Polícia prende em Belém do São Francisco fugitivo do presídio de Petrolina

Foragido do presídio Dr. Edvaldo Gomes, em Petrolina, e considerado perigoso, o detento Jocélio da Cruz Maxi foi capturado neste domingo, 16, em Belém do São Francisco, no Sertão de Itaparica, pelo efetivo do Gati da 1ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM). Além de uma longa ficha criminal, o fugitivo também é acusado de tentativa de homicídio ocorrida no sábado, 15, que deixou uma vítima baleada com um tiro na coxa.

O preso também é acusado de tentativa de assalto, que feriu com disparo de arma de fogo um cabo da PMPE, no último dia 8 de abril. Ao ser detido, Jocélio tentou negar possuir uma arma de fogo, mas os policiais notaram um volume estranho na cintura da mãe dele, identificada por Juvelina. Após revistarem a mulher, eles encontraram o revólver calibre 38, usado para cometer os crimes.

Diante dos fatos, mãe e filho foram levados presos e encaminhados à Delegacia de Polícia Civil (DPC), em Floresta (PE), também no Sertão de Itaparica. O tenente coronel José Roberto, comandante da 1ª CIPM, informou que o foragido foi ouvido pela Polícia Civil e, em seguida, transferido para a Cadeia Pública de Belém do São Francisco.

 

 

Assassinato de sindicalista em Petrolina teve participação de dois filhos menores de acusada, dizem delegados

A sindicalista Abenigna Lúcia do Bonfim, de 67 anos, encontrada morta dentro de sua residência no último dia 5 de abril, na Rua 87 da Cohab V, zona oeste de Petrolina, foi vítima de latrocínio. O crime, que chocou a comunidade, foi premeditado e teve ainda a participação de dois menores – uma garota de 17 anos e um jovem de 14. Ambos são filhos de Alessandra de Castro Silva, 42, uma das acusadas pela morte da idosa, que teve como cúmplice Leandro dos Santos Ferreira, 20. Os detalhes do caso foram trazidos a público ontem (10) pelos delegados da Polícia Civil, Sara Machado, Marceone Ferreira e Magno Neves, numa coletiva de imprensa realizada na sede do Ministério Público de Pernambuco (MPPE). O promotor Lauriney Lopes, além da vereadora Cristina Costa – que era amiga de Abenigna – também participaram da coletiva.

Alessandra era vizinha da vítima e morava recentemente no bairro, numa casa de aluguel. Ele passou a ter mais contato com a idosa após ter a energia elétrica cortada de sua residência. Segundo Sara Machado, Abenigna permitia que os dois filhos da acusada assistissem televisão em sua casa, por conta do problema, e também pegavam água gelada com a vizinha.

Foi nesse período em que Alessandra conseguiu levantar informações sobre o patrimônio financeiro da sindicalista. Ela ficou sabendo que Abnegina tinha uma poupança de R$ 20 mil e que receberia sua aposentadoria no dia 4 de abril, além de ter acesso a documentos sobre uma possível indenização que a idosa ganharia.

Alessanra conheceu Leandro, o outro acusado pelo crime, através do filho dela de 14 anos. No dia do crime, os dois filhos dela tiveram a função de vigiar quem passava pela rua, enquanto os acusados roubavam a residência da vítima. Os delegados não têm dúvidas que Abenigna foi assassinada por conhecer Alessandra. Ela primeiro levou um soco no rosto, desferido por Leandro, e caiu desacordada. Em seguida, ele asfixiou a aposentada com um saco plástico e fita crepe. Depois amarrou os pés e mãos da vítima com pedaços de pano de sua própria roupa.

Denúncia

Após investigações junto a alguns vizinhos, entre eles a acusada e sua filha de 17 anos, que tiveram pela última vez com Abenigna, os delegados perceberam algumas contradições. A polícia chegou à conclusão de que Alessandra havia participado do crime após uma denúncia anônima. Ela foi encaminhada para a Cadeia Pública Feminina de Petrolina, enquanto Leandro foi conduzido à Penitenciária Dr.Edvaldo Gomes. Já os filhos de Alessandra tiveram como destino a Funase/Case. (foto/divulgação)

Presos em Petrolina acusados de assassinar sindicalista

Policiais civis da 25ª Delegacia de Homicídios, chefiada pela delegada Sara Machado, prenderam neste sábado (8) os acusados pelo assassinato da sindicalista Abenigna Lúcia do Bonfim, de 67 anos. Um deles é Alessandra de Castro Silva, de 42. O outro acusado é Leandro dos Santos Ferreira, de 20.

Abenigna foi encontrada pela polícia na última quarta (5), morta dentro de sua própria residência. Ela estava com as mãos amarradas e um saco plástico cobrindo a cabeça.

De acordo com a assessoria da Polícia, a coletiva com todos os detalhes da investigação ocorrerá na próxima segunda-feira (10), às 15h, no auditório do Ministério Público em Petrolina, com os delegados que participaram da investigação. (foto/reprodução Facebook)

Homens acusados de roubo são presos na Orla de Petrolina

Uma equipe da Guarda Civil Municipal (GCM) de Petrolina prendeu dois elementos, no final da tarde de ontem (2), na Orla II da cidade. Tomé dos Anjos Gomes, de 33 anos, e Igor Barreto dos Santos, de 26, são acusados de roubo.

A denúncia foi feita à GCM por um homem, que se declarou vítima dos suspeitos. Ele contou aos guardas que foi abordado por dois desconhecidos, que levaram uma bolsa de costas depois de ameaçá-lo com uma faca tipo peixeira.

Após diligência que contou com o reforço do Grupamento Tático Motorizado (GTM), Tomé e Igor foram localizados e presos. Em seguida a dupla foi conduzida à Delegacia da Polícia Civil (DPC) do Bairro Ouro Preto. (fonte: Ascom PMP)

Mulheres são vítimas de violência doméstica em Senhor do Bonfim; Uma delas é mãe do agressor

Duas mulheres foram vítimas de violência doméstica em Senhor do Bonfim, norte da Bahia, neste final de semana. Policiais da 1ª Companhia do 6º Batalhão de Polícia Militar (BPM) prenderam um homem de 42 anos por agredir sua própria mãe, de 79. O fato aconteceu no último sábado (18), no Bairro Alto da Maravilha.

O acusado (que não teve o nome revelado) foi apresentado à Delegacia de Polícia Civil (DPC) e autuado em flagrante.

No mesmo dia a equipe da 1ª Companhia do 6º Batalhão de Polícia Militar prendeu um homem de 27 anos por agredir a namorada de 38, no Bairro Rodoviário. A vítima foi socorrida ao hospital pelo Samu. O acusado, que também não teve a identidade divulgada, resistiu à prisão e ameaçou a guarnição. Após ser detido, ele foi apresentado à DPC e autuado em flagrante.

Por  8 votos a 1, STF decide manter Eduardo Cunha preso

Por 8 votos a 1, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu hoje (15) manter a prisão do ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), na Operação Lava Jato. Cunha está preso desde outubro do ano passado em um presídio na região metropolitana de Curitiba, por determinação do juiz federal Sérgio Moro.

A Corte julgou nesta tarde recurso protocolado pela defesa de Cunha. Os ministros acompanharam voto proferido pelo relator, ministro Edson Fachin. O ministro entendeu que não houve ilegalidade na decisão de Sérgio Moro.

O entendimento de Fachin foi acompanhado pelos ministros Luís Roberto Barroso, Rosa Weber, Luiz Fux, Dias Toffoli, Gilmar Mendes, Celso de Mello e da presidente, Cármen Lúcia.

Único a votar pela soltura de Cunha, Marco Aurélio criticou a prisão cautelar de investigados na Lava Jato que ainda não foram condenados. Para o ministro, a prisão provisória foi generalizada durante as investigações.

Vantagens indevidas

A prisão foi decretada na ação penal em que o deputado cassado é acusado de receber R$ 5 milhões, que foram depositados em contas não declaradas na Suíça. O valor seria oriundo de vantagens indevidas, obtidas com a compra de um campo de petróleo pela Petrobras em Benin, na África. O processo foi aberto pelo Supremo, mas, após a cassação do mandato do parlamentar, a ação foi enviada para o juiz Sérgio Moro porque Cunha perdeu o foro privilegiado. (fonte: Agência Brasil/foto arquivo)

Guarda Municipal de Petrolina prende dupla por tentativa de homicídio no Gercino Coelho

Guardas municipais de Petrolina conseguiram evitar uma tentativa de homicídio no Bairro Gercino Coelho, zona leste de Petrolina, na tarde de hoje (15), e prenderam os acusados. O fato aconteceu por volta das 16h15. Os suspeitos agrediam um homem com chutes e socos, além de atingir com uma pedra.

Os guardas abordaram os acusados, que foram presos em flagrante e encaminhados à Delegacia de Polícia Civil (DPC).

Eles foram identificados como Caio Henrique e Felipe Nascimento. A Guarda Municipal informou que a vítima foi ferida com gravidade na cabeça e encaminhada ao hospital. (foto/divulgação)

Advogada acusada de apropriação indébita e estelionato é presa em Petrolina

Policiais civis da 26ª Delegacia Seccional (Desec)/Malhas da Lei prenderam em Petrolina, nesta quarta-feira (15), a advogada Graciane Coelho de Macedo. Segundo informações da 26ª Desec, a acusada lesou e vinha lesando diversos clientes na cidade, desde o ano de 2010, acumulando um patrimônio considerável e residindo numa casa de luxo no Condomínio Sol Nascente (zona leste de Petrolina), onde foi presa.

Contra Graciane, que tinha mandado de prisão em aberto, pesam os crimes de apropriação indébita, estelionato, fraude processual e patrocínio infiel (quando o advogado ou procurador prejudica interesse de quem deveria resguardar ou que lhe seja confiado).

A prisão da advogada foi decretada após representação do delegado de Polícia Civil, Daniel Moreira, e decretada pelo juiz da 1ª Vara Criminal de Petrolina, Elder Muniz.

Giro de notícias

‘Racha’ termina com dois mortos em Petrolina

Dois jovens morreram no final da tarde de ontem (12), em Petrolina, num acidente envolvendo as motocicletas que conduziam. De acordo com o 5º BPM, as vítimas são Pedro Henrique do Nascimento, de 23 anos, e Carlos Eduardo de Souza, de 18. Um deles, conforme a polícia, estaria praticando um racha na avenida principal do Loteamento Nova Petrolina e acabou colidindo de frente com a outra vítima. Quando os PMs chegaram ao local, os dois jovens já estavam mortos. Os corpos foram recolhidos ao IML local. (mais…)

Estudante de Juazeiro a caminho da matrícula em universidade de Sergipe é detido e critica polícia

Três estudantes de Juazeiro (BA) foram detidos no município de Piranhas, Sertão de Alagoas, dentro de um ônibus interestadual. Um deles fez uma postagem no Facebook criticando a ação dos policiais, dizendo que foi xingado e chamado de vagabundo. A polícia alagoana diz que a operação era para prender suspeitos de roubo a banco e nega que tenha havido abuso.

O caso foi registrado na quinta-feira (2), na Delegacia Regional de Delmiro Gouveia, município vizinho ao de onde aconteceu a abordagem. O estudante Diogo Delláias afirmou que saiu de Juazeiro com um amigo para fazer a matrícula na Universidade Federal de Sergipe (UFS). “Houve uma confusão porque acharam que eu e meu amigo estávamos conversando com o suspeito, mas isso não aconteceu. Minha cadeira era mais na frente e meu amigo estava no final do ônibus, sentado ao lado dessa pessoa procurada. Fui para a parte de trás ficar perto do meu amigo. Mas não chegamos a falar com o outro jovem“, disse Delláias.

De acordo com o estudante, ele e o amigo, Matheus Gomes, foram aprovados nos cursos de química e química industrial, e seguiam viagem juntos. O terceiro estudante detido era conhecido deles, mas não seguia para a UFS.

A polícia diz que no momento da abordagem ao suspeito, preso com dinheiro queimado, arma e munições, os estudantes conversavam com ele e por isso foram levados para a delegacia, para prestar esclarecimentos.

No post, que viralizou na internet, ele relata como aconteceu a ação policial. “A polícia manda os suspeitos (inclusive nós) sentarem no asfalto, sim, às 14h, ou seja, asfalto ‘frio’. Aí vem os xingamentos… ‘A casa caiu, vagabundo’, ‘Tá de tênis porque sabia que ia cair’, ‘Bora, fala logo, vagabundo'”, descreve o estudante.

Ele diz que, mesmo informando e mostrando aos policiais os documentos que comprovam que iriam fazer a matrícula na universidade, os dois foram colocados no camburão junto a outros dois jovens. “Sabe aquele lugarzinho apertado que os presos são levados? Fomos nele. Aí me vi naquela situação e não contive as lágrimas, chorei sim”, diz outro trecho do post na web.

Na delegacia, segundo Delláias, os estudantes ficaram em uma cela com os outros suspeitos. “Só pensava em minha família e amigos. Mas tudo ocorreu bem, na medida do possível. Prestei depoimento, nos pediram desculpas e fomos liberados”, continua o post.

Depois de liberados, os estudantes pegaram um transporte para Paulo Afonso e depois conseguiram outro carro para Aracaju, onde fizeram a matrícula. “Não recebemos ajuda para ir a Aracaju, o que poderia ser feito, já que ficou comprovado que houve o engano“, questiona. “Não somos contra a polícia nem toda a equipe, mas a atitude de alguns, que mesmo percebendo e vendo documentos comprovando que não éramos culpados, ainda nos levaram para a delegacia“, critica Delláias.

Polícia

O delegado regional de Delmiro Gouveia, Rodrigo Cavalcanti, confirmou que os dois estudantes foram detidos, mas negou que tenha ocorrido excesso. O delegado disse que quando a polícia recebeu a denúncia, foi informada de que havia mais de um suspeito no ônibus. “Eles foram conduzidos para a delegacia porque estavam conversando com um jovem suspeito de roubo a banco. A polícia encontrou com esse suspeito arma de uso restrito, munições e dinheiro, e como testemunhas disseram que eles estavam conversando, todos foram levados para a delegacia”, disse o delegado.

Sobre a informação de que os estudantes ficaram em uma cela, o delegado negou. “Todos ficaram em uma antessala até serem ouvidos. Depois que foi esclarecido que só um era suspeito, os outros três foram liberados. O suspeito foi preso e levado para a cela. Em nenhum momento houve abuso ou eles foram maltratados”, falou o delegado.

O comandante do 9º Batalhão da PM, major Hebert, que participou da operação, negou que os estudantes foram maltratados.  “Não existe isso. Recebemos a denúncia e fizemos o procedimento padrão. Os policiais pegaram um rapaz com armas e dinheiro queimado. Como os quatro detidos estavam conversando, todos foram levados para a delegacia para os devidos procedimentos”, afirma o major. (fonte: G1-AL/foto: reprodução Facebook)

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br