Exclusivo: Direção do Colégio da Polícia Militar em Petrolina afasta professor denunciado por assédio sexual contra duas alunas

25

Um fato grave mudou a rotina do Colégio da Polícia Militar (CPM) em Petrolina. Um professor, com atuação destacada e reconhecimento pelos relevantes e dedicados serviços prestados à instituição, teria praticado assédio sexual a duas alunas. Uma delas, já maior de idade, e a outra menor de 18 reagiram ao assédio e comunicaram às suas famílias e à direção do CPM.

De acordo com o Tenente-Coronel Marcílio Amorim (foto), diretor do colégio, todas as providências foram tomadas imediatamente.

“Fui pessoalmente à casa dele, bati à porta e eu mesmo o conduzi à Delegacia de Polícia Civil para prestar esclarecimentos. Essa instituição honra a tradição da Polícia Militar e temos compromisso e responsabilidade com nossos alunos e com as famílias que acreditam no que fazemos aqui. Hoje sou diretor, mas fui aluno do colégio. Tenho compromisso profissional e de vida, e nunca admitirei esse tipo de comportamento”, desabafou Amorim.

O professor denunciado é Bráulio Wanderley. Contra ele foi aberto um processo administrativo pelo CPM. O professor, que já foi afastado do colégio, responderá também a um processo na Delegacia da Mulher pelos dois assédios cometidos. A direção do colégio disponibilizou todo o apoio psicológico às alunas e suas respectivas famílias, embora as duas continuem cumprindo a rotina diária de aulas, sem qualquer alteração. O professor nega todas as acusações contra ele.

25 COMENTÁRIOS

  1. Aqui no erem de Santa Maria da Boa Vista também aconteceu isso e ninguém toma providências. Um professor assédiou quase vinte estudantes dentro das salas de aulas, querendo ver a genital (pênis) e fazer sexo com os adolescentes dentro das salas de aula. Alunos se sentem constrangidos e escola esconde o crime para resguardar a escola enquanto os alunos ficam de vítimas constrangidos e envergonhadas. Cadê a polícia civil, conselho tutelar, governo do estado???

    • SantaMaria da Boa Visto , a primeira coisa é DENUNCIA da ou das vítimas. .. Sem denúncia não há crime…. Se não deninciam, no caso q é mais de um ou uma aluna… Deve ter algo por trás disso. A verdade é q assédio é crime… Ajude essas pessoas q podem estar com medo de manchar a reputação. … Se a escola não quer tomar providencia, é cúmplice e vai responder por isso… Mas tem q ter denúncia!

  2. NÃO podemos atribuir comentários sem fundamentos por algo que ainda não foi investigado e julgado.
    No meu ponto de vista, deveria ser apurado os fatos para proteger tanto a integridade do professor quanto das alunas.

  3. Parece que a única saida para educar nossos filhos, hoje em dia, é coloca-los em colégios militares, onde o ‘Políticamente Correto’ , felizmente, não tem vez!!!Aplausos para o colégio, aplausos para o seu diretor!!!

    Parabéns ao blog de Carlos Brito por publicá-la!!!

  4. Difícil acreditar que alguém tão gabaritado jogue seu nome na lama por tão pouco… Penso que os juízes da internet deveriam repensar seus comentários, pois a inquisição virtual está para todos. Hoje ele, amanhã qualquer um, inclusive que o acusa.

  5. Não é a primeira vez que acontece casos de assédio e abuso ( principalmente assédio ) em Petrolina… Já aconteceram outros casos entre outros professores e outras alunas… INFELIZMENTE

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome