Momento histórico: Lampião, o Rei do Cangaço, será levado a júri em Petrolina

17
Foto: reprodução

O cangaceiro Virgulino Ferreira da Silva, mais conhecido como ‘Lampião’, será réu no primeiro Júri Épico, que acontecerá no próximo dia 31 de outubro, no Centro Cultural Dom Bosco, das 8h às 19h, em Petrolina. Por ser uma figura lendária e polêmica, o ‘Capitão’ foi escolhido para a estreia do evento, que ocorrerá anualmente e é de cunho processual, no qual haverá o conselho de sentença, que dará o veredicto acerca das acusações que pesam contra o réu.

Lampião, sua companheira Maria Bonita, Padre Cícero, Corisco e as pessoas de maior relevância que foram contemporâneas ao cangaço ganharão vida com a participação de atores que encenarão os personagens principais do caso. Mas a acusação e a defesa do réu serão feitas por profissionais do Direito como o promotor de Justiça Criminal, Fernando Della Latta, e os advogados de defesa Marcílio Rubens, Wank Medrado, Henrique Márcula e o defensor público do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), Francisco Jairo Siqueira Coelho.

O Júri Histórico é um projeto idealizado pelo professor e advogado Anderson Wagner Araújo e pelo promotor Fernando Della Latta. O objetivo é promover uma interação entre o Direito e as demais ciências como a Sociologia, a História, a Filosofia e a Antropologia, além de possibilitar aos alunos do curso de Direito o contato com as chamadas metodologias ativas.

Didática

Para o professor Anderson Araújo, o Júri Épico é instrumento didático de grande valor, pois apresentará uma discussão interdisciplinar ilustrada por um tempo antigo. “Do ponto de vista da exatidão histórica, julgar um personagem do passado mostra-se impossível, mas sob a ótica da dinâmica acadêmica é potencialmente válido e capaz de produzir efeitos, pois trataremos de uma situação imaginária, perpassada por um contexto histórico real e um processo penal do tribunal do júri com todas as suas particularidades“, elucida Araújo.

Já confirmaram presença no julgamento de Lampião o Juiz da Vara da Infância e da Juventude, Marcos Bacelar, a juíza da Vara do Tribunal do júri, Elane Brandão Ribeiro, a promotora de Justiça no 1º Tribunal do Júri do Recife, Eliane Gaia, a promotora de Justiça do 2º Tribunal do Júri do Recife, Dalva Cabral Oliveira, o promotor de Justiça substituto do Recife, Rinaldo Jorge da Silva, a promotora de Justiça Cível de Petrolina, Cíntia Granja e os defensores públicos André Cerqueira (da Bahia) e William Micael (de Pernambuco).

O evento será realizado em parceria entre o Ministério Público de Pernambuco (MPPE), Ordem dos Advogados do Brasil (OAB)/PE, Defensoria Pública de Pernambuco, TJPE, Faculdade de Ciências Aplicadas e Sociais de Petrolina (Facape) e a Faculdade de Tecnologia e Ciência (FTC).

17 COMENTÁRIOS

  1. A justiça brasileira andando para traz, isso aí é apenas para jogar mais dinheiro fora, uma vez que tudo que é processo ou julgamento se gasta muito dinheiro e tempo, e o que realmente importa, que são os casos que se arrastam ao longo dos anos sem nenhuma solução.

  2. Ops coisa mais esdrúxula e essa com tanta coisa mais inportantes pra ser feita vão julgar o lampião que já morreu faz séculos putz e muito idiota

  3. Nesse julgamento tbm o tempo que o mesmo estava do lado do estado contra a coluna Prestes no sertões ou apenas após ao mesmo ter recebido o título de capitão pelo próprio exército brasileiro e Pardinho será que vai entrar nesse julgamento poderia fazer filmagem e colocar no YouTube.

  4. Lampiao teve o destino que mereceu, foi julgado de forma justa, morreu com uma bala nos quengo. Que os bandidos/cangaceiros da atualidade tb recebam o mesmo tratamento. E que os funcionarios publicos envolvidos nessa palhacada dediquem seu tempo a fazer a justica do Brasil funcionar. Processos se arrastando nos orgaos de justica e ninguem ve mutirao ou comocao para resolver, mas pra isso ai arrumam tempo rapidinho. Eeee brazzeeelzao, o STF eh o reflexo da justica do pais.

Deixe uma resposta para Alexsandro Cancelar resposta

Comentar
Seu nome