Sindicato dos Comerciários lamenta fechamento das lojas Rabelo em Petrolina

O Sindicato dos Comerciários de Petrolina (Sintcope) lamentou em nota, nesta segunda-feira, 22, o fechamento das Lojas Rabelo, localizada na Avenida Souza Filho, numa das esquinas mais movimentadas do comércio do Centro da cidade. A entidade afirmou que essa vem sendo “uma das faces mais perversas da crise econômica, aprofundada pela instabilidade política que se instalou no país após a ascensão do presidente Michel Temer (PMDB), que é a demissão de trabalhadores e trabalhadoras”.

Na nota, a diretoria do Sintcope ressalta que a situação ainda é mais delicada com as reformas que visam a retirar direitos dos trabalhadores, inabilitar a aposentadoria e medidas econômicas que não surtiram efeito. “As medidas econômicas adotadas não afastam o cenário de recessão em Petrolina. As demissões são constatadas em diversos segmentos do setor produtivo. No comércio, o mais recente registro foi o fechamento das duas unidades das Lojas Rabelo, localizadas no Centro da cidade e no shopping. Mais de 30 trabalhadores desempregados”, pontuou o sindicato.

A entidade conta que na última sexta-feira (19) os trabalhadores assinaram o aviso-prévio, e nesta terça(23) está prevista a realização de exames médicos demissionais. Ainda esta semana serão feitos os agendamentos para as homologações.

“Diante dessa situação que só reforça um cenário preocupante e traz incertezas para muitos trabalhadores, manifestamos nossa solidariedade aos trabalhadores e trabalhadoras que têm sido vítimas dessa equação econômica. O Sintcope acompanha o caso e, juntamente com a assessoria jurídica, está à disposição dos trabalhadores e trabalhadoras”, finalizou a nota. (Foto: Ascom)

 

Comerciários de Petrolina receberão guias para atendimento odontológico

Na próxima segunda-feira (15) o Sindicato dos Trabalhadores do Comércio de Petrolina (Sintcope) realizará a entrega de guias para atendimento odontológico. Têm direito ao benefício os comerciários sindicalizados.

Conforme cronograma da entidade, a entrega acontece sempre na primeira e na terceira segunda-feira de cada mês. Em maio, excepcionalmente, não houve entregas de guias na primeira segunda-feira porque coincidiu com a data de 1º de maio, feriado alusivo ao Dia do Trabalho.

A entrega será realizada das 8h às 12h e das 14h às 18h. A sede do Sintcope fica na Rua Marechal Deodoro Fonseca, n° 947, Centro de Petrolina. A guia será entregue apenas se o trabalhador apresentar a documentação mínima exigida: Carteira de sindicalização e RG (Carteira de Identidade) ou CPF para o titular, e documento de identificação para o dependente. O serviço é gratuito.

Acordo define novo piso salarial dos comerciários de Petrolina

Depois de duas reuniões sem acordo e mais de 30 dias após o envio da proposta aprovada pela categoria em assembleia, por parte do Sindicato dos Trabalhadores do Comércio de Petrolina (Sintcope), foi definido no final da tarde de ontem (3) o novo piso salarial da categoria. Ficou estabelecido um piso de R$ 1.024 (o atual era R$ 972), uma reposição de 5,35%. Para os trabalhadores que recebem acima do piso, a reposição será de 5%.

O Sintcope esteve representado na negociação pelo vice-presidente Sérgio Lacerda, que esteve acompanhado do assessor jurídico do sindicato, o advogado Wendel Lopes e do assessor jurídico da Federação dos Empregados no Comércio de Bens e Serviços do Norte/Nordeste (Feconeste), João Vicente Murinelli.

A proposta inicial dos representantes dos empresários era um piso salarial no valor de R$ 1.017. O valor foi elevado um pouco mais, após intervenção do assessor jurídico da Feconeste, que já tinha participado da negociação da convenção coletiva em outras cidades de Pernambuco, e lembrou que o piso salarial é a remuneração da maioria dos comerciários.

Para o vice-presidente do Sintcope, apesar de ficar distante do piso defendido pela categoria (R$ 1.100) o percentual aplicado para reajuste fica acima do acumulado do índice Nacional de Preços ao Consumidor, registrado nos últimos doze meses, até o mês de fevereiro, que antecede a data-base da categoria.

O reajuste do piso salarial impacta outras cláusulas econômicas da campanha salarial, a exemplo dos adicionais de hora extra e a remuneração de diárias. Para o motorista entregador a reposição vai fazer o salário passar de R$ 1.237 para R$ 1.298,85 (um reajuste de 5%). (foto/divulgação)

Sindicato dos Comerciários de Petrolina repudia projeto que amplia terceirização

A presidente do Sindicato dos Comerciários de Petrolina (Sintcope), Dilma Gomes, repudia a aprovação de projeto de lei na Câmara Federal que amplia a terceirização no mercado de trabalho. Ela manifestou sua preocupação com o cenário do mercado de trabalhado após a aprovação do projeto. A Câmara dos Deputados aprovou na última quarta-feira (22) o Projeto de Lei (PL) 4.302, apresentado em 1998, que aprova a terceirização generalizada, em todas as atividades – inclusive na atividade-fim, o que a Justiça do Trabalho veda atualmente e também altera regras para o trabalho temporário.

Os dirigentes do Sintcope avaliam que a decisão da Câmara dos Deputados é inaceitável, absurda e totalmente distante da necessidade dos trabalhadores brasileiros, que com a terceirização ganharão menos e trabalharão mais. Para os dirigentes sindicais a aprovação do projeto é um golpe no direito dos trabalhadores e um retrocesso nas relações de trabalho.

Não aceitamos uma decisão dessas que tem o interesse apenas de beneficiar a classe empresarial. O noticiário que está aí, não nos deixa dúvida, de que desde que o presidente Temer assumiu o comando do país ele não tem medido esforços para aprovar projetos que prejudicam os trabalhadores”, avalia a presidente.

A principal mudança  com a terceirização é que empresas ganharam permissão para terceirizar quaisquer atividades, não apenas atividades acessórias da empresa. Isso significa que uma escola que antes poderia contratar só serviços terceirizados de limpeza, alimentação e contabilidade agora poderá também contratar professores terceirizados.

Um levantamento realizado pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), em 2015, mostrou que os terceirizados recebiam em média 30% a menos que os contratados diretos.

“Está claro que o trabalhador será prejudicado. Sendo assim, a população  precisa conhecer quem foram os deputados que votaram contra os trabalhadores”, disse a presidente do Sintcope, Dilma Gomes.

Posse da nova diretoria do Sintcope acontecerá nesta sexta

A posse da nova diretoria do Sindicato dos Trabalhadores do Comércio de Petrolina (Sintcope) acontecerá nesta sexta-feira (3). A solenidade acontecerá no Sesc, a partir das 19h.

Segundo a presidente reeleita, Dilma Gomes, durante o evento haverá uma reflexão sobre a participação da mulher no mercado de trabalho que será conduzida pela professora e historiadora Juliana Kívia Dias.

Além da posse, haverá, no mesmo dia, uma celebração religiosa em Ação de Graças pelas mulheres, na igreja Catedral, às 6h30.

Contra Reforma da Previdência, lideranças do Sinticope reforçam apoio a audiência sobre tema na Casa Plínio Amorim

Representantes do Sindicato dos Trabalhadores do Comércio de Petrolina (Sintcope) estiveram esta semana no gabinete do vereador Osinaldo Souza (PTB), que solicitou para o próximo dia 10 de março uma audiência pública na Casa Plínio Amorim para discutir pontos da Reforma da Previdência. A exemplo de Osinaldo, os sindicalistas entendem que a proposta “fere direitos” da classe trabalhista do país.

A atual presidente e o vice do Sintcope, respectivamente Dilma Gomes e Sérgio Lacerda, não só respaldaram a iniciativa do vereador como garantiram presença na audiência.

“Da forma como projeto do governo está apresentado, vai impossibilitar a aposentadoria dos trabalhadores. Isso atinge todas as classes! Então viemos conversar como vereador e manifestar nosso desejo de participar da audiência e cobrar que os vereadores fiquem do lado dos trabalhadores nessa luta”, disse Dilma. Osinaldo lembrou que o momento exige a participação da sociedade. “Não adianta ficar nas calçadas reclamando. A população tem que se mobilizar, se organizar e pressionar, porque o projeto tira direitos já adquiridos dos trabalhadores”, avaliou. (foto: Assessoria/divulgação)

Atual presidente e vice de entidade dos comerciários de Petrolina são reeleitos para mais um mandato

O Sindicato dos Trabalhadores do Comércio de Petrolina (Sintcope) será comandado, por mais um mandato, pela atual presidente Dilma Gomes e o vice Sérgio Lacerda. Eles foram reeleitos com 80% dos votos válidos no pleito da entidade, realizado na última quinta (26) e sexta-feira (27). Os dois encabeçaram a chapa Comerciário Cidadão. (mais…)

Começa nesta quinta eleição para a diretoria do Sindicato dos Comerciários de Petrolina

Começa nesta quinta (26) e prossegue até amanhã (27) o processo eleitoral dos novos representantes da Direção e Conselho Fiscal do Sindicato dos Trabalhadores do Comércio de Petrolina (Sintcope). A eleição será por voto secreto, com urnas na sede do sindicato e itinerantes. Conforme o edital de convocação, a eleição se dará no horário das 6h30 às 19h (através de urnas itinerantes que serão levadas às empresas) e das 7h às 19h  (através de urna fixa na sede do sindicato).

Estarão aptos a votar os trabalhadores do comércio que estão sindicalizados e quites com as obrigações estatutárias e que tenham, no mínimo, três meses de inscrição no quadro de associados.

De acordo com a comissão eleitoral, houve registro apenas de uma chapa – ‘Comerciário Cidadão’, encabeçada por Dilma Gomes e Sérgio Lacerda, candidatos à reeleição, respectivamente para as funções de presidente e vice. A chapa é formada ainda por Simônica Dias Neres Fontes, Maria José Gomes de Alencar, Amanda Emanuele Rufino de Araújo, Laiane do Nascimento Costa, Geovane Xavier de Moura, Fancisco de Assis, Pereira, Clesio Estevan da Silva, Gerlom José Andrade dos Reis, Pedro da Cruz Rodrigues, Maycon Jefersson dos Santos, José Luiz Alves Cardoso, Cildarte Maria da Silva Souza, Nilo Nunes Coelho, Eliene Barbosa Guimarães, Josimar José da Silva, Francilene Araujo Oliveira e Arinilson da Cruz Rosa. “Como é uma chapa única, nosso estatuto estabelece que eles precisam conseguir dois terços dos votantes aptos, mais um, para alcançar a vitória no pleito”, explica a integrante da comissão eleitoral, Eunice Nunes. O atual mandato termina no dia 28 de fevereiro. (Fonte: Ascom Sintcope)

Após aprovação de pauta, sindicato dos comerciários de Petrolina enviará documento a patronato no dia 28/01

Será encaminhado neste sábado (28) aos sindicatos representantes da classe empregadora um documento com os itens aprovados em assembleia realizada na última sexta-feira (20), pela direção do Sindicato dos Trabalhadores do Comércio de Petrolina (Sintcope). A expectativa é que a negociação resulte num consenso, sem perdas para os trabalhadores, até o dia da data-base da categoria (1º de março).

Centenas de comerciários participaram da assembleia geral extraordinária da categoria, que dá início à campanha salarial 2017. Durante o encontro, realizada na Sociedade 21 de Setembro, Centro da cidade, os comerciários aprovaram os chamados itens econômicos. A proposta que será negociada com os patrões é um piso salarial de R$ 1.100 (o atual é R$ 972) e um reajuste de 10% para o trabalhador que recebe acima do piso da categoria.

Ficou definido ainda um piso salarial de R$ 1.360,70 para o motorista entregador (hoje de R$ 1.237,00). Os valores das diárias de viagem ficaram em R$ 70 (com pernoite) e R$ 50 (dia). A remuneração para os domingos e feriados trabalhados (quando os estabelecimentos estão abertos em atendimento aos clientes) foi definida em R$ 35 a diária, mais R$ 15 de lanche.

Dos itens aprovados, a única novidade em relação à convenção coletiva atual é a implantação de vale-alimentação no valor de R$ 12/dia. As informações são da assessoria. (foto/divulgação)

Empresas em Petrolina descumprem regras de pagamento do 13° salário, diz Sintcope

dilma-sintcope

Considerado fundamental pela maioria dos trabalhadores brasileiros para ajudar a equilibrar as contas no final do ano, o 13° salário ainda não chegou para muita gente em Petrolina, apesar do prazo para o pagamento da segunda parcela do benefício ter se encerrado na última terça-feira (20).

De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores do Comércio de Petrolina (Sintcope), mesmo com a ampla divulgação, há empresas que não obedeceram a esta regra. Somente o Sintcope recebeu nos últimos dias cerca de dez denúncias.

A Convenção Coletiva de Trabalho da categoria estabelece que o não pagamento do 13º salário no prazo previsto em lei sujeitará a empresa a multa no valor de 5% sobre o saldo devedor, em favor do empregado. “Os trabalhadores têm nos procurado em busca de uma solução para este problema. O 13º salário é um direito e precisa ser respeitado”, conta a presidente do Sintcope, Dilma Gomes (foto). Diante da situação, a direção do sindicato está oficializando as denúncias e procurando as empresas para mediar a situação. “Estamos dando uma resposta aos trabalhadores que podem contar com o sindicato”, disse Dilma.

O trabalhador do comércio que não receber o pagamento deve procurar o sindicato da categoria por meio do telefone (87) 3861-5876. Pode também utilizar o WhatsApp, cujos contatos são (87) 9 8838-0172/9 8838-0176, ou se preferir o e-mail (contato@sintcopepetrolina.org.br). O Sintcope está localizado na Rua Marechal Deodoro da Fonseca, n°947, Centro de Petrolina. As informações são da assessoria do sindicato. (foto/divulgação)

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br