Vereadores de Petrolina marcam reunião para discutir relação e evitar novos desgastes

Diante de tantos embates, com colegas interferindo no discurso do outro sem pedir aparte ou solicitando e falando mais que o orador da vez, o líder da bancada governista na Casa Plínio Amorim, vereador Ruy Wanderley (PSC), Ruy Wanderley (PSC), quer fazer o papel de ‘bombeiro’ para manter a paz e garantir que o Regimento Interno do Legislativo seja cumprido, a fim de evitar desgastes na Casa.

Ruy tem usado a sua experiência (já presidiu a Câmara) para tentar botar ordem na Casa e resolveu chamar o líder da oposição para discutir a relação entre os colegas parlamentares. Assim ele espera cessar os embates. “Ando muito preocupado com essa clima de embate e decidi chamar o vereador Paulo  Valgueiro (PMDB), líder da oposição na Casa, para saber de que forma podemos ajudar a parar com esse clima pesado no Legislativo Municipal. Temos que discutir melhor essa situação junto às bancadas. Que o tratamento na Casa seja igual para quem for de oposição ou situação”, disse o líder governista.

Ruy frisa que os ataques devem ser combatidos e que a Mesa deve ter o controle ao dar a palavra ao colegas. “Eu quero cumprir o Regimento, mas o colega pede o aparte e toma o tempo todo que tenho. Se não discutir, vamos ter que deixar de dar o espaço ao colega. Se cumprirem o Regimento, não há embate, mas usar toda hora questão de ordem e querer falar na hora que quer, isso não pode continuar”, assinalou o líder do governo.

 O líder frisa que discussões vão existir sempre, mas tem que ter respeito um pelos outro. “Temos que ajudar também o presidente a continuar a sessão sem problemas, nem que tenha que cassar a fala. Vamos cumprir o regimento e o desempenho irá melhorar muito na Casa”, ressaltou Ruy Wanderley.

Comissão de Ética

Perguntado sobre em que pé anda a implantação da Comissão de Ética da Câmara para barrar os exageros nas discussões dos vereadores na Casa, Ruy disse que o presidente, vereador Osório Siqueira (PSB), já comunicou que será instalada e está formalizando a sua composição. “Estamos aguardando a escolha dos nomes, mas os vereadores precisam ter consciência que precisam melhorar também”, concluiu o líder da situação.

Ruy Wanderley volta a negar ‘bola nas costas’ de sua bancada e garante que Governo Miguel Coelho “está protegido”

O líder da bancada governista na Casa Plínio Amorim, Ruy Wanderley (PSC), se disse tranquilo quanto às recentes divergências criadas no grupo, sobretudo após a decisão do seu colega Ronaldo Cancão (PTB) em entregar ao governador Paulo Câmara (PSB), semana passada, em Ouricuri (PE), dois relatórios oriundos de audiências públicas sobre a violência em Petrolina. Na sessão da última terça (9), o líder cutucou publicamente Cancão por ter tomado a decisão “de forma isolada”. Cancão devolveu a crítica, tachando-o de “retrógrado”.

Na quarta (10) ele se reuniu com os demais companheiros, mas descartou que o teor do encontro tenha sido “para aparar arestas”, como divulgado pela imprensa. Ruy descartou também que na pauta tenham sido incluídos os requerimentos da oposição aprovados pelos governistas.

“Nós definimos que entre o dia primeiro e dia 10 de cada mês, teríamos uma reunião de avaliação do mandato, da postura de cada um e dos trabalhos no Legislativo. Colocaram que foi uma reunião às pressas, e não foi isso”, assegurou, como inclusive já tinha comentado ao Blog sobre essas reuniões. Mas o líder argumentou que a harmonia presente nesses encontros precisa também ser demonstrada na Câmara Municipal. “Se a gente consegue interagir, por que não colocar em prática dentro da Casa? claro que cada um tem sua posição, e precisamos respeitar. Mas temos de respeitar uns aos outros, independente se somos da oposição ou da situação”, ponderou.

Sobre os requerimentos apresentados pela bancada da oposição, também aprovados pelos governistas, Ruy negou que sua bancada esteja levando “bola nas costas”. O último deles foi a convocação da secretária Lucivane Lima (Finanças), em apenas quatro meses da atual gestão municipal. Essa questão, segundo Ruy, também foi deliberada na reunião de anteontem. “Aquele que é uma figura pública e não quer dar satisfação enquanto secretário ou vereador, ele não assuma cargo nenhum”, afirmou.

Proteção

O líder argumentou ainda que há requerimentos que a bancada tem de rejeitar, mas outros em que também precisa aprovar, e precisa manter um meio-termo, porque tem colegas – segundo ele – “que rejeitariam tudo”. Ruy frisou ainda que levou esse assunto ao próprio prefeito Miguel Coelho (PSB). “Ele nos deu a responsabilidade avaliar o que poderia ser votado ou não. Eu sou líder do governo, e aqui não vai prevalecer a vontade de Ruy Wanderley, e sim a vontade do prefeito. Então, essa sintonia entre Miguel Coelho e a bancada eu tenho de ter. No dia que eu não quiser mais fazer a vontade de Miguel Coelho, eu peço pra sair da liderança”, analisou. Reforçando sua afirmação, o líder governista garantiu que todos os secretários de Miguel terão a proteção da bancada.

Ruy Wanderley critica Cancão, que rebate: “Retrógrado”

A sessão desta terça, 9, vivenciou mais um capítulo da celeuma da entrega do relatório das audiências públicas sobre segurança, de autoria do vereador Ronaldo Cancão (PTB). Ao se defender da nota da oposição que atribuiu a ele a prática de um ‘parlamentarismo individualista’ na Câmara Municipal de Petrolina, Cancão aproveitou também para responder ao líder de sua bancada, Ruy Wanderley (PSC), o qual tinha registrado que não foi correta a atitude do petebista, mesmo por uma boa causa, num típico comportamento de ‘fogo amigo’.

(mais…)

Ruy Wanderley assume erro em votação de requerimento contra o governo, mas nega que tenha levado ‘bola nas costas’

O líder do governo na Câmara Municipal de Petrolina, vereador Ruy Wanderley (PSC), disse nesta terça-feira, 21, em seu discurso na tribuna da Casa Plínio Amorim, que assumia o erro por votação de requerimento do integrante da bancada de oposição, Paulo Valgueiro (PMDB), que contou com os votos da situação para ser aprovado na última quinta, 16. Entretanto o líder discorda de que tenha levado uma ‘bola nas costas’, termo usado em matéria postada neste Blog pelo descuido dos governistas.

“Não foi bola nas costas de forma alguma. Como líder, assumo o erro. Estou no comando da bancada com a confiança do prefeito Miguel Coelho. Tenho minha responsabilidade como líder. Não estaria aqui se por acaso achar que algo poderia ferir minhas convicções. Sempre falo como penso com o prefeito, porque acho que discordar é normal. Nessa liderança, o prefeito nunca me pediu nada que eu não pudesse fazer”, assinalou.

O requerimento de Valgueiro solicita declaração de renda e de domicílio eleitoral dos secretários municipais. Para Ruy, é direitos do vereador pedir informações. “Aprovar ou não, faz parte. Todos têm esse direito, sim”, justificou o líder governista.

Líder governista na Casa Plínio Amorim diz que vai promover reuniões quinzenais com bancada

De volta à Casa Plínio Amorim após ter ficado oito anos sem mandato, o veterano Ruy Wanderley (PSC) pretende passar um pouco de sua experiência aos aliados base governista – tanto a de quando foi vereador quanto a do tempo em que ficou afastado. O líder da bancada contou que pretende promover reuniões quinzenais com seus pares.

