Governo da Bahia usará interatividade nos meios digitais para alertar contra os perigos do Aedes aegypti

Uma nova campanha de combate ao mosquito Aedes aegypti foi lançada pelo Governo da Bahia, nesta segunda-feira (15). A ação, apresentada para estudantes da rede pública durante evento no Colégio Estadual de Aplicação Anísio Teixeira, no Bairro de São Marcos na capital, Salvador, vai usar redes sociais como o Instagram, Facebook e Youtube para ampliar o alcance da campanha e engajar públicos diversos.

Ao lado dos titulares das pastas estaduais da Educação, Walter Pinheiro, e de Comunicação, André Curvello, o secretário da Saúde, Fábio Vilas-Boas, ressaltou que “influenciadores digitais e vídeos com um pouco de humor estimulam o compartilhamento da mensagem, que é simples e direta: ou você toma uma atitude ou o mosquito toma conta”.

A campanha também terá anúncios em sites, jornais, revistas, outdoors, busdoors, além da exibição de comerciais nas rádios e tevês de todo o estado. Para ao secretário André Curvello (Secom), apostar na diversidade de linguagens é garantir que a mensagem chegue aos baianos. “Entendemos a importância do tema e tentamos utilizar todas as ferramentas possíveis da comunicação, no sentido de que a gente atinja o maior número de pessoas. Essa é uma campanha complexa, que já começou a ser veiculada em todos os meios ‘off’ e online. Acredito que nunca fizemos uma campanha com tanta força nas redes sociais como esta”.

Com o uso da tecnologia, a apresentação desta segunda-feira mostrou aos estudantes a história do Aedes e a forma como foi disseminado pelo mundo, bem como as estratégias de combate ao mosquito, que é vetor de doenças como a dengue, zika e chikungunya. “Em uma única ação utilizamos a interatividade de um vídeo 360°, propusemos uma mini gincana, apresentamos o ciclo de vida do mosquito com o auxílio de microscópios e montamos uma estrutura de mini cinema para exibir dois vídeos educativos”, explicou Fábio Vilas-Boas. Uma caravana com dois caminhões levando o cinema ao ar livre, os óculos de realidade virtual, microscópio e outras atividades, vai percorrer as escolas estaduais, da capital e do interior, com as ações da campanha. De acordo com o secretário Walter Pinheiro, a ideia é fazer com que as atividades cheguem às 1.300 unidades da rede pública.

“Estamos fazendo uma campanha que leva a conscientização e uma série de ações de combate ao mosquito, com a utilização de novas ferramentas. E a campanha encontra nas escolas o ambiente ideal para fazer essas ações florescerem. Queremos que o combate ao mosquito seja debatido dentro das salas de aula, que não seja pontual, mas que faça parte de uma prática de educação e formação”, destacou.

‘Saúde da Escola’

Durante o evento, os secretários estaduais da Saúde e Educação também assinaram a adesão ao novo Programa ‘Saúde na Escola’, que destina recursos federais para as escolas públicas, sejam elas municipal, estadual ou federal. Nesse sentido, algumas ações são prioritárias, como a visita de profissionais de saúde nas escolas, ações de combate ao mosquito Aedes aegypti; avaliação de Saúde bucal, e a prevenção ao uso de álcool e outras drogas. A ideia é dar atenção integral à saúde dos estudantes da rede pública através de ações de promoção, prevenção e enfrentamento das situações que podem gerar vulnerabilidade. (Foto: Ascom)

Doenças do Aedes aegypti despencam no Brasil

Dados de boletim do Ministério da Saúde levantados até 15 de abril, apontam uma redução drástica das doenças provenientes do mosquito Aedes aegypti. A dengue teve queda de 90,4%, chikungunya de 68,1% e zika de 95,4%. Em 2017, foram 113.381 casos de dengue até metade de abril. No ano passado, havia 1.180.472 casos na mesma época.

A região Sudeste concentrou o maior número de casos, 32,9% do total registrado no país, mas a região com maior incidência foi o Centro-Oeste, com 160 casos a cada 100 mil habitantes.

Houve 17 mortes por dengue este ano, em contraste com 507 mortes no mesmo período do ano passado. Além disso, houve 57 casos de dengue grave e 793 casos de dengue com alarme.

Quanto à chikungunya, foram 43.010 casos em 2017, ante 135.030 no ano passado. A região Nordeste é a que registrou maior incidência. Além disso, este ano teve 9 mortes confirmadas pela doença. Ao longo de todo o ano de 2016, 196 pessoas morreram de chikungunya no país.

O país teve 7.911 casos de zika em 2017, em comparação com 170.535 no mesmo período do ano passado. A região Centro-Oeste é a que apresentou maior incidência e não houve nenhuma morte confirmada pela doença este ano. (Com informações do G1)

Parceria entre Coelba e Secretaria de Saúde da Bahia ajuda a mapear focos de dengue no Estado

Mais de 21 mil possíveis focos do mosquito Aedes Aegypti foram identificados por leituristas da Coelba, empresa do Grupo Neoenergia, na capital e interior da Bahia. Completando, neste mês, um ano de parceria com o Governo do Estado, através da Secretaria de Saúde (Sesab), a Coelba já totaliza 325 municípios mapeados, com os possíveis criadouros identificados e informados às autoridades sanitárias. Na liderança das cidades com maior número de focos identificados estão Salvador (1.801), Paripiranga (1.197) e Buritirama (958).

A estratégia de cooperação da Coelba é simples: utilizar os mais de 1,5 mil leituristas que, diariamente, coletam consumo mensal de energia elétrica dos mais de 5,8 milhões de clientes, para identificar focos do mosquito e informar as autoridades sanitárias sobre potenciais criadouros. As anotações e indicações dos locais sob risco são feitas através dos equipamentos utilizados para a coleta de leitura.

As informações – endereço e coordenadas geográficas – são disponibilizadas diariamente para as secretarias de saúde municipais de todo o Estado, além da disponibilização destas informações no aplicativo para celular ‘Caça Mosquito’, do governo estadual.

A intenção é dar mais agilidade ao mapeamento dos focos de reprodução e auxiliar na eliminação do mosquito que transmite doenças como a dengue, zika, chicungunha e febre amarela. As informações são da Coelba.

 

Petrolina será polo de projeto-piloto contra Aedes aegypti

Uma parceria firmada no dia de ontem (11) entre a Secretaria de Saúde de Petrolina e a fábrica da Moscamed Brasil irá ajudar na realização de uma pesquisa de controle do Aedes aegypti. A secretária Magnilde Albuquerque, juntamente com a secretária executiva de Vigilância em Saúde, Marlene Leandro, reuniram-se com o diretor da empresa, Jair Fernandes Virginio, para conhecer o projeto e dar início às atividades de monitoramento e controle do mosquito – vetor de doenças como zika, dengue e chikungunya. A ideia é fazer do município um polo de projeto-piloto contra o Aedes.

Fernandes ressaltou que esse projeto é pioneiro não somente no país, mas no mundo. “Nós estamos dando início às articulações técnicas e institucionais com a Prefeitura de Petrolina. Já nos reunimos com o prefeito Miguel Coelho e agora fomos recebidos pela secretária Magnilde. A ideia é construirmos uma alternativa para o manejo integrado de combate ao vetor“, frisou.

O diretor ressaltou que esse controle é feito com o próprio mosquito. “O objetivo é fazer as liberações desses insetos esterilizados. É um projeto diferente do que vínhamos realizando, não vamos usar o mosquito transgênico. Vale ressaltar que vamos liberar os machos, eles não se alimentam de sangue e não vão incomodar a população. Estamos discutindo este projeto piloto, vamos realizar o monitoramento para saber o índice de infestação em campo e começar os planejamentos. Já estamos buscando os recursos nos Ministérios da Saúde e de Ciência e Tecnologia, assim que forem disponibilizados, já vamos dar início às ações”, explicou.

Para Marlene Leandro, esta parceria vem para consolidar o trabalho já realizado pela Secretaria de Saúde no controle de doenças como dengue, Zika e Chikungunya. “Esse é um projeto piloto aqui na região, e o objetivo de todos é combater o mosquito. Essa foi nossa primeira reunião, porém, vamos ter outros encontros para o desenvolvimento e sucesso das ações. A primeira delas será a identificação da área que será utilizada. Vale ressaltar que o trabalho que já vem sendo desenvolvido pelo município vai continuar, esse é só mais um reforço”, concluiu. As informações são da assessoria da SMS. (foto/divulgação)

Perigo: Terreno em avenida do Jardim Guararapes vem servindo de depósito para pneus velhos

Em tempos de dengue, zika vírus e microcefalia – doenças provocadas pelo famigerado mosquito Aedes aegypti –, mais um exemplo do que não deve acontecer é registrado em Petrolina, desta vez no Jardim Guararapes.

No flagrante, enviado ao Blog por moradores, um terreno na avenida principal do bairro, vem servindo de depósito para pneus velhos. As suspeitas são de que o proprietário de uma borracharia nas proximidades tenha sido o responsável pelo descarte dos pneus.

“Nós colocamos os pneus no meio fio para chamar a atenção de quem passa por ali”, disse um dos moradores, via WhatsApp. Lamentável.

Prefeitura de Juazeiro mantém parceria com a Moscamed para pesquisa de controle do Aedes aegypti

Prefeitura de Juazeiro (BA) manterá a parceria com a Moscamed Brasil para pesquisa de controle do Aedes aegypti. O prefeito Paulo Bomfim se reuniu com o diretor da Moscamed, Jair Fernandes Virginio, para tratar do início das atividades de monitoramento e controle do mosquito no Distrito de Carnaíba do Sertão, zona rural do município. O Secretário da Saúde, Plínio Amorim, participou do encontro e colocou a estrutura da pasta à disposição, assim como o Chefe de Gabinete, Vilmar Ferreira.

A preocupação com o Aedes, vetor de mais de 24 doenças, é mundial, o que torna este projeto pioneiro não somente no país, mas no mundo. “Nós estamos colocando Juazeiro numa posição de destaque no campo da ciência e da tecnologia que hoje está sendo desenvolvida aqui. O prefeito hipotecou apoio ao projeto e se comprometeu em nos auxiliar, juntamente com o secretário da Saúde. Estamos somando esforços para que a gente o mais rápido possível possa aportar uma solução para o controle desse vetor“, declarou Jair Fernandes, diretor da Moscamed.

Para Plínio Amorim, esta é uma parceria importante, pois consolida com o trabalho já realizado pela secretaria da Saúde no controle de doenças como dengue, Zika e Chikungunya. Já Paulo Bomfim garantiu que o município vai continuar colocando a estrutura necessária para que as pesquisas de controle do mosquito Aedes continuem sendo exitosas em Juazeiro.

Secretaria de Saúde de Juazeiro alerta população para combate ao Aedes aegypti durante período chuvoso

Em Juazeiro (BA), durante o período das chuvas o índice de notificações de doenças transmitidas por insetos (aborviroses) aumenta. Por esse motivo, a Secretaria de Saúde (Sesau) do município alerta a população acerca dos cuidados que devem ser tomados dentro de casa, para evitar a proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor das doenças: dengue, zika, chikungunya e febre amarela.

De acordo com o secretário de Saúde, Plínio Amorim, no ano passado, foram notificados 214 casos de suspeita de dengue, deles 67 foram confirmados. Além disso, também foram detectados cinco casos de chikungunya no município. No mesmo período deste ano, apenas 19 pessoas tiveram suspeita de dengue. “Nós reduzimos nossos índices, mas nos preocupamos com o início das chuvas na região. Desde novembro estamos realizando ações para a chegada deste período“, afirma.

Só este ano, o carro fumacê já passou por 13 bairros de Juazeiro. Além disso, em parceria com a Secretaria de Serviços Públicos (Sesp), foi realizada a limpeza e o tratamento com cal virgem dos canais do João XXIII, Jardim São Paulo, Lomanto Júnior e Alto do Alencar. As praças e fontes da cidade também estão sendo tratadas com larvicidas, mesmo produto que é usado quando há visitas em domicílios. O trabalho perifocal, feito com a bomba de pulverização costal, também está acontecendo semanalmente (sextas-feiras), em locais com grande acumulo de sucata, como borracharias, ferros velhos e postos de gasolina.

Vale frisar que todas as medidas já conhecidas da população para evitar a proliferação do mosquito continuam sendo a melhor orientação. Não deixar água parada em vasilhas de plantas, caixas d’água ou qualquer outro recipiente que acumule água é fundamental.

Denúncias

Na cidade a população ainda pode realizar denúncias quando tiver conhecimento de casas abandonadas com piscinas ou mesmo lixo. Existe uma determinação legal que possibilita a ação dos agentes de combate às endemias nesses locais. Para informar a Secretaria acerca de possíveis focos de dengue, o número de telefone é: (74) 9 9198-3057. O contanto pode ser feito por ligação ou via mensagem pelo aplicativo WhatsApp.

