29 C
Petrolina,PE
4 de junho de 2020

Antônio Carlos Miranda

2390 POSTS 0 COMENTÁRIOS

Eleições 2020 podem ser históricas para PSOL de Petrolina

3
Foto: divulgação

O PSOL de Petrolina tem chances reais de viver um momento histórico nas eleições municipais deste ano. Se as chances da legenda de alcançar a prefeitura municipal são praticamente zero, o mesmo não se pode dizer da Câmara de Vereadores.

Com pré-candidatos como Rosalvo Antonio, Lucinha Mota e o ex-vereador Geraldo da Acerola, o PSOL sonha alto, mas com os pés no chão. É aguardar.

Reforçando lealdade a seus líderes, Valgueiro e Aero criam novos ‘partidos’ em Petrolina

0
Crédito (Paulo Valgueiro): Jean Brito/CMP divulgação

Os líderes das bancadas de oposição e situação na Casa Plínio Amorim, respectivamente Paulo Valgueiro (MDB) e Aero Cruz (PSB), deram uma justificativa bem original sobre o futuro político de ambos nas eleições municipais deste ano em Petrolina. Enquanto Valgueiro criou o PJL, Aero se diz no PFBC.

As novas ‘legendas’ criadas por Valgueiro e Aero são, na verdade, as iniciais dos seus maiores aliados. PJL significa Partido de Julio Lossio, enquanto PFBC, Partido de Fernando Bezerra Coelho.

Essa foi a forma encontrada pelos dois para explicar que seguirão orientações dessas lideranças acerca de qual legenda ingressarão até o prazo final da janela partidária (em março).

Valgueiro ressaltou que pertence ao grupo político de Lossio e estará onde ele estiver. “Meu destino é o PJL. Lá em março a gente vai ver a legenda adequada. A única coisa que sei é que não fico no MDB. Essa parte burocrática quem cuida é Julinho (filho de Lossio), Nossa parte é legislar, fazer nosso papel enquanto vereador”, ponderou. Aero seguiu na mesma linha. “O futuro a Deus pertence, mas sou do PFBC. Vou para o partido que Miguel (Coelho) ou Fernando Bezerra disser. Onde eles disserem ‘é aqui que você vai contribuir com o grupo’, eu estarei”, pontuou.

Valgueiro, Aero e Cancão afinam discurso em cobranças a Paulo Câmara

0
Foto: Blog do Carlos Britto

Acostumados a divergências na Casa Plínio Amorim, os líderes da oposição e situação, respectivamente Paulo Valgueiro (MDB) e Aero Cruz (PSB), além do 1º vice-presidente da Mesa Diretora, Ronaldo Cancão (PTB) – que também integra a base governista – afinaram o discurso quando o assunto é Estado. Na mais recente visita do governador Paulo Câmara a Petrolina, na última sexta-feira (14), os três afirmaram que faltam mais ações do Campo das Princesas para a maior cidade do Sertão.

Eles foram algumas das autoridades a recepcionar Paulo para a cerimônia oficial de inauguração da Escola de Tempo Integral (EREM) Professora Evanira de Souza Dias, no Bairro São Gonçalo, zona oeste – mais uma unidade implantada pela gestão estadual. Apesar disso, cobranças não faltaram.

Valgueiro, por exemplo, entregou ao governador um documento cum uma série de demandas para Petrolina em itens como segurança, zona rural, educação e saneamento.

Dizendo-se “um amigo pessoal” do governador, Cancão citou conquistas relevantes como a implantação do 2º Batalhão Integrado Especializado de Policiamento (BIEsp), mas reconhece que a gestão estadual “deixa a desejar” não apenas em Petrolina, como nas demais cidades da região. “Petrolina é maior cidade do Sertão do São Francisco, o quinto maior PIB de Pernambuco, e precisa o governador ter os olhos voltados para ela, apesar de todo esforço”, ponderou.

Adversários, não inimigos

Aero também seguiu nessa mesma linha. Segundo ele, o fato de estar num ato administrativo do Estado, juntamente com os demais governistas e o prefeito Miguel Coelho (MDB), o qual havia solicitado a escola em tempo integral ainda quando era deputado, só demonstra que o governador, apesar de hoje ser um adversário, não é visto como inimigo pelo seu grupo. Aero argumentou ainda que sabe reconhecer os investimentos, mas também é necessário cobrar. “Precisa que o governo do Estado trabalhe de frente para o Sertão, não de frente para o mar”, pontuou.