A primeira já pode acontecer ainda esta semana ou depois do Carnaval de Petrolina. O objetivo, segundo Ruy, é não apenas orientar os novatos da Casa, como também pedir sugestões sobre sua condução como líder da bancada.

Por falar nisso, ele disse ser muito cedo para avaliar o comportamento da bancada oposicionista e a dele próprio. O vereador assegurou que naturalmente as críticas do lado adversário serão mais contundentes. No entanto, “nada ficará sem resposta”, garantiu. Ruy só não aceita críticas antes da hora. “Em menos de 30 dias já estão cobrando deste governo questões como a situação da saúde no interior”, alfinetou.

Vereador Ruy Wanderley garante que prefeito Miguel Coelho ajustará equipe, caso seja necessário

Motivo de muitas discussões há cerca de duas semanas na Casa Plínio Amorim, o ‘Nova Semente’ de Petrolina voltou à berlinda na sessão plenária de ontem (16), após questionamentos do vereador oposicionista Domingos de Cristália (PMDB), sobre o fechamento de uma creche do programa no povoado rural de Izacolândia – base eleitoral do vereador – e do Bairro Dom Avelar, na zona norte, além de denúncias acerca da demissão de oito pedagogas da unidade do Jardim Imperial. Mas ao sair em defesa do governo, o líder da bancada na Casa, Ruy Wanderley (PSC) chamou atenção pelo seu posicionamento.

Mesmo ressaltando que o prefeito Miguel Coelho (PSB) “está inteirado” dos problemas não só no Nova Semente, como também em outros setores do município, ele afirmou que o socialista vai “cobrar resultados” de sua equipe porque a população também irá cobrar do gestor e dos seus aliados na Câmara Municipal.

Ruy deixou claro que ainda é cedo para avaliações, embora Miguel já tenha realizado no dia de hoje (17) a terceira reunião de monitoramento do seu secretariado. Uma análise mais precisa deverá acontecer no balanço dos cem primeiros dias de gestão, em abril próximo. E o líder governista não descartou “ajustes” no time de Miguel.

“Nos cem dias essa avaliação será feita para ver se houve avanços, se está dentro do que o governo espera dos seus auxiliares. Se estiver, vamos embora, mas se tiver que ajustar, vai ajustar. Agora, o governo não comunga com injustiças”, garantiu o líder da bancada. “O Governo Miguel Coelho está pronto para trabalhar, e o prefeito está trabalhando muito. Ele está saindo, muitas vezes, meia-noite da prefeitura, ouvindo secretários, ouvindo a população, para fazer um trabalho que possa dar resultado ao povo de Petrolina”, completou Ruy.

Ainda é incerta a participação de tradicional cortejo afro no Carnaval de Petrolina

Representantes de entidades afros de Petrolina, como a Associação dos Povos de Terreiros e Clubes Afro – ONG que tradicionalmente abre o Carnaval na cidade -, estiveram nesta terça-feira, 14, na  CAsa Plínio Amorim. Eles foram solicitar o apoio dos vereadores para que não fiquem de fora da festa este ano. O grupo alegou que até o momento não houve qualquer contato por parte da Secretaria de Cultura, Esportes e Turismo, responsável pelo evento, para incluir a manifestação cultural na grade de programação oficial da folia,

A programação da festa será lançada nesta quarta, 15, pelo prefeito Miguel Coelho, em coletiva de imprensa marcada para 10h no auditório do Sebrae, Centro de Convenções Nilo Coelho. Os grupos têm como base duas leis aprovadas na Câmara,as quais garantem seu direito de participar do evento.

Uma é de autoria da hoje secretária de Cultura e vereadora licenciada, Maria Elena Alencar (PSB). A outra lei é da vereadora Cristina Costa (PT), que garante a presença das entidades e manifestações negras nesses mesmos eventos. Conforme o líder do governo, vereador Ruy Wanderley (PSC), é louvável que agora os artistas da terra possam ter essa espaço – conforme a lei de Maria Elena, garantindo 50% da presença deles em eventos com recursos municipais.

