Com atendimento remoto, assistência social mantém serviços a famílias de Petrolina

2

As medidas de prevenção à covid-19 não impediram as equipes da Prefeitura de Petrolina de continuarem executando atividades voltadas às famílias assistidas pela rede socioassistencial. Umas delas, é o Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família (PAIF) cujas ações foram adaptadas para que as famílias recebessem o devido atendimento de forma remota para evitar aglomerações.

De acordo com a secretária executiva de Proteção Social Básica e Segurança Alimentar, Doriane Secchi Mascarelo, os profissionais pensaram em ações que pudessem manter os vínculos mesmo à distância. “Mesmo diante de tantas dificuldades impostas pela covid-19, estamos dando continuidade aos nossos serviços, sempre prezando pelos cuidados e orientações com o objetivo de garantir a proteção”, explica.

As equipes criaram grupos de whatsapp com as famílias inseridas no PAIF e também planejaram a entrega de atividades aos grupos de crianças e adolescentes. Já o atendimento via whatsapp, com chamadas de vídeos, é feito aos usuários dos grupos dos idosos, crianças e adolescentes com objetivo de aproximar os usuários aos serviços dos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS).

PAIF – O serviço do PAIF é desenvolvido através dos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) e integra o nível de proteção social básica do SUAS e consiste num trabalho social com famílias, de caráter continuado, com a finalidade de fortalecer a função protetiva da família, além de prevenir a ruptura de seus vínculos e contribuir na melhoria de sua qualidade de vida. Prevê ainda o fortalecimento de vínculos familiares e comunitários, por meio de ações de caráter preventivo e protetivo.

2 COMENTÁRIOS

  1. A verdade é que está secretaria passa mais tempo preocupada em criar uma boa imagem, do que de fato em prestar um serviço digno a população, além de não possuir nenhuma capacidade de suporte ( investimento), as pessoas são submetidas a processos extremamente burocráticos e enfadonhos pra conseguir qualquer tipo de suporte, fora o constrangimento de tudo ser registrado com foto. A imagem parece estar bonita, mas a realidade é outra. Perguntem as pessoas o que elas acham do serviço do CRAS sem que a resposta passe pelo filtro dessa secretaria, é lá que estará a verdade. Funcionários mal pagos, alta rotatividade uma secretaria de direitos humanos sem nenhum censo de humanidade. Essa cartolina e essa cola que esta criança está usando… foi custeada pela secretaria ou foi o funcionário que pagou pra poder fazer seu trabalho?

  2. Por manterem os serviços na pandemia, deveriam os funcionários serem vacinados como prioridade, pois são linhas de frente, não pararam em nenhum momento. Trabalhando com os mais necessitados.

Deixe uma resposta para Observador Cancelar resposta

Comentar
Seu nome

dezoito − dez =