Exclusivo: Matadouro de Rajada funciona por apenas uma semana após aberto e petrolinenses podem estar consumindo carne 90% clandestina

2

matadouro-de-rajada

O consumidor petrolinense que aprecia carne de ovinos ou caprinos pode estar levando para casa ou degustando um produto 90% clandestino. A denúncia foi feita com exclusividade ao Blog por um comerciante do setor.

Segundo ele o matadouro do Distrito de Rajada (zona rural de Petrolina), responsável pelo abate dos animais cuja carne estava sendo comercializada na cidade, foi aberto pela prefeitura por apenas uma semana, e antes das eleições municipais. Depois, disso, fechou as portas.

“O prefeito Julio Lossio colocou até outdoor divulgando o matadouro, mas só funcionou por uma semana”, revelou o comerciante, explicando que a documentação necessária para manter o local funcionando não estaria de acordo com as normas sanitárias.

Ele disse ainda que a única opção para o abate dos ovinos voltou a ser o matadouro de Juazeiro (BA), que cobra R$ 30,00 por 15 kg – a média de um caprino ou ovino, o que daria R$ 2 por quilo. “Isso é 13% do valor do ovino. Só quem vai ficar no prejuízo é o pequeno, que tem de vender mais barato, e o consumidor, que compra a carne mais cara”, frisou.

Perigo

A certeza do comerciante de que os petrolinenses podem estar consumindo uma carne de procedência duvidosa é o fato de que em Rajada era abatido semanalmente um número significativo. Mas em Juazeiro, essa média está apenas entre 400 e 500 animais. Ele informou que nos restaurantes do Bodódromo, principal ponto de degustação desse tipo de carne, os donos dos estabelecimentos estão comprando a carne de outras cidades da região, que vêm com selo de qualidade, bem como aquelas encontradas em supermercados que trabalham corretamente.

A reportagem percorreu a feira livre da Areia Branca, uma das principais da cidade, e também constatou que a carne comercializada vem de Dormentes (PE), Sertão do São Francisco. Mas a fonte do Blog assegurou que não está sendo assim em outros locais da cidade. O comerciante ficou de repassar à reportagem um relatório do abate realizado nos últimos dois meses, para fazer um comparativo com a atual realidade.

2 COMENTÁRIOS

  1. Aí por isso a prefeitura tem que mobilizar milhões do seu orçamento para construir um matadouro de grande porte, só por que alguns preguiçosos não tem mais a tetinha estatal para mamar? Tenho certeza que existem alguns investidores loucos para investir em alguma coisa, e um abatedouro seria um grande e lucrativo investimento para estes (como todo investimento privado é), é só correr atrás!

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome