Artigo do leitor: “A politização da Cloroquina

19

Neste artigo enviado ao Blog, o médico Aristóteles Cardona volta a falar sobre o polêmico uso da cloroquina que ainda divide opiniões. No texto, ele destaca que não há comprovação científica acerca da eficácia da droga contra a covid-19 e questiona toda a politização em torno do medicamento. Confiram:

A politização da Cloroquina

Esta semana decidi falar novamente sobre a cloroquina e toda a politização que envolveu a mesma em inúmeras notícias nas últimas semanas. Mais uma vez é preciso reforçar que não há nada na ciência e na medicina que embase ou que justifique a eficácia desta droga contra a Covid-19. Na verdade, o que vemos é uma politização sem precedentes de uma doença. A extrema-direita, especialmente no Brasil e nos Estados Unidos, abraçou essa substância como uma solução definitiva para a pandemia contrariando a maior parte das pesquisas que têm sido produzidas. Até agora, nenhuma revista ou publicação científica mundial séria apresentou vantagens para este uso.

Aqui no Brasil o medicamento manteve-se nas manchetes diárias ao longo da semana. Nada de ciência. Em pauta, a defesa de Bolsonaro como solução para o problema. Por conta disto já caíram dois ministros da saúde. O último, o médico Nelson Teich, durou menos de 1 mês no cargo. Sua saída se deu exatamente pela pressão do presidente, e do gabinete do ódio, pela orientação para uso da cloroquina. Como não aceitou, saiu para dar lugar a mais um militar no governo: o paraquedista Eduardo Pazuello.

Bastaram poucas horas do novo ministro para que saísse um documento do Ministério da Saúde, por imposição do Presidente, orientando o uso da cloroquina até mesmo em casos leves de Covid-19. Para quem é da área, uma breve leitura do documento já evidencia todas as suas incoerências. Salta aos olhos o pouco cuidado com o conhecimento científico e com a boa prática médica. Junto a isso, um detalhe: nenhum profissional assina o documento. Nenhum técnico. Ninguém. Resta então a pergunta: Por que Bolsonaro insiste com isso?

Mais uma bomba envolvendo o assunto surgiu ontem: o ex-ministro Mandetta soltou a informação que Bolsonaro queria modificar até a bula do medicamento. Queria incluir o tratamento para Covid-19 entre suas funções. Mais uma vez, sem o menor respaldo científico. Espero que um dia possamos descobrir o real motivo para essa defesa da cloroquina. Até agora, não parece mais do que a velha histeria da extrema-direita que teima em apontar vilões, enquanto não tem a menor capacidade de ajudar as pessoas neste momento de crise imensa.

Aristóteles Cardona Júnior

Médico de Família e Comunidade – Petrolina/PE

Professor da Universidade Federal do Vale do São Francisco

19 COMENTÁRIOS

  1. Engraçado que esses esquerdistas morrem de medo dos militares ocupando cargos, né! Gabinete do ódio, extrema-direita. Dá até NOJO de ler. Fica o questionamento, por que não completou a descrição de sua biografia como militante de esquerda?

  2. Prezado jovem médico da familia e comunidade, ate agora não temos estudos com dados consistentes quanto ao uso da hidroxocloroquina. As metodologias aplicadas nos últimos trabalhos cientificos são de registros médicos em instituições hospitalares. Acho que a evidência clínica fala mais alto. Além disso a seleção dos participantes influenciou nos resultados, pacientes hospitalizados, média de idade 53 a 60 anos, portadores de comorbidades inclusive dentre elas cardiopatias e endócrinas.
    Que o protocolo não é a cura isso é fato. Porém, para tratar qualquer doença é necessário um protocolo, e para a Sars Covid-19 não tinhamos. O virus não provoca morte instantânea, procuramos. Temos um periodo para tratar as sequelas no organismo antes que chegue nas vias aéreas inferiores, é preciso conhecer fisiologia e anatomia patológica é preciso saber um pouco de virologia, conhecer o meu inimigo e o seu potencial. Já vimos que o problema no sistema de saúde no Brasil e em especial Pernambuco não é falta de leitos de
    UTI, pois 90% dos pacientes que vão para ventilação estão indo a óbito. A deficiência de leitos de UTI sempre existiu, às centrais de regulação que o diga. Devemos testar os casos suspeitos, caso positivo isolamento e tratamentoos e não esperar os casos se agravarem (trombose venosa e obstrução dos bronquiolos).
    Precisamos de estudos que passem pela apreciação ética e metodologias mais dinâmicas envolvendo vários grupos, inclusive revendo a idade, estágio da doença, comorbidades existentes, dose e período da medicação. Talves daqui alguns meses a industria farmaceutica financie um outro estudo, só que desta vez será para divulgar um medicamento com preço bem mais elevado e comprove sua eficácia.

