Casa Plínio Amorim aprova moção de aplausos ao Blog por campanha de combate à violência contra mulher; petistas votaram contra

Os vereadores da Casa Plínio Amorim aprovaram na sessão plenária desta terça-feira (6) uma moção de aplausos ao Blog, por conta da Campanha ‘Amor sem Violência’, que pretende mobilizar a sociedade petrolinense contra os casos de agressão às mulheres.

A moção, de autoria do vereador Ronaldo Silva (PSDB), foi subscrita pelos colegas Ibamar Fernandes (PRTB) e Aero Cruz (PSB). Apenas os dois vereadores do PT, Cristina Costa e Gilmar Santos, votaram contra a proposta. (Foto/arquivo Blog)

Aliado de Miguel Coelho, Ronaldo Silva questiona secretária de Saúde sobre “carnaval de alugueis” da pasta

Aliado do prefeito Miguel Coelho (PSB), o vereador Ronaldo Silva (PSDB) se comportou quase como um oposicionista na hora dos questionamentos dos vereadores à secretária de Saúde de Petrolina, Magnilde Albuquerque. A gestora esteve na Câmara Municipal nesta quinta-feira, 1º, apresentando o relatório do primeiro quadrimestre da prestação de contas da Pasta.

Ronaldo pediu esclarecimentos sobre 14 alugueis que ainda seriam fruto da gestão anterior, e que permanecem na folha de pagamento da secretaria municipal. Num desses imóveis, o aluguel é de R$ 20 mil mensais. Ele avaliou tal despesa como desnecessária, já que o órgão poderia receber muitos dos serviços que estão ocupando os imóveis alugados.

“Eu creio que esses contratos devam ser revistos, ser feito o destrato. Tem imóvel, como a Casa de Apoio no Recife, que custa um absurdo. Então espero que a secretária reveja, ocupe espaços na estrutura pública da secretaria e acabe com esse carnaval de aluguéis”, enfatizou Silva.

Sobre o porquê de fazer um questionamento que poderia causar uma ‘saia justa’ à titular da Saúde, já que apoia o governo, o tucano disse que em primeiro lugar está “ao lado do povo”, seja que prefeito for. “Eu nunca tive lado, eu estou ao lado do povo. O que é errado, seja qual for o prefeito, estou aqui é para fazer as críticas construtivas, e não destrutivas”, disparou Ronaldo Silva.

“Paulo Câmara mentiu e fez o prefeito Miguel Coelho mentir também”, alfineta Ronaldo Silva

O vereador Ronaldo Silva (PSDB) foi à tribuna da Câmara de Petrolina na sessão plenária desta terça, 30, e abriu o verbo. Ele estava na bronca com o governador Paulo Câmara (PSB). O tucano não poupou o socialista e cobrou veementemente a verdade sobre a conclusão da obra da Praça da Juventude do Bairro João de Deus, na zona oeste, que se arrasta há oito anos.

Ronaldo acusou o governador de “mentir” sobre a intervenção, que é uma das mais aguardadas da cidade. E mais: ele disse que o prefeito Miguel Coelho (PSB) também foi induzido a mentir, diante da promessa não cumprida do chefe do Poder Executivo estadual.

“O senhor governador mentiu para a população do Bairro João de Deus, para o prefeito Miguel Coelho, e fez o prefeito também mentir para a população. Disse que entregaria a Praça da Juventude em março. Que março? Uma obra que é uma vergonha para o senhor, que não tem coragem ou vontade política de andar com ela, deixando o povo do João de Deus cada vez mais revoltado”, disparou o vereador.

Comissão de Ética da Câmara de Petrolina começa a atuar com representações dos vereadores Cristina Costa e Ronaldo Silva

O presidente da Câmara de Vereadores de Petrolina, Osório Siqueira (PSB), revelou que avançam os entendimentos para que passe a funcionar, de fato e de direito, a Comissão de Ética da Casa. Ele ressaltou que já encaminhou o processo para a assessoria jurídica do Legislativo Municipal, inclusive com as duas representações dos vereadores Cristina Costa (PT) e Ronaldo Silva (PSDB), que discutiram em plena sessão plenária há cerca de duas semanas e um está processando o outro no colegiado.

“Recebi os documentos e vamos dar os encaminhamentos dentro da legalidade, avaliar com o jurídico e passar para um relator. Depois de analisar o relatório é que vamos tomar uma posição dentro do que for relatado. A Mesa vai se reunir, chamar os dois vereadores. Mas tudo será feito depois da entrega do relatório sobre o caso”, disse Osório.

Os processos de Cristina contra Ronaldo, e vice versa, serão os primeiros a serem analisados pela Comissão de Ética e também os primeiros de Osório – desde que preside a Câmara Municipal.

“Nunca aconteceu. Nesses quatro anos que tive à frente do Poder Legislativo, será o primeiro processo e vamos dar os encaminhamentos”, finalizou o presidente.

Depois de Cristina, Ronaldo Silva trava embate com Gilmar Santos na Câmara de Petrolina

Mais uma sessão de embates na Câmara de Petrolina nesta quinta-feira, 18. Outra vez o bate-boca foi entre um tucano e um petista. Quem protagonizou o embate foi mais uma vez o vereador Ronaldo Silva (PSDB), que já trocado farpas com a colega vereadora Cristina Costa (PT) na sessão de quinta, 11. Hoje ele discutiu com outro petista, o vereador Professor Gilmar Santos. (mais…)

Ronaldo Silva vai processar Cristina Costa por acusações de “enriquecimento ilícito”

Depois da confusão protagonizada pelos vereadores Ronaldo Silva (PSDB) e Cristina Costa (PT), na última sessão da Câmara de Petrolina, quinta-feira, 11, o tucano foi à tribuna da Casa na sessão desta terça-feira, 16, se defender do que chamou de “inverdades” da colega. Ele antecipou que deve acionar a colega na justiça.

Na sessão passada, Cristina havia respondido a Ronaldo Silva, que tachou o ex-presidente Lula de “ladrão”. Ela devolveu insinuando que o colega também não explicava como tinha adquirido um posto de gasolina na cidade com apenas um salário de R$ 15 mil como vereador.

Eu não sabia que o nome da vereadora Cristina Costa tinha mudado para Luiz Inácio Lula da Silva, que foi quem chamei de ladrão. A senhora não precisa usar desse tipo de expediente para aparecer mais, só porque está pleiteando uma candidatura a deputada estadual. E mais, quem exige respeito deve respeitar também. Eu sempre tive a todos aqui como amigos, mas agora passo a pensar diferente”, disse Ronaldo. “Agora, quem vai ter de responder é a vereadora na justiça”, completou.

Troca de farpas entre Cristina Costa e Ronaldo Silva tem acusação grave

A troca de farpas entre os vereadores Cristina Costa (PT) e Ronaldo Silva (PSDB), na manhã de ontem (11) na Casa Plínio Amorim, teve uma grave acusação. Depois de enaltecer o depoimento do ex-presidente Lula ao juiz Sérgio Moro, na última quarta-feira (10), ao afirmar – entre outras coisas – que Lula provou que as acusações contra ele na Operação Lava Jato não têm fundamento jurídico porque não existem provas materiais, Cristina ouviu de Ronaldo, aos gritos, o ex-presidente ser chamado de “ladrão e vagabundo”.

Cristina devolveu no mesmo tom. “Quero dizer que o gato disso usa, disso cuida. Quem está abrindo posto aqui em Petrolina é vossa excelência, que está acostumado a isso”, disparou a vereadora. Ronaldo indagou de bate-pronto. “Acostumado a que? a roubar? a senhora quer me comparar com um vagabundo e ladrão daquele?”, devolveu o vereador.

Depois disso Ronaldo partiu para cima de Cristina e precisou ser acalmado por alguns colegas. Osório chegou a ameaçar encerrar a sessão plenária, que teve continuidade após alguns minutos interrompida por causa da discussão.

