintes funções:

Cantor Tenor (1), Cantora Soprano (1), Clarinete em Sib (7), Saxofone Alto em Mib (2), Saxofone Tenor em Sib (2), Saxofone Barítono em Mib (1), Trompete em Sib (6), Trompa em Fá (2), Trombone Tenor em Dó (4),  Euphonium em Sib (3), Tuba em Sib (3) e Percussão-Bateria Completa (4).

Os principais requisitos são: ser brasileiro nato, de ambos os sexos, com mais de 18 anos e menos de 24 anos (até 01/01/2018) e com ensino médio completo. As inscrições poderão ser realizadas pelo site www.mar.mil.br/cpesfn, onde também poderá ser encontrado o edital com as informações completas,

A taxa de inscrição é R$ 44,00. Os candidatos classificados em todas as etapas do processo passarão por um curso de formação de 18 meses, na cidade do Rio de Janeiro.

Classificado em concurso da Prefeitura de Juazeiro cobra convocação

Em email a este Blog, o leitor Ilson Borges cobra à Prefeitura de Juazeiro (BA) a sua convocação no concurso realizado pela administração municipal, no qual ele foi classificado para trabalhar na Companhia de Segurança, Trânsito e Transportes (CSTT).

Acompanhe:

Sou classificado no concurso da Prefeitura de Juazeiro no cargo de Fiscal de Transporte. Em 19 de dezembro, foram nomeados 15 aprovados em Fiscal de Trânsito, 5 em Fiscal de Transporte e 10 Guarda Municipais, conforme estabelecido em edital do concurso.

Acontece que, desse quantitativo, alguns não tomaram posse. Há vacância de duas vagas de Fiscal de Trânsito, uma vaga de Fiscal de Transporte e uma na Guarda Municipal. Diante dessa situação, gostaria de saber da Prefeitura e da CSTT porque essas vagas não foram preenchidas? Por que ainda não foi feita uma convocação complementar?

Ilson Borges/Leitora

Aprovados em concurso da Polícia Civil protestam com doação de sangue em Petrolina

Vários aprovados no último concurso público para a Polícia Civil realizaram, na manhã de hoje (20), um protesto diferente: eles lotaram o Hemope de Petrolina para fazer doações de sangue.

O protesto é contra a anulação da fase do exame do Psicoteste do concurso. Várias manifestações estão sendo feitas em todo o estado.  A anulação do concurso é defendida pelo Ministério Público de pernambuco (MPPE) após após alguns candidatos terem dito que receberam o caderno de testes com rasuras.

Artigo do Leitor: Concursados de Ouricuri acusam prefeito de ser contra o concurso público e não nomear aprovados

Um grupo de 39 aprovados no concurso para a Prefeitura de Ouricuri, no sertão do Araripe revela que o prefeito Ricardo Ramos (PSDB) se recusa a dar posse. Em nota enviada ao Blogo, o grupo denominado GMAS cobra a convocação, pois foram nomeados em dezembro do ano passado pelo ex-prefeito  César de Preto. Ele acusam o prefeito Ricardo Ramos (PSDB) de levar a situação para o lado política e não chamar os aprovados. Acompanhe:

É inacreditável que nos dias atuais precisamos noticiar um fato como esse, um gestor público se recusar a cumprir a lei, mas por que o espanto se isto é o que ocorre em todo Brasil. O concurso do ano passado que foi homologado através da portaria 88/2016.

