Dormentes: Servidores da educação continuam cobrando da prefeitura salário de dezembro e direitos trabalhistas em atraso

Com salário de dezembro passado, décimo terceiro e terço de férias atrasados, os servidores da educação em Dormentes (PE), no Sertão do São Francisco amargam prejuízos até o momento. O ex-prefeito Roniere Reis deixou a gestão sem efetuar o pagamento, apesar de os recursos do Fundeb e da repatriação terem entrado nos cofres municipais para o pagamento de folha.

Em contato com o Blog, uma servidora (que prefere o anonimato) desabafou:

“Todas as prefeituras estão recebendo repasse do Fundeb para o pagamento dos profissionais da educação, vários municípios já efetuaram os pagamentos do mês de dezembro e janeiro, a exemplo de Afrânio que já efetuou todos os pagamentos dos servidores da educação. Por que só Dormentes não paga?”.

Com a palavra, a atual gestão municipal.

Servidores municipais de Dormentes e Santa Filomena ficam sem salário de dezembro

Os servidores municipais de Dormentes (PE), Sertão do São Francisco, e de Santa Filomena (PE), Sertão do Araripe, encerraram 2016 com um aborrecimento e tanto. Simplesmente eles não receberam o salário referente ao mês de dezembro.

Este Blog obteve a informação que a Prefeitura de Dormentes recebeu do Governo Federal aproximadamente o valor de R$ 4.940.650,23, enquanto a de Santa Filomena teve algo em torno de R$ 4.179.148,93.

Esses valores estão disponíveis no Portal da Transparência do Banco do Brasil. Mesmo com tanto dinheiro para as duas prefeituras, destinado ao pagamento das contas e, em especial, à folha dos servidores, os prefeitos Roniere Reis (Dormentes) e Pedro Gildevan (Santa Filomena), que já encerraram seus respectivos mandatos, estão deixando essa conta para seus sucessores.

Eleita pela primeira vez, vereadora de cidade baiana promete doar 100% do seu salário quando assumir cargo

eleiçõesEleita pela primeira vez vereadora de Conceição do Coité, Juçara de Mário (PT) – como popularmente é conhecida a bancária aposentada Juçara Silveira – assinou um documento, durante sua campanha eleitoral, registrado em cartório, que garante a doação de 100% do salário de vereadora. O montante é de R$ 7 mil.

 A petista ficou na 7ª colocação na cidade, com 1.379 votos, de um universo de mais de 49 mil eleitores.  O montante será dividido na seguinte proporção: 80% serão doados para a construção de uma casa do idoso e 20% para instituições que cuidem de animais abandonados no município.

De acordo com entrevista ao Site Calila Notícias, Juçara vai buscar uma contabilidade para que cuide do repasse. “Para o meu mandato ser transparente, farei com que algum setor de contabilidade acompanhe a aplicação desses recursos. A mediação não será feita por mim”, enfatizou.

A campanha da novata não foi de encher os olhos em termos de logística, como os demais concorrentes. Os motes foram as redes sociais, distribuição de santinhos e visitas porta a porta. (fonte: Bocão News)

Casa Plínio Amorim aprova salário de R$ 1.727,43 de conselheiros tutelares

Conselho TutelarCom a presença maciça dos conselheiros tutelares em plenário, os vereadores da Casa Plínio Amorim aprovaram na noite de ontem (15) o piso salarial dos profissionais que integrarão o segundo conselho em Petrolina. O valor ficou em R$ 1.727,43.

A Casa já havia aprovado esse segundo conselho, uma vez que o município – pelo atual número de habitantes, em mais de 300 mil – já comportaria inclusive até um terceiro órgão. Pela proposta enviada pelo Executivo, o salário dos conselheiros seria rateado. Inicialmente o valor previsto era de pouco mais de R$ 900,00, o que gerou muito barulho, levando o presidente da Casa, Osório Siqueira, a protelar a votação.

Na sessão de ontem o projeto não constava na pauta, mas acabou entrando de última hora. O salário aprovado dos conselheiros equivale ao cargo comissionado de diretor na Prefeitura de Petrolina.

Vereadora de Afrânio diz que município paga pior salário a agentes comunitários de saúde

prefeitura afrânioDepois de direcionar críticas à administração municipal de Afrânio (PE), no Sertão do São Francisco, em relação aos servidores da educação, a vereadora Marlene Perón agora dispara quanto à “desvalorização” dos agentes comunitários de saúde. Numa nota enviada ao Blog, ela afirma que a categoria recebe o pior salário da região.

Acompanhem:

A administração municipal de Afrânio não é um céu de brigadeiro, como tentam “vender” a imagem por aí afora. Muito pelo contrário! Além dos professores da rede municipal, conforme denunciado recentemente por esta vereadora, outra categoria desprestigiada na atual gestão do Município é a dos Agentes Comunitários de Saúde, os quais recebem apenas o piso salarial determinado por Lei Federal, no valor de R$ 1.014,00.

Realidade lamentável, sobretudo quando comparada ao vizinho Município de Dormentes, do mesmo porte do nosso, que valoriza os ACS’s, pagando gratificação de produtividade e adicional de insalubridade, os quais elevam o salário da categoria para mais de R$ 1.600,00.

A disparidade é ainda maior se comparada ao Município de Petrolina, cujo salário dos ACS’s chega a R$ 1.800,00 com o adicional de insalubridade e a gratificação pelas metas atingidas.  Muito triste ver a desvalorização desta tão importante categoria, que tem a atribuição de levantar as necessidades de saúde da população e assim buscar a melhoria da qualidade de vida e saúde dos munícipes. Falar é fácil. A realidade da administração da nossa querida cidade, no entanto, é bem diferente da propagada!

Marlene Perón/Vereadora de Afrânio

Prefeito de Dormentes reduz novamente seu próprio salário e o da sua equipe

Roniere4Preocupado com o arrocho financeiro pelo qual atravessa o país, o prefeito de Dormentes (PE), Roniere Reis (PSB), vem procurando fazer sua parte. Ele reduziu mais uma vez seu próprio salário, o do vice, dos secretários e de todos os cargos comissionados da administração.

O detalhe é que o prefeito não determinou prazo para revogar sua decisão. No ano passado, Roniere já tinha tomado essa mesma decisão, que vigou de junho a dezembro.

Temendo a crise, prefeito de Cabrobó reduz o próprio salário e do vice em 20%

Auricélio Torres pref de CabrobóEm meio à crise financeira que atinge vários municípios brasileiros, o prefeito de Cabrobó (PE), no Sertão do São Francisco, Auricélio Torres (PSB), decidiu dar o exemplo e reduziu em 20% seu próprio salário e do vice, Romero Gomes.

As medidas foram tomadas através de um decreto assinado na última semana. No documento, o gestor também anuncia outras medidas de contenção de despesas, como redução de diárias, gratificação em 30%, redução de contratos temporários, entrega de imóveis locados e até redução de combustíveis.

Auricélio afirmou que essas decisões foram tomadas porque houve uma diminuição no Fundo de Participação dos Municípios (FPM), além de uma queda drástica na arrecadação do imposto sobre serviços de qualquer natureza (ISS), arrecadado pelo município nas obras da transposição do Rio São Francisco.

Criticado por vereadores de oposição, o gestor lançou o desafio e sugeriu que os vereadores da Câmara também reduzam seus salários para ajudar as contas do município. “Além dos prefeitos, tem muitos vereadores também reduzindo o próprio salário. Aqui a prefeitura repassa todo dia 20 o salário deles [vereadores] e eles recebem antes de todos os outros funcionários. São mais de R$ 202 mil que a prefeitura repassa todo mês. Se eles quiserem ajudar, poderiam fazer o mesmo”, sugeriu.

Em Ipubi, prefeito dá o exemplo diante da crise e reduz 10% do seu salário

joão marcosEm tempos de crise, o prefeito de Ipubi (PE), João Marcos Siqueira, dá o exemplo para os demais gestores do Sertão do Araripe e de todo o estado. Ele decidiu reduzir em 10% o valor do seu salário e também o do vice-prefeito, secretários e cargos comissionados. Isso mesmo.

A medida, segundo Siqueira, tem em vista “garantir o bom andamento e a ordem das contas públicas” do município. O prefeito acredita que a administração deverá fazer uma boa economia a partir de sua decisão. (fonte: Ouricuri em Foco/foto reprodução)

Remendo pior que o soneto: Líder do João de Deus tenta explicar salário na Saúde, mas só se enrola

patrícia-e-milton-joao-de-deusDenunciado ontem (6) na Casa Plínio Amorim pelo vereador José Batista da Gama (PDT) de receber salário como vigilante na Secretaria de Saúde de Petrolina, o líder comunitário do bairro João de Deus, Milton Macedo, tentou justificar o injustificável. E como já se esperava, o remendo saiu pior que o soneto.

Ao participar do programa ‘Manhã no Vale’, da Rádio Jornal, nesta sexta-feira (7), Milton admitiu que tem cargo na Secretaria de Saúde. Mas ao ser perguntado qual o horário em que trabalha no órgão, ele simplesmente se recusou a revelar. Oi? Como assim?

O líder comunitário do João de Deus, que é cargo comissionado na prefeitura, não quis dizer que horas bate o ponto na Secretaria de Saúde. É isso mesmo que você entendeu, caro leitor.

Seria cômico, não fosse trágico. Milton, assim como os demais “pseudo-líderes comunitários”, como bem disse o vereador José Batista da Gama, zomba da cara do contribuinte petrolinense, que paga o salário dele na administração pública. Portanto ele, enquanto servidor público, tem obrigação, sim senhor, de prestar essa e outras informações.

É até compreensível que Milton seja um pai de família e tem “contas a pagar”, como argumentou ao programa ‘Manhã no Vale’ para explicar o cargo que exerce. O fato de trabalhar para a prefeitura não tem nada demais. Porém, Milton tem de deixar dessa balela de que é líder comunitário. Não é coisa nenhuma.

Não dá para assobiar e chupar cana ao mesmo tempo. Se Milton fosse de fato líder comunitário, não seria cargo comissionado do prefeito Julio Lossio. Se é cargo comissionado, automaticamente deixa de ser líder comunitário. Uma coisa anula a outra. E mais: se é cargo comissionado, tem de cumprir horário. Não pode ganhar sem trabalhar.

Vale ressaltar, no entanto, que na cidade existem pessoas realmente preocupadas com suas comunidades, que exercem essa função em sua essência, sem interesses escusos. Ainda bem.

Antonio Carlos Miranda

Correios realizarão concurso público com vagas para Pernambuco

Correios PetrolinaOs Correios estão finalizando os ajustes para a publicação do edital de abertura de concurso público para cerca de 2 mil vagas e formação de cadastro de reserva para o cargo de agente de Correios, nas atividades de carteiro e operador de triagem e transbordo (OTT). As informações são da assessoria de imprensa do órgão.

Os Correios ainda não informaram quando o edital do concurso será publicado, portanto ainda não há informações sobre prazo de inscrições e data das provas. Segundo órgão, a previsão é que os demais detalhes do concurso sejam divulgados até o final do próximo mês.

As oportunidades serão para os estados de Amazonas, Bahia, Minas Gerais, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pernambuco, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e no Distrito Federal.

Do total de vagas, 10% serão reservadas para pessoas com deficiência (PCD) e 20% para pessoas pretas e pardas (PPP). (Os termos preto e pardo são os utilizados oficialmente pelo IBGE).

Os candidatos aprovados nas provas de conhecimento serão submetidos a teste de esforço e, posteriormente, o exame médico admissional.

Salário

O salário inicial para os operadores de triagem e transbordo, somado à gratificação (GIP), chega a R$ 1.284. No caso dos carteiros, soma-se ainda o adicional de distribuição, elevando a remuneração para R$ 1.620,50.

Os admitidos terão benefícios como vale-alimentação/refeição (de R$ 971,96 a R$ 1.092,48), vale-transporte, auxílio-creche ou auxílio babá, além de adicionais – de acordo com o Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS) – e a possibilidade de adesão ao Plano de Previdência Complementar. (fonte: G1-SP)

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br