29 C
Petrolina,PE
12 de julho de 2020

Antônio Carlos Miranda

2398 POSTS 0 COMENTÁRIOS

Sob protestos da oposição, Casa Plínio Amorim define uma sessão virtual por semana até agosto

3
Foto: Jean Brito/CMP divulgação

As sessões virtuais da Câmara de Vereadores de Petrolina acontecerão uma vez por semana, às terças-feiras, durante o recesso parlamentar deste mês e o de agosto, em virtude da pandemia do novo coronavírus (Covid-19). O Projeto de Resolução 001/2020 foi aprovado pela maioria da Casa Plínio Amorim em sessão extraordinária convocada pelo presidente da Mesa Diretora, vereador Osório Siqueira (MDB), na manhã de hoje (9).

Além do dia, também ficou acertado que o horário das sessões por videoconferência, até então realizadas a partir das 14h30, voltarão para o turno da manhã (a partir das 9h).

A decisão, no entanto, foi a contragosto de boa parte da Casa, incluindo todos os vereadores da oposição. Líder da bancada, Paulo Valgueiro (MDB) não subscreveu o Projeto de Resolução justamente por defender a realização das duas sessões semanais. Ele lembrou que o Poder Legislativo de Petrolina já havia passado os meses de abril e maio sem sessões, devido à pandemia. Além disso, uma portaria à época determinou que, por conta disso, o mês de julho (período de recesso parlamentar) haveria as duas sessões semanais para compensar.

O governista Alvorlande Cruz (Republicanos), no entanto, alegou que a Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) tem quatro sessões semanais, mas no atual momento só vem realizando uma. O projeto acabou passando por 17 votos, mas teve 3 abstenções – de Valgueiro e de mais dois oposicionistas, Professor Gilmar Santos (PT) e Elismar Gonçalves (Podemos).

“Falta de diálogo”

O único voto contrário ao Projeto de Resolução foi de Cristina Costa (PT). Ela garantiu, no entanto, que sua decisão não se tratou do número de sessões. Segundo a vereadora, a bancada governista se reuniu previamente para definir que seria apenas uma sessão por semana, e quando bateu o martelo sobre a questão é que levou o projeto para os oposicionistas. Segundo Cristina, essa matéria deveria ser deliberada por todos os vereadores eleitos pelos petrolinenses, e não apenas pela bancada do prefeito Miguel Coelho (MDB). Ela voltou a lamentar “a falta de diálogo” dos governistas em relação à oposição, já que não é a primeira vez que isso acontece na Casa.

As supostas ‘farras’ das diárias na Casa Plínio Amorim e as eleições 2020

5
Câmara Municipal de Petrolina. (Foto: Blog do Carlos Britto)

Ninguém sabe ao certo o tamanho do estrago, na Câmara Municipal de Petrolina, causado por uma denúncia que correu pelas redes sociais acerca de uma suposta ‘farra’ de diárias para viagens dos vereadores. A única certeza é o mal-estar e a indignação que deixou naqueles que se sentiram ofendidos.

Conforme este Blog publicou, a denúncia apontava que, dos 23 vereadores da Casa Plínio Amorim, 19 teriam ‘torrado’ mais de R$ 166 mil com as diárias entre os anos de 2017 e 2020. Apenas Gabriel Menezes (PSL), Edilsão do Trânsito (MDB), José Batista da Gama e Gaturiano Cigano (DEM) não estão nessa lista.

Nos bastidores, os comentários são de que a denúncia foi compartilhada por uma assessora de Gaturiano, que já contestou a informação. Ele contestou sobre a assessora, não sobre as diárias. Disse que vai buscar um levantamento minucioso junto à assessoria da Casa, porque também não gostou de ouvir do colega governista Gilberto Melo (DEM) de que se tratava de uma “fake news”.

Mesmo dizendo que não gostaria de expor seus pares, Gaturiano dificilmente conseguirá que isso não aconteça. Até porque, na sessão virtual da última terça (30/06), o que mais foi cogitado pelos vereadores presentes é de que a denúncia tem tudo a ver com o ano eleitoral. É muito provável que seja isso mesmo. No entanto, se Gaturiano levar em frente sua disposição de dar nome aos bois, e se existe mesmo essa tal ‘farra’, os efeitos tendem a ecoar nas urnas deste ano – ou para os denunciantes ou para os denunciados. Quem viver, verá.

Osório Siqueira vai definir se Casa Plínio Amorim realizará ou não sessões extraordinárias em julho

2
Foto: Jean Britto/Ascom CMP divulgação

O presidente da Casa Plínio Amorim, vereador Osório Siqueira (MDB), definirá se o Legislativo de Petrolina manterá as duas sessões virtuais semanais ou se terá apenas uma, em caráter extraordinário. O assunto foi cogitado e discutido na sessão de ontem (30/06).

Osório explicou que, como a Casa está entrando oficialmente a partir de hoje no recesso parlamentar, as sessões teriam de ser extraordinárias, sem ônus para os cofres públicos. Para continuar como estão acontecendo, o presidente argumentou que seria necessário uma emenda à Lei Orgânica.

No entanto, os vereadores oposicionistas Professor Gilmar Santos (PT) e Paulo Valgueiro (PSD) defenderam a continuidade das sessões semanais, sendo respaldado por vários governistas. O detalhe é que a emenda precisa ser feita com um prazo de 72 horas antes da sessão, o que faria com que a de quinta-feira não acontecesse. Osório deverá se pronunciar em breve sobre a decisão a ser tomada.

Presidente do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Assalariados Rurais é diagnosticada com novo coronavírus

0
Foto: Blog Carlos Britto

O novo coronavírus (Covid-19) atingiu em cheio o Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Assalariados Rurais (STTAR) de Petrolina. Seis funcionários, mais a presidente da entidade, Lucilene dos Santos Lima (‘Leninha’), testaram positivo para a doença. O caso que exige mais cuidados é justamente o de Leninha.

Ela acabou desenvolvendo os sintomas da doença, que acabaram provocando uma pneumonia, e precisou ser internada. No entanto conseguiu melhorar seu quadro de saúde e já está em casa, no isolamento domiciliar e sob cuidados médicos.

Comecei com a garganta inflamada, e achei que fosse uma gripe normal. Daí veio a febre e meu corpo foi ficando vermelho. Depois apresentei uma diarreia e a boca foi ficando amarga. Depois perdi o paladar e o cheiro. Foi aí que eu já desconfiava. Procurei um médico em um primeiro momento e ele disse que estava tudo normal, me medicou e me mandou para casa. Mas continuei sentindo muito febre e voltei ao médico de novo. Então pedi que fosse testada”, relatou Leninha, lembrando que também passou por complicações respiratórias típicas da doença, no último dia 24. “A sensação é a mesma de estar morrendo afogada”, declarou.

Ela aconselhou a quem passar por tais sintomas para insistir junto aos profissionais de medicina, já que ainda existe “muita resistência” destes em diagnosticar logo nos primeiros sinais que seja Covid-19. “A gente se conhece, quando não está normal, quando não está bem”, alertou. Leninha acredita já ter atravessado os momentos mais críticos da doença, uma vez que começou a apresentar esse quadro há 10 dias. A presidente aproveitou para aconselhar às pessoas a redobrarem os cuidados. “Não saiam de casa sem necessidade, porque nossa cidade, assim como as outras, não tem UTI suficiente para quem venha a ficar em caso grave”.  Segundo ela, o marido e o filho testaram negativo para a doença. Já os outros seis funcionários do sindicato, também diagnosticados, ficaram assintomáticos.

Gilberto Melo rebate críticas de Odacy Amorim a Miguel Coelho: “Cadê as ações dele?”

4

Ao mesmo tempo em que rasgou elogios ao amigo Orlando Tolentino, que nesta semana foi nomeado pelo prefeito de Petrolina, Miguel Coelho (MDB), para a Secretaria de Governo e Agricultura (SEGOA), o vereador Gilberto Melo bateu forte no ex-presidente do Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA), Odacy Amorim. Durante sessão virtual de ontem (18) na Casa Plínio Amorim, Gilberto afirmou que Odacy vem tecendo críticas recorrentes ao governo municipal, no entanto tem deixado a desejar por não fazer sua parte.

Odacy é bem votado, tem mais de 30 mil votos na nossa cidade. Mas cadê as grandes obras para onde ele mora, as pessoas dele moram, lá em Rajada? Não tem nenhuma ação de Odacy em Rajada, Uruás, Cruz de Salinas, Atalho, Caititu. Aí ele vem falar de Miguel Coelho, que vem trabalhando grandiosamente pela nossa cidade?”, cutucou o governista, lembrando que Odacy é pré-candidato a prefeito. “Quando a campanha se aproxima, querem ganhar na conversa, mas o povo de Petrolina tem de acordar, porque quem faz a obras tem de mostrar. E quem não faz, as pessoas têm de perguntar por que não fez. Por que ele foi representante do IPA e não fez, foi deputado e não fez, tem uma mulher deputada que não traz nada para nossa cidade nem para Rajada”, afirmou.

O vereador aproveitou para citar um projeto de energia solar que se instalará em Rajada, cujo investimento é de R$ 95 milhões. A conquista foi viabilizada por esforços do deputado federal Fernando Filho, quando este ainda era ministro de Minas e Energia do Governo Temer.

Gabriel Menezes critica contratação de parentes de vereadores pela prefeitura, mas ouve de Aero: “Ganhava sem trabalhar”

9

O vereador oposicionista Gabriel Menezes (PSL) está ciente de que a maioria dos seus requerimentos apresentados na Casa Plínio Amorim cobrando explicações do governo municipal não passa pelo crivo da bancada governista. Mesmo assim ele consegue seu objetivo: tirar do sério os aliados do prefeito de Petrolina, Miguel Coelho (MDB). Foi assim mais uma vez na sessão virtual de ontem (18).

O requerimento 141/20 de Gabriel pedia, em caráter de urgência, uma lista com todas as portarias de nomeações e seus respectivos salários dos parentes diretos e colaterais dos vereadores da atual legislatura e secretários municipais que ocupam cargos comissionados na Prefeitura de Petrolina. Entendendo ser mais uma estratégia “politiqueira” do oposicionista, a base aliada derrubou o pedido por 14 votos a seis.

Indignados, os governistas Rodrigo Araújo (Republicanos) e Zenildo do Alto do Cocar (MDB) não só admitiram que têm parentes na administração municipal, como enalteceram a idoneidade dos mesmos. Rodrigo tem uma irmã odontóloga que integra a equipe da Secretaria de Saúde, enquanto Zenildo é pai de Bruna Ruana, secretária-executiva da Juventude, Mulher e Acessibilidade.

Mas a ‘pancada’ no oposicionista quem tratou de dar foi o líder de governo, Aero Cruz (MDB). Ao sair em defesa dos dois colegas de bancada, Aero acrescentou ainda o atual responsável pela Agência Municipal de Vigilância Sanitária (AMVS), Marcelo Gama, que tem parentesco com o 1º vice-presidente da Mesa Diretora, mas presta um grande serviço a Petrolina, ao contrário de Gabriel – que segundo Aero, “ganhava sem trabalhar” na empresa Vale Digital (extinta pela atual gestão) quando integrava o Governo Lossio.

Chegando a compará-lo a Demóstenes Torres, senador cassado por denúncias de corrupção, Aero chamou Gabriel de “cara de pau” e “paladino da moralidade” por criticar os cargos comissionados indicados pelos colegas de Legislativo. “Vossa excelência está brincando. Se tem um vereador que não pode falar desse tipo de emprego é vossa excelência, que ganhava sem trabalhar na Vale Digital. Prova disso é que nenhum servidor da Vale Digital conheceu vossa excelência ou o viu lá”, alfinetou o governista.

Com voto favorável até de Elismar, revitalização do Centro de Convenções Senador Nilo Coelho é aprovada na Casa Plínio Amorim

6
Foto: Blog do Carlos Britto

Como era de se esperar, a bancada governista na Casa Plínio Amorim conquistou mais uma vitória para o prefeito de Petrolina, Miguel Coelho (MDB), ao aprovar agora há pouco o projeto de lei enviado pelo gestor, o qual pedia autorização do Legislativo para abertura de crédito especial, no valor de R$ 120 mil, destinado à reforma e ampliação do Centro de Convenções Senador Nilo Coelho. A matéria foi aprovada na segunda sessão virtual realizada pela Casa, durante o isolamento social em virtude da pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

Como o Blog havia previsto, a surpresa ficou por conta da bancada de oposição, que seguiu caminhos bem distintos na análise do projeto. A maior de todas foi o vereador Elismar Gonçalves (Podemos), que decidiu votar favorável à matéria. Já a vereadora Cristina Costa e seu colega da bancada do PT na Casa, Professor Gilmar Santos, se abstiveram de votar. Apenas o líder oposicionista Paulo Valgueiro (PSD) e Gabriel Menezes (PSL) votaram contra o projeto.

Da parte governista, 16 vereadores respaldaram a revitalização do Centro de Convenções de Petrolina.

Após requerimento derrubado, Valgueiro cutuca governistas e Pastor Alex devolve: “Pau mandado era ele na administração passada”

4
Foto: Blog do Carlos Britto

Governistas e oposicionistas trocaram farpas na sessão virtual desta terça-feira (9), que ainda está acontecendo na Casa Plínio Amorim. O motivo foi a derrubada de quatro requerimentos apresentados pelos integrantes da bancada de oposição – um do líder Paulo Valgueiro (PSD), dois do vereador Professor Gilmar Santos (PT) e um de Gabriel Menezes (PSL).

Os requerimentos receberam pedidos de destaque por parte da bancada governista e, por isso, não foram analisados com os demais. O requerimento de Valgueiro (094/20) foi o único votado em separado, enquanto os outros três foram colocados em bloco, e solicitava da Prefeitura de Petrolina a doação de um terreno e a construção de um centro de comércio padronizado em cada um dos conjuntos residenciais do minha casa minha vida, bem como a permissão de uso das salas de comércio, na forma da legislação municipal.

Por 15 votos contrários e sete a favor, o requerimento foi barrado, rendendo um breve bate-boca entre os dois lados. Pastor Alex (Republicanos), por exemplo, não se conteve ao receber a pecha de “pau mandado” desferida por Paulo Valgueiro. “Ele nos chama de paus mandados, mas nós seguimos nossas lideranças. Pau mandado era ele na administração passada”, disparou.

Ronaldo Siva rebate comentários sobre contaminação por coronavírus: “As pessoas não sabem que fiquei isolado”

10

Curado clinicamente do novo coronavírus (Covid-19), o vereador Ronaldo Silva (DEM) aproveitou a sessão extraordinária virtual realizada nesta sexta-feira (15) pela Câmara de Petrolina para agradecer as manifestações de apoio da população e também dos seus colegas. “Não sei onde peguei (o coronavírus), mas foi trabalhando pelo social, porque nunca parei. No tempo em que eu não estava do gabinete, não deixei de dar assistência”, afirmou.

O vereador, no entanto, aproveitou para rebater o que chamou de “comentários maldosos” nas redes sociais, dando conta de que em apenas cinco dias ele se curou da doença. “As pessoas não sabem que eu fiquei no isolamento por 18 dias. No 11º dia é que eu fui fazer o exame e deu positivo. A cura clínica é no 14º dia, e fui fazer o exame para saber se estava curado no 17º dia. Então, as pessoas não têm conhecimento e ficam fazendo esse tipo de crítica”, desabafou.

Na primeira sessão virtual desde a pandemia, vereadores de Petrolina aprovam projetos do Executivo e barram emenda de Valgueiro

1

Na primeira videoconferência após a pandemia do novo coronavírus (Covid-19), a Câmara Municipal de Petrolina aprovou em sessão extraordinária, encerrada agora há pouco, dois projetos de lei enviados pelo prefeito Miguel Coelho. O primeiro (007/2020) cria cargos e funções temporárias na área da saúde pública para funcionar durante o combate ao Covid-19. O segundo projeto (008/2020), propõe isenção da Contribuição para Custeio da Iluminação Pública (CIP) a consumidores da Tarifa Social até 220 KWh, enquanto durar o estado de emergência decorrente da pandemia.

Como já era esperado, as duas matérias foram aprovadas por todos os 23 vereadores presentes – incluindo o presidente da Mesa Diretora, Osório Siqueira (MDB). Ele chegou a ser questionado por alguns colegas de que só poderia votar em casos de empate, funcionando como voto minerva. Osório, no entanto, explicou que o Regimento Interno da Casa Plínio Amorim permite ao presidente votar além de situações desse tipo.

Apesar de transcorrer tranquila, a sessão teve uma controvérsia. No projeto da CIP, que inclusive foi uma sugestão do líder oposicionista Paulo Valgueiro (PSD), o próprio vereador entrou com uma emenda propondo que a isenção da taxa se desse de maneira automática, caso a crise provocada pelo Covid-19 perdure por mais tempo.

A bancada governista, no entanto, entendeu que a emenda é inconstitucional por se tratar de matéria financeira. Valgueiro ainda tentou justificar a emenda, dizendo que só pretendia colaborar com o município. “O momento não é para egos, mas para colaboração”. Integrante da base aliada, Osinaldo Souza (MDB) disse reconhecer a proposta de Valgueiro, mas argumentou que a Procuradoria do Município manifestou preocupação com futuros problemas jurídicos que a emenda poderia causar ao governo.

Orientação

Na mesma linha, o líder da situação, Aero Cruz (MDB), disse que a bancada foi orientada tanto pelo TCE quanto pelo Ministério Público de Contas (MPC) a votar contra a emenda, mesmo admitindo “o bom serviço prestado” de Valgueiro, com sua sugestão. Outro governista, Alvorlande Cruz (Republicanos) – irmão de Aero – chegou a pedir que Valgueiro retirasse a emenda da pauta, pela sua inconstitucionalidade. Isso não aconteceu e a bancada acabou vetando a emenda por 16 votos contra cinco.