Paulo Valgueiro joga para jurídico e presidente da Câmara presença de servidor da PMP sobre polêmica ‘mala preta’

Frisando que fez o papel de fiscalizador e defensor do Legislativo Municipal de Petrolina, o líder da oposição, vereador Paulo Valgueiro (PMDB), disse nesta quinta-feira, 20, que agora caberá aos advogados da Casa e ao presidente da Mesa Diretora, Osório Siqueira (PSB), a vinda do servidor Talles Khalil para esclarecimentos, conforme aprovado no seu requerimentos na última terça, 18.

O servidor foi acusado pelos vereadores de denegrir a imagem da Câmara e dos vereadores, ao espalhar nas redes sociais, segundo Valgueiro em seu requerimento, um banner apócrifo sobre uma suposta ‘mala preta’ na Casa Plínio Amorim em troca da aprovação das contas do ex-prefeito Julio Lóssio (PMDB).

O servidor mandou informar que não iria porque o Regimento Interno da Câmara não permite. O vereador da situação, Aero Cruz (PSB), reforçou o argumento de Talles após consultar o departamento jurídico da Casa, mas Valgueiro afirma que fez o seu papel de fiscalizador.

“O requerimento foi aprovado e cabe ao presidente a Casa e ao jurídico convocar ou não o servidor. Fiz minha parte. Ficará agora a cargo da presidência”, ressaltou, lembrando que quem encaminha o requerimento é Osório. Sobre a defesa de Aero ao servidor, Valgueiro não deixou passar em branco. “Se Aero consegue afirmar que não foi Talles Khalil, então ele deve sabe quem foi. Essas definições de obrigar ou não a vinda do servidor, repito, cabe agora ao jurídico da Casa. Minha função é fiscalizar”, acrescentou o oposicionista.

Julio Lossio Filho

Quem também falou sobre esse assunto foi o estudante de Direito, Julio Lossio Filho, presidente municipal do PMDB, que veio passar o feriado na cidade e foi à Casa Plínio Amorim, a convite dos amigos peemedebistas na Câmara. Filho do ex-prefeito, Julinho tachou de “falta de respeito” com a imagem do seu pai o envio do banner da ‘mala preta’.

“Eu achei muita falta de respeito, até porque meu pai não está aqui para responder. As contas dele foram aprovadas pelo Tribunal de Contas, e aqui cada um sabe o que faz e irá avaliar com suas consciências”, destacou, frisando que o melhor é que tanto o grupo do pai dele como o do atual prefeito Miguel Coelho (PSB), trabalham “pelo melhor por Petrolina”.

 

Vereador oposicionista mostra estar desinformado em relação a recente polêmica na Casa Plínio Amorim

Difícil a situação da Câmara de Vereadores de Petrolina. Nossos parlamentares poderiam aproveitar o tempo de forma mais eficiente para ações mais produtivas. Estudar, por exemplo.

Poderiam começar pela Lei Orgânica e o Regimento Interno. Se o vereador Paulo Valgueiro (PMDB), por exemplo, fizesse isso, não estaria promovendo um ‘cavalo de batalha’ por uma questão inconstitucional e desprovida de amparo legal.

É que o artigo 222 do Regimento Interno da Casa Plínio Amorim é muito claro: diz que só podem ser convocados para prestar esclarecimentos secretários ou responsáveis por entidades públicas da administração. Somente o responsável. Ainda assim, esse profissional só estará obrigado a responder assuntos da administração do órgão ao qual está veiculado.

Portanto, o servidor comissionado Talles Khalil não é obrigado a comparecer à Casa. Ou seja, o vereador está desinformado. Esperamos um nível melhor de trabalho até o final dessa legislatura.

Lideranças comunitárias prometem campanha para faculdade de Medicina de Juazeiro permanecer em área

Representantes dos moradores de bairros como Parque Residencial, Antônio Guilhermino, Brisa da Serra, João Paulo II e adjacências, em Juazeiro (BA), prometem ir às ruas da cidade para evitar que a faculdade de Medicina, que deverá se instalar na cidade, não troque o terreno próximo a essas comunidades por outro localizado na área do Juá Garden Shopping.

