Funcionários de terceirizada da Codevasf continuam reclamando de salários atrasados; Companhia diz estar isenta de responsabilidade

No dia 8 de dezembro do ano passado, funcionários de uma empresa terceirizada da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba (Codevasf) em Petrolina, a JM Engenheiros e Consultores Ltda, procuraram o Blog para denunciar um atraso de seis meses nos seus salários, à época. Mais de dois meses depois disso, eles voltaram a entrar em contato com o Blog para afirmar que a situação, infelizmente, continua a mesma. Ou seja, os funcionários estão desde de junho de 2016 sem receber.

Segundo relatos, o cenário é dramático. “Existem funcionárias gestantes sem poder fazer pré-natal por não ter recebido proventos; funcionários que perderam plano de saúde, adquiriram débitos em cartões de crédito e bancos devido à falta de proventos; outros que tiveram de trancar curso na faculdade por atraso de mensalidades; e funcionários que hoje têm seu veículo financiado em busca e apreensão, por falta de pagamento, entre outros”, diz um dos denunciantes.

A reportagem procurou a 3ª Superintendência Regional (SR) da Codevasf, a qual voltou a justificar que a responsabilidade pelo pagamento dos funcionários é da JM, conforme o seguinte link: Nota Codevasf Petrolina.

A 3ª SR ressaltou ainda que as obrigações contratuais entre a Companhia e a terceirizada estão em dia e que a empresa disporia de recursos para quitar as pendências com os funcionários. A Codevasf revelou que o contrato com a JM está suspenso porque o órgão federal aguarda dotação orçamentária.

Prefeito de Trindade cancela Carnaval para colocar salários de servidores em dia

O prefeito de Trindade (PE), no Sertão do Araripe, Dr.Everton Costa, anunciou nesta segunda-feira, 20, o cancelamento do Carnaval do município. O gestor argumentou estar seguindo a recomendação do Ministério Público de Pernambuco (MPPE), o qual orientou prefeitos que estão com pendências como o de pagamento de servidores neste início de governo a suspender os Festejos de Momo para colocar as contas em dia.

Por recomendação do MPPE, tomamos a decisão de cancelar o Carnaval deste ano para que os salários atrasados fossem pagos e ainda poder realizar ações que possam garantir a saúde e o bem estar das pessoas da nossa cidade”, frisou.

Dr. Everton afirmou que a decisão não foi fácil e não é bem vista, sobretudo pela população mais jovem. “No entanto, que eles também devem reconhecer que com os salários em dia dos servidores municipais o comércio será assistido, as contas serão pagas e assim todos ganham com a circulação de dinheiro na economia municipal“, ponderou. (Foto: Ascom)

Salários dos brasileiros devem ter apenas 0,4% de ganho real em 2017, diz pesquisa

Os brasileiros não devem ter aumentos salariais significativos em 2017, com uma previsão de crescimento real de apenas 0,4%, segundo pesquisa da Korn Ferry, por meio da divisão Hay Group.

Apesar do resultado “tímido”, o índice do Brasil é melhor do que em 2016, quando houve uma redução de 1,2% nos salários reais. O índice brasileiro fica bem atrás da média global, que registra ganhos de 2,3% nos salários reais.

Segundo a pesquisa, ainda não é possível identificar a recuperação do poder de compra do trabalhador no Brasil. As razões são um mercado ainda em transição, a instabilidade econômica e política e também alta volatilidade da inflação.

A América Latina não apresentou bons resultados por causa da inconstante inflação na região (10,9%). O aumento real nos salários, de forma geral, deve ser em torno de 1,1%. O destaque negativo é a Argentina com redução em 12,5% nos salários reais. (fonte: G1)

O aumento de salários e a falta de coerência

Embora o ano esteja apenas começando, as sessões da Câmara de Vereadores de Petrolina, mesmo que extraordinárias, já registram embates duros. A legislatura é nova, mas a acidez nos remete a um passado muito próximo.

Na oposição os vereadores Paulo Valgueiro (PMDB), Cristina Costa e professor Gilmar (ambos PT) já deram o tom: vão marcar em cima. E eles estão certíssimos.

Foram eleitos pela oposição e precisam mesmo fiscalizar o governo e as ações do prefeito Miguel Coelho (PSB). Aliás, fiscalizar e elaborar leis é papel de todo legislador, mas é preciso responsabilidade e coerência.

Cristina Costa e Paulo Valgueiro criticaram duramente o aumento dos salários do prefeito e dos secretários. A própria Cristina enviou nota pública dizendo que não concordou e nem votou no aumento dos salários dos vereadores.

Mas não se viu uma linha dos dois vereadores abrindo mão do próprio salário. Sim, mesmo quem não votou no aumento pode, sim, abrir mão desse ajuste. Espera-se do legislador e de toda autoridade política fiscalização, crítica, oposição ou qualquer item inerente a sua natureza política, mas se espera também que pratique o que cobra: coerência. De outra forma é apenas falácia, discurso e proselitismo político. Apenas isso.

Servidores da Saúde de Petrolina receberão salários atrasados até esta quinta

A Secretaria de Saúde de Petrolina anunciou nesta segunda-feira (9), que os salários dos servidores da pasta, atrasados desde dezembro, serão pagos até quinta-feira (12).

Conforme a nota, só os médicos não receberão agora. A pasta aguarda a chegada de novas receitas nos cofres municipais para quitar o atraso dos médicos até final do mês.

 

Paulo Afonso: Câmara Municipal aprova reajuste e prefeito passará a ganhar mais que Michel Temer

vereadores

A Câmara Municipal de Paulo Afonso, norte da Bahia, aprovou nesta quinta-feira (22) o aumento dos salários do prefeito, do vice-prefeito, secretários e vereadores da cidade. O prefeito, que ganhava R$ 20 mil, passa agora a ganhar R$ 33 mil, salário maior que o do presidente da República, Michel Temer, que recebe mensalmente R$ 26 mil.

Dos nove vereadores que participaram da votação, sete foram a favor do reajuste. Vereadores e secretários, que antes recebiam R$ 10 mil por mês, agora passam a ganhar R$ 12 mil. O salário do vice-prefeito, que era de R$ 11 mil, passa para R$ 14,8 mil.

De acordo com a promotora de Justiça da Bahia, Rita Tourinho, o município é desvinculado da esfera federal e tem autonomia para escolher os salários dos vereadores e prefeito, independente do salário do presidente da República.

A promotora também explicou que cabe ao prefeito ditar o teto, desde que não ultrapasse o salário dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), que em janeiro de 2017 passará a R$ 39 mil. Por lei, nenhum servidor pode receber salário maior que o de um ministro do STF. (fonte/foto: G1 -BA)

Terceirizados do IF Sertão-PE reclamam de atraso de salários

campus IF Sertão -PE PetrolinaFuncionários terceirizados do IF Sertão-PE/Campus Petrolina, no Bairro João de Deus, estão preocupados com o atraso de salários que atinge cerca de 17 trabalhadores. Em contato com o Blog, um trabalhador – que pediu para não ser identificado – denunciou que além do atraso de salários, os terceirizados também estariam com outras pendências nos direitos trabalhistas.

Estamos com muita dificuldade em receber nossos salários. Todos os meses é assim, mas agora já estamos com 50 dias de atraso. A empresa pagou apenas 30% do líquido, fora o FGTS, que só pagou o primeiro mês. A empresa tem histórico ruim e estamos com medo”,desabafou o funcionário.

Ainda segundo o terceirizado, o problema afeta cozinheiros, pedreiros, eletricistas, pintor, motorista e auxiliares contratados através da empresa Newtec – repsonsável pelo pagamento. O Blog entrou em contato com a assessoria de comunicação do IF Sertão-PE no final da manhã desta quinta-feira (22) para tentar esclarecer a situação.

Problemas na rede municipal de ensino em Casa Nova levam APLB/Sindicato a dar ultimato a prefeito

Professores e servidores da rede municipal de educação em Casa Nova, no norte da Bahia, não escondem a insatisfação com os constantes atrasos nos salários. De acordo com a APLB/Sindicato, que representa a categoria, o problema vem ocorrendo, apesar de não haver atrasos nos repasses do Fundo de Desenvolvimento da Educação Básica e Valorização do Magistério (Fundeb).
A entidade garante que isso se tornou ainda mais frequente após a derrota do atual prefeito Wilson Cota (PMDB) nas eleições municipais.
Segundo a APLB, no mês de outubro alguns professores receberam no final do mês, outros até o quinto dia útil e os funcionários apenas dia 10. No mês de novembro, alguns receberam dia 30, outros somente ontem (7), e muitos professores e funcionários ainda não receberam. Em outros casos, alguns educadores que possuem regime de 40 horas – até aqueles que possuem dois concursos públicos – receberam apenas por 20 horas semanais.
“É importante ressaltar que há também os atrasos nos pagamentos do transporte escolar, além da falta de merenda escolar, mesmo tendo entrado os recursos no montante de R$ 92.400.000,00 dos precatórios do Fundef e os repasses referentes à repatriação, e mesmo assim a prefeitura argumenta que não há recursos”, lamenta a APLB.
Calendário
A entidade informou também que há alunos que pagaram R$ 15,00 por semana para chegar às escolas, mesmo o Calendário Letivo não ter sido cumprido devido aos problemas elencados, que aliás foram denunciados ao Ministério Público pelo sindicato. Ainda assim, nada foi feito para a resolução do problema.
Depois de enviar à administração diversos ofícios que não tiveram resposta, a direção da APLB decidiu encaminhar mais uma vez documentos ao prefeito e aos secretários de Educação e de Finanças, alertando-os que, caso não nos seja dada uma resposta urgente, irá solicitar o bloqueio dos recursos até a próxima segunda-feira (12). “Se a prefeitura não consegue pagar uma folha, não há como pagar três, que são o salário de novembro, de dezembro e décimo terceiro salário, além do terço férias, que deverá ser pago até o início de janeiro”, frisou a APLB. Com a palavra, a prefeitura.

Exclusivo: Funcionários da Prefeitura de Petrolina recebem Bolsa Família mesmo com salários acima de R$ 2 mil

Prefeitura2

Criado na primeira gestão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (2003/06), o Programa Bolsa Família surgiu como uma espécie de ‘arrimo’ para pessoas em situação de pobreza – ou de extrema pobreza. O valor do benefício é definido de acordo com o perfil de cada família (entre R$ 85 e R$ 170), mas só recebe aquelas que estiverem devidamente cadastradas em programas sociais do governo federal e dentro de uma série de requisitos – entre estes, o de manter os filhos na escola. O problema é que nem sempre o Bolsa Família está chegando para quem precisa.

O Ministério Público Federal (MPF) investiga cerca de 870 mil beneficiários do programa, devido ao perfil econômico e social não bater com os requisitos do Bolsa Família (as informações podem ser conferidas no site www.mpf.gov.br).

Desse quantitativo, 4,53% estão localizados no Estado de Pernambuco, conforme dados estampados no link www.raioxbolsafamilia.mpf.mp.br.

Aprofundando ainda mais essas informações, a reportagem do Blog confrontou os dados fornecidos pelo Portal da Transparência da Prefeitura de Petrolina com os nomes de todos os servidores (efetivos, contratados e comissionados), e constatou o pior: em agosto deste ano, 264 servidores da administração municipal receberam o benefício, e no mês de setembro esse número reduziu para 142. Desses beneficiários, há casos de servidores com remuneração líquida de R$ 2.605,00 e outros passando dos R$ 3 mil – os quais não poderiam estar recebendo Bolsa Família.

Falha

A reportagem do Blog entrou em contato no dia de ontem (20) com a prefeitura para saber se houve algum tipo de falha no sistema de cadastramento do programa, que incluiu pessoas com salários bem acima dos critérios determinados pela prefeitura. Aguardamos uma resposta. Nossa equipe também procurou o Ministério Público Federal (MPF) em Petrolina sobre o assunto. A procuradora responsável ficou de agendar uma entrevista com o Blog.

Contratados da Secretaria de Saúde de Petrolina reclamam de atraso nos salários

secretaria saude petrolina_532x355Os servidores contratados pela Secretaria de Saúde de Petrolina andam preocupados. O motivo é que, até o momento, ainda não receberam o salário do último mês.

A informação repassada pelo Blog por uma funcionária é de que a Secretaria não dá um posicionamento concreto sobre a questão. “O que o pessoal da Secretaria de Saúde diz é que não sabe se o salário será pago”, afirmou a funcionária, em reserva.

O Blog já entrou em contato com a Secretaria sobre o assunto.

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br