Paulo Câmara afirma que mantém “boa relação administrativa” com Miguel Coelho

1
Foto: Blog do Carlos Britto

O governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), disse na manhã de ontem (14) em Petrolina que tem procurado manter uma boa relação institucional com o prefeito Miguel Coelho (MDB), apesar de no campo político os dois terem deixado de caminhar no mesmo lado. “A gente mantém uma relação administrativa. Eu não confundo isso, Miguel também não”, declarou o socialista, durante solenidade de inauguração da escola de tempo integral Professora Evanira de Souza Dias, no Bairro São Gonçalo.

Paulo, que estava acompanhado do próprio Miguel no evento, afirmou que quando a vem a Petrolina e à região entregar ações do seu governo, deixa as questões políticas ficam de lado.

Nós conversamos com todos os prefeitos para ver o que possível fazer para avançar, para melhorar. Nos próximos três anos eu quero governar Pernambuco com a participação dos 184 anos fazendo programas que possam melhorar a vida das pessoas. Eu conto com Petrolina, e Petrolina pode ter certeza que conta com o governador”, ponderou.

Em Petrolina, Paulo Câmara fala poucas palavras à imprensa e diz que seu governo continuará investimentos

1

A exemplo do Seminário ‘Todos por Pernambuco’, realizado em agosto do ano passado, o governador Paulo Câmara mais uma vez falou poucas palavras em Petrolina com a imprensa local. Numa coletiva de pouco mais de oito minutos, ao lado do prefeito Miguel Coelho, ele comentou investimentos no Estado implementados pela sua gestão – a exemplo da Escola de Referência em Ensino Médio (EREM) Professora Evanira de Souza Dias, no Bairro São Gonçalo, zona oeste da cidade. O estabelecimento de ensino em tempo integral já estava em funcionamento, mas o governador veio hoje para sua inauguração oficial.

Petrolina recebe mais uma escola em tempo integral. Estamos investindo muito na área de educação, que é uma área fundamental. O Estado de Pernambuco se destaca por ter o maior número de escolas em tempo integral do Brasil. Temos 62% dos nossos alunos. Estamos com 62% dos nossos alunos estudando nessas escolas, e o planejamento até 2022 é de 70%. Isso praticamente garante que todo aluno que queira estudar numa escola de tempo integral tenha sua vaga garantida”, declarou.

Paulo citou também avanços de outras ações, como a parceria com os 184 municípios do Estado em relação ao Programa Criança Alfabetizada. Ele disse que sua gestão destina 27% de sua receita orçamentária – de mais R$ 30 bilhões – para melhorias no segmento. “Temos muito o que fazer pela educação, mas Pernambuco mostra não apenas ao Nordeste, mas a todo o brasil, que é possível avançar, e a última década mostra isso”, frisou.

O governador disse que a crise econômica do país ainda não passou, apesar de muitos acreditarem o contrário. Contudo, sua gestão continuará os investimentos em setores como abastecimento d’água, esgotamento sanitário, recuperação de estradas, além do campo, saúde e segurança pública. Paulo citou também a iniciativa privada, que voltou a acreditar em Pernambuco com a chegada de novas fábricas e a ampliação de investimentos da Fiat no seu polo automotivo em Goiana, na Região Metropolitana.

Sobre assuntos locais, a exemplo da Bacia do Dom Avelar e do Antonio Cassimiro, o governador não se mostrou muito paciente em responder. Disse apenas que a licitação da obra ainda não está concluída, mas quando isso acontecer, governo e município vão se entender quanto à realização dos investimentos. Perguntado sobre um suposto uso político da Compesa em Petrolina por parte dos seus adversários, Paulo evitou polêmicas. Ele reconheceu que ainda “é preciso ser feito muito” em todo o Estado, mas ressaltou que Petrolina é um caso à parte, com mais de 80% de cobertura de esgoto, enquanto na maioria dos municípios esse índice é em torno de 30%.

O evento contou com a presença dos deputados Gonzaga Patriota e Fernando Monteiro (federais), Lucas Ramos e Dulcicleide Amorim (estaduais), do presidente do IPA, Odacy Amorim, além de vereadores de Petrolina e de vários prefeitos do Sertão, entre outras autoridades.

Agenda

A agenda administrativa de Paulo em Petrolina continuará nesta tarde com visitas ao Sindicato das Trabalhadoras e Trabalhadores Rurais Assalariados (STTAR), ao prédio do Instituto Médico Legal (IML), à sede do 2º Batalhão Integrado Especializado de Policiamento (BIEsp) e ao Centro Agropecuário no Bairro Gercino Coelho, onde fará o anúncio de ações destinadas à pecuária e à fruticultura irrigada. À noite ele deixa a gestão de lado para participar de um ato político de filiação de novos aliados ao PSB. O evento está marcado para o auditório do Sest/Senat.

