“O partido não foi justo”, dispara Allan Maux sobre divisão de verba eleitoral

por Denise Saturnino // 21 de setembro de 2022 às 14:00

Em entrevista ao Blog nessa terça-feira (20), o candidato a deputado estadual pelo PSDB, Allan Maux, abordou mais do que suas propostas de campanha, como trouxemos anteriormente (veja aqui), ele declarou também que não considerou justa a divisão da verba eleitoral entre os candidatos do partido para as eleições deste ano. Para ele, os critérios que a legenda usou para distribuir os valores foram “antidemocráticos”.

“O princípio da democracia é a igualdade, logicamente na medida das desigualdades. Foi o que disse Ruy Barbosa. Mas, se a gente está querendo a renovação, deveríamos dividir os valores em partes iguais e faríamos nosso trabalho, mas não é assim que acontece”, declarou.

Apesar de dizer que não ficou magoado, Allan considerou “absurdo” que candidatos como Lucinha Mota e Joaquim Neto receberem R$ 480 mil e R$ 500 mil, respectivamente, além de outros que receberam até R$ 1 milhão, enquanto ele ficou com R$ 80 mil. “O partido distribui mais dinheiro para o cara que já tem mandato, mais também para quem tem uma causa e visibilidade na mídia e bem menos para quem está entrando no jogo agora, mas isso não é justo”, disparou.

Diante disso, o candidato garantiu que fará a conta na ponta no lápis após as eleições para analisar qual a diferença que os valores do fundo eleitoral fizeram no resultado final da campanha. “Não ficou mágoa. Estou fazendo meu trabalho. Mas a quantidade de novos deputados que daria para eleger com votos nulos e brancos todas as eleições – uma vez que as pessoas acabam não conhecendo novos candidatos – não teríamos uma assembleia que não defende o bolso do contribuinte. É imoral o que acontece”, concluiu, enaltecendo as redes sociais como alternativa para alcançar mais pessoas sem necessidade de verba.

“O partido não foi justo”, dispara Allan Maux sobre divisão de verba eleitoral

  1. Renan disse:

    Uma pena termos que pagar para esse povo correr atrás de voto onde muitíssimas vezes só beneficiarão aos mesmos e aos amigos. BraZiuZiu! Tudo é dinheiro.

  2. Salete Bocz disse:

    Eu concordo plenamente
    Teve candidato que recebeu 400 mil e devolveu 3.000 votos, enquanto uma candidata mulher, negra teve 45.000 de fundos e atingiu quase 2 mil votos,se a divisão fosse justa ela com certeza teria melhores condições de trabalhar votos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.