Bahia já pode produzir e distribuir testes-rápidos de dengue

A Bahiafarma é o primeiro laboratório público do país a poder produzir e comercializar testes-rápidos de diagnóstico da dengue, zika vírus e febre chikungunya, transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti. A licença para a produção e distribuição dos dispositivos que detectam a dengue – a única que faltava – foi concedida pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e publicada no Diário Oficial da União (DOU).

Embora ainda não tenha iniciado a produção do dispositivo, a Bahiafarma tem capacidade de produzir cerca de 500 mil testes-rápidos ao mês. Eles podem acabar com as dúvidas do cidadão em relação ao próprio quadro de saúde e, consequentemente, possibilitar tratamento imediato para quem tiver constatada a infecção pela doença. Somente em 2016, 65.831 casos prováveis de dengue foram notificados na Bahia, representando uma incidência de 433 casos a cada 100 mil habitantes.

Os registros obtidos pelo laboratório baiano são referentes a dois tipos de testes rápidos para diagnóstico da dengue. Um deles detecta anticorpos produzidos por organismos infectados, o Dengue IgG/IgM, e o outro reage com o antígeno NS1, o Dengue NS1. Desenvolvidos em parceria com o laboratório sul-coreano GenBody, os dispositivos funcionam com uma pequena quantidade tanto de sangue quanto de soro ou plasma sanguíneo e fornecem os resultados em até 20 minutos.

Precisão no diagnóstico

O Dengue IgG/IgM consegue realizar o diagnóstico a partir do quinto dia de infecção, por meio da análise da presença da imunoglobulina M (IgM) no organismo do paciente – que indica que a infecção está ativa – e também é capaz de identificar se o paciente já teve contato com o vírus da dengue no passado, por meio da pesquisa pela presença da imunoglobulina G (IgG). Já no caso do teste rápido Dengue NS1, o dispositivo consegue identificar a infecção pelo vírus da dengue logo em seu início, antes mesmo que o paciente comece a sentir os sintomas da doença. Com isso, o teste permite uma intervenção médica mais rápida e precisa.

Com atuação destacada no setor e gestão inovadora, a Bahiafarma ingressou no rol dos principais laboratórios oficiais do Brasil. A instituição tem dado continuidade à estratégia do Governo do Estado de transformar-se em um centro indutor para a consolidação de um polo industrial farmacêutico e biotecnológico na Bahia, iniciado em 2015. (foto: Ascom GOVBA/divulgação)

Presidente da Fiocruz diz que hoje é impossível erradicar o Aedes aegypti

A presidente da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Nísia Trindade, disse nesta segunda-feira (31) que atualmente é praticamente impossível erradicar o Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, zika, chikungunya e também da febre amarela.

“O combate ao Aedes talvez seja o maior desafio da saúde pública, afinal, existe uma série de fatores que deveriam ser realizados para que esse combate fosse de fato eficiente e acabasse com o vetor dessas doenças. Hoje é praticamente impossível acabar com ele”, constatou a presidente.

Conforme a dirigente, o verão é a ocasião perfeita para a reprodução desse inseto, mas o combate tem que ser o ano inteiro. “Monitorando a saúde como uma só, tanto de seres humanos como de animais, já que os macacos fazem parte do ciclo silvestre da febre amarela”, frisou Nísia.

Com relação à febre amarela, Nísia buscou tranquilizar a população. “Temos vacina suficiente para aplicarmos naqueles que necessitam, e os que não precisam, peço que, por favor, não façam uso da medicação, pois estarão retirando do público-alvo”, destacou. (fonte: Agência Brasil)

Perigo: Pneus acumulados em terreno próximo a hospital de Petrolina podem virar criatório do Aedes

Nas imediações do Hospital Geral e Urgência (HGU), em Petrolina, esconde-se um perigo à saúde pública. Além do lixo, os pneus jogados no terreno baldio podem servir de ambiente ideal para a proliferação do mosquito Aedes aegypti, o transmissor da dengue e de moléstias mais recentes como chicungunya e zika – sobretudo quando as chuvas começarem a cair na cidade.

O problema localiza-se na segunda rua atrás do HGU. Segundo a leitora Teresa Leonel, que fez a foto, o cenário está assim pelo menos desde novembro do ano passado.

Baldes deixados em construção podem se tornar criadouros do Aedes aegypti e comunitário alerta para risco

dengue

Uma construção no Bairro Areia Branca, em Petrolina, está gerando preocupação entre os vizinhos. O motivo é que a obra possui vários baldes que podem transformar-se em criadouros para o mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, chikungunya e zika vírus.

(mais…)

Mais de 250 casos de dengue já foram registrados este ano em Juazeiro, informa Secretaria

bombate-a-dengueAté o último mês de outubro o município de Juazeiro registrou 256 casos de dengue. Os dados são da Secretaria de Saúde (Sesau). Casos de Chikungunya e zika ainda não foram registrados em 2016. Em 2015 foram confirmados 443 casos de dengue na cidade.

Apesar do baixo número de casos este ano, a Sesau tem intensificado o combate ao Aedes aegypti, o mosquito transmissor das três doenças. De acordo com a Pasta, o trabalho de controle e orientação junto à comunidade é realizado diariamente, com vistorias de casa em casa, nas zonas rural e urbana.

A ação, que vai desde a aplicação do larvicida, inseticidas até a passagem do carro fumacê, abrange canais, vegetação, fossas – entre outros ambientes onde existem focos de larvas e de muriçocas. A Secretaria alerta ainda que o acúmulo de água em recipientes facilita a proliferação do Aedes e isso deve ser evitado.

‘Denguezapp’

Outra medida da secretaria foi a criação do ‘Denguezapp’, através do qual as pessoas entram em contato com o número (74) 9 9198-3057 para enviar fotos e vídeos de possíveis focos do mosquito. As denúncias são repassadas para as equipes de combate às endemias, que fazem a vistoria nos locais indicados pelos contatos via WhatsApp. (foto/divulgação)

Caminhada alertará população de Juazeiro sobre mosquito Aedes aegypti

O Dia Nacional de Combate ao Aedes aegypti (25 de novembro) estabelecido pelo governo federal será realizado neste sábado (26). Em Juazeiro (BA), uma parceria entre as Secretarias de Saúde e de Educação, além de outros órgãos, realizará diversas atividades pela cidade em combate ao mosquito, que é transmissor da dengue, zika e febre chikungunya.

As atividades do Dia D começam na sexta-feira (25), às 8h com uma caminhada da Avenida Adolfo Viana, com saída próximo ao edifício Topázio até a Praça da Misericórdia. O objetivo da mobilização é chamar a atenção da comunidade para se prevenir contra o mosquito.

A campanha nacional contará com o apoio das escolas e Unidades de Saúde, que também realizarão ações de orientação e prevenção. O setor de humanização e os agentes de endemias sairão de porta a porta com ações preventivas, distribuição de folders e uma conversa com a comunidade.

Pneus velhos expõem risco de infestação do mosquito Aedes aegypti em Juazeiro

pneus-br-235-itaberabaO período chuvoso começa a chegar à região e o alerta para o perigo em relação ao mosquito Aedes aegypti voltou à tona. É comum as pessoas jogarem fora objetos que acumulam água. São pneus, garrafas e até tampinhas de refrigerante. Tudo contribui para a proliferação das larvas do mosquito transmissor da dengue, chikungunya e zika.

Em Juazeiro (BA), o Blog flagrou um local atraente para o Aedes. Atrás de um conhecido supermercado, na BR-235, Bairro Itaberaba, foram depositados vários pneus dentro de uma vala que escorre para um canal que corta a comunidade. Os objetos estão no local há bastante tempo e ficaram cheios d’água, devido à chuva da noite de ontem (16). Vale frisar que o Aedes se prolifera durante todo o ano, mas nesse período a incidência é maior. Atenção, autoridades.

Petrolina mantém baixo risco de infestação pelo Aedes aegypti, aponta Secretaria de Saúde

liraa-dengue

Petrolina continua longe da ameaça do mosquito Aedes aegypti – o transmissor da dengue, Chikungunya e Zika. Esse foi o resultado do 6º Levantamento de Índice Rápido de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa), realizado pela Secretaria Municipal de Saúde.

A pesquisa aponta 0,6% para infestação do mosquito transmissor, considerado de baixo risco. O índice se manteve em relação à pesquisa anterior.

Entre os bairros com maior infestação do Aedes estão João de Deus, Loteamento Bela Vista e Loteamento Nova Vida, com 2,5%; em seguida vêm São Gonçalo, Jardim Petrópolis e Vila Chocolate, com 1,4%. “É fundamental que a população se mantenha vigilante dentro de suas casas e no seu bairro, para evitar a proliferação do mosquito”, alertou a secretária de Saúde, Mara Gonçalves. As informações são da assessoria. (foto/divulgação)

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br