Miguel exige do Estado cumprimento de lei que reduz imposto sobre combustíveis

por Carlos Britto // 29 de junho de 2022 às 16:33

Foto: Jonas Santos/divulgação arquivo

O pré-candidato a governador Miguel Coelho fez um duro posicionamento sobre o não cumprimento da lei que reduz os impostos sobre combustíveis e energia em Pernambuco. Em um vídeo publicado nesta quarta (29), nas redes sociais, o ex-prefeito exigiu do governo do Estado a diminuição imediata da alíquota do ICMS, conforme determina a nova legislação aprovada na semana passada.

Miguel lamentou também a ação apresentada pelo governador Paulo Câmara junto ao Supremo Tribunal Federal (STF) para derrubar a legislação que reduz o teto do imposto cobrado nos estados.

Se qualquer um de nós deixar de cumprir a lei, o governo do Estado vem para cima, fiscaliza, pune, condena, persegue o cidadão de bem. Desde o dia 23, o Estado deveria ter reduzido o ICMS do combustível. E o que ele fez? nada. Está enrolando. Entrou no Supremo Tribunal Federal numa tentativa de cobrar cada vez mais imposto para quem paga combustível. Isso só mostra o descaso, a falta de sensibilidade, até a rebeldia de seguir o que a lei determina“, criticou.

O pré-candidato lembra ainda que Pernambuco é um dos Estados com maior carga tributária do Brasil e com um dos menores níveis de investimentos públicos. “O pernambucano está cansado de tanto imposto e do governo do PSB não entregar nada. A lei é para todos, e não para quem quer seguir. Se a gente quer um Estado decente, seguro e direito, todo mundo deve cumprir a lei. Portanto, governador, cumpra a lei“, finalizou.

Miguel exige do Estado cumprimento de lei que reduz imposto sobre combustíveis

  1. Alexandre disse:

    Galeguin deixa de quer enganar o povo…para de querer tampar o sol com a paneira. Isso não resolve. Tem que ter peito e mudar a política de preços da Petrobrás. Que infelizmente está atrelado ao dólar. Uma política de preços cruel com os brasileiros.

  2. petrolinense nato disse:

    Kkkk ta pensando que ta Petrolina pra ficar dando ordem…kkk

  3. Marcos Macedo disse:

    E os 72 bilhoes que sairão dos Estados e Municípios como perda de receita. Saúde e Educação publica ficarão pior. Complicado essa medida.

  4. Ricardo disse:

    O povo de Petrolina exige e saúde de qualidade e não asfalto

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.