Atualizada às 6h35

Oposicionistas e governistas prontos para mais um embate na Casa Plínio Amorim

0

O líder da bancada de oposição na Casa Plínio Amorim, vereador Paulo Valgueiro (MDB), prometeu para a sessão plenária desta quinta-feira (13) mais artilharia contra o governo municipal. São novos requerimentos cobrando detalhes das ações desenvolvidas pela administração do prefeito Miguel Coelho (MDB). A bancada de situação, no entanto, está pronta para as cobranças.

Tanto é que, até agora, barrou todos os requerimentos que o líder da bancada, Aero Cruz (PSB), considera “eleitoreiros”. Os oposicionistas sabem que não têm força suficiente para emplacar qualquer requerimento sem o aval da base do prefeito. Mas apostam no barulho para tentar fazer algum estrago.

Esse, certamente, será o cenário que deverá predominar na casa legislativa nesse primeiro semestre que antecede as eleições de outubro. É inevitável.

Gilmar Santos reforça projeto político como prioridade do PT e comenta sobre Odacy e Cristina: “Conjunto do partido analisará”

0
Foto: Blog do Carlos Britto

Integrante da bancada do PT na Casa Plínio Amorim, ao lado da pré-candidata a prefeita de Petrolina, Cristina Costa, o Professor Gilmar Santos reforçou a linha de pensamento da colega em relação à disputa majoritária deste ano. O foco de ambos no Legislativo continua sendo o de “construir um projeto” para o município, antes de definir quem estará à frente desse projeto.

Obviamente, a partir da discussão do nosso partido em oferecer ao povo de Petrolina um projeto que eleve as condições de vida do nosso povo, que enfrente as desigualdades sociais, a gente vai pautar uma agenda, um calendário eleitoral constando os dois nomes que estão colocados, o do ex-deputado Odacy Amorim e o da companheira Cristina Costa”, ponderou.

Segundo o Professor Gilmar, a tendência ‘Articulação de Esquerda’ da qual faz parte no PT, tem como meta viabilizar o projeto a ser construído. No entanto, em relação ao futuro indicado pela legenda para concorrer à prefeitura, o debate se estende ao partido como um todo. “A gente precisa fazer as devidas leituras, e aí não é só questão de tendências, mas do conjunto do partido, das condições eleitorais de cada pré-candidato que se coloca. E a partir dessa avaliação crítica, tanto do ponto de vista quantitativo quanto do qualitativo, a gente tomar uma decisão a partir desse conjunto da nossa militância, dos nossos filiados”, pontuou o vereador.

Aero afirma que faltava transparência no governo passado, não no atual, e volta a ameaçar: “Requerimentos eleitoreiros serão barrados”

1
Foto: Blog do Carlos Britto

O líder governista Aero Cruz (PSB) não disse uma palavra a mais do que já tinha reiterado no ano passado, nas várias entrevistas concedidas à imprensa, acerca dos requerimentos apresentados pela oposição na Casa Plínio Amorim. Terça-feira passada (4), na reabertura dos trabalhos plenários em 2020, a bancada governista barrou um pedido do líder oposicionista Paulo Valgueiro (MDB), o qual solicitava várias informações acerca da licitação das obras de pavimentação tocadas pelo Governo Miguel Coelho.

Aero reiterou que todas essas informações podem ser obtidas através do Portal da Transparência do município e estão à disposição de qualquer cidadão petrolinense. “Todos esses atos estão no Portal da Transparência, estão no Diário Oficial, como também foi solicitada apreciação do Tribunal de Contas (sobre a licitação)”, frisou Aero.

O líder reforçou que qualquer tentativa de Valgueiro ou outro integrante da oposição de “jogar para a plateia”, apresentando propostas de cunho político, será barrada pelos governistas. “Se eles faziam isso em anos em que não havia eleição, imagine em ano eleitoral”, alfinetou Aero.

Sobre a questão da “falta de transparência” do atual governo, citada por Valgueiro, Aero contestou informando que a administração de Miguel Coelho conquistou vários pontos nesse quesito no ranking de municípios do Estado. “No governo passado, a pontuação era lá embaixo no ranking da transparência no Estado de Pernambuco”, disparou o governista.

Sobre críticas de Lossio a Miguel, Simão Filho diz que oposição tenta antecipar debate eleitoral: “Petrolina não quer mais atraso”

5

Como já é de costume na atual gestão, o secretário municipal de Governo e Agricultura Simão Durando Filho levou a mensagem do prefeito de Petrolina, Miguel Coelho, à Câmara de Vereadores, no dia de ontem (4), por ocasião da reabertura dos trabalhos plenários neste ano. Mas em entrevista à imprensa, ele também devolveu as críticas do ex-prefeito Julio Lossio a Miguel, durante um café da manhã promovido por Lossio para comunicadores locais e correligionários, realizado num restaurante do Centro da cidade no último sábado (1).

Entre outras declarações polêmicas, Lossio disse que o atual governo não tem sequer um projeto inovador além das rotatórias. “A cidade não merece mais esse tipo de discurso. A cidade quer realmente que as obras cheguem e elegeu Miguel Coelho para que ele trabalhe, e não para que fique nessas brigas políticas”, devolveu.

Ainda de acordo com o secretário, o que a oposição tenta é “antecipar o debate eleitoral”. “Esse debate acontecerá mais na frente, quando for liberado pela justiça eleitoral”, afirmou.

Simão Filho afirmou que os petrolinenses, hoje, respiram ações que há uma década não viam na cidade. “A população voltou a ter o brilho e o orgulho de ser petrolinense porque passou dez anos no atraso, sem ter obras chegando, e hoje está vendo obras nos quatro cantos da cidade”, alfinetou.

Comparativo

Perguntado sobre um comparativo feito por Lossio com o atual governo, o secretário disse que o eleitorado terá a chance de colocar na balança as duas gestões. “Quando chegamos à prefeitura encontramos matadouro fechado, Ceape fechado, biblioteca fechada, um rombo nas contas de R$ 240 milhões, repasses da União sem poder serem feitos, fechamentos de unidades de saúde. O que a gente viu foi uma grande desorganização, e tivemos que colocar a casa em ordem(…)esse é o ano da população fazer sua reflexão, se quer continuar avançando com obras ou quer voltar aos dez anos de atraso, como foram as duas gestões anteriores”, concluiu.

Cristina se diz tranquila em relação a disputa com Odacy dentro do PT e deixa claro: “Mais importante é o projeto”

1
Foto: Blog do Carlos Britto

A vereadora Cristina Costa mostrou-se absolutamente tranquila quanto ao processo interno que seu partido, o PT, deverá deliberar em torno de um projeto majoritário para Petrolina nas eleições deste ano. Ela e seu companheiro de legenda, o presidente do IPA Odacy Amorim, estão com as pré-candidaturas colocadas, mas apenas um deles receberá o aval para disputar a prefeitura.

Em entrevista à imprensa na manhã de ontem (4), na volta das sessões plenárias da Casa Plínio Amorim, Cristina afirmou “ter sido provocada” a colocar o seu nome para análise dos companheiros devido aos três mandatos de vereadora e ao desempenho que obteve como candidata a deputada estadual em 2018, mesmo não se elegendo. Como integrante da executiva estadual do PT, Cristina lembrou que o Grupo de Trabalho Eleitoral (GTE) do partido, em nível nacional, vai discutir essa questão nos principais municípios, e virá também a Petrolina ouvir seus filiados.

Cristina deixou claro que o mais relevante são as propostas da legenda para se contrapor ao projeto da atual gestão municipal em áreas como saúde, educação, segurança e habitação.

Ratificando sua postura orgânica dentro do PT, a vereadora frisou que irá respeitar “tranquilamente” os prazos que a legenda deliberar. Cristina destacou que o fato de Odacy também ter seu nome colocado, não significa necessariamente que haverá um ‘bate-chapa’. Ela lembrou, inclusive, que o presidente do IPA já manifestou há muito tempo sua disposição de concorrer novamente à prefeitura da maior cidade do Sertão. “Duas vezes ele foi candidato a prefeito com o meu apoio. Mas nesse momento caminhamos diferente. Em 2018 eu caminhei com a deputada Marília Arraes, e ele caminhou com a esposa dele, Dulcicleide, e respeitei isso tranquilamente. Agora, esse respeito vai se dar internamente nas discussões do partido”, assegurou.

Propositiva

Cristina disse ainda que não vai municiar a imprensa com fatos negativos em torno da questão, até porque esses debates fazem parte da história do PT. “A imprensa vive da audiência, e essa audiência quem tem que dar somos nós. Mas essas audiência eu vou dar de forma propositiva, mostrando qual o projeto que o Partido dos Trabalhadores tem para se contrapor a esse projeto. A cidade está bonita, mas no social o povo está sofrendo”, finalizou.