Lideranças como Jackson Reis, do Parque Residencial; Antônio Castro, presidente da Associação de Moradores do Antônio Guilhermino; e Cláudio Rodrigues, líder comunitário do Residencial Brisa da Serra afirmaram que estão atentos aos desdobramentos desse impasse e antes de qualquer campanha na rua, pretendem conversar com o prefeito Paulo Bomfim e o ex-prefeito e atual secretário de Planejamento Estratégico do município, Isaac Carvalho.

“Inicialmente nós queremos conversar com o prefeito e o ex-prefeito para se buscar meios de manter a faculdade na nossa área. Queremos entendimento. Caso contrário, vamos às ruas de Juazeiro com todo poder de mobilização que a gente tem”, antecipou Jackson Reis.

Para Antônio Castro, se a unidade for para um terreno autorizado e licitado, localizado no João Paulo II, a população irá ter muito benefícios. “Um novo campus, hospital-escola, policlínica, geração de emprego e renda e mais dinheiro para a saúde. Além disso, a faculdade ocupará uma área de apenas 3 mil metros quadrados no shopping, quando poderia ocupar 13 mil metros quadrados em nossa comunidade”, revelou Castro. (Foto/reprodução internet)

Jatobá: Padre surpreende ao anunciar, durante missa, que deixa batina para buscar “grande amor”

Ainda está dando o que falar entre a população de Jatobá (PE), Sertão de Itaparica, a polêmica decisão do padre católico Edson Fernando Novaes, mais conhecido na comunidade como Padre Nando. Administrador da paróquia local Nossa Senhora Aparecida, ele surpreendeu ao anunciar, no início deste mês, que estava largando a batina “para viver um grande amor”.

O anúncio foi feito religioso na celebração da missa realizada na nova capela do município, no último dia 2,  quando Padre Nando revelou estar em busca de um relacionamento com uma mulher.

“Hoje é meu último dia de padre, eu não podia dividir minha vida de padre com essa experiência afetiva, não podia. Seria uma afronta a Jesus Cristo, um desrespeito ao povo. Então pedia ao bispo um tempo, uma suspensão provisória do ministério para que eu possa fazer essa nova experiência e, quem sabe, está aí minha felicidade. Nesses 15 anos, 3 meses e 18 dias como padre, me realizei bastante, e pela graça de volta para cá (Jatobá), mais ainda. É uma pena que no meu retorno, vinha com essa crise interior. Então não puder dar o meu melhor, como naquela ocasião em que estive aqui a oito anos atrás. Tive a graça de ficar aqui três anos e aprendi a amar cada um de vocês. Agradeço de coração a cada um o amor que compartilhamos e peço a cada um de vocês que rezem por mim, e que em nenhum momento se deixem abalar, enfraquecer na fé, porque a maior razão de nossas vidas se chama Jesus Cristo! Peço perdão, desculpas pelas inúmeras falhas, e também por essa minha atitude. Se decepcionou, se magoou alguém, se escandalizou alguém, peço mil desculpas porque essa não é, não foi e não será minha intenção”.

Padre Nando finalizou dizendo que continuará amando todos os fieis e que jamais gostaria de manchar essa igreja, mas justificou que é apenas “um ser humano”. O agora ex-padre também anunciou que não desistirá da caminhada presbiteral, e irá continuar sendo “um colaborador e grande cristão da Igreja Católica”.  (fonte/foto: Petrolândia Notícias)

A nova polêmica em Juazeiro e o silêncio da oposição

Uma nova polêmica se instalou em Juazeiro (BA) e a oposição, que tanto criticou a gestão Isaac Carvalho e seu sucessor Paulo Bomfim, se calou. A cobrança da taxa de lixo na conta de água continua repercutindo negativamente e a gestão permanece mobilizada para minimizar as críticas da população, que não se agradou muito da nova forma que a taxa passou a ser cobrada.

Aprovado na Câmara Municipal no final da gestão passada, o projeto atribui ao Serviço de Água e Saneamento Ambiental (SAAE) a cobrança mensalmente da taxa de lixo, que anteriormente era cobrada anualmente através do IPTU. O fato é que, mesmo diante da insatisfação dos moradores, os opositores permanecem inertes, mostrando que Bomfim está, de fato, nadando no ‘mar da tranquilidade’.

Artigo do Leitor: Em Pedrinhas, moradora diz que população reclama, mas não quer água tratada na comunidade

 

Mary Gonzaga, proprietária de casa na comunidade de Pedrinhas, área ribeirinha de Petrolina, escreve ao Blog para explicar sobre a situação polêmica da água consumida pelos moradores do lugar. Lá, existem um sistema novo, pronto para levar água tratada às residências, mas um impasse entre os próprios moradores, tem impedido que a população passe a consumir água potável. Confira:

O caso específico de Pedrinhas é algo marcante, inusitado e tenho certeza de que o prefeito Miguel Coelho não tem conhecimento desses desmandos. Na primeira semana de 2017, o prefeito Miguel Coelho reuniu autoridades e pessoas de sua confiança e da Codevasf e foi inaugurar um “Elefante branco” que estava lá há anos.

O vereador Ibamar Fernandes é testemunha de quantos anos tem essa coisa que está lá no meio da praça. Eu estava lá. O Prefeito inaugurou simbolicamente. Agora o povo não quer. E aí? Começou a ocorrer um aguaceiro que se direciona para minha casa que fica na esquina. É da caixa velha antiga que ao que tudo indica tem um problema.

Tem que transbordar, porque do contrário não abastece as demais casas da vila que ficam nas laterais do asfalto. A caixa nova, disse-me o Sr. Moreira, que teria ficado encarregado de ligar o sistema, na presença da sua esposa, que lhe foi entregue uma chave por um encarregado da Codevasf (ele não soube precisar o nome).

Que deveria o Sr. Moreira ligar essa água todos os dias para evitar queimar um determinado dispositivo. Segundo a presidente da Associação, Dona Helena, o encarregado entregou essas chaves a ela, que é presidente e que isso deveria ser feito por um mês, para testar. Desde então a caixa é ligada, mas não temos água tratada nas nossas casas.

A presidente disse que lá não terá água tratada porque o povo não quer. Nem ela. Que o povo não pode pagar! O mesmo me falou o Sr. Moreira: que o povo não quer.

Por outro lado, moradores estão abrindo valas e valas em direção ao que seria uma pracinha e enchendo-a de água de esgoto. O chamado esgoto a céu aberto. O vizinho da casa da Vice Prefeita Luska Portela fez, a do outro lado também e assim vai, uma podridão sem fim, possibilidades de doenças várias e outras endemias.

Os mesmos moradores que não querem a água, estão culpando o prefeito. A pergunta é: culpando do quê? O prefeito sabe desses desmandos? A Codevasf não age por quê? Quem liga essa água precisa de autorização do povo? É assim que funciona?

O que falta é uma ação coercitiva, o que é normal no Direito Administrativo, no sentido de preservar o bem público, evitar o desperdício e evitar endemias e até possíveis epidemias. Nesse sentido o Poder Público pode agir. E creio que o prefeito, bem intencionado que foi e que é, agirá conforme a Legislação, usando seu Poder de Polícia, inerente ao Direito Administrativo.

Mary Gonzaga, proprietária de casa nas Pedrinhas

Cobrança da taxa de lixo na conta de água passa a vigorar em Juazeiro, mas não agrada população; SAAE esclarece

A taxa de lixo que é era paga no IPTU de Juazeiro (BA) passou a ser cobrada na conta de água. Com essa mudança, o consumidor vai pagar esse tributo mensalmente. Mas essa novidade não agradou todos os juazeirenses, pois muitos deles afirmam não ter conhecimento sobre o assunto. (mais…)

Miguel desmistifica polêmica sobre o São João 2017: “Serão 13 dias de festa, quatro nos bairros e nove no pátio oficial”

A matemática entra em campo para pôr fim à polêmica de quantos dias serão de festa no São João 2017 em Petrolina. E quem resolveu fazer a conta direitinho para que todos vejam que matemática é ciência exata, foi o prefeito Miguel Coelho (PSB), durante sua entrevista na transmissão ao vivo pela página do Blog no Facebook, ocorrida na tarde desta quarta-feira, 22.

Conforme o prefeito houve uma confusão nas cabeças das pessoas depois que ele disse que o São João este ano seria iniciado dia 16 de maio com o retorno dos festejos nos bairros, e que de 16 a 24 de junho, a festa vai acontecer no pátio oficial Ana das Carrancas.

“Quem critica que são 34, 35, 39 dias de festa, simplesmente não esta sabendo fazer a conta, porque o que anunciamos e que iriamos iniciar o período junino mais ou menos em 16 de maio nos bairros, indo até  16 de junho que é quando começaremos a festa no pátio oficial que vai de 16 a 24 de junho. Mas esses quatro finais de semana não quer dizer que serão todos os dias de festa, ninguém aguenta, a Prefeitura iria quebrar”, assinalou o gestor.

 A proposta, conforme Miguel Coelho é a retomada do São João dos Bairros quando serão escolhidos quatros bairros nas quatro regiões da cidade, para que um dia em cada final de semana, haja os festejos juninos nesses locais.

“É fazer o São João em cada bairro, para movimentar a economia para que a gente possa valorizar o artista local, enfim, para poder resgatar os desafios da rua mais ornamentada, quem fazia a melhor quadrilha, a dança mais bonita, valorizar o artista do bairro. Então, se for juntar todos os dias de festa e somar, são quatro dias nos bairros e mais nove no pátio de evento. Então são 13 dias de festa”, ressaltou o prefeito petrolinense.

Miguel comentou que fará a festa junina em Petrolina, ampliando os festejos e tudo dentro do controle, e ainda assim, economizando se comparar com o que se investiu na festa no ano passado.

“Não estamos fazendo nada fora do controle e, outra, mesmo com a volta do São João dos bairros, conseguiremos reduzir em R$ 1 milhão o que foi investido na festa no ano passado. Portanto, é fazendo mais, gastando menos e fazendo melhor, e ainda por cima, valorizando a cultura dos bairros e a cultura local”, concluiu o prefeito.

Lagoa Grande: Prefeito garante que estudantes estão sendo atendidos com transporte

A polêmica sobre o transporte dos estudantes universitários e de cursos técnicos de Lagoa Grande, no sertão do São Francisco, ganha novos capítulos a cada dia. Após um protesto com cerca de 30 alunos em frente à Prefeitura esta semana, alegando que o transporte ainda não está regulamentado, o prefeito Vilmar Cappellaro (PMDB) garante que o município vem atendendo o grupo.

O prefeito comentou que inclusive irá firmar parceria com a Prefeitura de Santa Maria da Boa Vista, também no sertão do São Francisco, para que as duas administrações possam atender os estudantes, já que são transportados poucos alunos de Santa Maria para unidades de ensino em Petrolina, para onde se deslocam a maioria dos alunos das duas cidades sertanejas.

Carnaval do Bairro Areia Branca acaba, mas deixa ‘pequena’ polêmica

O Carnaval do Bairro Areia Branca – um dos polos oficiais da folia -, na zona leste de Petrolina, aconteceu no dia de ontem (26), levando um grande público não só do bairro, mas de comunidades vizinhas. E correu com tranquilidade. Até aí, tudo normal. O problema está em relação à logística da festa.

Alguns moradores, em contato com este Blog, mostraram-se indignados por conta da estrutura do palco num trecho da Avenida São Francisco, onde foi realizada a folia. O motivo é que a pavimentação asfáltica, recém-implantada na avenida, teve de ser quebrada para instalar o palco.

“Será que precisava mesmo terem quebrado o asfalto, por causa de apenas um dia de festa?”, indagou, em tom de lamentação, um dos comunitários da área.  Com a palavra, a prefeitura.

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br