Vídeo Blog: Elogios de Cristina Costa a Lula enfurecem Ronaldo Silva na Casa Plínio Amorim

Cristina Costa sai em defesa de Lula e Ronaldo Silva parte para briga: ‘Pare de falar nesse ladrão aqui’

Mais uma vez os vereadores Ronaldo Silva (PSDB) e  Cristina Costa (PT) quebraram o pau na Câmara de Petrolina. O bate-boca aconteceu agora a pouco, durante sessão ordinária, enquanto a vereadora petista usava a tribuna da Casa Plínio Amorim e defendeu o ex-presidente Lula (PT) em depoimento concedido ontem (10) ao juiz Sérgio Moro, que investiga a operação Lava Jato.

Não fale nesse ladrão aqui mais não, vereadora“, gritou Ronaldo Silva ao microfone. Cristina não gostou e os dois discutiram fortemente, tendo que ser contidos pelos colegas.

Ronaldo Silva aumenta o tom e enquadra Odacy: “Já ficou ridículo, aceita que dói menos”

O vereador Ronaldo Silva (PSDB) perdeu a  paciência com a insistência do deputado estadual Odacy Amorim (PT), que não teve êxito nas últimas eleições municipais do ano passado – quando foi candidato a prefeito de Petrolina – em impugnar a chapa vencedora e cassar o mandato do prefeito Miguel Coelho (PSB)

“Odacy tem é que trabalhar mais e falar menos. Aceita a derrota que dói menos, Odacy. Já ficou ridículo isso”, disparou.

O vereador comentou, inclusive a última decisão da Justiça Eleitoral de Petrolina, que reprovou as contas eleitorais de Odacy:

Ele primeiro tem que trabalhar direito, fazer uma campanha limpa, honesta, com contas aprovadas e tudo às claras. Procurem ver a decisão do juiz. Se eu fosse Odacy ficaria envergonhado. Já que ele diz que é evangélico, deveria cumprir o que a Palavra de Deus fala em Romanos, capítulo 13 e versículos 1 e 2, para todos cristãos: ‘Todos devem sujeitar-se às autoridades superiores; porquanto, não há autoridade que não venha de Deus, e as que existem foram ordenadas por Ele’. Portanto, quem se recusa a submeter-se à autoridade está se colocando contra o que Deus instituiu, e aqueles que assim procedem trazem condenação sobre si mesmos. Mas acho que esse crente se julga maior que a palavra de Deus”.

Pegou fogo: Ronaldo Cancão e Ronaldo Silva acirram debate sobre tramitação de projeto em Comissão da qual fazem parte

Um bate boca acirrado entre o presidente e o relator da Comissão de Justiça e Redação da Câmara de Petrolina, vereadores Ronaldo Cancão (PTB) e Ronaldo Silva (PSDB), respectivamente, marcou a sessão desta terça-feira, 14. O motivo mais uma vez foi a falta de entendimento entre os parlamentares que compõem o mesmo Colegiado na Casa e cada um justificando que seguia as devidas prerrogativas legislativas em cumprimento ao regimento interno da Câmara.

Cancão queria colocar na pauta com dispensa de parecer, o projeto de lei de sua autoria que regulamenta o serviço de extração de pedra em Petrolina. O petebista alegou que a matéria tramita ha quase um ano na Casa e que nesta segunda, 13, assim como chegou às mãos de Silva o texto do executivo para doação de terreno à Compesa, aprovado na reunoão, também chegou o PL sobre as pedreiras e não entendeu por que o parecer foi somente para um projeto.

Ronaldo Cancão brigou para colocar o texto na pauta diante da urgência, pois as famílias da Pedreira Pau Darco, no Serrote Pelado, estão na iminência de deixar de sobreviver da atividade por divergências entre os donos da área da pedreira. Com a lei, os trabalhadores teriam mais segurança na atividade. A dispensa de parecer veio porque Cancão conseguiu 20 assinaturas dos colegas para que o texto entrasse na pauta sem o parecer do relator da Comissão de Justiça, como diz o regimento.

“Estou coberto pelo regimento da Casa”, disse o autor do PL. Silva rebateu. “O projeto chegou ontem às minhas mãos e tramita há um ano. É muita irresponsabilidade. Seus gritos não me amedrontam colega vereador”, atacou. O presidente da Câmara, vereador Osório Siqueira (PSB), diante do impasse e vendo que alguns colegas já tinham retirado o nome da lista de Ronaldo Cancão para a dispensa de parecer, se comprometeu em colocar o projeto em pauta na próxima quinta, 16, ou terça, 21.

O vereador que subiscreve o texto de Cancão, Gabriel Menezes (PSL), lamentou que os trabalhadores do Serrote Pelado não tivessem tido ainda a garantia de continuar sua atividade profissional na cidade por causa de toda a confuisão entre os colegas. Ele pediu desculpas, mas informou que esse comportamento mais acirrado na Casa Plinio Amorim, “faz parte do processo democrático”.

“Quero aqui deixar esse compromisso com vocês de colocar o projeto em pauta na terça ou o mais tardar, quinta. Toda essa discussão é para fazer o melhor para vocês”, ressaltou Gabriel. Sobre colegas divergerirem na mesma Comissão, a vereadora Cristina Costa (PT), alertou.

“Devemos observar e avaliar melhor. Como existir concenso num texto do Executivo e tanta divergência num projeto do Legislativo? Vamos colocar a cabeça para pensar e atuar de forma coesa para o bem dos trabalhos da Casa”, aconselhou.

Petrolina estará na disputa das eleições para a diretoria da União dos Vereadores de Pernambuco

Os vereadores de Petrolina Ronaldo Silva (PSDB) e Cícero Freire (PR) estarão na chapa de oposição nas eleições para a nova diretoria da UVP (União dos Vereadores de Pernambuco). A disputa acontecerá dia 25 de março na cidade de Bonito, Agreste do Estado. Conforme Ronaldo, a Câmara de Petrolina foi convidada a integrar a chapa oposicionista encabeçada pelo vereador de São Bento do Una (também no Agreste),  André Valença (PSD), que é candidato a presidente.

André conta com apoios importantes, inclusive de dois ex-presidentes da UVP: João Batista, que presidiu por muitos anos a entidade, e Biu Farias. Além de Ronaldo e Cícero, a chapa tem mais uma vereadora de Surubim, na Zona da Mata norte pernambucana, que ocupará a vice.

Segundo Ronaldo, a participação de Petrolina na disputa representa a importância do Legislativo Municipal entre os poderes dos 184 municípios pernambucanos. “Recebemos esse convite e ficamos felizes. Estamos nessa luta, preparados para mostrar o melhor de Petrolina nessa diretoria, caso seja eleita”, comentou o tucano.

A outra chapa que disputa com a da oposição tem o atual presidente da UVP, Josinaldo Barbosa (PRB), presidente da Câmara de Timbaúba, também na Mata Norte, e um vereador de Sertânia, no Sertão do Moxotó, na vice. A chapa eleita da UVP irá dirigir a entidade de 2017 a 2019.

Ronaldo Silva se desculpa por embate com Cristina Costa e Professor Gilmar em sessão da Casa Plínio Amorim

O vereador Ronaldo Silva (PSDB), foi à tribuna da Câmara Municipal de Petrolina, na sessão plenária desta terça-feira, 21, para se desculpar com sua colega Cristina Costa, e por, tabela, com o Professor Gilmar Santos, ambos do PT. Ronaldo e Cristina tiveram um embate acirrado na sessão da última quinta-feira, 16, quando Ronaldo promoveu uma série de críticas ao PT, gerando um duro bate-boca  na Casa Plínio Amorim.

“A senhora me conhece. Conviveu comigo durante três anos e meio. Tenho minhas críticas ao partido da senhora, que deve desculpas ao povo brasileiro, mas sempre lhe respeitei, apesar de cada um defender o seu partido. Tínhamos uma boa convivência. Não sei o que aconteceu para a senhora se manifestar na última quinta-feira, mas espero respeito como sempre lhe respeitei”, afirmou.

Vídeo Blog: Cristina Costa e Ronaldo Souza trocam farpas na Casa Plínio Amorim

Sessão da Casa Plínio Amorim acaba em troca de farpas entre Ronaldo Silva e Cristina Costa

A vereadora oposicionista Cristina Costa (PT) e seu colega de Legislativo, Ronaldo Silva (PSDB), que integra a base do governo na Casa Plínio Amorim, protagonizaram, no final da sessão plenária desta quinta-feira (16), um duro bate-boca, com farpas de ambos os lados. O clima já estava se acirrando entre os dois a pelo menos duas sessões atrás, quando a petista usou o termo “golpe” para se referir ao governo do presidente Michel Temer. E voltou a repetir o termo novamente na sessão de hoje.

Aborrecido, Ronaldo Silva usou a tribuna para desabafar. Mesmo ressaltando que não iria citar nomes para não dar direito de resposta, acabou mencionando o Partido dos Trabalhadores (PT), do qual Cristina e o vereador Professor Gilmar Santos fazem parte.

Ronaldo afirmou que o maior golpe foi dado nos trabalhadores, pelo próprio PT, cuja herança de 12 milhões de desempregados foi deixada para o atual governo. “Aqui nos nossos gabinetes, a gente sente essa realidade do golpe que tanto eles falam. Todos os dias a gente se depara com homens e mulheres atrás de oportunidades, por causa do governo que passou e roubou a confiança dos trabalhadores que tanto esse partido defende. Será que o povo todo que foi para as ruas é tudo golpista?”, disparou.

O vereador disse ainda que a população “se cansou da quadrilha que se instalou” no país. “Basta ver, pelos meios de comunicação, o tanto de ladrão desse partido que está na cadeia”, completou. Mas a gota d’água foi quando Ronaldo citou a nova delação do executivo da Odebrecht, o qual afirmou ter destinado R$ 8 milhões ao ex-presidente Lula, tachado por Ronaldo como “chefe da quadrilha”.

Contestação

Como o tucano acabou citando o PT, Cristina pediu a palavra para rebater as críticas. Neste momento, no entanto, o primeiro-secretário da Mesa Diretora, Manoel da Acosap (PTB), que ocupava a presidência, decidiu encerrar a sessão, sob a justificativa de estar cumprindo o Regimento Interno. O argumento foi rebatido pela vereadora. Primeiro porque o partido dela havia sido citado. Além disso, Cristina disse que o Regimento é tolerante quando o debate é de interesse da população. A vereadora também contestou o fato de que Major Enfermeiro, como vice-presidente, era quem deveria dar a sessão por encerrada.

Antes de ter o microfone cortado, no entanto, Cristina chegou a rebater o colega. Disse que as cobranças dos adversários de Dilma Rousseff foram apenas para tirar a então presidente do poder, enquanto o país “só afundou” depois disso. Cristina afirmou ainda que Lula já foi inocentando em 47 depoimentos na Operação Lava-Jato e que os movimentos sociais não estão nas ruas porque “o atual governo golpista” não deixa. A vereadora completou afirmando que os verdadeiros ladrões estão na cúpula do governo que o PSDB de Ronaldo apoia. Ela lembrou ainda que enquanto Lula lidera as intenções de voto para presidente em 2018, com 30%, o senador tucano Aécio Neves está perdendo até para Jair Bolsonaro (PSC-RJ), segundo pesquisas.

Um cidadão que estava no plenário chegou a se dirigir à vereadora, e aos gritos pediu para o PT “deixar de choro”, mas foi ignorado por Cristina, que continuou o bate-boca com Ronaldo por alguns minutos. Com dedos em riste, os dois continuaram as ofensas, mas foram separados por colegas de Legislativo.

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br