“O nosso colega de bancada, vereador Aero Cruz, ficou de trazer essa resposta dos grupos afro para a vereadora Cristina Costa, que fez a solicitação em aparte durante o discurso de Aero. Vamos torcer para que seja uma festa bonita e que todos possam ter seu espaço”, assinalou Ruy Wanderley.

Caso de adolescente morta durante parto no HDM/Imip leva vereadores a pressionar por Maternidade Municipal de Petrolina

 

O caso da adolescente Adriana Silva, de 17 anos, que morreu na última sexta-feira, 10, durante o parto no Hospital Dom Malan (HDM)/Imip, em Petrolina, ocupou parte dos debates da sessão desta terça-feira, 14, da Câmara Municipal. A vereadora Cristina Costa (PT) apresentou requerimento às Comissões de Saúde e de Direitos Humanos da Casa Plínio Amorim e ao Juizado da infância, solicitando a implantação urgente da maternidade municipal para desafogar a unidade médica.

O requerimento foi solicitado também ao município, cobrando prazo para construção da maternidade municipal, que deve ocupar o antigo prédio da Secretaria de Saúde.

(mais…)

Prefeito Miguel Coelho inicia vistoria de unidades do CMEI e Nova Semente

Após anunciar uma reestruturação do Programa Nova Semente, que tem gerado muito debate, o prefeito de Petrolina Miguel Coelho (PSB) iniciou nesta terça-feira, 7, uma vitoria nas unidades do programa e nos Centros Municipais de Educação Infantil (CMEI). As visitas foram acompanhadas pela secretária  municipal de Educação, Maéve Melo. Foram visitados os equipamentos dos bairros Jardim São Paulo e Quati. Segundo o prefeito, o objetivo é analisar as condições estruturais dos equipamentos para as atividades pedagógicas que iniciam no dia 20 de fevereiro. (mais…)

Aero Cruz enaltece postura de colegas após ser nomeado para relatoria de comissão na Casa Plínio Amorim

Depois da pequena ‘novela’ em torno da Comissão de Finanças, o vereador estreante Aero Cruz (PSB) não escondeu a satisfação de ter sido nomeado relator. Seu colega Osinaldo Souza (PTB), que também disputava o cargo, ficará como secretário da Comissão.

Mas essa ‘engenharia’ só foi possível graças ao fato de o líder da bancada governista Ruy Wanderley (PSC) ter desistido do cargo que ficou com Osinaldo. E Aero soube reconhecer a postura não só do seu colega de bancada, como também do presidente da Comissão, Ronaldo Silva (PSDB), e do próprio Osinaldo.

“O importante é que foi resolvido e vamos agora fazer o melhor para Petrolina. Tivemos o apoio tanto de Ronaldo quanto de Ruy e também de Osinaldo, porque não poderíamos mais continuar com esse impasse”, declarou Aero.

Miguel confirma Ruy Wanderley como novo líder de governo da Casa Plínio Amorim

O vereador Ruy Wanderley (PSC) foi confirmado, nesta terça-feira (17), como novo líder de governo na Casa Plínio Amorim. Ruy foi recebido pelo gestor nesta manhã, no gabinete da Prefeitura.

Na conversa, Miguel colocou a importância da atuação independente, mas responsável, da Câmara para superar as dificuldades que a administração municipal enfrenta. “A gente espera primordialmente união, trabalho, compromisso e respeito com as leis e o povo de Petrolina. Para superar os grandes desafios que encontramos em nossa cidade, é necessário também a participação dos vereadores e Ruy será fundamental nesse processo de relação harmônica na Casa Plínio Amorim”, ressaltou o prefeito após o encontro.

Ruy Wanderley entra no seu quarto mandato na Câmara de Vereadores de Petrolina, após receber 1.355 votos. Presidente do Partido Social Cristão (PSC), Ruy já comandou a Casa Plínio Amorim entre os anos de 2003 e 2004 e assume agora a posição de líder do Governo em busca de uma relação estreita entre os dois poderes. “O prefeito Miguel Coelho nos garantiu que vamos ter uma maior interação entre a Câmara e a Prefeitura, colocando-se, inclusive, sempre aberto a ouvir tanto os vereadores como a população que nós representamos“, resumiu o novo líder do governo.

Osório tem confronto com Ruy Wanderley em sessão extraordinária da Câmara

Parece que a nova legislatura da Câmara de Petrolina terá embates entre ex-presidentes. Na sessão extraordinária ocorrida nesta quinta-feira, 5, para a votação de projeto que muda nomes das secretarias municipais do Governo Miguel Coelho (PSB), de autoria do Poder Executivo, o vereador Ruy Wanderley (PSC), que já presidiu a Casa Plínio Amorim, deu um puxão de orelha no atual presidente do Legislativo Municipal, vereador Osório Siqueira (PSB), alertando sobre o Regimento da Casa.

Ruy deu uma bronca no comandante da Mesa Diretora por ter permitido que a discussão sobre o projeto se prolongasse de forma que poderia ferir o Regimento. “Peço ao nobre presidente que da próxima vez cumpra o Regimento Interno da Casa. O projeto já tinha sido aprovado em primeira votação, então não precisaria passar para segunda e terceira discussão e colocar colegas para debater mais de uma vez. Dessa vez passa, mas vamos seguir o que rege essa Casa”, disse Rui.

Osório, que parece não ter ficado satisfeito com a crítica do colega, acelerou a votação da matéria em segunda discussão e encerrou logo a sessão, que tinha iniciado às 10h e já passava do meio-dia. Perguntado se teria achado um puxão de orelha nele a observação do companheiro de Legislativo, Osório desconversou, mas alfinetou.

“Não achei que tenha sido puxão de orelha, até porque não estou aqui para levar puxão de orelha nem do vereador Rui Wanderley nem de ninguém. Eu tinha solicitado a discussão da matéria logo após que ela entrou na pauta de votação, ninguém havia se pronunciado para debater. Na segunda discussão a vereadora Cristina Costa se inscreveu e os demais passaram a querer discutir também. Não descumpri o Regimento, apenas deixei alguns colegas aproveitarem o momento e se pronunciassem. Nada que ferisse o Regimento. Cada um diz o que quer. Tem gente que faz questionamento para arranhar alguém, mas não me sinto arranhado não”, registrou Osório. (Foto: Ascom Câmara)

De volta à Casa Plínio Amorim, Ruy Wanderley cobra respostas para Caso Beatriz

De volta à Casa Plínio Amorim depois de oito anos, o vereador Ruy Wanderley (PSC) solicitou no dia de sua posse na Casa Plínio Amorim, no último domingo (1), ao presidente eleito da Mesa Diretora, Osório Siqueira (PSB), que cobre do Governo de Pernambuco as respostas que a sociedade petrolinense espera sobre o crime que abalou a região: o da menina Beatriz Angélica Mota.

Beatriz foi brutalmente assassinada na noite de 10 de dezembro de 2015, durante uma festa de formatura no Colégio Maria Auxiliadora, onde estudava. Ela tinha apenas sete anos. Ruy afirmou que a Secretaria de Defesa Social (SDS) precisa desvendar esse crime, que está prestes a completar um ano e um mês. Nesta terça-feira (3) a delegada da Polícia Civil, Gleide Ângelo, nova responsável pelo caso, chega a Petrolina junto com sua equipe para levantar as informações apuradas até o momento e continuar as investigações.

De volta à Casa Plínio Amorim, ex-presidente Ruy Wanderley fala em geração de emprego e abastecimento d’água

ruy-wanderley

Quem está de volta à Casa Plínio Amorim é o Professor Ruy Wanderley (PSC). Conhecedor do Legislativo Municipal, ele até já presidiu a Mesa Diretora. Mas na última sexta-feira (16), na cerimônia de diplomação dos eleitos de Petrolina, parecia até que tinha conquistado seu primeiro mandato.

Já em relação à suas bandeiras de luta, Ruy quer mostrar de fato ‘sangue novo’. Disse que vai brigar por políticas de geração e renda em Petrolina e para fazer valer uma lei do ano de 2007, referente à questão da água e esgoto. “Vou lutar para que a gente possa ter água tratada nos quatro cantos da cidade”, afirmou.

De volta à Casa Plínio Amorim Ruy Wanderley fala em elevar debate e garante que Miguel não receberá só elogios

ruy-wanderley

Após oito anos longe da Casa Plínio Amorim, o Professor Ruy Wanderley (PSC) está de volta. Eleito com 1.355 votos no último domingo (2), ele será um dos 23 vereadores que irão compor a próxima legislatura, a partir de fevereiro de 2017. E não só isso: ajudou a eleger o último da lista, que também é do seu partido – Rodrigo Araújo, filho do ex-vereador Durval Araújo.

Mesmo sendo apenas o 22º mais votado, Ruy não escondeu a satisfação de retornar ao Legislativo Municipal. “Ao longo desses dois anos pavimentamos nossa candidatura, com a composição excepcional do nosso partido e da coligação. Não é fácil, após oito anos, voltar. E numa eleição disputadíssima, com mais de 300 candidatos”, comemorou.

Realista, Ruy admitiu que, após tanto tempo afastado, essa seria sua última chance de conseguir retornar à Casa do Povo, onde chegou até a ser presidente da Mesa Diretora. Cumprida essa etapa, o vereador eleito quer, agora, fazer o que sempre fez: continuar servindo a Petrolina.

Vamos levar à Casa Plínio Amorim um debate de qualidade, que possa fazer com que a população nos enxergue como a melhor opção em contribuir para melhorar a qualidade de vida do povo petrolinense”, pontuou.

Debates elevados

Perguntado sobre o desgaste vivido pelos vereadores da atual legislatura, Ruy disse que pretender colocar em prática sua experiência de Casa e chamar os pares no intuito de promover debates elevados, a partir do ano que vem. “O debate tem que vir para agregar, para mostrar à população o que nos propusemos na campanha. Mas sem açodamentos ou questões pessoais”, avaliou.

Miguel Coelho

Sobre o fato de o prefeito eleito Miguel Coelho (PSB) não ter conseguido maioria na Câmara Municipal, Ruy disse não ver problemas. Até porque, segundo ele, tem um bom relacionamento com colegas eleitos por outras siglas partidárias. “Já comecei a conversar com três companheiros que tenho acesso. Vamos trabalhar para que a gente possa ter a maioria na Câmara e aprovar os projetos do nosso prefeito (…)Até o início da nova legislatura eu tenho certeza que teremos uma quantidade significativa de vereadores somando com a bancada dos 11 (governistas)”, pontuou.

Quanto à administração do novo prefeito, o vereador eleito vê com boas expectativas de que ele faça uma grande gestão, porque conhece na “palma da mão” os problemas Petrolina. Além disso, tem força política suficiente para isso – através do Governo de Pernambuco e também na esfera federal, através do seu pai e do irmão, respectivamente o senador Fernando Bezerra e o ministro das Minas e Energia Fernando Filho.

Isso não quer dizer, no entanto, que Miguel receberá apenas confete e serpentina da base aliada – como ocorreu nos dois mandatos do atual prefeito Julio Lossio. “A Câmara tem de respeitar o Executivo, mas tem também de cumprir o seu papel”, afirmou.

Mesa Diretora

Perguntado se tem pretensões quanto à eleição que irá definir a nova composição da Mesa Diretora, Ruy disse achar cedo ainda essa discussão. Mas jogou o favoritismo para Osório Siqueira (PSB), que obteve quase 4.800 votos dos petrolinenses – até hoje, o vereador com a maior votação para a Casa Plínio Amorim.

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por agencialaguz.com.br