Perímetros irrigados produzem 3,7 milhões de toneladas e faturam R$ 3,2 bi em 2016

Cerca de 3,7 milhões de toneladas de itens agrícolas, principalmente frutas, foram produzidas nos projetos públicos de irrigação administrados pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) na bacia hidrográfica do Rio São Francisco, em 2016. Juntos, os projetos alcançaram R$ 3,2 bilhões em valor bruto de produção e geraram 289 mil empregos diretos e indiretos.

Os dados, divulgados pela Área de Gestão de Empreendimentos de Irrigação da Companhia, incluem também os projetos do Sistema Itaparica, localizados na Bahia e em Pernambuco.

“A Codevasf, ao longo dos seus quarenta e dois anos de existência, se notabilizou, principalmente, por sua capacidade em impulsionar a agricultura irrigada no Vale do São Francisco e, assim, contribuir para o desenvolvimento econômico do Nordeste”, afirma a presidente da Companhia, Kênia Marcelino.

No ano passado a Codevasf investiu R$ 129,6 milhões nas ações de modernização/reabilitação da infraestrutura de uso comum dos projetos públicos de irrigação, na reabilitação e administração de projetos interesse social e no atendimento a legislação e condicionantes ambientais.

“Damos continuidade às obras de revitalização, modernização e implantação da infraestrutura dos projetos públicos de irrigação, viabilizando a manutenção e a geração de milhares de empregos diretos e indiretos. Busca-se, ainda, com os investimentos na modernização dos projetos já existentes, a tão almejada emancipação dos empreendimentos em favor dos Distritos de Irrigação”, enfatiza a presidente da Companhia.

Foram executadas ações para garantir o funcionamento dos projetos públicos de irrigação que consiste na captação e distribuição de 1,1 milhão de metros cúbicos (m³) de água de irrigação e serviços de manutenção em cerca de 4 mil km de canais e tubulações, 5 mil km de drenos, 3,6 mil km de estradas e 290 estações de bombeamento.

“Os projetos públicos de irrigação no vale do São Francisco, melhoraram e os irrigantes investiram em tecnologia. Hoje não só a quantidade produzida é importante, mas também a qualidade dos produtos, principalmente das frutas, que conquistou o mercado internacional. Com isso, ganha o produtor e o consumidor e mostra um crescimento sustentável que proporciona aumento na geração de emprego e renda, contribuindo para a melhoria dos índices socioeconômicos da região”, avalia o diretor da Área de Empreendimentos de Irrigação da Codevasf, Luís Napoleão Casado Arnaud Neto.

Flutuantes

Paralelamente a essas ações, a Codevasf instalou sistemas de bombeamento sob flutuantes (equipamentos móveis instalados no próprio leito do rio) para garantir oferta de água nos projetos públicos de irrigação. Mais de R$ 42 milhões já foram investidos desde 2015 pela Companhia na instalação desses sistemas que permitem a captação de água para os projetos de irrigação mesmo com a redução da vazão do rio São Francisco.

Um dos projetos públicos de irrigação beneficiados com a instalação dessas estruturas complementares de captação de água foi o Curaçá, localizado no município de Juazeiro (BA), no Submédio São Francisco. O objetivo da implantação emergencial dessas estruturas complementares de captação é assegurar a regularidade da oferta de água para áreas de produção irrigada afetadas pelos baixos níveis do rio São Francisco nos reservatórios de Sobradinho e Itaparica e na região do Baixo São Francisco. (Foto: Ascom)

Bahia: Governador Rui Costa inaugura sistema de abastecimento d’água no Vale do São Francisco

A água tratada e encanada chegou às casas de quase dois mil moradores da zona rural de Itaguaçu da Bahia, no Vale do São Francisco. O sistema de abastecimento de água (SAA) foi inaugurado pelo governador Rui Costa (PT-BA) na manhã deste sábado (29), em visita ao povoado de Lages, uma das quatro localidades beneficiadas pela obra, que teve investimento de R$ 1,6 milhões.

Além de Lages, os povoados de Várzea Grande, Riacho da Carnaúba e Tabatinga também receberam a rede de distribuição. Na primeira visita oficial a Itaguaçu como governador, Rui Costa destacou a importância de levar água para mais baianos. “Água é sinônimo de vida e saúde. Se o ser humano não bebe uma água de qualidade, ele pode ficar doente. Por isso, investimos nesse tipo de obra que é tão importante para a vida das pessoas. O meu compromisso é levar água para cada vez mais para pessoas que ainda não tem água na torneira”, afirmou Rui.

Outra entrega realizada na cidade vai melhorar a vida de quem vive no campo. Dois convênios foram autorizados por meio do programa Bahia Produtiva, beneficiando 65 famílias da Associação de Agricultores do Povoado de Lages e da Associação Comunitária dos Trabalhadores Rurais Quilombola de Cajueiro e Dois Irmãos. Com recursos de quase R$ 400 mil, os grupos poderão montar e desenvolver atividades em cozinhas comunitárias.

Em Itaguaçu, Rui também participou da inauguração de uma creche municipal do programa Brasil Carinhoso e do anúncio de doação de um ônibus de transporte escolar, por meio do programa federal Caminho da Escola, que chegará ao município ainda este ano. A senadora Lídice da Mata e o prefeito de Itaguaçu, Ivan Oliveira, estiveram presentes nas entregas. (Foto: Pedro Moraes-GovBA)

Facape sediará oficina voltada a incremento de exportações no Vale do São Francisco

A Faculdade de Ciências Aplicadas e Sociais de Petrolina (Facape) sediará no próximo dia 3 de maio, das 8h30 às 17h30, no auditório da Biblioteca, a oficina  de competitividade “Marketing para Exportação” – uma parceria com Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil). O evento é voltado às empresas que estão no início do processo de internacionalização e integra o Plano Nacional de Cultura Exportadora.

Durante a oficina serão abordadas questões voltadas ao marketing aplicado ao ambiente internacional, como também vendas em mercado externo. O conteúdo engloba diversos temas como análise e estimativas de mercado, inteligência comercial, estratégias de canais e de promoção comercial, além de apresentar ferramentas relevantes para a internacionalização de empresas.

O evento contará como palestrante o doutorando em Engenharia de Produção pela Universidade de São Paulo (Poli/USP), Willerson Lucas de Campos Silva, tendo como foco de pesquisa redes interorganizacionais e métodos quantitativos. Willerson Possui mestrado em Administração (2015), com ênfase em Política e Planejamento Governamentais, e graduação em Administração (2012) – ambos pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS).

As empresas interessadas em participar do evento devem realizar as inscrições através do link http://arq.apexbrasil.com.br/emails/peiex/2017/32/, até o dia 2 de maio. Em virtude da limitação de vagas, apenas uma inscrição por empresa será permitida. O evento é gratuito.

Associação dos Motociclistas do Vale do São Francisco doa ingredientes da feijoada beneficente do Grupo Rarus

 

O Grupo Rarus que apoia famílias de crianças com síndromes raras, ganhou um importante aliado. A entidade organiza para o próximo domingo, 19, uma feijoada beneficente na Casa de Show Zé Matuto e ganhou da Associação dos Motociclistas do Vale do São Francisco, os ingredientes para preparar o prato. A iniciativa do apoio ao evento solidário, veio por meio de um pedido do vereador Aero Cruz (PSB) que agradeceu o apoio.

“Agradeço de coração quem puder ajudar uma iniciativa tão bonita como essa, dessas mães e suas famílias guerreiras. Conversei com amigos da Associação que toparam de cara, ajudar. Meu muito obrigado aos amigos e amigas por essa iniciativa”, frisou Aero.

Petrolina já se prepara para o Moto Chico 2017

Descontração, novidades, máquinas, diversão, gente bonita e muitas atrações. Tudo isso poderá ser conferido no Moto Chico 2017 – Encontro Nacional de Motociclistas do Vale do São Francisco que acontece de 6 a 9 de julho na área externa do Parque Josepha Coelho, em Petrolina.

Este ano o evento entra em sua maioridade, completa 18 anos levando para quem aprecia a emoção de pilotar uma máquinas em duas rodas, as novidades que fazem com que a atração nunca deixe de crescer e atrair expositores de todo o país e de fora também.

Patrões recuam e trabalhadores da hortifruticultura do Vale têm direitos assegurados

Com a decisão, na semana passada, dos trabalhadores rurais da hortifruticultura do Vale do São Francisco em Pernambuco e Bahia de deflagrarem uma greve geral por tempo indeterminado, a classe patronal resolveu recuar. Não mais serão retirados direitos da categoria.

Foram assegurados itens como pagamento das horas in itinere (percurso de casa para o trabalho e vice-versa); remuneração de hora-extra; pagamento de salário no segundo dia útil; e transporte gratuito. Com isso, as entidades representantes da categoria encaminharam, em reunião, na tarde de ontem (22), suspender a greve.

Confederações, Federações e Sindicatos dos trabalhadores dos dois Estados comemoraram, pois além dos direitos assegurados, conquistas importantes foram registradas, a partir do que foi reivindicado na 23ª Campanha Salarial da categoria, iniciada em janeiro deste ano. Entre os avanços destacam-se a reposição integral da inflação, o que significa um piso salarial de R$ 973,07, e a concessão de botas de couro, ao invés das que são utilizadas hoje, em PVC (que trazem prejuízos à saúde) para todos os trabalhadores das fazendas.

 “A greve foi deflagrada com o objetivo de impedir a retirada de direitos assegurados em lei e na convenção. Então, o recuo da classe patronal representou a aceitação do pleito dos trabalhadores, o que motivou a suspensão da paralisação. Essa foi uma grande conquista para os assalariados, que ocorreu a partir de uma forte mobilização das bases, realizada pelos Sindicatos e pelos delegados sindicais. Por isso, o resultado foi muito positivo, até porque avançamos em vários pontos”, avalia o diretor de Assalariados Rurais da Contag, Elias D’Angelo.

O secretário geral da Confederação Nacional dos Trabalhadores Assalariados e Assalariadas Rurais (Contar), Everaldo Nazário Barreto, destacou a importância de os estados tomarem essa decisão de forma conjunta. Foi um posicionamento muito maduro das entidades que representam a categoria, sabendo resistir no momento certo, e também negociar, quando necessário, ponderou.

Campanha Salarial

Dados apontam que mais de 100 mil homens e mulheres atuam nessa área, sendo responsáveis pela produção de diversas culturas, que são comercializadas dentro e fora do país, promovendo o desenvolvimento da região. A última greve da categoria ocorreu há 13 anos.

A 23ª Campanha Salarial 2016/2017 dos Trabalhadores da Hortifruticultura Irrigada do Vale do São Francisco em Pernambuco e Bahia conta com a participação de Sindicatos dos Trabalhadores Rurais (STRs) de Belém do São Francisco, Inajá, Petrolina, Santa Maria da Boa Vista e Lagoa Grande (em Pernambuco); e de Abaré, Curaçá, Juazeiro, Sento Sé e Sobradinho (na Bahia); Federação dos Trabalhadores e das Trabalhadoras Assalariados Rurais de Pernambuco (Fetaepe); e Federações dos Trabalhadores Rurais na Agricultura do Estado de Pernambuco (Fetape) e da Bahia (Fetag-BA), com o apoio da Contar, Contag, CUT, CTB e Dieese. (foto/Ascom)

Trabalhadores rurais do Vale do São Francisco podem deflagrar greve geral

Os mais de 100 mil trabalhadores da hortifruticultura irrigada do Vale do São Francisco estão, desde a manhã de ontem (15), em estado de greve. A decisão foi tomada na terça (14), durante uma reunião entre os Sindicatos dos Trabalhadores Rurais de Pernambuco e Bahia, a Federação dos Trabalhadores e das Trabalhadoras Assalariados Rurais de Pernambuco (Fetaepe) e as Federações de Trabalhadores na Agricultura dos dois estados (Fetape e Fetag-BA), depois de vários dias de escuta da categoria, em seus locais de trabalho.

Após 13 anos da última greve do segmento, os trabalhadores avaliaram que é impossível continuar a negociação com os empresários, que, durante seis reuniões entre as partes, só apresentaram propostas de retirada de direitos.

O Sindicato Patronal já foi comunicado oficialmente da decisão dos trabalhadores rurais, que vão esperar o prazo legal de 48 horas para darem início à paralisação. Entre as reivindicações da categoria estão o piso salarial unificado de R$ 987,00, cesta básica e reajuste de 10% para quem recebe salário acima do piso da categoria.

Porém, ao invés de buscar tratar de avanços, a classe patronal só tem apresentado propostas que colocam em risco direitos assegurados pela Lei e pela Convenção Coletiva de Trabalho (CCT), em anos anteriores.  Entre os pontos expostos pelos empresários estão: o fim do direito do pagamento das horas in itinere (deslocamento dos funcionários ao trabalho); fim da remuneração de hora extra (sugerem a criação de banco de horas); fim dos 45 dias de estabilidade após a data base da CCT; e pagamento do transporte pelo trabalhador.

Negociações

As negociações da 23ª Campanha Salarial 2016/2017 da categoria no Vale do São Francisco (Pernambuco e Bahia), que foi iniciada no mês de janeiro, conta com a participação de Sindicatos dos Trabalhadores Rurais de Belém do São Francisco, Inajá, Petrolina, Santa Maria da Boa Vista e Lagoa Grande (em Pernambuco); e de Abaré, Curaçá, Juazeiro, Sento Sé e Sobradinho (na Bahia); além de Fetaepe, Fetape e Fetag-BA, com o apoio da Contar, Contag, Cut e Dieese. As informações são da assessoria da Fetape. (foto/divulgação)

Mais de dois mil produtores de áreas irrigadas no Vale do São Francisco têm dívidas renegociadas por Ministério e Codevasf

As novas regras operacionais para que produtores rurais de projetos públicos irrigados sob gestão da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) e do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs) renegociem suas dívidas foram fixadas nesta segunda-feira (13), pelo ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, durante uma agenda de trabalho em Petrolina, da qual também participou a presidente da Codevasf, Kênia Marcelino.

Os débitos contemplados na portaria assinada em Petrolina pelo ministro são relativos a vendas de lotes para titulação e uso de infraestrutura de irrigação, conhecidas como K1. A medida beneficia cerca de 12 mil agricultores atingidos pela seca prolongada em regiões do semiárido, sendo mais de 10 mil produtores em projetos irrigados da Codevasf. O documento regulamenta o artigo 13 da Lei 13.340, de 28 de setembro de 2016.

“Hoje damos mais um passo para garantir a adimplência do produtor rural, para que ele possa ter preservado aquilo que é mais valioso, que é ter seu nome limpo e, dessa forma, possa continuar trabalhando com afinco para fazer o Nordeste e o Brasil crescerem”, destacou o ministro Helder Barbalho.

“É com orgulho que estamos aqui divulgando essa boa notícia para os mais de 2,3 mil produtores que serão beneficiados pela ação nos perímetros irrigados geridos pela Codevasf em Petrolina”, afirmou a presidente da Codevasf, Kênia Marcelino, durante visita ao Perímetro de Irrigação Senador Nilo Coelho. “A partir da próxima quinta-feira (16), todos os irrigantes já podem comparecer às superintendências regionais para fazer os cálculos dos seus débitos e, assim, poderem voltar a investir em suas lavouras”, completou Kênia.

Renegociação

A renegociação é válida para parcelas de dívidas vencidas entre 31 de dezembro de 2006 e 31 de dezembro de 2011. Os pagamentos poderão ser quitados até 29 de dezembro de 2017 e os descontos variam de 15% a 95%, considerando o período do débito. “É uma vitória para todos os produtores familiares do projeto porque agora terão mais tempo para renegociar e quitar seus débitos. É uma alegria enorme”, comemorou Cassiano Souza, produtor de uva e manga no N-11 do Nilo Coelho. (Foto: Ascom Codevasf e MIN)

Mosca da fruta deixa produtores do Vale do São Francisco em alerta

frutas-doentesOs produtores do Vale do São Francisco es­­tão preocupados com a chegada do verão. As altas temperaturas podem aumentar os índices de infestação da mosca da fruta nos pomares. Os insetos são verdadeiros vilões e podem trazer prejuízos para as exportações, se não forem devidamente monitorados. Pernambuco, através de Petrolina, tem se destacado na exportação de frutas no Brasil, responsável por produzir 90% de toda manga in natura e 95% de uva de mesa do País. As frutas são destinadas a mercados exigentes, como Japão e países da Europa. (mais…)

Coreia do Sul comprará manga do Vale do São Francisco

sul-coreanos-petrolina

Uma comitiva de asiáticos iniciou em Petrolina, ontem (24), o processo de exportação de manga do Vale do São Francisco para a Coreia do Sul. Presentes no município desde a última quarta-feira (23), os cinco sul-coreanos, tendo à frente o diretor de cooperação internacional, Joo Seok Min, visitaram algumas fazendas produtoras de frutas e vinícolas da região.

Na Associação dos Produtores e Exportadores de Hortigranjeiros e Derivados do Vale do São Francisco (Valexport), os asiáticos receberam informações atualizadas sobre o processo produtivo e os números do Vale, que responde hoje por 95% da manga e 99,7% da uva exportada no Brasil. Os maiores mercados das frutas do Vale são o europeu, americano, japonês e o Mercosul.

De acordo com o gerente executivo da Valexport, Tássio Lustoza, os sul-coreanos estiveram na região em 2012, quando apresentaram interesse em fazer negócios com os produtores de frutas.  “De lá para cá fomos estreitando o relacionamento, que culminou com um acordo bilateral entre os países, assinado na última terça-feira (22) em Petrolina pelo ministro da Agricultura, Blairo Maggi”, adiantou Lustoza, lembrando que a Coreia do Sul tem uma população de 50,22 milhões de pessoas e consome atualmente 10 mil toneladas de manga por ano.

Segundo o diretor de marketing da Valexport, Caio Coelho, os primeiros embarques de manga para a Coreia do Sul já devem ocorrer em meados do ano que vem. “Temos uma região forte na geração de emprego e renda, que obedece criteriosamente as certificações internacionais e produz as melhores e mais saudáveis frutas do mundo. Os sul-coreanos já provaram e vão contar muito em breve com nossas delícias em suas mesas”, concluiu Caio. (fonte/foto: CLAS Comunicação)

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br