Sintepe debate Reforma da Previdência no STR de Dormentes

 

Colocando em prática um dos encaminhamentos para a suspensão da greve dos professores estaduais na segunda, 20, o Sintepe, regional Petrolina, iniciou a agenda pública de eventos contra a proposta de emenda à constituição da Reforma da Previdência. O primeiro ato ocorreu nesta quarta-feira, 22, em Dormentes, no sertão do São Francisco.

O debate aconteceu na sede do Sindicato dos Trabalhadores Rurais do município. Conforme o diretor regional do Sintepe, Robson Nascimento, o calendário de debates e discussões contra a PEC terá continuidade em outros municípios atendidos pelo Sintepe na região

Em Dormentes, o evento contou com a parceria do Sindicatos dos Professores do município e teve além dos trabalhadores e trabalhadoras presentes, alunos e professores, além das vereadoras, Cosminha, Socorrinha e Detinha. (Foto: Ascom)

Exclusivo: Professores do estado suspendem greve

Acabou agora a pouco a assembleia dos professores da rede estadual de ensino no  Recife. Após discussões do Sintepe (Sindicato dos Professores e Trabalhadores da Educação em Pernambuco) com a categoria, foi aprovado o indicativo de suspender a greve até o dia o dia 19 de abril quando será avaliada a resposta do governo à pauta apresentada pelo Sintepe dia 10 deste mês. Com a suspensão, as aulas voltam ao normal neste terça, dia 21.

Ainda segundo a assembleia, os professores irão trabalhar o tema Reforma da Previdência em sala de aula com os alunos e farão atos de rua nas 13 regionais do sindicato contra a proposta.

Orocó: Após cobrança de professores, Sintepe vai se reunir com prefeito sobre salários atrasados e convocação de concursados

A Prefeitura de Orocó (PE), sertão do São Francisco, além de não ter chamado ainda os concursados do último certame realizado no ano passado, também não pagou os salários de dezembro aos efetivos até esta quarta-feira, 25. Conforme informações de docentes do município, uma reunião entre a coordenação regional do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco (Sintepe) já está agendada para resolver a polêmica. Os professores questionam o porquê do município não pagar o que é de direito da categoria, se a verba para pagamento vem do governo federal.

A crise dos docentes com os gestores tanto de Orocó como em Salgueiro (PE), no Sertão Central – quando concursados também brigam com a nova gestão para evitar que o prefeito  Clebel Cordeiro realize seleção para contratações, em vez de chamar os aprovados do último concurso homologado pela gestão anterior – pode comprometer o ano letivo nessas cidades e em outros municípios pernambucanos que vivem a mesma situação.

Em contato com o Blog, a coordenação regional do Sintepe, por meio do coordenador Robson Nascimento, revelou que já agendou para a próxima semana uma conversa com o prefeito de Orocó, Gueber Cavalcante (PT). Já no caso de Salgueiro, Robson informou que a coordenação da entidade em Petrolina não atende a região, mas acredita que o sindicato local deve estar negociando uma saída para que, nem professores nem estudantes, sejam prejudicados às vésperas do  início das aulas.

Professores de Juazeiro e Petrolina aderem à paralisação nacional de três dias

Os professores da rede municipal de Juazeiro (BA) e Petrolina (PE) aderiram à paralisação nacional, nesta terça-feira (15). Serão três dias de braços cruzados. A mobilização é pelo cumprimento da lei do Piso, contra a terceirização, contra a entrega das escolas às organizações sociais, contra o parcelamento do salário, contra a militarização das escolas públicas e a reorganização das escolas.

Na cidade baiana, a APLB/Sindicato convocou os docentes para participar de assembleias que serão realizadas nesse período. Os encontros acontecerão na sede da APLB, localizada na Rua Cícero Feitosa, nº 166, bairro Alagadiço, sempre a partir das 9h.

Em Petrolina, o Sindicato dos Servidores Municipais (Sindsemp) e o Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco (Sintepe) apoiam a manifestação em favor da classe. No primeiro dia de paralisação ainda está sendo feito o levantamento da adesão no município, mas a expectativa do diretor regional do Sintepe é que atinja 100% das escolas estaduais até amanhã (16), segundo dia de paralisação, quando haverá uma manifestação às 9h30 na Praça do Bambuzinho para apresentação da pauta regional: Campanha Salarial.

Santa Cruz: Vice-presidente do Sintepe é assassinada pelo esposo

11254564_1606318096274598_2717992058017428581_nUm crime covarde chocou a população de Santa Cruz, no Sertão pernambucano, nesta sexta-feira (11) quando a professora e vice-presidente do Sindicato dos Profissionais em Educação de Pernambuco, (Sintepe) Rosimari Alves, 40 anos, foi assassinada pelo seu companheiro Lucionerio Souza, de 36 anos.

De acordo com as informações, o crime aconteceu dentro da residência do casal e o suspeito foi preso em flagrante pela Polícia Militar. Rosimari lecionava na rede municipal e estadual do município, recentemente foi uma das líderes dos professores do município num movimento grevista que reivindicou melhorias da educação do município e os salários que se encontravam atrasados. O casal tinha três filhos e o corpo foi levado para o Instituto de Medicina Legal (IML) de Petrolina. (fonte/foto: Santa Cruz em Destaque)

Santa Filomena: Sindicato dos Trabalhadores em Educação convoca filiados para assembleia

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco (Sintepe) de Santa Filomena (PE), no Sertão do Araripe, está convocando seus filiados para uma assembleia geral a ser realizada no próximo dia 24, na sede do Sintepe, às 9h.

Segundo a coordenadora Eva Coelho Rodrigues, na ocasião serão tratados de temas como reajuste do piso salarial, Terço de férias, Plano de Cargo, Carreira e Remunerações (PCCR) dos servidores e início do ano letivo no município, entre outros.

Santa Filomena: Sintepe questiona prazo dado pela prefeitura para recadastramento anual de servidores

Em e-mail enviado a este Blog, a coordenadora do núcleo municipal do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco (Sintepe) de Santa Filomena (PE), no Sertão do Araripe, Eva Coelho Rodrigues, questiona a prefeitura sobre o prazo dado para o recadastramento anual dos servidores públicos do município.

Acompanhem:

A Coordenação do Sintepe deste município vem por meio deste veículo de comunicação questionar a respeito da data-limite publicada em matéria pela gerente do setor de Recursos Humanos da Prefeitura de Santa Filomena-PE (Lindinalva Teixeira), no qual está convocando todos os funcionários do município a comparecerem no prazo máximo de três dias úteis à sede da Prefeitura para realizar o recadastramento, segundo a mesma, sob “pena” de futuras punições.

Conforme o Decreto nº 39.813 de 10 de Setembro de 2013, que institui “o recadastramento anual dos servidores públicos no Estado de Pernambuco”, esse recadastramento é realizado no mês de aniversário do servidor, e que esse deve ser realizado via internet no site eletrônico do Portal do servidor (os servidores do Estado), assim como os municípios também deveriam ter o site com o portal do servidor, e Santa Filomena até o momento não tem. Todos os municípios devem agir em conformidade com as Leis Estadual e Federal, (com prazos maiores que três dias).

Observa-se, no Art. 6º, inciso 1º, do Decreto acima citado que, na impossibilidade, o recadastrando deve comparecer até o 10º (décimo) dia do mês subsequente a seu aniversário, e no inciso 3º diz que, após esse prazo, o não comparecimento é que leva o servidor a ser notificado com o prazo de mais 10 (dez) dias, a contar do término da data do inciso 1º. Ou seja, existem prazos, e esses devem ser divulgados e publicados com antecedência.

Se para o Tribunal de Contas esse prazo termina dia 26-01-2016, como afirma a gerente de Recursos Humanos, por que as divulgações desse recadastramento não foram feitas com antecedência? E estamos em período de férias, muitos servidores encontram-se viajando. Sem falar que, por conta das chuvas, em alguns lugares as estradas estão intransitáveis. O servidor tem o dever de se recadastrar, mas existem prazos maiores e diante das circunstâncias, para que haja 100% dos servidores recadastrados, esperamos a divulgação de novo prazo.

Eva Coelho Rodrigues de Melo/Coordenadora do Sintepe de Santa Filomena

Professores da rede estadual de Pernambuco decidem manter greve

greve dos professores PEUma comissão do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de Pernambuco (Sintepe) deve retornar nesta quarta-feira (3) a Petrolina para repassar aos professores estaduais a decisão tomada durante assembleia realizada na tarde desta terça (2), no Clube Internacional, área central do Recife, após a categoria optar pela continuidade da greve iniciada no último dia 29 de maio.

Segundo o Sintepe, cerca de 2 mil professores estiveram presentes no ato. A categoria ainda agendou para a manhã desta quarta uma manifestação em frente à sede da Secretaria de Administração, no Pina, Zona Sul do Recife. A principal reivindicação dos grevistas é a reabertura de um diálogo com o governo para a resolução.

A categoria, que passou 24 dias paralisada entre os meses de abril e maio, reivindica o aumento de 13,01% para os quase 50 mil docentes. Entretanto, apesar da greve ter sido deflagrada na última sexta-feira (29), poucos professores aderiram ao movimento. De acordo com um levantamento realizado pela Secretaria Estadual de Educação, 2% (17 unidades de ensino) aderiram totalmente à greve dos professores, 83% (875 escolas) não paralisaram as suas atividades e 15% (174 escolas) aderiram à paralisação de modo parcial. (com informações do JC/Online/foto: Sintepe divulgação)

Professores que realizaram manifestação na festa de aniversário de Afrânio e alegam que quase foram impedidos por seguranças da prefeitura

manifestação sintepe afrânio

manifestação sintepe afrânio2Na manhã de sábado (30), aproveitando o clima de festa no município de Afrânio (PE), no Sertão do São Francisco, que completou 51 anos de emancipação política, os professores da rede municipal promoveram uma passeata de protesto durante o desfile cívico, no Centro da cidade.

A manifestação teve como objetivo pressionar a prefeitura a reajustar os salários dos servidores, que já realizaram várias paralisações de advertência. Entre as reivindicações da categoria estão a apreciação e votação do reajuste do Piso Nacional dos professores de 13,01% e os 33,33% referentes ao terço de aula atividade para professor em exercício.

De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de Pernambuco (Sintepe)/ Regional Afrânio, a manifestação foi pacífica, mas os profissionais quase foram impedidos de realizar o ato. Em nota, o Sintepe disse que seguranças foram chamados ao local.

Acompanhe a íntegra da nota enviada a este Blog:

Estamos em reivindicação dos nossos direitos, como já cansamos de mencionar. Houve uma manifestação pacífica, mas quase fomos impedidos pelo Poder Executivo. Seguranças foram chamados por eles. Tentaram impedir-nos, mas o diálogo foi mediador pra tal ato. Também pacificamente parabenizamos a cidade e queremos que esse Poder que se encontra à frente do Município traga pra nossa categoria fatos reais, porque até o momento só existem promessas pra nossa categoria.

Não acreditaram que seríamos capazes ou tivéssemos coragem. Desafiaram nossa coragem. Queremos dialogar. As fotos dizem o que realmente aconteceu no nosso ato. Que todos os seus visitantes tirem as devidas e conclusões. Somos educadores e jamais faríamos algo pra denegrir as nossas imagens. A manifestação é um ato público e direito de qualquer cidadão. O direito de ir e vir é livre e não deve ser impedido por ninguém. A coisa foi muito séria.

Com a palavra, a Prefeitura de Afrânio. (fotos/divulgação)

Afrânio: Professores realizam nova paralisação de 24h para pressionar Prefeitura a reajustar salários

reunião sintepe afrânioPela segunda vez neste mês, os professores da rede municipal de ensino em Afrânio (PE), Sertão do São Francisco, vão paralisar as atividades para pressionar a prefeitura a reajustar os salários dos servidores.

De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de Pernambuco (Sintepe)/regional Afrânio, a paralisação vai acontecer nesta quinta-feira (14), dois dias após os servidores serem informados pelo secretário de Governo, Osvaldo Cavalcanti, que o projeto de lei já teria sido enviado à Câmara Municipal para apreciação e votação do reajuste do Piso Nacional dos professores de 13,01% e os 33,33% referente ao terço de aula atividade para professor em exercício.

No entanto, o Sintepe alega que já tentou conseguir uma cópia do projeto de reajuste e não foi possível. Outra cópia do documento, informando sobre a paralisação e as reivindicações, foi encaminhada à prefeita Lúcia Mariano (PSB).

O Blog reserva espaço para algum representante da administração municipal se pronunciar sobre o assunto. (foto/divulgação)

Governo de PE e Sintepe fecham acordo sobre reposição de aulas depois da greve

2009-308040491-2009120980127.jpg_20091209O Governo de Pernambuco e o Sindicato dos Trabalhadores em Educação (Sintepe) chegaram ontem (7) a um acordo sobre a reposição das aulas do calendário escolar relativa ao período de paralisação.

Em nota enviada à imprensa, a Secretaria Estadual de Educação (SEC) informou que o principal objetivo é garantir a reposição das aulas e dos conteúdos curriculares, observando o calendário escolar e efetivando o direito dos estudantes da Rede Pública Estadual.

Foram definidos parâmetros específicos para as escolas regulares, semi-integrais e integrais, considerando as especificidades de cronograma de cada um desses grupos de escolas. Os parâmetros orientarão as reposições conforme a quantidade de dias que precisarão ser compensados, variando de escola para escola.

Pelo acordo estão a utilização de alguns dias do recesso de julho e também para o planejamento de atividades e, no caso das semi-integrais e integrais, a utilização de aulas no contra-turno ou de mais uma hora na jornada diária, conforme a quantidade de dias de reposição e a realidade de cada escola.

Segundo a SEC, a construção do cronograma específico de cada escola será realizada pelo seu gestor, com a supervisão da Gerência Regional de Educação e acompanhamento da Secretaria, que irá monitorará a reposição das aulas.

Após fim da greve, coordenador do Sintepe alerta que mobilizações continuam

SintepeO anúncio do fim da greve dos professores da rede estadual de Pernambuco não representa o fim das mobilizações em busca de melhorias. A afirmação é do coordenador do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de Pernambuco (Sintepe), Robson Nascimento.

Segundo Robson, a greve foi apenas suspensa até o próximo dia 21 de maio, quando será realizada uma nova negociação entre a categoria e o Governo do Estado.

Queremos deixar claro que a greve acabou, mas as mobilizações irão continuar em busca de melhorias para os profissionais de educação. Decidimos suspender a greve até o dia 21, quando acontecerá uma nova negociação. Desde o início do movimento nos colocamos à disposição do governo para negociar”, disse o coordenador, durante entrevista ao programa ‘Manhã no Vale’, da Rádio Jornal.

Afrânio: Professores realizam nova paralisação de 72h para pressionar Prefeitura a reajustar salários

Os servidores da Educação do município de Afrânio (PE), Sertão do São Francisco, irão paralisar novamente as atividades por 72 horas nesta quarta (6), quinta (7) e sexta-feira (8).

De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de Pernambuco (Sintepe), a medida foi tomada “porque há um descaso do Poder Executivo em relação aos servidores.

Segundo o Sintepe, em nota enviada ao Blog, a gestão municipal não estaria cumprindo com a determinação do governo federal de reajustar os salários (em 13,01%) da categoria.

O Sindicato informou ainda que nesta quarta e quinta-feira os professores realizarão atos nas ruas do município.

Conforme o coordenador local do Sintepe, Robson Nascimento, foi realizada uma reunião com a prefeita Lúcia Mariano (PSB), no mês de abril, na qual a gestora teria alegado falta de recursos para cumprir a determinação do governo. No entanto, Lúcia teria se comprometido em procurar uma solução.

Novamente, a reportagem do Blog tentou contato com a Prefeitura de Afrânio, mas não conseguiu. Contudo, o espaço continua reservado para algum posicionamento da administração. (foto/reprodução)

Após 24 dias, professores da rede estadual de Pernambuco decidem encerrar greve

professores PEOs professores da rede estadual de ensino decidiram, após apertada votação, encerrar a greve da categoria após 24 dias de paralisação. As aulas acontecem normalmente a partir desta terça-feira (5).

A decisão foi tomada em assembleia realizada no Centro de Convenções, em Olinda. Na ocasião, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de Pernambuco (Sintepe), Fernando Melo, apresentou aos docentes um ofício, resultado de uma reunião com o governo do Estado no último dia 1º, onde as penalidades dos professores seriam “perdoadas”.

Segundo o ofício, na próxima quinta-feira (7), está programada uma reunião com a Secretaria de Educação do Estado, para definir os dias de reposição das aulas. Na sexta-feira (8), a categoria se reúne com a Procuradoria Geral do Estado para solicitar a revogação da multa imposta pela Justiça.

No dia 13, deve haver a primeira reunião para discussão da pauta de reivindicações que foi entregue no dia 15 de março pelos grevistas. Já no dia 15 de maio, o governo do Estado deverá apresentar as propostas financeiras e para o Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos (PCCV).

Estado de Greve

De acordo com o Sintepe, a categoria se mantém em Estado de Greve, o que significa dizer que a qualquer momento poderão deflagrar nova paralisação. No entanto, essa decisão só deverá ser tomada no próximo dia 21, quando a categoria se reúne novamente para avaliar se o governo do Estado cumpriu com o acordo.

No acordo, o governo prometeu devolver o valor referente aos dias parados que haviam sido descontados, desconsiderar as 15 transferências de professores das Escolas de Referência do Ensino Médio (Erem) e garantir que nenhum professor com contrato temporário irá sofrer punição. A portaria deve ser publicada nesta quarta-feira (6). (fonte: JC Online/foto: Diego Nigro/JC Imagem)

Governo de Pernambuco vai se posicionar somente na segunda-feira sobre greve dos professores

greve professores PEFicou para a próxima segunda-feira (4) uma definição do posicionamento do governo do Estado sobre a greve dos professores. Após mais de quatro horas de reunião entre diretores do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco (Sintepe) e os secretários de Administração, Milton Coelho, e Educação, Frederico Amâncio, nesta sexta-feira, não houve acordo entre as partes e os gestores se comprometeram a mandar ofício dizendo se o governo aceita negociar a pauta da categoria ou não. O documento deverá chegar pela manhã e será apresentado em assembleia geral, às 14h, no Teatro Guararapes, no Centro de Convenções, em Olinda.

Os professores estão em greve desde o dia 10 de abril. A principal reivindicação é o cumprimento da Lei do Piso Salarial (11.738/2008), que garante o reajuste de 13,01% a todos os professores da rede e não apenas aos profissionais com nível médio (antigo magistério), cerca de 10% da categoria, como o governo definiu fazer. Com isso, dos 49.816 docentes (23.165 ativos 26.651 inativos), 45.750 ficam sem aumento e profissionais com dez anos de serviço e licenciatura plena recebem reajuste de 0,89%.

Na última assembleia geral, na quinta-feira, a categoria se mostrou disposta a continua o movimento, mesmo tendo contabilizado 37 mil faltas, descontos de R$ 50 a R$ 1.500, um total de 15 professores afastados das escolas de referência e multa diária de R$ 80 mil. “Não vamos ceder a ameaças. Quem diz quando a greve acaba somos nós”, afirmou Fernando.

A queda de braço também ocorre judicialmente. No dia 15 de abril (um dia depois de o Estado entrar com ação) o desembargador Jovaldo Nunes estabeleceu multa diária de R$ 30 mil caso a categoria não encerrasse a greve, valor que foi elevado para R$ 80 mil. “O Sintepe entrou com mandado de segurança no dia 15 e ação contra a multa no dia 17 e até agora nossos processos não foram julgados, um tratamento diferenciado”, observou o sindicalista. (fonte: JC/foto: Edmar Melo/JC Imagem)

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por agencialaguz.com.br