39 aprovados no concurso foram nomeados no dia 22 de dezembro no Diário Oficial Do Estado De Pernambuco, pelo o ex-gestor, por causa dos prazos a posse ficou para ocorrer na atual gestão, o Prefeito Ricardo Ramos que nunca simpatizou com a ideia do concurso, simplesmente recusa-se a empossar os concursados. Na quarta-feira (15/02) em entrevista a uma rádio local ele afirmou que as nomeações aconteceram de forma ilegal, na verdade ilegal é não dar posse aos concursados por motivos políticos. Na mesma entrevista o prefeito alegou que o município se encontra com o limite da lei de responsabilidade fiscal estourado, já que o permitido é 54% da receita corrente líquida. O prefeito culpa o excesso de nomeações e posses por este fato, o que não é verdade porque só foram nomeados a quantidade prevista em edital, ele se esquece do reajuste de 4 mil em seu salário e de 2 mil no da vice e de seus secretários que começou a valer este ano e também entra na conta da despesa com pessoal. (Prefeito 24 mil, vice 12 mil, secretários 7 mil). O que o prefeito alega não faz sentido, se tem vários psfs sem médicos sem dentistas e escolas faltando professores, vigias e auxiliares como é que os 54% da LRF já foram extrapolado se existe uma ernome carência no quadro de servidores de Ouricuri, e este fato pode ser comprovado por qualquer cidadão basta ir a uma escola ou psf mais próximo. O ofício circular 01/2017 do TCE também desmente uma das desculpas difundidas pela equipe da prefeitura. Que é recomendação do TCE não dar posse a nenhum concursado. “Não estamos pedindo nada só queremos o que é nosso por direito adquirido através do concurso, mais o concurso não agrada os prefeitos da região que preferem preencher os cargos públicos com contratações temporárias para agradecer os seus eleitores e pagar promessas políticas”. O maior prejudicado nessa história toda é o povo de Ouricuri que ficam sem saúde, educação e assistência.

 

(Texto: GMAS)

Prefeito de Araripina contesta TCE/PE por suspender contratações de concursados

O prefeito de Araripina, Raimundo Pimentel (PSL), contestou recomendação do Tribunal de Contas do Estado/PE que suspendendo a convocação de professores aprovados em concurso público no município. Pimentel estranhou a determinação e lembrou que o Tribunal fez fiscalização semelhante em 2006 em processo de contratação simplificada que teve comprovadamente irregularidades, e no entanto, a decisão foi por manter a seleção.

“Causa estranheza que, em 2016, igual processo seletivo simplificado fora realizado com a comprovação de diversas irregularidades e o Tribunal de Contas de Pernambuco em nenhum momento solicitou a sua suspensão“, disparou.

Candidatos do concurso da Polícia Civil temem prejuízo por decisão do MPPE

Após a recomendação da Promotoria de Defesa do Patrimônio Público do Ministério Público de Pernambuco à Secretaria de Defesa social e ao Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção de Eventos (Cebraspe/Cespe) de anular a prova de avaliação psicológica do concurso público da Polícia Civil e Científica realizado em outubro de 2016, os candidatos aprovados na prova apresentaram versões que defendem a legalidade da prova aplicada.

Eles afirmam que a maioria dos candidatos que receberam os cadernos marcados informou e efetuou a troca do material, e isso foi anotado em ata, sendo justamente os dados apresentados ao MP. Além disso, a maioria das reprovações ocorreu nos testes de atenção e memória, que não possuíam marcações em cadernos e dependiam unicamente da capacidade do candidato de efetuar a atividade no tempo determinado.

Temendo serem prejudicados injustamente pela recomendação do MPPE, os candidatos se reunirão nesta segunda, 13,, a partir das 10h, na Praça da República, no Recife, para debater sobre o assunto.

Decisão

A Promotoria de Defesa do Patrimônio Público do Ministério Público de Pernambuco recomendou à Secretaria de Defesa social e ao Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção de Eventos (Cebraspe/Cespe) a anulação da prova de avaliação psicológica do concurso público da Polícia Civil e Científica após candidatos denunciarem que alguns deles receberam o material de prova rasurado.

A promotoria defende a anulação de todas as fases posteriores ao psicotécnico e que a prova seja reaplicada, gerando um grande ônus, já que a fase de exames médicos, que contemplou 12 especialidades e mais de 50 exames, foram realizados aos custos dos candidatos.

Os candidatos alegam que o retorno das fases do concurso não só acarreta prejuízo material e moral aos candidatos aptos, como despesa desnecessária a Cespe e ao estado, além do atraso no andamento do certame, cujo efetivo é extremamente necessário neste momento para a segurança pública.

