Presidente do CREA-PE estará em Petrolina nesta sexta-feira para debater ações e atuação da entidade

4
Foto: divulgação

O presidente do Crea-PE, Adriano Lucena, iniciará por Petrolina, no Sertão do Estado, uma série de visitas que a gestão fará a todas as inspetorias e a cidades do Interior, para reforçar a atuação do Conselho em cada região. A visita acontece nesta sexta-feira (16). O encontro já estava agendado, mas foi necessário remarcar uma nova data em função das restrições impostas pelo governo do Estado para conter a pandemia de Covid-19.

Logo no início da manhã, às 9h, o presidente do Crea-PE tem um encontro agendado com o prefeito de Petrolina, Miguel Coelho. “Petrolina historicamente é uma cidade com um olhar para agricultura, além de um grande polo para a construção civil. Nós queremos que a engenharia contribua para o crescimento sustentável da região“, afirmou Adriano Lucena.

No diálogo com a gestão municipal, o Conselho vai colocar toda a expertise e estrutura do Sistema Confea/CREA em favor de ações que impactem positivamente a cidade e a população. “Queremos que o CREA possa participar do debate local, em torno da revitalização do rio, da drenagem, da mobilidade, do Plano Diretor“, explicou o presidente do Crea.

Dentro do propósito de aproximar a gestão das cidades do interior, haverá uma reunião com os inspetores e colaboradores na inspetoria do Crea de Petrolina, às 10h. “Todas as ações que estão sendo implantadas na sede nós vamos levar também para as inspetorias. O programa 8S, a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). Esse é um movimento importante para que os colaboradores do Crea-PE possam conversar diretamente com a gestão“, explicou o presidente. Na programação da visita está prevista também, à tarde, uma reunião com representantes da Associação dos Engenheiros e Agrônomos do Sertão de Pernambuco (Assea).

4 COMENTÁRIOS

  1. O vale do São Francisco, espera uma postura positiva do CREA-PE no que se diz respeito as fiscalizações na zona rural, haja visto que o número de inabilitados exercendo a nossa profissão de ageonomia, é o que mais vemos atualmente.
    Esperamos que essa parceria com a associação local (ASSEA) seja positiva para categoria agronômica.

  2. Só espero que apareça uma solução para a melhoria da construção civil porque o que tem de engenheiros civis desempregados em Petrolina. Não sei para que abri universidades se a cidade não tem estrutura para empregar ninguém. É um caos. Um estágio para o curso, você só arranja se você se humilhar. Misericórdia! Não sei de onde tiram a ideia que Petrolina emprega, aqui só emprega se tiver peixe grande. Só se for na cultura de manga. Porque em outro setor. Dar até vontade rir. Ou puxa saco de alguém ou fica fora. Triste assim.

Deixe uma resposta para Rubens Cancelar resposta

Comentar
Seu nome

cinco × 4 =