Governo baiano reduz novamente ICMS sobre combustíveis

por Carlos Britto // 01 de julho de 2022 às 19:00

Foto: reprodução

Decreto publicado pelo Governo da Bahia nesta sexta-feira (1°) reduziu mais uma vez as bases de cálculo do ICMS sobre combustíveis, ao tomar como parâmetro os preços médios de referência dos últimos 60 meses. As bases de cálculo sobre as quais incide o imposto estadual, que estavam congeladas desde novembro de 2021, passam a vigorar já a partir de julho com valores ainda mais baixos.

O preço de referência para o litro de gasolina, que era R$ 6,5000 até a quinta-feira (30), agora está fixado em R$ 4,9137, o que representa uma redução de 24,4%. Para o litro de diesel S10, o valor reduziu-se de R$ 5,4100 para R$ 3,9963 (queda de 26,24%). Já o valor por quilo do gás de cozinha (GLP) saiu de R$ 5,8900 para R$ 5,3451 (queda de 9,33%).

Com as reduções, de acordo com a Secretaria da Fazenda da Bahia (Sefaz-BA), os preços ao consumidor final devem ser reduzidos pelo mercado em R$ 0,46 na gasolina, R$ 0,25 no óleo diesel e R$ 0,78 no botijão de gás de cozinha.

A redução está sendo promovida pelo governo baiano após a publicação dos convênios ICMS 81/22, 82/22 e 83/22 pelo Confaz (Conselho Nacional de Política Fazendária), definindo as bases de cálculos do imposto para fins de substituição tributária a partir dos critérios estabelecidos pela Lei Complementar 192/22. As bases de cálculo do etanol hidratado e do Gás Natural Veicular (GNV) seguem com os valores congelados em 1° de novembro.

Perda de arrecadação

Apenas a nova redução dos preços de referência para cobrança do ICMS nos combustíveis representa uma perda de arrecadação de R$ 400 milhões mensais para o Estado da Bahia, ou R$ 2,4 bilhões até o final de 2022. Esta perda, de acordo com o secretário da Fazenda, Manoel Vitório, soma-se às que já vinham sendo contabilizadas pelo Estado desde o início do congelamento.

Segundo ele, esse é mais um esforço do Governo do Estado na tentativa de fazer com que o consumidor se beneficie das sucessivas reduções no imposto estadual. A experiência dos últimos meses tem demonstrado, no entanto, que estas tentativas vêm sendo frustradas por conta da manutenção, pelo governo federal, da política de preços da Petrobras. A empresa  segue promovendo sucessivos reajustes nos preços das refinarias, impedindo na prática que os preços caiam de forma sustentável nos postos de combustíveis.

Governo baiano reduz novamente ICMS sobre combustíveis

  1. Petronio rego barros disse:

    Todos os governadores do nordeste foram contra baixar o preço do combustível,comunistas miseráveis,essa reportagem é mentirosa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.