Propaganda do PSB pede renúncia de Temer e pode ‘empurrar’ FBC e Fernando Filho para outra legenda

No campo do discurso, o governador de Pernambuco e vice-líder nacional do PSB, Paulo Câmara, pode até dizer que acredita na permanência do senador Fernando Bezerra Coelho e do ministro Fernando Filho (Minas e Energia) no partido. Mas na prática, essa possibilidade vai ficando distante.

Pelo menos é o que se viu na noite de ontem (22), durante a propaganda eleitoral dos socialistas, que pediram a renúncia do presidente Michel Temer (PMDB) e a realização imediata de eleições diretas. Se FBC e Fernando Filho defendem que o momento é de colaborar com o governo para ajudar o país a sair da crise, certamente não é no PSB que vão encontrar o respaldo que gostariam.

Vale lembrar, como este Blog já postou, que ambos estão sendo cogitados para ingressarem no DEM.

Paulo Câmara espera permanência de Fernando Bezerra e seu filho no PSB

O governador Paulo Câmara (PSB) tratou de baixar a temperatura em seu partido, do qual é vice-presidente nacional, e fez elogios ao grupo dos Coelhos. O senador Fernando Bezerra Coelho e seu filho, ministro de Minas e Energia, Fernando Filho, têm entrado em rota de colisão com a executiva nacional da legenda e cogitam deixar o PSB. O PSD e o DEM são apontados como algumas das siglas que poderiam receber os descontentes.

Comigo, nas minhas conversas que sempre tive, não demonstraram nenhum interesse em sair do partido“, disse o governador durante entrevista na Rádio Jornal na manhã desta quinta-feira.

O senador e o ministro são favoráveis às reformas da Previdência e trabalhista, mas o PSB é contra as propostas do governo de Michel Temer (PMDB). O presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, já criticou os pernambucanos abertamente. O clima entre o dirigente e Fernando Bezerra Coelho também não é bom porque um quer se reeleger e o outro apoiará a candidatura do vice-governador de São Paulo à presidência do partido.

O PSB, como todo partido, tem história, tradição, ideário programático, é progressista, sempre lutou por democracia e justiça, é um partido que discute muito as ideias. É um processo natural de todo partido, acontece de vez em quando em alguns os partidos e o PSB está passando por esse processo. Mas a gente sempre busca sentar na mesa e o diálogo é a forma mais adequada de superar essas questões. Tenho conversado com Fernando, com Fernando Filho, estive lá em Petrolina, com o prefeito Miguel Coelho“, disse o governador, referindo-se a outro integrante da família Coelho.

Solidariedade

Paulo Câmara afirmou que via Fernando Bezerra e Fernando Filho preocupados em ajudar o Brasil e Pernambuco e destacou que a dupla sempre foi solidária com o governo estadual na atração de recursos. “Fernando um senador importante para Pernambuco e tem nos ajudado. Fernando Filho também. Eles têm um grupo político muito forte, atuante, que sempre esteve conosco, ajudou Eduardo (o ex-governador Eduardo Campos), me ajudou, a gente tem expectativa de continuar com eles para fazer o partido crescer em Pernambuco“, afirmou o governador. (Fonte: JC Online)

Aproximação que rende ceticismo

Na política nacional há um velho bordão que afirma que “tudo pode acontecer, inclusive nada”. Pois bem. O senador Fernando Bezerra Coelho, uma das lideranças do PSB pernambucano, disse à imprensa esta semana de Petrolina que considera “pouco provável” uma nova aliança entre seu partido e o PT. Mas tem gente também pensando assim em  relação a ele.

Um aliado do socialista na Câmara de Vereadores anda cético quanto à eventual ida do senador FBC para o Democratas (DEM). Em reserva, esse aliado só faltou dizer que quer ver para crer.

Sobre reaproximação entre PSB e PT, Fernando Bezerra resume: “Acho pouco provável volta ao passado”

O senador Fernando Bezerra Coelho considerou “pouco provável” uma reaproximação política entre PSB e PT, conforme apontam os rumores. O socialista disse à imprensa em Petrolina, na última segunda-feira (19), após evento administrativo ao lado do governador de Pernambuco Paulo Câmara (vice-presidente nacional do PSB), que vê chances mais concretas de a legenda lançar novamente candidatura própria a presidente da República ou mesmo se aliar às forças do palanque construído por Eduardo Campos, que morreu em acidente aéreo durante sua campanha presidencial em 2014.

“Acho pouco provável uma volta ao passado, mas quem tem que falar sobre isso é o governador e a executiva nacional do PSB”, ponderou o senador. No mesmo dia, Paulo declarou que a legenda “está de portas abertas” a entendimentos.

Senador FBC despista sobre DEM, apesar da presença de Maia e ACM Neto em Petrolina

O senador Fernando Bezerra Coelho (PSB) saiu pela tangente ao comentar as especulações de que poderia ingressar no DEM, juntamente com o ministro das Minas e Energia, Fernando Filho. Os rumores ganharam uma evidência ainda maior pela presença ontem (19), em Petrolina, do presidente da República em exercício, Rodrigo Maia, e do prefeito de Salvador ACM Neto – duas das principais lideranças do Democratas. Mas o socialista, que participava de um evento administrativo na cidade com o governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), não disse muita coisa.

FBC atribuiu esses rumores ao atual momento do país, que necessita urgentemente de uma reforma política, mas por conta da crise essa matéria ainda não avançou no Congresso Nacional.

“São muitos encontros e conversas entre as lideranças político-partidárias no sentido de fazer avançar a reforma política e sobretudo a reforma eleitoral e o financiamento das campanhas. Evidentemente, em função desses encontros, podem surgir especulações sobre destinos partidários, criação de partidos e até fusões”, despistou. Apesar disso, o senador socialista reconheceu o gesto de Maia em visitá-lo, uma vez que o democrata fez questão de estender a visita a FBC e Fernando Filho a Petrolina, uma vez que iria somente até Salvador, encontra-se com ACM Neto.

O socialista até aproveitou uma carona de volta a Brasília ainda ontem (19), no jatinho de Maia, já que nesta quarta (20) os parlamentares do Congresso têm mais uma pauta cheia.

Paulo Câmara não descarta aliança com Odacy Amorim: “Estamos abertos”

A presença do deputado estadual Odacy Amorim (PT) no evento de ontem (19) em Petrolina com o governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), deixou alguns com uma interrogação na cabeça. O próprio Odacy estimulou as especulações ao explicar o porquê.

Mas ao ser indagado se existe uma reaproximação do petista com o PSB, Paulo Câmara foi categórico e não fugiu da pergunta: “estamos abertos ao diálogo”.

Em relação ao evento, no entanto, Odacy tinha emenda para Petrolina, que foi liberada ontem pelo governador.

Presidente da República em exercício Rodrigo Maia se reúne em Petrolina com lideranças políticas

Coincidência ou não, três dias depois de uma reportagem do Estadão acerca do interesse do deputado federal e presidente da Câmara, Rodrigo Maia, em atrair o senador Fernando Bezerra Coelho e o ministro Fernando Filho (Minas e Energia) para o DEM, Maia desembarcou no final da tarde de hoje na cidade acompanhado, entre outras pessoas, do prefeito de Salvador ACM Neto – outra liderança forte do Democratas. Maia chegou à cidade na condição de presidente da República em exercício, uma vez que Michel Temer viajou para uma agenda na Rússia e Noruega por uma semana.

O senador FBC, que participou de uma agenda administrativa do governador de Pernambuco Paulo Câmara (PSB) em Petrolina praticamente no mesmo instante, desconversou sobre esses rumores. Mas ele, Câmara, Fernando Filho, os deputados Lucas Ramos e Gonzaga Patriota, Miguel Coelho e ACM Neto – entre outros convidados – tiveram uma reunião a portas fechadas no gabinete de Miguel.

A pauta pode até não ter girado em torno de 2018, mas uma coisa é certa: Petrolina vem mostrando, à primeira vista, a força política que havia perdido há algum tempo.

Lucas Ramos minimiza rumores sobre possível ida de FBC e Fernando Filho para DEM

Uma das lideranças do PSB pernambucano, o deputado estadual Lucas Ramos viu com naturalidade os rumores sobre uma possível movimentação do presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia, para tirar da legenda socialista o senador Fernando Bezerra Coelho e o ministro Fernando Filho. A ideia de Maia, segundo a Agência de Notícias Estadão, é ingressar os dois no Democratas (DEM).

Ao Blog, Lucas justificou que Rodrigo Maia vem procurando fortalecer o seu partido, DEM, desde 2015, buscando persuadir os “insatisfeitos” não só no PSB, como em outras legendas.

“É uma movimentação legítima. Nós também fizemos um movimento semelhante em 2014, quando Eduardo Campos lançou seu nome à Presidência da República e atraímos deputados, senadores e especialmente prefeitos para reforçar o PSB. Nosso partido foi o que mais cresceu em 2014 e o que mais fez prefeitos em 2016”, declarou.

Referindo-se a FBC e seu filho, Lucas disse não acreditar que haverá baixas significativas dentro do PSB na ‘janela’ permitida pela lei eleitoral para troca de partidos (a qual irá até março do próximo ano). “Não vejo nenhuma movimentação diferente no grupo do senador Fernando Bezerra Coelho que não seja a de ficar no PSB. Mas essa resposta só quem pode dar são eles”, concluiu.

Rodrigo Maia quer FBC e Fernando Filho no DEM

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), negocia com a ala governista do PSB, contrários ao desembarque do governo Temer, a migração para o seu partido. Segundo interlocutores de Maia, a expectativa é de aumentar a bancada da sigla na Casa para 40 integrantes. Hoje, o DEM tem 29 deputados.

As conversas de Maia envolvem o ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho (PE), e os dois líderes do PSB no Congresso: o senador Fernando Bezerra (PE), pai do ministro de Minas e Energia, e Tereza Cristina (MS).

Maia também tenta atrair para o DEM os deputados Heráclito Fortes (PI) e Danilo Forte (CE). “O futuro a Deus pertence”, desconversou Forte, ao ser questionado sobre a mudança de partido.

O presidente do DEM, senador Agripino Maia (RN), confirmou o teor das conversas com os parlamentares “descontentes”, mas evitou tratar dos nomes. “Não há nenhuma decisão tomada”, disse. Parlamentares do DEM e interlocutores de Maia em outras siglas também confirmam as negociações.

O ministro de Minas e Energia afirmou ao Estado que o DEM ofereceu a legenda para ele e outros deputados dissidentes do PSB, mas que eles ainda não tomaram nenhuma decisão. De acordo com Coelho Filho, vários partidos sondam os descontentes do PSB.

Avaliação

Nessas conversas, os deputados do PSB ponderam que é preciso avaliar o cenário político estadual antes de decidir pela troca de partido. No DEM, a previsão é de que os novos parlamentares façam a migração na próxima janela para troca partidária, marcada para março de 2018.

O movimento fortalece Maia, no caso de uma eventual eleição indireta, já que ele é um dos candidatos prováveis para substituir Michel Temer no cargo.  Esta não é a primeira vez que o presidente da Câmara aumenta o tamanho da bancada do seu partido. Desde que assumiu o comando da Casa, o DEM passou de 21 deputados – eleitos em 2014 – para 29 atualmente. O presidente da Câmara nega negociações. “As conversas são no sentido de trabalhar em conjunto”, afirmou Maia, por meio de sua assessoria de imprensa. (Fonte: Estadão/foto arquivo)

Lucas Ramos evita críticas a FBC e Fernando Filho, mas espera socialistas numa mesma linha em 2018

Após protagonizar no ano passado mais um embate interno no PSB pela indicação do partido para disputar a Prefeitura de Petrolina, no qual Miguel Coelho acabou sendo o escolhido e levando a eleição, o deputado estadual Lucas Ramos quer evitar, nesse momento, entrar novamente em rota de colisão com o grupo do senador Fernando Bezerra Coelho. O socialista preferiu não dar declarações mais açodadas em relação ao apoio de FBC e do ministro Fernando Filho (Minas e Energia) ao Governo Temer. (mais…)

FBC deixa recado sutil ao Governo de PE: “Precisa estar mais presente em Petrolina”

O senador Fernando Bezerra Coelho (PSB) deixou um recado sutil ao Governo de Pernambuco, durante agenda que cumpriu no dia de ontem (13) em Petrolina, ao lado do ministro em exercício da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Eumar Novacki.

Embora tenha enaltecido o apoio do Estado em ações como o local onde será construído o novo Centro de Abastecimento de Petrolina (Ceape), FBC não teve dúvida em afirmar que “o governo precisa estar mais presente”. Coincidência ou não, o senador e um dos seus filhos – o ministro das Minas e Energia, Fernando Filho – decidiram respaldar o governo federal, ao contrário da cúpula do PSB. (Foto/divulgação)

Paulo Câmara, a eventual expulsão de Fernando Filho e as eleições 2018

Rumores de que o PSB já teria documentado a expulsão do ministro Fernando Filho (Minas e Energia), pelo fato de ter decidido permanecer no Governo Temer, mesmo contra a vontade da legenda, ganharam a imprensa estadual e regional no último final de semana. Mas o que será que o governador de Pernambuco e vice-presidente nacional da sigla, Paulo Câmara, acha disso tudo?

Provável candidato à reeleição ao Palácio do Campo das Princesas, Paulo Câmara vai precisar de todo o apoio possível em 2018, sobretudo porque faz uma gestão criticada por boa parte dos pernambucanos.

Se Fernando Filho for mesmo expulso, o senador Fernando Bezerra Coelho e o prefeito de Petrolina, Miguel Coelho, evidentemente também sairiam. Ou seja: o governador perderia uma fatia considerável do apoio que tem no Sertão do Estado, através de vários prefeitos aliados do grupo de FBC. Câmara poderá até não admitir, mas a expulsão do ministro socialista, neste momento, seria um ônus pesado para ele arcar, com consequências desastrosas um pouco mais adiante.

PSB baiano reafirma, em encontro estadual, defesa de ‘Diretas Já’ e não às reformas de Temer

O diretório do Partido Socialista Brasileiro (PSB) da Bahia realizou neste sábado (27) um encontro estadual para defender a realização de eleições diretas para presidente da República. O evento, realizado na sede da União dos Municípios da Bahia (UPB), em Salvador, reuniu representantes do partido em 40 municípios como a senadora Lídice da Mata, os deputados Bebeto Galvão (federal), Ângelo Almeida e Fabiola Mansur (estaduais), alem de prefeitos, ex-prefeitos, vereadores e líderes comunitários, sindicais e de juventude.

Para a presidente do PSB estadual, senadora Lídice da Mata, há um grande temor na base aliada do presidente Michel Temer, quando se fala em Diretas Já. “O que se vê é a construção de um acordo para eles rirem do Congresso. Um nome de consenso”, alertou a socialista.

Lídice defende que haja um movimento amplo, com grande apoio da sociedade, para viabilização das eleições diretas. “O novo presidente deve retomar o controle da Nação e pacificar o País”, completou. (Foto: Ascom)

PSB à parte, Fernando Filho segue rotina no Governo Temer e tem reunião com ministro Mendonça Filho

Indiferente às manifestações de lideranças do PSB, contrárias à sua permanência no Ministério das Minas e Energia, Fernando Filho segue levando sua rotina no comando da Pasta.

Ele esteve em reunião, nesta tarde, com seu colega de equipe no Governo Temer, o ministro da Educação Mendonça Filho. Na pauta, projetos e ações que envolvem os dois Ministérios.

Gonzaga evita comentários sobre apoio de Fernando Filho e FBC ao Governo Temer

Um dos que respaldam a decisão da Executiva Nacional do PSB em se afastar do Governo Temer, o deputado federal Gonzaga Patriota tem se mantido discreto em relação a outros dois socialistas: Fernando Filho e Fernando Bezerra Coelho. Ambos defendem o presidente Michel Temer (PMDB), denunciado na delação premiada do empresário Joesley Batista, proprietário do frigorífico JBS.

Fernando Filho decidiu permanecer à frente do Ministério das Minas e Energia, contrariando a decisão da legenda. Ele e o pai, senador FBC, defendem as reformas propostas por Temer, as quais os socialistas não apoiam. Diante desse clima de mal-estar dentro do partido, Gonzaga, com toda sua experiência, acha que o momento é de não piorar ainda mais a situação e prefere não comentar o assunto.

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br