    José – um profissional de saúde mestre em ciências e paritário.

  3. Já foi provado na mídia que este Mandetta é um farsante, então a palavra dele e nada é a mesma coisa,e este médico com está conversa de direita também nem merece ser ouvido, sinal que faz parte do grupo do nove dedos.

    • Como falei anteriormente, os estudos que compravam a ineficácia da hidroxocloquina estão cheios de vieses e uma metodologia tendenciosa que influenciou para um resultado negativo da medicação.
      O que fica evidente uma inclinação para o não uso da medicação por parte de quem financiou o estudo (talvez a indústria farmacêutica) já que o tratamento por paciente com hidroxocloquina, azitromicina e zinco não passam dos R$ 40,00. Talvez publiquem nos próximos dias um estudo com uma medicação que custe R$ 5.000,00 por paciente. É assim que funciona…..
      Não politizo minha profissão (não sou médico), apenas um pesquisador das ciências da saúde a qual não é de domínio da medicina. Minha missão aqui neste mundo é servir, sem interesses políticos, financeiros e ou religiosos.

      AbraSUS….

  4. na minha visão o que eu vejo é políticos e a imprensa fazendo uso dessa pandemia que estamos vivendo no país para fazer politicagem, não deixo de desconfiar por qual razão partidos de esquerda, políticos e até mesmo médicos ligados a partidos são tão contra o uso desse medicamento, não creio que eles estejam preocupados com a saúde das pessoas mas sim com seus próprios interesses, não existem estudos científicos sobre o uso desse medicamento no tratamento da covid-19 nem afirmando e nem negando sua eficácia, as opiniões de médicos são divergentes, esse remédio até um dia desses era vendido em qualquer farmácia sem receita médica e seus efeitos colaterais era menores do que um benegrip, quando começaram a surgir relatos de que esse medicamento tinha eficácia no tratamento da covid-19 ele virou um medicamento extremamente perigoso de repente e pessoas começaram a morrer usando ele sendo que ninguém nunca antes havia morrido em decorrência do uso dele, isso é estranho para dizer o mínimo, então acho que temos que analisar os fatos e formarmos nossas opiniões e não nos basearmos em opiniões de jornalistas, médicos ou políticos que são em sua maioria claramente enviesadas ideologicamente

  5. Esse se não for petista raio mim parta
    Sabe acho que Davi uip Kalil foram um uns loucos ao tomarem corentina devia ter ouvido o nobre médico o cientista. estamos em uma querra contra o vírus vamos esperar sai resultado .na 2 querra mundial os feridos eram tratados com aqua de cocô deviam esperar a querra acabar. O remedio hidroxido clorentina era vendido feito sorriso conheci dezenas que tomaram na década 80 agronomos que saiam daqui para trabalharem na zona da malária.

  6. Quando falou Gabinete do Ódio e se referiu ao General como paraquedista, deu para perceber que se trata de mais um esquerdista doente. Acho que precisa ser medicado com a CLOROQUINA para melhorar a condição mental. A UNIVASF e o IF estão contaminados por esses tipos de comunista.

  7. O médico David Uip, foi secretário de saúde de SP, pessoa de ilibada reputação nos quadros médicos do pais, se CUROU E PRESCREVEU A SI PRÓPRIO HIDROXICLOROQUINA, tenho visto outros especialistas dando depoimentos da eficácia do medicamento e não são políticos. Na verdade nem pessoas ligadas a área da saúde possuem conhecimentos suficiente sobre o Covid19, que é uma nova mutação do Coronavírus, já existe a bastante tempo. Cloroquina é um medicamento barato, já é prescrito a mais de 80 anos no combate a artrite, Lúpus e outras doenças, pessoas mal INTENCIONADAS E POLÍTICOS SUJOS, agora alegam que provoca diversos danos a saúde, só agora nunca causou nada, alegam efeitos colaterais, TODO MEDICAMENTO TEM EFEITO COLATERAL, SEM EXCEÇÃO. Partidos políticos, seja de esquerda, direita , PQP não devolve a vida a ninguém. O presidente como eu também acho, que pra evitar a morte toda tentativa é válida. Na 2ª Guerra militares na frente de batalha eram tratados com ‘placebos’ e, mesmo assim sobreviveram. (Placebo comprimido sem principio ativo algum, efeito psicológico agia).

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome