Casa Plínio Amorim pode convocar vereadores na próxima semana para mais uma sessão extraordinária

Em recesso desde o final do ano passado, a Câmara de Vereadores de Petrolina poderá realizar mais uma sessão extraordinária. Conforme o presidente da Mesa Diretora, Osório Siqueira (PSB), caso o Poder Executivo conclua o projeto de reforma administrativa, os representantes do Legislativo poderão ser convocados na próxima semana.

“Existe essa previsão para realizarmos mais uma sessão extraordinária”, assinalou Osório. Caso a sessão de fato aconteça, será marcada para a próxima quinta-feira (19), informou o presidente da Casa Plínio Amorim.

A primeira extraordinária do ano aconteceu no início de janeiro, para votação de mudança na nomenclatura dos órgãos da Prefeitura de Petrolina, e também foi convocada pelo Executivo.

 

 

Na ‘cola’ de Paulo Bomfim

É cada vez mais evidente a aproximação da oposição em Juazeiro ao grupo do prefeito Paulo Bomfim (PCdoB). Onde quer que o prefeito vá, os vereadores vão atrás. Seja na Caravana da Saúde, na inauguração de pavimentação de rua ou num ‘chá de bonecas’, lá estão eles, rodeados do gestor.

O que se comenta nos bastidores é que a tal “harmonia” disseminada pelo novo presidente da Câmara, Alex Tanuri (PSL), serviu de consolo para alguns vereadores.

Com um discurso de aproximação apenas para acompanhar de perto as promessas feitas ou fazer avaliação dos serviços, baseada na gestão do ex-prefeito Isaac Carvalho,  essa ‘cola’ toda da oposição está deixando Bomfim cada dia mais sorridente. O motivo? Nem precisa dizer. (foto: Ascom PMJ/divulgação)

Osinaldo Souza começa a colocar em prática seu discurso: “Não quero ser tachado nem de oposição, nem de situação”

De volta à Câmara de Petrolina após ter ficado fora na última legislatura, o vereador Osinaldo Souza (PTB) revela querer ficar longe de rótulos ou nomenclaturas como oposição e situação. “Não gostaria de ser lembrado com essas nomenclaturas de ser oposição ou situação. Volto para defender o povo, representar Petrolina, porque acho que esse é o papel do legislador’, esclarece o petebista. Osinaldo começou a colocar em prática esse discurso na sessão extraordinária da última quinta-feira, 5, o petebista votou favorável ao projeto do Poder Executivo. A matéria tratou sobre a organização inicial da nova administração, relacionada aos nomes das secretarias municipais e órgãos vinculados a essas pastas.

Enquanto parte da oposição – formada pelos vereadores Cristina Costa e Gilmar Santos (ambos do PT), além de Gabriel Menezes (PSL), Paulo Valgueiro e Domingos de Cristália (do PMDB) – questionou e foi contrária ao texto, Osinaldo que teve no primeiro mandato um comportamento contestador quanto ao governo do ex-prefeito Julio Lossio (PMDB), não avaliou a matéria de forma tão detalhista quanto os colegas oposicionistas, até porque o texto para ele estava dentro da constitucionalidade.

“As pessoas às vezes confundem, porque se você defende um lado, você já é daquele lado. Você tem é que ser coerente. O que for coerente, o que for preciso, você tem que se posicionar. Para mim se o projeto não foi completo, como os colegas questionaram, não quer dizer que ele não era constitucional. Se acharam incompleto, fizessem emenda já sabendo de onde viria essa receita. Mas estar incompleto não quer dizer ser inconstitucional. Virão mais projetos que iremos analisar e se tiver que exigir rigor, assim o faremos”, antecipou Osinaldo.

Mas não custa lembrar que apesar de Osinaldo não querer lado no Legislativo Municipal, dois colegas petebistas dele na Casa Plínio Amorim já estão na base do prefeito Miguel Coelho (PSB): Ronaldo Souza e Manoel da Acosap.

Salgueiro: Clima esquenta entre atual e ex-prefeito e vereadores da oposição se mobilizam

O clima de rivalidade política em Salgueiro (PE), no Sertão Central, perdura mesmo após o período eleitoral. Depois do decreto de emergência administrativa anunciado pelo atual prefeito Clebel Cordeiro (PMDB), seu antecessor Marcones Libório (PSB) não teria ficado satisfeito com as declarações do peemedebista.

O atual prefeito alegou, em nota divulgada à imprensa, que o motivo de ter decretado estado de emergência financeira e administrativa no município foi para manter “os serviços essenciais à população”. A medida deve durar três meses.

Em sua página no Facebook, Marcones Libório compartilhou uma imagem com números afirmando que não há calamidade financeira. Além dos números, uma alfinetada: “É bom que o povo saiba. Decretos totalmente sem sentido. Governo atrapalhado. Ou a assessoria é ineficiente, ou o prefeito não a escuta”, escreveu.

E não foi só o ex-prefeito que ficou na bronca. A bancada de oposição na Câmara Municipal também se manifestou sobre a medida. Também em nota, os vereadores dizem que, mesmo em recesso, ficarão de plantão durante este mês de janeiro. Eles afirmam que a medida tomada por Clebel “atinge diretamente os servidores do município, que atendem com tanta competência a população”.

Manoel da Acosap rebate Cristina e garante: “Quem sofreu agressão fui eu”

A discussão protagonizada pelos vereadores Manoel da Acosap (PTB) e Cristina Costa (PT) na sexta-feira (6), numa emissora de rádio em Petrolina, acabou na delegacia. Tanto um quanto outro prestou queixa na Polícia Civil, alegando ter sido agredido fisicamente. Ambos, inclusive, fizeram exame de corpo delito. Mas a este Blog Manoel sustenta a versão de que sofreu a agressão primeiro. (mais…)

Moradores denunciam construções irregulares nos Bairros Santa Luzia e José e Maria

Moradores dos Bairros Santa Luzia e José Maria, na zona norte de Petrolina, denunciam, desde o final do ano passado, construções irregulares que vêm sendo erguidas em áreas próximas à nova feira do José e Maria, na avenida que divide os dois bairros (próximo ao antigo Raso da Catarina). A informação da comunidade é que esses barracos são fruto de invasões, porque não se tem notícia de nenhum projeto de lei para doação das áreas passado pela Câmara de Vereadores.

As construções já estão bem adiantadas. Os moradores chegaram a procurar o governo anterior para denunciar essas invasões, inclusive a Ordem pública, mas nada foi feito. Como o prefeito Miguel Coelho denunciou nesta quinta, 5, o estado em que encontrou a sede do governo e alguns equipamentos da prefeitura, talvez esse seja mais um ‘pepino’ que ele tenha que descascar, herdado da última gestão.

Vereadores de Lagoa Grande teriam aumentado salários em segredo

Vereadores de Lagoa Grande (PE), no Sertão do São Francisco, assumiram suas vagas no último domingo, 1, mas já com novos salários. Os subsídios das excelências passaram de R$ 5 mil para R$ 7 mil – um aumento de quase 40%.

O projeto de mudança salarial dos 11 vereadores da Câmara Municipal foi votado e aprovado ainda no ano passado. Detalhe: a votação teria sido secreta, sem conhecimento nenhum da população.

Osório tem confronto com Ruy Wanderley em sessão extraordinária da Câmara

Parece que a nova legislatura da Câmara de Petrolina terá embates entre ex-presidentes. Na sessão extraordinária ocorrida nesta quinta-feira, 5, para a votação de projeto que muda nomes das secretarias municipais do Governo Miguel Coelho (PSB), de autoria do Poder Executivo, o vereador Ruy Wanderley (PSC), que já presidiu a Casa Plínio Amorim, deu um puxão de orelha no atual presidente do Legislativo Municipal, vereador Osório Siqueira (PSB), alertando sobre o Regimento da Casa.

Ruy deu uma bronca no comandante da Mesa Diretora por ter permitido que a discussão sobre o projeto se prolongasse de forma que poderia ferir o Regimento. “Peço ao nobre presidente que da próxima vez cumpra o Regimento Interno da Casa. O projeto já tinha sido aprovado em primeira votação, então não precisaria passar para segunda e terceira discussão e colocar colegas para debater mais de uma vez. Dessa vez passa, mas vamos seguir o que rege essa Casa”, disse Rui.

Osório, que parece não ter ficado satisfeito com a crítica do colega, acelerou a votação da matéria em segunda discussão e encerrou logo a sessão, que tinha iniciado às 10h e já passava do meio-dia. Perguntado se teria achado um puxão de orelha nele a observação do companheiro de Legislativo, Osório desconversou, mas alfinetou.

“Não achei que tenha sido puxão de orelha, até porque não estou aqui para levar puxão de orelha nem do vereador Rui Wanderley nem de ninguém. Eu tinha solicitado a discussão da matéria logo após que ela entrou na pauta de votação, ninguém havia se pronunciado para debater. Na segunda discussão a vereadora Cristina Costa se inscreveu e os demais passaram a querer discutir também. Não descumpri o Regimento, apenas deixei alguns colegas aproveitarem o momento e se pronunciassem. Nada que ferisse o Regimento. Cada um diz o que quer. Tem gente que faz questionamento para arranhar alguém, mas não me sinto arranhado não”, registrou Osório. (Foto: Ascom Câmara)

Belém do São Francisco: Novos vereadores passam a receber salários de R$ 7,8 mil

Em Belém do São Francisco (PE), Sertão de Itaparica, os novos subsídios dos vereadores da próxima legislatura começam a render assunto na cidade. Segundo informações repassadas ao Blog, o projeto que reajustava esses subsídios havia sido aprovado há seis meses (e sem o conhecimento da população).

Os salários dos nobres vereadores, que na legislatura passada eram de 6 mil, serão agora de R$ 7,8 mil – um aumento de 30%. Os novos representantes do povo belemita já começam a receber esse valor a partir de janeiro.

Projeto de Miguel Coelho gera primeiro embate entre oposição e situação na Câmara Municipal

Aprovado agora há pouco em primeira votação, por 15 votos favoráveis e 5 contra, o projeto de lei de autoria do Poder Executivo analisado nesta quinta, 5, em sessão extraordinária na Câmara de Vereadores de Petrolina-PE, gera debates agora na Casa. A matéria trata sobre mudanças de nomes na estrutura de governo do prefeito Miguel Coelho (PSB). Já passaram pela tribuna vereadores da situação e da oposição.

Os da oposição, como Cristina Costa e Professor Gilmar, do PT, alegam que existem erros no texto, como nomear cargos sem dar atribuições e o envio de um reforma administrativa “fatiada”, como citou Cristina. “E esta Casa vota a reforma retroativa para o início de janeiro, sem prejuízo aos funcionários”, argumentou a vereadora. O colega Gilmar completa. “Não é só mudar nomes, é mudar uma estrutura e assim temos que qualificar o texto”, completou.

Ronaldo Cancão (PTB) até citou algumas imperfeições no projeto, mas que não impedem que os vereadores aprovem. “O prefeito está respaldado em leis já existentes”, alegou. A confirmação foi feita pelo procurador geral do município, Diniz Eduardo Cavalcante Macedo.

“Existem duas leis aprovadas recentemente, ainda da Gestão Julio Lossio, que garante a continuidade dos serviços com a definição de cargos. Hoje o projeto visa à mudança dos nomes das secretarias, para que a equipe possa atuar de forma mais tranquila e o prefeito tenha essa segurança. Até o final de janeiro, enviaremos a reforma administrativa completa”, revelou.

Os debates continuam antes da segunda votação para a aprovação do projeto.

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br