Ausências criticadas

Ainda dá o que falar a audiência pública realizada ontem (9) na Casa Plínio Amorim, que debateu o funcionamento do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) em Petrolina. Ou, pelo visto, o que está se falando mesmo é sobre a falta de debate. Pelo menos foi o que deixou transparecer a presidente do Sindicato dos Agricultores Familiares e Empreendedores Familiares Rurais (Sintraf), Isália Damasceno.

Visivelmente chateada, ela não poupou de críticas à ausência da maioria dos vereadores, bem como de representantes do Poder Executivo à audiência.

Dos convidados, apenas seis vereadores efetivaram presença na Casa Plínio Amorim. Mesmo assim, metade deles foi embora antes do final da audiência. (Foto/divulgação)

Parceria quer aumentar produção agrícola em Petrolina

Agricultores dos Perímetros Senador Nilo Coelho e Bebedouro, em Petrolina, têm buscado aumentar a qualidade de produção. Para isso procuraram assistência técnica do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). Na sexta-feira (12), uma reunião na Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) entre o coordenador geral de produção do MAPA, Michel Ferraz, e a diretoria do Sindicato dos Agricultores Familiares do município (Sintraf) teve o objetivo de confirmar a visita de técnicos à zona rural da cidade e de apresentar outras demandas.

Uma das ações solicitada à pasta é a capacitação dos produtores da agricultura orgânica, com palestras e disponibilização de profissionais da área para visitar os lotes e fazer acompanhamentos.  Segundo a presidente do Sintraf, Isália Damacena, os agricultores necessitam do apoio para, além de qualificar a produção, tornarem-se mais competitivos no mercado. “Petrolina tem grande potencial econômico para a agricultura familiar. Para tanto, precisamos que nossos agricultores tenham assistência técnica adequada e que os oriente sobre a plantação, a colheita e o combate às pragas”, analisa.

Durante a reunião, Ferraz adiantou que na primeira semana de junho uma equipe de técnicos da Codevasf, que está na Paraíba, deve chegar ao município para atender a demanda dos produtores de orgânicos. “Será um suporte técnico para mitigar os problemas que eles [agricultores] têm identificado na produção”. E continua. “Nosso objetivo inicial é a organização dos pequenos irrigadores, partindo da integração de seus produtos para a sua comercialização”.

Reivindicação

As visitas in loco aos lotes de produção serão realizadas por técnicos ligados à Codevaf, que é a responsável pela orientação, capacitação e acompanhamento dos agricultores. A assistência técnica é uma reivindicação antiga do Sintraf. No final do ano passado, durante visita ministerial, o titular do MAPA, Blairo Maggi, comprometeu-se em atender a demanda da categoria. “Ele [Michel Ferraz] nos ouviu e está levando nossas necessidades à Brasília, esperamos que essa reunião possa trazer melhorias para o agricultor familiar de Petrolina”, afirma o secretário de políticas agrícolas do Sintraf, Natalício Luíz, que também esteve no encontro. (foto/divulgação)

Curso de controle alimentar é oferecido para apicultores de Petrolina

Produtores de mel participaram da primeira aula do curso de segurança alimentar e controle dos processos no último sábado (15), ministrado no N-9 do Perímetro de Irrigação Senador Nilo Coelho. O evento aconteceu na Casa do Mel, sede da Associação dos Criadores de Abelha do Município de Petrolina (Ascamp). O Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) é parceiro da iniciativa.

O curso durou todo o dia, mas a programação se estende desta terça (18) a sexta-feira (21). Com uma carga de 32 horas de duração, a ação atende às normativas do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), que orienta associações de criadores de abelhas a promover palestras sobre controle de perigos alimentares.

Durante a apresentação, o consultor e especialista em qualidade e segurança alimentar do Sebrae, Roberto Aquino, mostrou quais são os erros de controle de alimentos mais cometidos por apicultores e apontou, também, algumas medidas simples que podem ser determinantes para a “alta qualificação do mel”, entre os consumidores e o Estado.

Segundo Aquino, o mercado exige do produtor uma cultura preventiva, se deseja continuar nele. Ter controle sobre o que entra e sai da casa de mel, porém, é um desafio que exige atenção e domínio de conhecimento no setor. Durante a palestra, Roberto Aquino ainda adiantou como serão as próximas aulas. “Esse curso é de instrução. Então ele [o curso] tanto instigará a prever, como prevenir e corrigir erros”, explica.

Qualificação e competitividade

Além de atender às normas do MAPA, o presidente da Ascamp, Natalício Sá, disse que a execução do curso visa principalmente à qualificação e ao aumento da competitividade dos produtores participantes da qualificação. De acordo com o dirigente, a Ascamp já é responsável pelo abastecimento de escolas municipais, abrigos para menores, restaurantes populares, verdurões e supermercados da região, mas a meta da entidade é ambiciosa. “Buscamos levar ao consumidor final um produto de excelente qualidade, de forma que ele fique satisfeito e seja o nosso maior divulgador”. ressalta Natalício. “Queremos vender nosso mel não só para Petrolina, Lagoa Grande e região, nosso objetivo é alcançar todo o estado, e, quem sabe, nacionalizarmos”, afirmou o presidente da Ascamp.

O apicultor George Junior Rodrigues, 35 anos, que segue os passos do pai, também produtor de mel, acrescenta mais um motivo para se preparar melhor para a atividade. Ele disse participar do curso porque deseja aperfeiçoar seus conhecimentos. “A gente trabalha com abelhas e sabe que existem muitos detalhes na apicultura. Então temos que aprender para podermos fazer a manipulação de forma correta”, conclui. (Foto: Ascom)

Agricultores familiares terão direito a financiamento de até R$ 250 mil para investir em suas propriedades

Os pequenos agricultores beneficiados pelo Programa Nacional de Fortalecimento à Agricultura Familiar (Pronaf) em Petrolina terão uma linha de crédito facilitada para investirem em suas propriedades rurais.

De acordo com o Sindicato dos Agricultores Familiares (Sintraf), esse financiamento pode chegar até a R$ 250 mil. Os interessados em buscar a linha de crédito deve procurar a entidade para adquirir a Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP).

O financiamento é realizado por meio do Banco do Brasil (BB), com taxa de juros que varia entre 2,5% e 5,5% ao ano. Com média de um ano para o início do pagamento, o crédito é visto pela presidente do Sintraf, Isália Damacena, como “uma forma de o agricultor colocar a casa em ordem”. Segundo ela, além de liberar o DAP, o sindicato também disponibiliza gratuitamente, nas segundas e quartas-feiras, um projetista credenciado pelo BB.

“Ele analisa o que a agricultura ou o agricultor necessita para sua roça de modo a fazer uma proposta sólida, objetiva e bem estruturada para o banco”, explica.

O Pronaf financia projetos de infraestrutura e qualificação de produção, que gerem renda aos agricultores familiares e assentados da reforma agrária. Além de possuir baixas taxas de juros nos financiamentos rurais, tem também, segundo o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), as menores taxas de inadimplência entre os sistemas de crédito do país.

Sintraf

O Sintraf emite o DAP de acordo com a renda anual e as atividades exploradas pelo requerente. Para facilitar a vida do agricultor, a entidade ainda o direciona para linhas específicas de crédito a que tem direito no BB. O atendimento no Sintraf é realizado de segunda à sexta-feira, em horário comercial, no Centro de Petrolina. Outras informações através do telefone (87) 3862-1664. (foto/divulgação)

Em Petrolina, representante do Ministério da Agricultura analisa assistência técnica a agricultores familiares

michel-ferraz

O coordenador geral de produção do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Michel Ferraz, visitou nesta terça-feira (6) a Casa do Mel e os lotes de pequenos agricultores em Petrolina. Ferraz esteve na cidade para estudar a aplicação da assistência técnica aos agricultores familiares, que é uma das reivindicações do sindicato da categoria (o Sintraf).

(mais…)

Reunião coloca em pauta demandas de agricultores de Petrolina

reuniao-agricultores-familiares-petrolina

O Conselho de Desenvolvimento Rural Sustentável se reuniu nesta segunda-feira (5) para debater demandas da agricultura familiar em Petrolina. O encontro teve a presença de presidentes de associações de agricultores, sindicatos, e representantes do Instituto Agronômico Pernambucano (IPA), da 6ª Superintendência Regional da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) e da prefeitura.

A reunião é realizada mensalmente e costuma ser espaço de cooperação entre lideranças e agricultores pretrolinenses com o objetivo de sincronizar a pauta de demandas perante os governos municipal, estadual e federal.

A presidente do Sindicato dos Agricultores Familiares de Petrolina (Sintraf), Isália Damacena, aproveitou o encontro para falar dos resultados obtidos com a oficialização do sindicato como único representante da categoria no município. “A entidade que antes representava a agricultura familiar no município também defendia o interesse de outra categoria. Isso dificultava nossas reivindicações porque eram muitas bandeiras a serem defendidas. O Sintraf tem conseguido alcançar seus objetivos justamente porque focamos só na luta pelo pequeno agricultor”, disse. (foto/divulgação)

Líderes da agricultura familiar em Petrolina pedem apoio de ministro para a efetivação da assistência técnica

isalia-e-blairo-maggi

A diretoria do Sindicato dos Agricultores Familiares de Petrolina (Sintraf) conversou com o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, durante sua visita a Petrolina, ontem (22). A conversa serviu para reivindicação de demandas da categoria. Além disso, os líderes da entidade pediram apoio do ministro para a efetivação da assistência técnica aos pequenos agricultores do município.

A presidente do Sintraf, Isália Damacena, informou que Maggi vai analisar a causa e assumiu compromisso de dar uma resposta rápida para a categoria. “Toda a agricultura familiar está sem assistência técnica na nossa região e o ministro disse que vai dar atenção a essa questão, que para nós é muito importante. O agricultor precisa de uma assistência técnica que o oriente sobre a plantação, adubação, molhação e colheita, além do combate às pragas, aos insetos, às doenças nas lavouras. Se não tivermos esse apoio, a produção não alcança o potencial que poderia chegar”, disse Isália.

O encontro com o ministro Blairo Maggi aconteceu na sede da Associação de Produtores e Exportadores de Hortigranjeiros e Derivados do Vale do São Francisco (Valexport). Antes, Maggi tinha visitado fazendas da região com o senador Fernando Bezerra Coelho, com o prefeito eleito, Miguel Coelho, empresários e agricultores. (foto/divulgação)

Representantes do Sintraf discutem com Guilherme Coelho problemas gerados pela privatização do Pontal

isalia-guilherme

Em busca de parcerias, a presidente e o vice do Sindicato dos Agricultores Familiares e dos Empreendedores Rurais de Petrolina (Sintraf), respectivamente Isália Damacena e Reginaldo Alencar, foram ao escritório do deputado federal Guilherme Coelho, na sexta-feira (4), para apresentar as demandas da categoria. Os dois representantes expuseram os problemas gerados pela privatização do  Perímetro de Irrigação Pontal, na zona rural de Petrolina.

De acordo com Reginaldo Alencar, desde que as famílias de agricultores foram retiradas do Pontal, que foi assumido pela empresa vencedora da licitação, o mesmo está paralisado. “Além de causar prejuízo para a economia do próprio município, a desativação do Projeto Pontal tem atrapalhado nossos jovens, que, sem perspectiva de trabalho e renda no interior, vão se aventurar na cidade, provocando a falta de trabalhadores no campo”, disse.

Na reunião, Guilherme afirmou estar de acordo com a preocupação do sindicato e adiantou que defenderá na Câmara dos Deputados, em Brasília, o retorno para o antigo modelo do Pontal. “Faremos isso já a partir de janeiro”, disse o deputado, que assumirá uma cadeira no parlamento no dia 1º de janeiro de 2017.

Entrega simbólica

A presidente do Sintraf, Isália Damacena, aproveitou o encontro para entregar a Guilherme a carta de oficialização do sindicato como sendo a única entidade representante dos agricultores familiares em Petrolina. O edital de oficialização saiu no Diário Oficial da União (DOU) em setembro, depois de sete anos de luta. (foto: Ascom Sintraf/divulgação)

Outubro Rosa: Sindicato de Petrolina entra na campanha e alerta associadas sobre o câncer de mama

A diretoria do Sindicato dos Agricultores Familiares de Petrolina (Sintraf) está mobilizada este mês na campanha de prevenção e combate ao câncer de mama. O ‘Outubro Rosa’ faz um alerta para a importância dos exames preventivos a partir dos 40 anos. Segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca), o Brasil deve registrar, até o final do ano, 57.960 novos casos.

O Inca também afirma que se diagnosticado no início, as chances de cura chegam a 95%. Mas, como lembra a presidente do Sintraf, Isália Damacena, existem muitas mulheres que, por dificuldade, falta de tempo ou medo, deixam de fazer a checagem. “Temos mais de 700 associados no sindicato, dos quais muitos são mulheres. Eu e as meninas que fazem parte da diretoria conhecemos várias sem ir ao médico mastologista ou até mesmo sem realizar o autoexame [toque na mama]. Por isso, o Sintraf está apoiando esta causa”, pontua.

O exame mais indicado para o diagnóstico precoce é a mamografia, que deve ser feito todos os anos. As mulheres com menos de 40 anos de idade podem elas mesmas fazer ou, se possível, solicitar ao médico a realização do teste clínico das mamas. “O autoexame é simples: basta colocar o braço atrás do pescoço e apalmar os seios de frente a um espelho. Se sentir algo diferente, deve procurar um mastologista”, orienta Isália, que já fez o dela.

Em solenidade prestigiada, Sintraf é reconhecido oficialmente e presidente garante: “Compromisso é com agricultores familiares”

Sintraf solenidade

Em solenidade prestigiada, o Sindicato dos Agricultores Familiares e Empreendedores Familiares Rurais de Petrolina (Sintraf) celebrou a oficialização do Ministério do Trabalho como única entidade representativa da categoria no município. O evento aconteceu na noite de ontem (23), no auditório do Sest/Senat, no KM-2, e contou com a presença, entre outros convidados, do prefeito e vice, Julio Lossio e Guilherme Coelho; da pró-reitora da Univasf, Lúcia Marisy; do diretor de Projetos de Agronegócio do Sebrae/Sertão do São Francisco, Domingos Guimarães; e dos representantes do Iterpe, Valter de Amorim, e da Força Sindical, José Bezerra Neto.

Sem disfarçar a satisfação, a presidente do Sintraf, Isália Damacena, dedicou seu primeiro discurso oficial às famílias das áreas irrigadas, ribeirinha, assentada e sequeira. Disse que o apoio da categoria deu força para a diretoria do sindicato insistir na luta, durante dois anos, e reiterou o foco da entidade.

“Nosso compromisso é com o agricultor familiar; essa [oficialização] foi a primeira grande vitória do Sintraf, e o foco agora é continuarmos lutando para que as nossas demandas sejam atendidas pelas autoridades das três instâncias de governo”, destacou.

Isália recebeu do advogado da Força Sindical, José Bezerra Neto, o documento que confirma a entidade petrolinense como representante legal dos agricultores familiares. “O Sintraf começa a fazer encaminhamentos de benefícios previdenciários e emitir declarações de aptidão para o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf)”, explicou. (foto: Assessoria/divulgação)

Sintraf realizará evento nesta sexta para comemorar legalização da entidade

isalia damascena

O Sindicato dos Agricultores Familiares e Empreendedores Familiares Rurais de Petrolina (Sintraf) realizará, nesta sexta-feira (23), às 19h, no auditório do Sest/Senat, uma solenidade para comemorar a conquista da entidade que recentemente foi oficializada pelo Ministério do Trabalho como a única representante da categoria no município. Segundo o Sintraf, mais de 700 agricultores familiares, representantes de instituições públicas e políticos de Petrolina devem participar do evento.

O Sintraf pleiteava o registro no MT desde 2014. Com a oficialização, o sindicato passa a representar a categoria nas instâncias municipal, estadual e federal, além de fazer encaminhamentos de benefícios previdenciários, acompanhamento aos assentamentos da reforma agrária e emissão da declaração de aptidão para o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf).

Alguns produtores das áreas  ribeirinha, assentada, sequeira e irrigada de Petrolina ainda não são representados pela entidade. Segundo a presidente do Sintraf, Isália Damacena (foto), a meta é alcançar todos esses agricultores. Ela afirmou que a solenidade terá um tom de união. “Vamos fazer uma cerimônia com os agricultores, lideranças rurais e os representantes de instituições para que, além de nos consolidarmos como entidade de classe, unirmos todos num único objetivo, que é defender e reivindicar nossas demandas em Petrolina”, disse.

Sintraf é oficialmente reconhecido como entidade representativa da agricultura familiar em Petrolina

isalia

O Ministério do Trabalho reconheceu oficialmente o Sindicato dos Agricultores Familiares e Empreendedores Familiares Rurais de Petrolina (Sintraf) como entidade representativa da agricultura familiar na cidade. O registro foi publicado no Diário oficial da União (DOU).

O Sintraf passa, agora, a representar os agricultores em todas as instâncias, atuando em tarefas como encaminhamento de benefícios previdenciários, acompanhamento aos assentamentos da reforma agrária e emissão da declaração de aptidão para o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf).

Hoje, a entidade possui 700 associados da agricultura familiar. De acordo com a presidente do Sintraf, Isália Damacena (foto), a meta é cobrir 100% da categoria nas áreas ribeirinha, sequeira, irrigada e de assentamento. “Agora nossa classe tem um sindicato específico para lutar por ela. Já lutávamos antes, e, com o registo, passamos a ter plenos direitos de reivindicar as demandas que existem e buscar muito mais”, disse.

Segundo o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), a agricultura familiar é responsável por 70% do alimento que chega à mesa dos brasileiros. “Nossa categoria é muito importante, não só para Petrolina, mas para toda a região que depende da agricultura familiar. Isso se reflete no entendimento que todos do sindicato têm sobre nossos papeis”, afirma Isália.

Agricultores familiares de Petrolina reivindicam assistência técnica para perímetros irrigados

isalia damascenaRevoltados com o corte de recursos destinados à assistência técnica em perímetros irrigados de Petrolina, os agricultores familiares reivindicam do governo federal, via 3ª SR Codevasf, a retomada do serviço. Nesta quarta-feira (29) a presidente do Sindicato da Agricultura Familiar (Sintraf), Isália Damascena (foto), explicou que a assistência técnica é uma garantia legal dos pequenos produtores. E esse direito, sendo suspenso, causará grandes prejuízos à região. Por isso, cobrou veementemente da União que a verba seja novamente destinada.

Conforme Isália, uma das consequências provocadas pela decisão do governo é a não concessão do certificado de origem para que as frutas locais possam ser exportadas. O combate de pragas como a mosca da fruta também será impactado com o corte da verba e ações para ter direito ao crédito rural ao custeio, e outras ações na produção também não poderão ser liberadas sem o laudo da assistência técnica.

O Sintraf também alega que programas como PNAE (Programa Nacional de Alimentação Escolar) e PAA (Programa de Aquisição de Alimentos) também serão prejudicados sem o acompanhamento técnico. Os dirigentes sindicais dizem que os contratos têm cinco anos de duração e foi interrompido com um ano e meio. “A suspensão foi interrompida em maio. A verba é repassada através da Codevasf e a justificativa é a contenção de despesas ocasionada pelo ajuste fiscal. A promessa é retomar daqui a dois anos, mas estamos brigando e não vamos deixar que os agricultores sejam prejudicados com a suspensão da assistência técnica”, enfatizou Isália.

Papel

A presidente do Sintraf lembrou que os recursos não são só de origem do Ministério da Integração Nacional – a quem a Codevasf é vinculada. Ela frisa que os Ministérios da Agricultura e do Desenvolvimento Agrário têm obrigação de custear a assistência técnica para a agricultura. “Queremos que esses ministérios cumpram o papel que lhe é devido e vamos atrás dos representantes políticos de nossa região para buscar uma solução”, concluiu Isália. (fonte/foto: CComunicação)

Sindicato dos Trabalhadores da Agricultura Familiar de Petrolina apresenta propostas no programa ‘Todos por Pernambuco’

isália sintrafCom forte presença nas plenárias que trataram de políticas ligadas à população do campo, o Sindicato dos Trabalhadores da Agricultura Familiar de Petrolina (Sintraf), apresentou suas propostas com foco no fortalecimento de políticas públicas estaduais para este segmento da população.

Segundo a presidente do Sintraf de Petrolina, Isália Damascena (foto), foi um debate propositivo e agora é aguardar que se cumpra o que foi colocado pela sociedade civil diante do governador Paulo Câmara e toda a sua comitiva na etapa do Sertão do São Francisco do programa Todos por Pernambuco.

Temos consciência do papel importante que exercemos. Em Petrolina, estamos num processo de organização desses trabalhadores no nosso sindicato, mas todos são cada vez mais conscientes de seus direitos e de sua importância para os brasileiros em todos os cantos do país“, comentou Isália.

Apesar de jovem ainda, o Sintraf mostrou disposição de gente grande nas propostas voltadas para o desenvolvimento rural da região, a exemplo do apoio do governo estadual para a perenização do canal do Riacho do Pontal; o fortalecimento da agricultura familiar e dos conselhos rurais de desenvolvimento sustentáveis, a recuperação da adutora do Gavião, construção do centro de treinamentos dos produtores rurais, reconhecimento da Federação da Agricultura Familiar pelo Iterpe, aumento da cota do PAA para Petrolina, construção de 100 unidades habitacionais para o Sítio Coelho (zona rural de Petrolina), entre outras sugestões. (fonte/foto: Ascom Sintraf)

Agricultores familiares de Petrolina poderão ganhar sindicato

sintraf assembleia petrolinaSe depender do Sindicato dos Trabalhadores em Agricultura Familiar do Vale do São Francisco (Sintraf), Petrolina terá outra entidade além do Sindicato dos Trabalhadores Rurais (STR) para representar a categoria.

É isso o que defende a coordenadora regional do Sintraf, Isália Alves. Ela discorda não apenas do STR de Petrolina, mas de outros da região, de que o desmembramento enfraquece o movimento sindical no campo.

“Na verdade, estamos é ampliando e fortalecendo a luta dos que tiram da terra a sua sobrevivência. Um segmento no qual 70% da produção vão para as mesas dos brasileiros. Estamos na defesa dos agricultores familiares que nunca se sentiram representados de fato pelos STRs”, destacou.

O Sintraf vem realizando assembleias em várias cidades sertanejas com o intuito de iniciar o processo de reestruturação sindical da categoria. Em Petrolina, onde o encontro aconteceu semana passada, no N-4 do perímetro irrigado Senador Nilo Coelho (foto), Isália criticou a direção do STR, alegando que a entidade “tenta barrar a criação de novos sindicatos e tem tentado atrapalhar as reuniões do Sintraf”. Isália ressalta que o processo de implantação dos sindicatos conta com apoio da Força Sindical, tanto em nível nacional como no estado.

História

Fruto de uma luta dos trabalhadores do campo que não possuem nenhum vínculo empregatício, o Sintraf também representa os empreendedores rurais. O movimento para a formação do Sintraf no Vale do São Francisco começou em 2009. O desmembramento tem respaldo, além da decisão final do recurso na justiça do trabalho, da portaria publicada em 2006 pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Ele tornou a agricultura familiar uma categoria diferenciada no meio rural. As informações são da assessoria. (Foto/divulgação)

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br