Coluna da Folha: As contas aprovadas, o gesto ou o acordo

por Carlos Britto // 15 de outubro de 2021 às 07:00

Foto: CMP

As contas dos ex-prefeitos de Petrolina, Odacy Amorim (PT), e Julio Lossio (PSD), além do atual gestor, Miguel Coelho (DEM), foram aprovadas por unanimidade na Casa Plínio Amorim ontem (14). As contas, que foram aprovadas em bloco, sem dificuldade, tiveram ressalvas do Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco (TCE-PE).

Segundo os integrantes da Comissão de Finanças e Orçamento, o posicionamento do grupo seguiu a recomendação do TCE, pela aprovação com ressalvas. Sobre os burburinhos de que houve divergência para passar todas as contas, o presidente da Comissão, Osório Siqueira (MDB), declarou que ninguém estava ali ‘fazendo favor’. “Estamos cumprindo a nossa obrigação, jamais irei votar contra a recomendação do TCE. Fizemos questionamentos, mas em nenhum momento algum membro da Comissão travou os pareceres”, argumentou.

A aprovação foi vista como um gesto do prefeito Miguel Coelho, que teria orientado a bancada governista a aprovar as contas de seus adversários políticos. “Poderíamos colocar apenas as contas do atual prefeito, e deixar as contas dos anteriores para depois, mas não foi dessa forma que nós pensamos”, declarou o presidente da Casa, Aero Cruz (MDB).

Contas de 2016
Entre as contas apresentadas, estavam as de 2008, referentes ao mandato de Odacy Amorim (PT), as de 2012 a 2015 do mandato de Julio Lossio (PSD), e de 2017 e 2018, referentes ao atual governo. O ano de 2016 não entrou na pauta.
Segundo o líder da bancada governista, Ronaldo Silva (DEM), as contas de 2016 não retornaram para a Câmara, depois que o TCE pediu de volta em 2019. “Esta Câmara não tem costume de rejeitar as contas de prefeito nenhum, no momento que o TCE recomendar a rejeição, pode ter certeza que esta Casa vai seguir a recomendação”, pontuou.

Tucanos no ataque
O PSDB de Pernambuco deu mais um passo para a valorização da marca da prefeita de Caruaru e pré-candidata a governadora, Raquel Lyra. O partido colocou placas de outdoors em diversas cidades, falando da transparência de sua gestão tucana. Cards de mídias sociais também foram lançados. É o jogo sendo jogado.

Ajustando
Socialista de carteirinha, o presidente da AMUPE, José Patriota, virou um problema para o PSB. A legenda reconhece sua importância e trabalha para consolidar sua candidatura a deputado estadual sem atrapalhar outros deputados no Pajeú e Moxotó. Tarefa fácil não será.

Cadê a água?
O prefeito de Afogados da Ingazeira, Alessandro Palmeira (PSB), está cobrando a Compesa soluções para os repetidos problemas de abastecimento para moradores de diversos bairros do município. Falta água rotineiramente tirando a paciência da comunidade. O prefeito disse que o gerente regional da Compesa, Gustavo Serafim, admite que existem problemas técnicos para serem sanados. A Câmara de Vereadores de Afogados da Ingazeira decidiu, por sete votos a três, convidar o gerente para prestar contas.

Tags: ,

Coluna da Folha: As contas aprovadas, o gesto ou o acordo

  1. Paulo disse:

    Um acordo muito bem elaborado e todos ficaram felizes

  2. Petrus disse:

    Se estivéssemos próximos do pleito municipal, certamente as contas dos adversários seriam reprovadas. Ou o povo se interessa por política ao invés de novela e futebol ou os espertalhões sempre dominarão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *