Alerta: Praga que atinge cultura da manga é identificada em 9 municípios do Rio de Janeiro

2

Essa notícia interessa diretamente os produtores de manga de Petrolina (PE), Juazeiro (BA) e região: o besouro Sternochetus mangiferae (broca-da-manga ou gorgulho-da-manga) já foi identificado em nove municípios do Rio de Janeiro, todos na região metropolitana da capital: Belford Roxo, Duque de Caxias, Magé, Mesquita, Nilópolis, Niterói, Paracambi, Rio de Janeiro e Seropédica. Ainda não há relatos da presença da praga em outros Estados brasileiros, mas a preocupação dos especialistas é evitar que ela se aproxime das regiões de produção comercial para consumo nacional, como São Paulo e Minas Gerais, e daquelas que produzem para exportação, como Bahia e Pernambuco.

A pesquisadora da Embrapa Agrobiologia (RJ) Alessandra de Carvalho explica que a manga é a fruta com maior valor nas exportações brasileiras, tendo a União Europeia como maior cliente, seguida dos Estados Unidos. A presença da broca pode colocar esse setor em risco, pois há restrições à exportação de frutas e vegetais com a presença de pragas quarentenárias, como é o caso do Sternochetus.

A nossa balança comercial poderia ser afetada se perdêssemos essas exportações por causa da praga”, frisa a cientista. “Se os produtores notarem sinais da presença do besouro, o ideal é procurar os órgãos de defesa fitossanitária estaduais ou a Embrapa, por meio do Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC). Isso é muito importante”, recomenda, ao informar que a Embrapa lançou uma publicação explicativa para a identificação do inseto.

Atualmente, os municípios onde a praga foi detectada são considerados zona interditada, com trânsito de mangas proibido para áreas livres do problema. Além disso, a movimentação de frutos produzidos no Rio de Janeiro está condicionado à apresentação de permissão de trânsito de vegetais com Certificação Fitossanitária de Origem (CFO), emitido pela Coordenadoria de Defesa Sanitária Vegetal.

Caroços

Ainda não há registros de produtos químicos ou biológicos que combatam a praga no Brasil, por isso, o controle cultural deve ser adotado. “Neste momento, a melhor forma de conter o avanço do Sternochetus é coletar os frutos caídos ou os caroços das frutas consumidas e enterrá-los. Essa é uma medida preventiva já adotada na fruticultura comercial por causa da mosca-das-frutas, e deve ser adotada também nos quintais, uma vez que a praga não ocorre somente em áreas rurais, mas também nas urbanas”, frisa a especialista.

Outro alerta feito pela pesquisadora diz respeito ao trânsito de frutos: “Muito cuidado ao levar frutos de mangueiras da região onde a praga ocorre para outros municípios. Existe uma Instrução Normativa (IN 34, de 05/09/2017) que declara como zona interditada os municípios onde a praga ocorre e proíbe o trânsito das mangas neles produzidas para áreas indenes”.

A doença

Conhecido como broca-da-manga, gorgulho-da-semente-da-manga, gorgulho-da-manga, besouro-do-caroço ou besouro-da-manga é uma praga exclusiva dessa fruta e o seu ciclo de vida engloba três fases: larva, pupa e adulto. As formas jovens se desenvolvem silenciosamente dentro do endocarpo (caroço), o que dificulta muito a sua descoberta.

Fora do fruto, o besouro adulto costuma realizar suas principais atividades, como locomoção, alimentação e acasalamento, durante a noite, o que também reduz as chances de ser encontrado pelo agricultor no campo. Na fase adulta, chega a medir 9,5 milímetros e é capaz de sobrevoar distâncias curtas, se alimentando exclusivamente de folhas, galhos e frutos da mangueira quando não está em repouso (diapausa), sem causar danos expressivos. Durante o dia, fica escondido nos troncos das mangueiras, na copa ou debaixo de folhas caídas no chão. Em períodos em que a planta não produz frutos, o inseto entra em diapausa e nesse período não se locomove e nem se alimenta.

2 COMENTÁRIOS

  1. De certeza vai chegar a Petrolina e por consequência a Juazeiro e região !! Adagro não possui funcionários para fazer fiscalização nas fronteiras do estado, o quadro está defasado !! Não existe barreiras sanitárias ativas em Petrolina ! Muito triste, o governo do estado vem abandonando o órgão com o passar dos anos. Infelizmente será um prejuízo enorme para região !

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome