Projeto incentiva cortes especiais de carneiro antes só vistos na carne de boi

Um Supermercado de Juazeiro e outro de Casa Nova, ambas as cidades no norte da Bahia, estão investindo em um novo produto para atrair os consumidores. Quem for ao Mercadinho Econômico de Juazeiro comprar carne ganhou a possibilidade de adquirir cortes especiais de carneiros. O que antes era disponibilizado apenas em cortes de carne bovina, agora também é possível levar para casa picanha, pernil, paleta, costela, lombo e até carré francês de ovinos.

Através uma parceria com o IDESA – Instituto de Desenvolvimento Sustentável Araci, abatedouro Campo do Gado e o Projeto Bioma Caatinga do SEBRAE e Fundação Banco do Brasil, o estabelecimento treinou os funcionários que trabalham no setor de carnes para fazerem os cortes no próprio estabelecimento. O curso foi oferecido pelo IDESA que contratou um profissional especializado em cortes para orientar os funcionários do mercadinho.

O abatedouro Campo do Gado é responsável pelo o abate e inspeção dos animais e o Bioma Caatinga somou ao projeto à orientação técnica e gerencial as empresas envolvidas.

Os animais utilizados para os cortes especiais são produzidos na Fazenda Icó que fica no Distrito de Itamotinga, em Juazeiro-BA, fazenda modelo do Projeto Bioma Caatinga. Lá, os animais recebem todo o manejo adequado como vacinação, vermifugação, alimentação e água em abundância, para serem abatidos com idade entre quatro a cinco meses de vida, o que possibilita uma carne macia e saborosa sem muita gordura, e a torna mais nutritiva.

Atualmente estão sendo abatidos vinte cordeiros por semana com peso médio de 12 kg de carcaça. Mas esse número pode aumentar à medida que o consumo cresça. Outras duas empresas que trabalham de maneira semelhante à Fazenda Icó devem passar a fornecer animais também nas próximas semanas.

Nova forma de gestão

Para garantir a viabilidade do negócio foi criado um conselho gestor com representantes das fazendas, do mercadinho, do Projeto Bioma Caatinga, do abatedouro Campo do Gado e dos consumidores. É esse conselho que define preços, a cota de cada empresa envolvida no processo e as regras do fornecimento e comercialização dos animais. As decisões são tomadas em conjunto com a participação de todos.

Para o coordenador geral do Projeto Bioma Caatinga, Robério Araújo, a chegada desses cortes especiais ao mercado é a concretização de um sonho. “Quinze anos de insistência, mas enfim, hoje estou levando para casa o que sempre imaginei que um dia chegaríamos. Demorou, mas chegou a hora”, comentou o coordenador.

Casa Nova

Na cidade Casa Nova-BA, é o Supermercado Pereira que está investindo na comercialização de cortes especiais de ovinos e caprinos. A empresária, Elizângela de Souza Silva, por orientação dos técnicos do Projeto Bioma Caatinga, contratou uma equipe do SENAI Petrolina para treinar sua equipe de açougueiros. Foram três dias de curso dentro do próprio estabelecimento. Os funcionários receberam aula teórica sobre noções de manejo e higiene com a carne e também aulas práticas para aprender a fazer os cortes especiais. (Foto: Ascom)

Projeto do poder executivo tem tramitação ágil e é aprovado na Câmara; já o dos quebradores de pedra artesanal ainda não foi concluído

Um projeto de lei, do Poder Executivo, chegou à Câmara de Petrolina e em menos de dois dias foi para a pauta da sessão plenária e aprovado. Já o outro que inclusive já está aprovado em primeira discussão, que retornaria para conclusão da votação, não chegou à Mesa Diretora na quinta-feira (23). O texto, dos vereadores Ronaldo Souza IPTB) e Gabriel Menezes (PSL), regulamenta a profissão de quebrador de pedra artesanal, atividade principal para a sobrevivência de famílias da comunidade de Serrote Pelado, zona rural de Petrolina.

Recebemos com surpresa a pauta da sessão sem esse projeto, já que os colegas da situação tinham deixado claro que o texto seria votado nesta sessão. Está faltando respeito com as famílias que precisam dessa regulamentação. Para nós da oposição, não há interesse do poder executivo para que esse projeto seja aprovado, por isso estão se fazendo essas manobras para que seja deixado de lado”, enfatizou Paulo Valgueiro (PMDB), líder da oposição.

Presidente da Casa, o vereador Osório Siqueira (PSB), frisou que não teria ficado acordado que o PL dos quebradores de pedra entraria nesta quinta na pauta da Casa. Ele no entanto tranquilizou os interessados em ver a conclusão da votação que pode ocorrer na próxima terça (28).

O líder da situação pediu para retirar. Não se obrigava voltar à pauta na sessão de hoje, mas conversamos com os autores e terça concluiremos a votação. Se será aprovado ou não aí só com colegas, mas vou botar sim na pauta”, prometeu Osório.

Prefeito lança programa para revitalizar Rio São Francisco e avançar na implantação do terminal fluvial de Petrolina

A Prefeitura de Petrolina iniciou nesta segunda-feira (20) ação de remoção de 3.500 toneladas de baronesas e resíduos do Rio São Francisco. A ação integra o projeto Orla Nossa, que desenvolverá, durante os próximos meses, um conjunto de atividades para a preservação do ecossistema do Velho Chico.  A retirada das baronesas está previsto para ocorrer nos próximos dois meses. (mais…)

Projeto ‘O Sertão Vai Virar Mar’ aporta em Pernambuco e registra as tradições sertanejas

O Projeto “O Sertão Vai Virar Mar” estará em expedição por Pernambuco entre os dias 17 e 26 de março, produzindo material audiovisual que resgata tradição, cultura, arte, belezas naturais, folclore e depoimentos sobre a temática Água. A ação visa a sensibilizar a população sobre as tradições locais.

Assim como sugere o nome, a iniciativa começa pelo sertão pernambucano e vai até o litoral do Estado. A viagem terá início em Petrolina, passando em sua primeira fase por Salgueiro, Serra Talhada, Floresta, Itacuruba, Petrolândia, Tacaratu, Garanhuns, Caruaru, Bezerros, Ponta de Pedras, chegando a Olinda e Recife.

Haverá mais 2 fases, com passagem por outras Regiões de Desenvolvimento do Estado. Idealizadora e curadora do projeto, a premiada fotógrafa Patrícia Patriota ficará responsável pelos registros em vídeo e fotografia.

A expedição, que se trata de um projeto independente, conta também com a presença de Patrícia Xavier, gestora ambiental, além do acolhimento de importantes atores locais das comunidades a serem visitadas. (Foto: Ilustração)

Petrolina lança projeto Orla Nossa de preservação do Rio São Francisco

O prefeito Miguel Coelho (PSB) acompanha, nesta segunda-feira (20), às 10h, o lançamento do projeto Orla Nossa. A iniciativa agrega uma série de atividades para preservar o Rio São Francisco e envolver a população na defesa do maior patrimônio natural do Vale.

A primeira etapa do projeto foi destinada a estudos técnicos sobre a situação da orla fluvial. Agora, as equipes da Prefeitura irão retirar baronesas e lixo nas margens do Velho Chico. Também será realizada, em parceria com a Compesa, uma operação para identificar ligações clandestinas e fechar tubulações que despejam esgoto no rio.

O projeto Orla Nossa é uma iniciativa da Prefeitura de Petrolina coordenada pela Agência Municipal de Meio Ambiente (AMMA). O trabalho envolve diversas secretarias, Governo do Estado e IF Sertão na defesa do Rio São Francisco. (Foto: Ascom)

Projeto de professor da Facape prevê inclusão digital através de reciclagem de peças de informática

Para diminuir a desigualdade e estimular a democratização do acesso à tecnologia, o professor Eduardo Brito, do curso de Ciência da Computação da Facape (Faculdade de Ciências Sociais e Aplicadas de Petrolina), idealizou o projeto ‘Lixo Eletrônico’, que tem o objetivo de promover a inclusão digital em comunidades carentes de Petrolina. A iniciativa será colocada em prática por meio do reaproveitamento e reciclagem de equipamentos e peças de informática descartadas por usuários.

Segundo o IBGE, no Brasil a proporção de domicílios com computadores passou de 48,9% em 2013 para 48,5% em 2014, quando totalizou 32,5 milhões de residências. Apesar do expoente crescimento da presença de PCs em residências, 60% da população mundial, ou cerca de 4,2 bilhões de pessoas, seguem sem acesso à rede mundial dos computadores, afirma o Banco Mundial. O Brasil tem 98 milhões de pessoas que não têm acesso à internet, o sétimo país com mais pessoas offline.

O projeto do professor sobre o ‘lixo eletrônico’ prevê transformar as máquinas não mais utilizadas em novos computadores, que em pleno funcionamento, são doados para entidades sem fins lucrativos que compartilharão o uso com as comunidades. É a inclusão digital através de reciclagem de peças de informática descartadas por usuários, além de promover a preservação ambienta.

De acordo com Eduardo Brito, os outros objetivos do projeto são oferecer cursos gratuitos de montagem e manutenção de computadores, eletrônica e robótica a jovens carentes e promover campanhas educativas e palestras de caráter ambiental.

“O trabalho de reciclagem e montagem das máquinas é realizado por estudantes monitores, dos cursos de Ciência da Computação e Gestão de Tecnologia da Informação, que aprendem já dentro da Faculdade o valor de transformar a vida das pessoas através da tecnologia”, revelou..

Dados

O número de pessoas que acessaram a internet por meio de um microcomputador passou da metade da população com idade a partir de dez anos, chegando a 95,4 milhões. Em todas as grandes regiões, houve aumento do número de usuários, no Nordeste esse percentual chegou a 14,6%.

Magia da Sétima Arte ajuda a descontrair crianças internadas no HDM/Imip

As tardes de quinta-feira no Hospital Dom Malan (HDM)/Imip, em Petrolina, são um pouco diferentes para as crianças internadas no setor de pediatria da unidade materno/infantil. É que uma vez por semana, todas elas participam do projeto “Cineminha”, criado pelo Voluntariado do HDM/Imip em 2014 e abraçado pelo serviço de Terapia Ocupacional no ano seguinte. A ideia é proporcionar um momento de descontração e alegria aos pequenos.

De acordo com o coordenador do voluntariado, Rui Holanda, a iniciativa surgiu da necessidade de aliviar um pouco da dor, do sofrimento e do medo causado pelo período de adoecimento das crianças, tornando assim mais suave a rotina da vivência hospitalar. “O projeto começou em comemoração ao mês da criança e os resultados foram tão positivos que o ‘Cineminha” se tornou permanente, sob a supervisão da terapeuta ocupacional e o apoio do setor de tecnologia da informação, que prepara o auditório e seleciona os filmes. É um trabalho de parceria que tem dado muito certo, inclusive com uma notória melhora no quadro de saúde das crianças”, ressalta.

O projeto acontece após o lanche da tarde, no auditório do HDM, com direito a tela grande, sonorização e o escurinho típico dos cinemas convencionais. Podem participar todas os internos da pediatria e acompanhantes.

“A única restrição é para as crianças que não saem do leito. Para os pacientes acamados, nós desenvolvemos um outro tipo de trabalho direcionado. O ‘Cineminha’ é um evento extra, mas diariamente nós estamos na brinquedoteca do hospital oferecendo um espaço de lazer e diversão. São iniciativas que se somam e fazem a criança esquecer um pouco do internamento. Elas adoram, os pais também, e, muitas vezes, essa é a primeira experiência da família com a sétima arte”, revela a terapeuta ocupacional, Heloísa Helena de Oliveira.

Empolgação

Para a alegria da pequena Lara Gabriele Ferreira, de 7 anos, o filme exibido na última sessão foi o Madagastar 3, um dos seus favoritos. “Gostei demais”, disse timidamente. O Miguel Borges da Silva, de apenas 5 meses, foi outro que não tirou os olhos da telona. Sua mãe, Nadja Myla Moraes, fez questão de levá-lo à sessão afirmando que o menino adora o colorido dos filmes. Ela não negou que também se divertiu. “Já estou com meu filho no hospital há mais de 1 mês e poder ter um momento de relaxamento como esse é muito bom”. A ideia é que o projeto se mantenha por muitos anos e continue a presentear muitas crianças. As informações são da assessoria. (foto/divulgação)

Consórcio de municípios baianos discute implantação de projeto de fruticultura no sequeiro

A implantação da fruticultura no sequeiro foi tema da reunião do Consórcio Sustentável do Território do São Francisco (Constesf) ocorrida nesta terça-feira, 14, em Juazeiro (BA), com a presença de secretários municipais de agricultura dos dez municípios da região atendida pelo colegiado. O projeto é desenvolvido pela Embrapa Semiárido e busca fornecer aos pequenos produtores rurais um novo modelo de cultivo do umbu gigante (variedade desenvolvida pela Embrapa) e do maracujá do mato, fortalecendo a agricultura de base familiar e trabalhando o enriquecimento da caatinga.

O presidente do Constesf e prefeito de Canudos, Genário Rabelo, mediou as discussões juntamente com o diretor de projetos do Constesf, Frank Chaves, e os pesquisadores da Embrapa, Sérgio de Azevedo, Flávio de França Souza, Saulo Tarso Aidar e Fabrício Bianchini. De acordo Flávio de França, a fruticultura de sequeiro busca o desenvolvimento territorial através da disseminação de uma tecnologia de cultivo com base nas necessidades do homem do campo do semiárido, que precisa produzir mesmo em períodos de estiagem.

“Esse projeto pode trazer muitos outros que a Embrapa dispõe para potencializar a capacidade produtiva do homem do campo, e o Constesf é um bom caminho para chegar aos municípios que necessitam”, disse  Flávio.

Para o secretário de agricultura de Sento Sé, Humberto de Almeida, o papel do Constesf tem sido importante para que os gestores possam ter acesso a alternativas que aumentam as condições de sobrevivência no meio rural.

“Pra nós, agentes públicos, o Constesf representa uma entidade articuladora que fortalece a região no tocante a nos direcionar a projetos valiosos como esse, uma tecnologia nova, fácil e barata, que é uma alternativa para ajudar o homem do campo a sobreviver nesse período de estiagem que estamos vivenciando”, afirmou.

Oportunidade

Segundo o presidente do Constesf, essa é uma oportunidade que os municípios estão tendo de potencializar a agricultura familiar. “A partir dessa discussão que tivemos aqui, cabe agora a cada prefeitura se posicionar para que juntos possamos pensar em um convênio que irá proporcionar um plano de trabalho que leve o projeto da Embrapa aos pequenos agricultores”, declarou o prefeito Genário Rabelo. Estiveram presentes ainda os secretários de Curaçá, Pilão Arcado, Sobradinho, Casa Nova, Remanso, Juazeiro, Sento Sé, Canudos, Campo Alegre de Lourdes e Uauá. (Foto: Ascom)

Sob protestos de militares e da bancada de oposição, Comissões da Alepe aprovam projeto de reajuste das corporações

O reajuste proposto pelo Governo do Estado para policiais e bombeiros militares de Pernambuco foi aprovado pelas Comissões de Justiça, Finanças e Administração da Assembleia, em reunião conjunta realizada nesta segunda (13), no Plenário da Alepe. O Projeto de Lei Complementar nº 1166/2016 foi aprovado com as emendas nº 01, do Poder Executivo, e nº 02, da Comissão de Justiça. A votação ocorreu sob protesto de deputados de oposição, que consideraram haver descumprimento das regras de tramitação da matéria. Também houve manifestações contrárias feitas por militares, nas galerias e em frente ao Palácio Joaquim Nabuco.

O principal ponto da emenda do Governo incluiu os pensionistas no reajuste proposto, além de outras pequenas alterações e correções. Segundo o Executivo, “a menção aos inativos seria, a rigor, desnecessária, mas a inclusão evita qualquer discussão sobre o efetivo enquadramento dessa parcela de servidores na nova lei”. A emenda apresentada pela Comissão de Justiça retirou artigo do projeto que permitia que o governo editasse decretos com normas complementares à lei.

O relator da proposta nas Comissões de Justiça e Finanças, deputado Romário Dias (PSD), declarou que se reuniu com todos os interessados no projeto, a fim de produzir seu relatório. “Só não fui procurado por nenhum deputado da oposição”, ressaltou. Segundo o parlamentar, a retirada da possibilidade de regulamentação do texto por decreto foi um pedido de representantes dos policiais. Com relação ao aspecto financeiro, Dias observou que “foi verificado que o projeto não fere a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF)”.

Retirada

A Bancada de Oposição tentou adiar a votação, argumentando que o artigo 231 do Regimento Interno prevê um prazo de cinco reuniões ordinárias para apreciação e apresentação de emendas a projetos em regime de urgência, como é o caso. Esse período se encerraria no dia 15. “Nosso Poder, que já está tão desmoralizado, vai perder o reconhecimento da sociedade se não respeitarmos o Regimento. Se houver descumprimento, vamos ingressar com uma ação judicial contra a decisão”, anunciou o líder da Oposição, Sílvio Costa Filho (PRB).

O líder do Governo, Isaltino Nascimento (PSB), afirmou não ter havido qualquer questionamento relativo à realização da reunião conjunta, e foi a oposição quem pediu a presença de secretários do Governo para esclarecer alguns pontos da matéria. “Estamos discutindo uma filigrana técnica, enquanto todos sabemos que o Governo já apresentou sua proposta máxima, que vai custar quase R$ 1 bilhão em dois anos. A quem interessa estender essa discussão, num momento próximo a um grande evento como o Carnaval?”, indagou.

Segundo o secretário de Planejamento do estado, Milton Coelho, parte do aumento salarial em 2017 será custeado com o superávit de R$ 90 milhões obtido pelo Estado no ano passado, com o acréscimo de R$ 40 milhões de reajuste de algumas taxas destinadas ao Corpo de Bombeiros. “Quando as gratificações de transporte deixam de ser auxílio e são incorporadas ao salário, o impacto chega a R$ 303 milhões”, esclareceu Milton Coelho. (Foto- Comunicação Alepe)

Cultura da goiaba deverá ser estimulada em Itacuruba

Produtores rurais de Itacuruba (PE), no Sertão de Itaparica, deverão receber um estímulo para alavancar a cultura da goiaba. O atual prefeito, Bernardo Maniçoba, autorizou o secretário de Agricultura, Onildo Cantarelli, a avançar com a elaboração de projetos a serem desenvolvidos nos próximos anos. Uma das áreas a serem beneficiadas é justamente o plantio da goiaba. O foco é, sobretudo, a geração de emprego e renda no município.

Essa semana, o secretário visitou um projeto já em andamento no município de Mirandiba (PE), Sertão Central, e após conversar com o técnico responsável, enxergou a possibilidade de viabilizar esse projeto em Itacuruba.

Ainda em fase preliminar, a iniciativa deverá contar com apoio do governo municipal, que deverá dar as condições adequadas para o plantio, como a possibilidade de um destino certo à produção.

A fruta deverá ser comercializada para as empresas Tambaú e Palmeiron, para ser usada na produção de doces, geleias e polpas.

“Precisamos gerar renda, trabalho, ocupação e melhorar a qualidade de vida da nossa população. Projetos como esse vão garantir um futuro melhor para nossa gente. Produzida em áreas pequenas, a goiaba fortalece a agricultura familiar na região. Esse é o primeiro passo de uma política de geração de emprego e renda. Aposto na agricultura como meio para afastar o ‘fantasma’ do desemprego em nosso município”, destacou o prefeito.

Resultados

Segundo Onildo, o investimento tem resultados garantidos. “Temos o desafio de mostrar às famílias como qualificar o cultivo e aproveitar o potencial de geração de renda. A ideia é apresentar uma alternativa, uma opção a mais ao agricultor itacurubense”, pontuou. (fonte/foto: Ascom divulgação)

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br