Mais de 90 concursos estão abertos em todo o País

Pelo menos 91 concursos públicos no país estão com inscrições abertas nesta segunda-feira (6) e reúnem 13.207 vagas em cargos de todos os níveis de escolaridade. Os salários chegam a R$ 18.066,53 na Prefeitura de Ipiranga do Norte (MT). Além das vagas abertas, há concursos para formação de cadastro de reserva – ou seja, os candidatos aprovados são chamados conforme a abertura de vagas durante a validade do concurso.

Entre os órgãos com inscrições abertas estão o Governo de Rondônia, com 1.143 vagas e salários de até R$ 9 mil, a Aeronáutica com concurso para 55 vagas de nível superior, e a Marinha com 1.240 vagas para aprendizes-marinheiros e outra seleção para 1.300 vagas de fuzileiros navais.

Em Pernambuco, continua até 26 de março a inscrição para 300 vagas no Corpo de Bombeiros. Os interessados devem se inscrever através do site da organizadora Iaupe –  www.upenet.com.br – mediante pagamento de R$129,60. Os candidatos que comprovarem inscrição no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (Cadúnico) e forem membros de família de baixa renda terão isenção na taxa. (Com apoio do G1PE)

MPPE quer anular resultado de concurso da polícia civil de Pernambuco

A Promotoria de Defesa do Patrimônio Público do Ministério Público de Pernambuco está recomendando à Secretaria Estadual de Defesa Social e ao Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe/Cespe) a anulação da prova de avaliação psicológica do concurso público para agente, delegado e escrivão da polícia civil, entre outros cargos, realizada em outubro de 2016. Candidatos denunciaram que alguns deles receberam o caderno da prova já com respostas.

Durante a investigação do MPPE, a empresa responsável pela seleção admitiu que houve o incidente _ “cadernos riscados, marcados ou rasurados” – em seis das 76 salas. A seleção é para mais de 900 servidores. O MPPE dá um prazo de dez dias para o Estado e o Cebraspe/Cespe acatarem a recomendação, publicada no Diário Oficial desta sexta-feira (3). A promotoria defende, portanto, a anulação de todos os resultados posteriores ao psicotécnico e que a prova questionada seja novamente aplicada.

O edital do concurso previsa 400 vagas para agentes, 100 para delegado e 50 para escrivão. Para a polícia científica estavam previstas mais de 300 vagas e cadastro reserva de auxiliar de legista, auxiliar de perito, perito papiloscopista, médico legista e perito criminal.

“Só o fato deste contingente de candidatos ter tido acesso às anotações no caderno de questões já afeta a isonomia entre os concorrentes, uma vez que é impossível determinar quantas e quais pessoas foram beneficiadas no decorrer da prova com o acesso a tais informações”, justificou a promotora Andréa Fernandes Padilha .

“Ainda há de se considerar que tal número de incidentes diz respeito apenas às salas onde tal fato foi registrado em ata, havendo relato nesses autos de que o fato se repetiu em diversas outras salas, onde não chegou a ser registrado em ata, atingindo um número indiscriminado de candidatos”, afirma, em material divulgado pelo MPPE.

Na decisão, a promotora pede que seja “publicando novo cronograma de realização das provas, adotando todas as cautelas necessárias para que a falha de segurança não volte a acontecer”. Sobre os custos operacionais das novas provas, diz que deverá ser por conta do Cebraspe/Cespe, “responsável pela falha de segurança que ensejou a nulidade desta etapa e das seguintes da realização do nominado concurso público, de modo que o erário não suporte o prejuízo decorrente da renovação dos referidos atos”

SDS adotará medidas

Em nota, a SDS informou que adotará todas as medidas para dar fluidez e lisura ao concurso. “O Cebraspe, realizador do concurso público das polícias civil e científica, encaminha na próxima semana, à promotoria de Justiça e Defesa da Cidadania da Capital, um documento que faz a defesa da metodologia e da lisura da seleção”. Com os esclarecimentos feitos, a SDS e a Secretaria de Administração “adotarão as medidas necessárias à garantia do processo legal e também à fluidez das etapas do concurso que reforçará as polícias civil e científica com 966 profissionais, melhorando os serviços de segurança pública oferecidos à população”. (Com informações do JC Online)

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br