Coluna da Folha: Marília não baixa a guarda e luta por candidatura do PT

por Carlos Britto // 25 de novembro de 2021 às 07:10

Enquanto o ex-deputado estadual Odacy Amorim (PT) defende o nome de Luciano Duque (PT) para a vice na chapa do PSB, a deputada federal Marília Arraes continua gritando, onde possa ser ouvida, que continua candidatíssima a ocupar o Palácio do Campo das Princesas.

Em entrevista a uma rádio de Caruaru, a petista voltou a defender o projeto com o PT na cabeça de chapa e revelou que continua falando com o ex-presidente Luiz Inácio Lua da Silva (PT) batendo na tecla.

A nossa vontade é disputar o Governo de Pernambuco. Não simplesmente para eu entrar na disputa, para Marília disputar o governo, mas porque o PT tem capital político, tem o presidente Lula, tem condições de fazer uma grande campanha em nosso Estado. Podemos fazer isso e podemos ajudar muito a campanha do presidente Lula em 22”.

Marília tem consciência do tamanho do projeto presidencial de Lula e sabe que apoio de partidos aliados será fundamental para o sucesso da caminhada: “O que eu defendo, o que eu quero é que a gente caminhe com nossas próprias pernas. Mas tenho consciência que precisamos fazer articulação com as diversas outras forças políticas do Estado, da mesma maneira que o presidente Lula tem feito no país. Ele tem conversado bastante. Eu também sou uma pessoa do diálogo e eu acho que esse diálogo é importante. Defendo que aconteça o diálogo e defendo que o presidente Lula continue dialogando”, afirmou ela.

Ilegal

O TCE-PE julgou ilegais 2.320 processos de admissão de pessoal pela prefeitura de Custódia nos anos de 2019 e 2020. As admissões nomeadas pelo prefeito Emmanuel Fernandes de Freitas Gois foram contratações temporárias para diversos cargos, em sua maioria profissionais da saúde e educação. O relatório de auditoria ressaltou que a insuficiência de pessoal no quadro aconteceu porque a prefeitura não fez concurso.

“Ela não é anta”

Em Petrolina o vereador Wenderson Batista (DEM) se envolveu em mais uma polêmica. Durante discurso, ele se referiu à ex-presidente Dilma Rousseff (PT) como “anta”, expressão utilizada para desqualificar a capacidade intelectual de uma pessoa. Em resposta o vereador Gilmar Santos (PT) repreendeu a postura do colega, cobrando que o debate tenha o foco na gestão de Dilma, evitando ofensas pessoais. “Eu quero pedir muito ao vereador Wenderson. Eu já reforço sobre a importância da gente se comunicar sem reforçar determinados preconceitos. O vereador Wenderson vai fazer uma crítica e quer criticar a gestão da presidenta Dilma. Critica, mas não precisa chamar a presidenta de anta”, defendeu. Wenderson rebateu afirmando que o petista “faz politicagem” em cima de questões como preconceito.

Comemoração sertaneja

Em Cabrobó, Sertão do São Francisco, os amigos celebraram a eleição do conterrâneo Ranilson Ramos como presidente do TCE-PE. Ele será o primeiro sertanejo a ocupar presidência do tribunal. O novo presidente já foi secretário de Agricultura e Reforma Agrária do Estado de Pernambuco (2010-2013), presidente da Agência Reguladora de Pernambuco (2007-2010), coordenador de Programas de Desenvolvimento Tecnológico do Ministério da Ciência e Tecnologia (2005), diretor comercial do Lafepe (2003-2004), deputado estadual (1987-1990; 1995-1998; 1999-2002) e vereador no município de Petrolina (1983-1986).

Coluna da Folha: Marília não baixa a guarda e luta por candidatura do PT

  1. Marcos disse:

    Se a Presidente Dilma é um anta, imagina o Bolzo.
    Aproveita bem este mandato Nobre Vereador Wenderson Batista, talvez não terá outros.

  2. Paulo disse:

    Dilma.nunca foi anta foi um poste incompetente

  3. Porquê Choras PT? disse:

    #ForaLula #VaRoubaEmOutroPais #LulaCulpado #LulaNuncaMais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *