PSB decide ser contrário à reforma da previdência proposta por Michel Temer

O Partido Socialista Brasileiro (PSB) deliberou em reunião ocorrida na noite desta segunda-feira, 24, ser contrário à reforma da Previdência proposta pelo presidente Michel Temer (PMDB).

Na reunião, participaram todos os deputados, senadores, presidentes estaduais e nacional da sigla.

Votaram a favor da reforma da Previdência os líderes da Câmara e do Senado- deputada Tereza Cristina (MT) e senador Fernando Bezerra Coelho (PE).

O PSB integra o governo de Temer com o Ministério das Minas e Energia, comandado pelo deputado federal licenciado Fernando Filho.

Presidente da Câmara dos Deputados admite adiar votação de reforma da Previdência

Em função da forte resistência no Congresso ao texto da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) da reforma da Previdência, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), já admite adiar a votação inicialmente prevista para o dia 8 de maio.

“Se possível vamos votar a matéria no dia 8 de maio, se não for possível, a partir do dia 15”, disse ele nesta sexta-feira (21), em Foz do Iguaçu, onde participa do 16º Fórum Empresarial organizado pelo Grupo de Líderes Empresariais (Lide).

Apesar de assumir que, hoje, o governo não tem votos suficientes para garantir a aprovação, Maia disse que não se trata de um adiamento.

Segundo ele, trata-se de um “aprofundamento na articulação” junto às bancadas para uma melhor compreensão do texto entregue nesta semana pelo relator, deputado Arthur Maia (PPS-BA).

Segundo o presidente, ainda há na cabeça dos deputados e da população uma “contaminação” do texto original. “Houve a interpretação equivocada de que os pobres estavam prejudicados neste debate, e não estavam porque a vinculação do salário mínimo nunca saiu”, disse.

Discussão aprofundada

Responsável pela articulação do Planalto junto ao Congresso, o ministro da Secretaria de Governo, Antonio Imbassahy (PSDB-BA) descarta o termo “adiamento”, mas admite que há necessidade de uma discussão mais aprofundada do texto. “É preciso maturar melhor a discussão de um texto complexo que foi entregue nesta semana”. Em seu discurso, Imbassahy disse que o texto original tinha uma previsão de economia de R$ 830 bilhões em 10 anos, “duro de roer”. Segundo ele, se aprovado o texto do jeito que está, depois das concessões feitas pelo governo no texto original, a economia será de 75% do valor original. (Fonte: Estadão/foto: André Dusek)

Em carta aberta, Câmara de Petrolina afirma que reforma da Previdência baseia-se “em premissas equivocadas”

Numa carta aberta à população petrolinense, a Câmara Municipal de Vereadores manifestou-se contrária à reforma da Previdência proposta (PEC 287/16) pelo Governo Temer. O projeto havia sido tema de um debate em audiência pública do último dia 10 de março, solicitada pelo vereador Osinaldo Souza.

Entre outras justificativas, a Casa Plínio Amorim considera que a PEC “está fundamentada em premissas equivocadas” e contém inúmeros abusos contra os direitos sociais.

Uma moção de protesto e repúdio contra o projeto foi assinada por todos os 23 atuais representantes do Legislativo de Petrolina. A carta e a moção podem ser conferidas nos links a seguir: Carta Aberta e 0146 Todos os Vereadores 19.04.17.

Trabalhadores rurais lotam Alepe em audiência pública sobre reforma da Previdência

Dentro do 6º Grito da Terra PE, a audiência pública sobre a reforma da Previdência e as consequências para o homem e a mulher do campo debateu a questão no plenário principal da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), nesta segunda-feira, 17. O evento foi proposto pela Comissão Especial da Reforma da Previdência no poder legislativo estadual.

Presente ao debate, o presidente da Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras da Agricultura de Pernambuco (Fetape), Doriel Barros, disse que a pauta da audiência integrou esse ato do Grito da Terra PE, tanto na discussão no plenário da Casa Joaquim Nabuco como no evento de rua que levou grande número de participantes até o Palácio do Campos das Princesas, sede do governo estadual. (mais…)

Audiência pública na Câmara dos Deputados discutirá impactos da reforma da Previdência na educação

A Comissão de Educação da Câmara dos Deputados vai promover audiência pública no próximo dia 27 de abril para discutir os impactos da Reforma da Previdência na educação brasileira. De acordo com o deputado Leo de Brito (PT-AC), um dos autores do requerimento de audiência, a preocupação é com as mudanças nas aposentadorias dos professores e demais servidores da Educação e até com a aposentadoria dos alunos.

O parlamentar afirma que a reforma pode estimular a evasão escolar porque exige mais tempo de contribuição dos trabalhadores.

Em relação aos professores, o deputado defende a manutenção das regras atuais: “É uma situação muito ruim para os professores da educação básica, que são mal remunerados, que estão em um ambiente de trabalho muitas vezes insalubre, e lidam com crianças e adolescentes e os conflitos que existem na escola”.

“Sem falar na regra de transição que foi proposta, que na verdade não é transição. Pode ter situações em que pessoas da mesma idade; algumas se aposentem com mais três anos de trabalho e outras terão que passar 20 anos com as atuais regras de transição“, acrescentou Léo de Brito.

Mudanças

O relator da reforma da Previdência, deputado Arthur Oliveira Maia (PPS-BA), tem afirmado, porém, que serão feitas mudanças na proposta do governo em relação às aposentadorias especiais, entre elas as dos professores, e nas regras de transição. O governo já havia anunciado que os professores das redes estaduais e municipais não serão atingidos pela reforma porque estarão sujeitos a reformas locais. As mudanças também atingem os servidores públicos federais de educação, o que alteraria a estrutura das Instituições de Ensino Superior. (Fonte: Agência Câmara)

Belém do São Francisco: Polêmica reforma da Previdência é tema de audiência pública

Mais um município pernambucano promoveu uma audiência pública sobre a polêmica reforma da Previdência, proposta pelo Governo Temer. O evento aconteceu na manhã de terça-feira (11), no plenário da Câmara de Vereadores de Belém do São Francisco (PE), Sertão de Itaparica.

A audiência foi organizada pela Central Única dos Trabalhadores (CUT) e contou com a participação do presidente da entidade em Pernambuco, Carlos Vera, além do presidente da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado de Pernambuco (Fetape), Paulo Roberto. Diversas autoridades locais e de cidades próximas também prestigiaram o debate.

Um dos que comentaram o tema, o prefeito Licinio Lustosa entender que a reforma seja necessária, mas não do modo como está sendo apresentada. “As mudanças desfiguram o sistema da Previdência social conquistadas ao longo dos anos. São muitos os abusos, entre eles a exigência da idade mínima de 65 anos para aposentadoria de homens e mulheres, a redução do valor geral das aposentadorias, o fim da aposentadoria especial para os professores, entre outros. Acredito que a participação da sociedade na construção de alternativas que venham melhorar o sistema de Seguridade Social e ampliar a sua abrangência e o melhor caminho para que possamos impedir o retrocesso dos direitos sociais”, ponderou.

O presidente da CUT, Carlos Veras, ressaltou a importância da audiência com as lideranças politicas, ressaltando que esses debates já aconteceram em 100 dos 184 municípios do Estado. (foto/divulgação)

Deputado Silvio Costa alfineta ministros pernambucanos de Temer liberados para votar pró-reforma da Previdência

Conhecido pelo seu estilo contundente, o deputado federal Silvio Costa (PTdoB) soltou mais uma das suas alfinetadas contra o Governo Temer. E o alvo desta vez foram os ministros pernambucanos que integram a gestão do peemedebista.

Silvio Costa não gostou do fato de os ministros Fernando Filho (Minas e Energia), Bruno Araújo (Cidades), Raul Jungmann (Defesa) e Mendonça Filho (Educação) terem sido liberados pelo chefe para votar pela Reforma da Previdência na Câmara dos Deputados, de onde estão licenciados. “Isso é um afronta sem precedentes ao povo pernambucano”, disparou o parlamentar. (com informações do Blog de Jamildo/foto reprodução arquivo)

Gonzaga Patriota amplia debate em municípios pernambucanos sobre reforma da Previdência

Em maratona de audiências públicas em municípios do sertão pernambucano, o deputado federal Gonzaga Patriota (PSB) ampliou o debate sobre a reforma da Previdência Social proposta pelo governo federal. O texto original não conta com o apoio do parlamentar.

Uma das audiências públicas passou por Santa Cruz da Venerada, no Sertão do Araripe, coordenada pelo vereador Luciano Nunes (PSB). A  população pôde tirar suas dúvidas sobre a PEC, como idade mínima e tempo de contribuição para trabalhadores e trabalhadoras rurais.

“Estamos retirando direitos dessas profissionais, que acumulam a jornada oficial de trabalho e os afazeres domésticos, desempenhando uma jornada dupla e até tripla”, destacou.

Em Araripina, também no Araripe, Gonzaga se reuniu com lideranças políticas na Câmara de Vereadores para mais uma conversa sobre a reforma da previdência. “Uma dívida de quase meio trilhão de reais da Previdência não será paga pelo trabalhador”, defendeu.

Emendas

Ao lado de lideranças das duas cidades, o deputado aproveitou para prestar contas das emendas que tem enviado para os municípios. Em Santa Cruz, Gonzaga anunciou mais de R$ 1 milhão, recursos por meio de emendas de sua autoria para a compra de equipamentos e máquinas e ações na área da saúde.

Já para Araripina, o socialista revelou que cerca de R$ 1.7 milhão em emendas serão destinados a melhorias na saúde para a cidade, entre verbas que aguardam pagamento e empenho. Patriota ainda teve um encontro com o prefeito Raimundo Pimentel (PSL). ( Foto: Ascom)

Artigo do leitor: “Quem planta tâmaras, não colhe tâmaras”

Neste artigo enviado ao Blog, o ex-secretário municipal da Prefeitura de Juazeiro (BA), Carlos Neiva (foto), demonstra seu sentimento contrário à Reforma da Previdência proposta pelo presidente Michel Temer.

Confiram:

Na terça-feira passada, 28 de março, participei de dois eventos contra a PEC 287, a da reforma da previdência, promovidos pela APLB e pela frente Brasil popular. Na oportunidade encontrei com Maria Eduarda, uma criança de 11 anos, linda, com os olhos vivos e expressão constante de felicidade no rosto,

que estava distribuindo panfletos com textos de sua autoria. Vejam fragmentos de alguns dos textos de Maria Eduarda:

“Roubo, crise econômica, falta de dinheiro, ausência de segurança, ruas, cidades, estados, todos sem saúde, educação. Vamos todos então para greve geral”;

“Você sabia que nosso querido presidente Temer está acabando com as leis trabalhistas? Aquelas que nós conquistamos com suor e luta. Vamos ter que trabalhar 12 horas por dia e se aposentar com praticamente 70 anos”;

“Quantas vezes você viu no jornal as pessoas falando de tanto dinheiro desviado que você perdeu a noção? Pois é, e é por isso que eu queria sua presença na greve geral. Vamos para Brasília”.

Encontrar com Maria Eduarda, 11 anos, na luta, na busca de conscientizar a população, reforçou em mim o sentimento de esperança e responsabilidade com a próxima geração, e me lembrou de um antigo ditado árabe: “Quem planta tâmaras, não colhe tâmaras!”.

Este ditado se justificava, pois na época uma tamareira levava 100 anos para produzir os frutos, como causa e consequência, quem plantava tâmaras não colhia tâmaras daquela árvore plantada. Mesmo assim todos seguiam plantando e colhendo tâmaras, sem interromper o ciclo virtuoso. Uma geração pensando na outra.

Diante de tudo que estamos vivendo no nosso País, nossa maior preocupação deve ser, exatamente, com a próxima geração diante de tantas ações de desconstrução da soberania Nacional, da precarização dos direitos e da vida dos trabalhadores e também dos empreendedores. Podemos ressaltar algumas que

Atingem a todos nós:

* A reforma da previdência.

* A terceirização.

* A reforma do ensino médio.

* O congelamento dos investimentos na Saúde, educação e segurança por 20 anos.

Temos que acordar, temos que reagir!

Nós sentiremos nos próximos anos os malefícios de tais ações, porém a grande conta virá para os filhos e netos de todos. Acredito que temos que nos levantar e dizer ‘não’ a tudo isto. Que não seja por nós, mas pelo futuro do nosso País e dos nossos jovens.

Vamos todos juntos dizer ‘não’ às políticas que comprometem o futuro de cada um de nós, de todos nós e dos que virão.

Assim como Maria Eduarda, uma garota de apenas 11 anos, encontre o seu modo, o seu jeito, sua maneira de se expressar, mas não fique omisso! Saia da zona de conforto! Se é que existe alguém confortável com esta situação. Com certeza, a força que temos, se estivermos unidos, superará qualquer tirania.

Por um País com futuro!!!

Viva Maria Eduarda!!!

Carlos Neiva/Ex-secretário municipal da Prefeitura de Juazeiro (BA)

Mudanças em projeto da Reforma da Previdências devem incluir fim do abono salarial

O presidente Michel Temer cedeu às pressões da base aliada no Congresso e autorizou, ontem (6), mudanças em cinco pontos da proposta de reforma da Previdência, que vão reduzir em pelo menos 17% a economia que o governo projetava para os próximos dez anos nos gastos com o INSS, ou cerca de R$ 115 bilhões, segundo estimativa da Casa Civil. A proposta original da reforma previa economia de R$ 678 bilhões em dez anos.

Esse valor, revelou uma fonte da área econômica, terá de ser compensado por medidas adicionais, sendo uma delas o fim do abono salarial, equivalente a um salário mínimo por ano a quem ganha até dois mínimos e que consome cerca de R$ 18 bilhões por ano, alcançando 22 milhões de trabalhadores. (fonte: O Globo)

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br