Miguel desmistifica polêmica sobre o São João 2017: “Serão 13 dias de festa, quatro nos bairros e nove no pátio oficial”

A matemática entra em campo para pôr fim à polêmica de quantos dias serão de festa no São João 2017 em Petrolina. E quem resolveu fazer a conta direitinho para que todos vejam que matemática é ciência exata, foi o prefeito Miguel Coelho (PSB), durante sua entrevista na transmissão ao vivo pela página do Blog no Facebook, ocorrida na tarde desta quarta-feira, 22.

Conforme o prefeito houve uma confusão nas cabeças das pessoas depois que ele disse que o São João este ano seria iniciado dia 16 de maio com o retorno dos festejos nos bairros, e que de 16 a 24 de junho, a festa vai acontecer no pátio oficial Ana das Carrancas.

“Quem critica que são 34, 35, 39 dias de festa, simplesmente não esta sabendo fazer a conta, porque o que anunciamos e que iriamos iniciar o período junino mais ou menos em 16 de maio nos bairros, indo até  16 de junho que é quando começaremos a festa no pátio oficial que vai de 16 a 24 de junho. Mas esses quatro finais de semana não quer dizer que serão todos os dias de festa, ninguém aguenta, a Prefeitura iria quebrar”, assinalou o gestor.

 A proposta, conforme Miguel Coelho é a retomada do São João dos Bairros quando serão escolhidos quatros bairros nas quatro regiões da cidade, para que um dia em cada final de semana, haja os festejos juninos nesses locais.

“É fazer o São João em cada bairro, para movimentar a economia para que a gente possa valorizar o artista local, enfim, para poder resgatar os desafios da rua mais ornamentada, quem fazia a melhor quadrilha, a dança mais bonita, valorizar o artista do bairro. Então, se for juntar todos os dias de festa e somar, são quatro dias nos bairros e mais nove no pátio de evento. Então são 13 dias de festa”, ressaltou o prefeito petrolinense.

Miguel comentou que fará a festa junina em Petrolina, ampliando os festejos e tudo dentro do controle, e ainda assim, economizando se comparar com o que se investiu na festa no ano passado.

“Não estamos fazendo nada fora do controle e, outra, mesmo com a volta do São João dos bairros, conseguiremos reduzir em R$ 1 milhão o que foi investido na festa no ano passado. Portanto, é fazendo mais, gastando menos e fazendo melhor, e ainda por cima, valorizando a cultura dos bairros e a cultura local”, concluiu o prefeito.

Lagoa Grande: Prefeito garante que estudantes estão sendo atendidos com transporte

A polêmica sobre o transporte dos estudantes universitários e de cursos técnicos de Lagoa Grande, no sertão do São Francisco, ganha novos capítulos a cada dia. Após um protesto com cerca de 30 alunos em frente à Prefeitura esta semana, alegando que o transporte ainda não está regulamentado, o prefeito Vilmar Cappellaro (PMDB) garante que o município vem atendendo o grupo.

O prefeito comentou que inclusive irá firmar parceria com a Prefeitura de Santa Maria da Boa Vista, também no sertão do São Francisco, para que as duas administrações possam atender os estudantes, já que são transportados poucos alunos de Santa Maria para unidades de ensino em Petrolina, para onde se deslocam a maioria dos alunos das duas cidades sertanejas.

Carnaval do Bairro Areia Branca acaba, mas deixa ‘pequena’ polêmica

O Carnaval do Bairro Areia Branca – um dos polos oficiais da folia -, na zona leste de Petrolina, aconteceu no dia de ontem (26), levando um grande público não só do bairro, mas de comunidades vizinhas. E correu com tranquilidade. Até aí, tudo normal. O problema está em relação à logística da festa.

Alguns moradores, em contato com este Blog, mostraram-se indignados por conta da estrutura do palco num trecho da Avenida São Francisco, onde foi realizada a folia. O motivo é que a pavimentação asfáltica, recém-implantada na avenida, teve de ser quebrada para instalar o palco.

“Será que precisava mesmo terem quebrado o asfalto, por causa de apenas um dia de festa?”, indagou, em tom de lamentação, um dos comunitários da área.  Com a palavra, a prefeitura.

Renegociação do K1 gera controvérsia na Casa Plínio Amorim e senador FBC minimiza: “Polêmica desnecessária”

O recente anúncio do acordo referente à renegociação de até 95% de desconto nas dívidas do K1 – taxa cobrada pelo uso da água e da infraestrutura dos perímetros irrigados do Vale do São Francisco -, não foi suficiente para tranquilizar os pequenos produtores de Petrolina. O assunto acabou se transformando em controvérsia durante a sessão plenária de ontem (16), na Casa Plínio Amorim, após uma moção de aplausos apresentada pelo vereador Ibamar Fernandes (PRTB) a lideranças políticas da cidade, que batalharam pelo acordo.

Um dos representantes da área irrigada na Câmara Municipal, o vereador Elias Jardim (PHS/foto) enalteceu a medida, mas fez ressalvas. Ele argumentou que a compreensão dos produtores locais era de que após a renegociação das dívidas, eles ficariam isentos da taxa do K1. Pelo menos foi isso que deixaram a entender o ministro da Integração Nacional Hélder Barbalho e a presidente da Codevasf, Kênia Marcelino, na última segunda-feira (13), quando visitaram a cidade para dar a notícia. Mas na prática, Elias disse que a história não é bem essa.

“Os produtores acreditaram que, quando renegociassem o K1, ficariam isentos da taxa”, afirmou. Aliado do deputado federal Guilherme Coelho (PSDB), o vereador Ronaldo Silva (PSDB) confirmou que o K1 não deixará de existir, mesmo após os produtores cumprirem o acordo. O colono do Perímetro Maria Tereza (KM-25), Francisco de Assis Pereira, disse que o dia “mais feliz da vida dos produtores” passou a ser o mais triste, porque descobriram que apesar da renegociação, não ficarão livres da taxa. “Se a gente vai pagar e continuar com essa conta, então é como se a gente não tivesse obtido nenhum sucesso”, lamentou.

Senador

Por telefone, o senador Fernando Bezerra Coelho (PSB) assegurou que as dívidas vencidas do K1 no Perímetro Senador Nilo Coelho abrangem todos os produtores, porque o prazo para quitarem suas pendências – em torno de 25 anos – já venceu. Ou seja, estes vão se livrar do K1 após a renegociação. Mas no caso do Maria Tereza, segundo FBC, o valor das dívidas não é o total. Mas o parlamentar sertanejo acredita que essa polêmica é desnecessária nesse momento. “O importante é o pessoal aderir ao acordo e liquidar (as dívidas). Aí, depois de liquidar, você vai ver quem ainda restou. E vai ficar claro que o K1 ficará para aqueles que não tiveram todo o débito vencido, porque não se pode dar redução daquilo que não está vencido ou renegociado”, pontuou. Em relação à moção de aplausos, os vereadores Cristina Costa e Professor Gilmar Santos (ambos do PT), se abstiveram de votar.

Deputada Creuza Pereira esclarece críticas a projeto que anistia partidos políticos

Um Projeto de Lei, n°4.424, que veda a possibilidade de o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) punir partidos que não apresentem ou tenham rejeitada a prestação de contas anual, deu o que falar. A deputada federal Creuza Pereira (PSB-PE) foi uma das mais criticadas nas redes sociais, pelo fato de ter votado favorável ao projeto.

Mas, por meio de sua assessoria, Creuza justificou que votou a favor do requerimento de urgência pela tramitação do projeto, e não à matéria. “Na última terça-feira (7) nos foi apresentado para votação um requerimento de urgência para o projeto de lei 4.424, que anistia partidos políticos. O que foi votado, na verdade foi a admissão do referido projeto para entrar na Mesa Diretora, e só depois ser analisado, debatido e por fim, votado. Infelizmente houve um mal entendido que se tornou uma falsa polêmica, afirmando que o projeto já estivesse sido votado e aprovado, o que na verdade não aconteceu”, argumentou a socialista.

“Lamentamos o ocorrido e o pré-julgamento sem uma análise criteriosa do assunto em pauta, mais seguimos firmes e abertos a toda população para qualquer esclarecimento. Sobre o voto favorável ao requerimento de urgência, acreditamos que seria da importância de todos, não apenas do parlamento, mas também para a sociedade, colocar a matéria que vai permitir sua conclusão em um momento que o Brasil se esforça para um modelo político sem corrupção”, completou a deputada.

 

Pré-candidato à presidência da República, Jair Bolsonaro manifesta desejo de visitar Juazeiro e Petrolina

Depois da polêmica envolvendo estudantes de um colégio estadual de Juazeiro (BA), os quais prestaram uma homenagem ao deputado federal Jair Bolsonaro através de uma foto tirada onde apareciam em posição de continência com uma mensagem escrita no quadro da sala de aula “#Bolsomito2018”, o polêmico parlamentar – que já foi anunciado como pré-candidato a presidente da República no próximo ano – manifestou desejo de visitar o Vale do São Francisco.

Bolsonaro já havia comentado o caso dos estudantes, que teriam sofrido “perseguição” após o ato. Num vídeo publicado em redes sociais, ele prestou apoio aos jovens e disse que “o pessoal que prega o socialismo e o comunismo em escolas está com seus dias contados.

Agora, num novo vídeo, Jair Bolsonaro manda abraço a três jovens da região e diz que, caso surja a oportunidade, virá a Juazeiro e Petrolina. “Um grande abraço a todos vocês, extensivo a todos os amigos de Juazeiro e Petrolina. Havendo a oportunidade, irei, sim, à região. Grato pelo apoio e consideração. Juntos, chegaremos lá”, diz. (foto/arquivo reprodução)

Miguel põe fim a polêmica sobre Nova Semente e garante: “Todas as mais de 10 mil crianças do programa serão matriculadas”

O prefeito de Petrolina, Miguel Coelho (PSB) decidiu colocar um ponto final na polêmica sobre o Programa ‘Nova Semente’. Ele reafirmou seu compromisso de campanha em tornar o programa de graça, respeitando o calendário agendado, que tem início das aulas no próximo dia 20 de fevereiro. O prefeito foi mais além, pois o governo constatou que existem mais de 4 mil vagas ociosas no Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs). E frisou que todas as crianças cadastradas serão matriculadas.

“O Nova Semente possui mais de 10 mil crianças cadastradas, mas matriculadas temos pouco mais de 8 mil. Nosso governo garantirá acesso à educação infantil e creche a todas as crianças cadastradas seja no Nova Semente ou nos CMEI do programa Proinfância ou Brasil Carinhoso. Não importa o nome do programa, mas que vamos garantir acesso a todos os cadastrados”, ratificou o prefeito, em entrevista à imprensa após o lançamento do Programa Chapéu de Palha da Fruticultura Irrigada, nesta segunda-feira (23).

Miguel também comentou que já informou à diretoria do Petrape, entidade parceira da prefeitura na condução do Nova Semente, que está proibido qualquer tipo de rifa, bingo, feijoada ou coisa do tipo para ajudar na manutenção do programa. “A gestão vai proibir qualquer tipo de programação para as famílias custearem o programa. Isso agora é de responsabilidade da prefeitura”, acrescentou.

Ele explicou ainda que haverá redução no número de sementeiras por conta do novo modelo de readequação do Nova Semente. “Nossa prioridade será a manutenção do serviço. Vamos reduzir, mas mantendo a qualidade do programa”, concluiu. (foto: Ivaldo Reges/divulgação)

Terra Nova: Prefeita decide não fazer festa profana no dia do Padroeiro da cidade e divide opiniões

Em Terra Nova (PE), no Sertão do São Francisco, a atual prefeita Aline Freire (PR) decidiu não realizar a tradcional programação profana alusiva à Festa de São Sebastião, Padroeiro da cidade.

A justificativa, de acordo com informações do site Terra Nova Online, é de que a gestora estaria priorizando despesas com serviços básicos e organizando a prefeitura para promover a festa do aniversário da cidade, em março próximo. A decisão polêmica dividiu opiniões.

Cristina minimiza polêmica sobre colega petista em diplomação e disse que vai pedir explicações à Justiça Eleitoral por tom “socialista” do evento

cristina-costa2

Apesar de ter adotado uma postura diferente do seu companheiro de partido, Professor Gilmar Santos, que não cumprimentou o deputado federal Guilherme Coelho (PSDB), nem o ministro Fernando Filho e o pai dele, senador Fernando Bezerra Coelho (PSB), durante a diplomação dos eleitos de Petrolina na última sexta-feira (16) no Senac, a vereadora reeleita e presidente municipal do PT, Cristina Costa, não só minimizou a celeuma como prometeu ir além disso.

Em entrevista à imprensa na manhã de hoje, durante a sessão plenária da Casa Plínio Amorim, Cristina justificou que a atitude de Gilmar foi “individual e política”, ressaltando que isso faz parte dos princípios democráticos. Assim como foi elogiada pela sua diplomacia ao cumprimentar os convidados, a vereadora disse respeitar a postura do seu colega eleito. Mas assim como esse fato causou forte repercussão na cidade, Cristina afirmou que outro detalhe passou despercebido pela maioria presente na cerimônia.

A vereadora reconheceu que o evento era da Justiça Eleitoral, mas parecia uma solenidade do PSB municipal. E garantiu que vai solicitar explicações da juíza eleitoral Carla Adriana, que conduziu a diplomação.

“A partir do momento que chegamos ali (ao Senac), a receptividade foi toda dada pela assessoria do ministro Fernando e do senador Fernando Bezerra Coelho. Para mim, ficou mais parecendo um evento do PSB do que propriamente da Justiça Eleitoral. Se não fosse a juíza entregar individualmente o diploma a cada parlamentar, a gente podia dizer que estava numa convenção do PSB”, cutucou.

Discordância

O vereador Ibamar Fernandes (PRTB), contesta a vereadora. Embora dissesse também respeitar a atitude do petista, Ibamar afirmou que não tem como concordar. “Acho que foi uma falta de maturidade, de elegância e de ética. A gente fica triste com esse tipo de atitude. Deixar um deputado federal, ex-prefeito por dois mandatos, que tem uma história, com a mão estirada, um senador da República e um ministro, acho que faltou elegância. Isso Ibamar jamais faria, mas essa é a postura dele”, criticou.

Mais incisivo na resposta, o vereador José Batista da Gama (PDT) resumiu a polêmica, ao ser perguntado sobre o assunto: “Ele (Gilmar) falar por ele. Eu falo por mim”. 

Em meio à polêmica, votação da LOA de Petrolina para 2017 pode ir parar na justiça

loa-casa-plinio-amorim

Como já era esperado, a votação da Lei Orçamentária Anual (LOA), que definirá as prioridades da Prefeitura de Petrolina para o exercício de 2017 contidas no Plano Plurianual, começou e terminou com polêmica na sessão plenária desta segunda-feira (5) na Casa Plínio Amorim.

A sessão, inclusive, deveria acontecer amanhã (6), mas foi antecipada para hoje por conta do prazo final para a LOA ser votada. O projeto acabou aprovado por unanimidade (17 votos a zero). O problema foi uma emenda de autoria do vereador Ibamar Fernandes (PRTB), propondo em 40% o remanejamento de mais de R$ 710 milhões ao qual o prefeito eleito Miguel Coelho (PSB) terá direito para investir, sem pedir autorização à Casa.

Os vereadores Ronaldo Cancão (PTB) e Cristina Costa (PT) votaram a favor da LOA, mas discordaram veementemente da emenda dos 40% (o equivalente a R$ 300 milhões do Orçamento). Ambos justificaram que a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2017, aprovada recentemente pela Casa e sancionada pelo prefeito Julio Lossio (PMDB), determinou que esse remanejamento ficasse em 20% – como foi para Lossio, nos seus dois mandatos.

O presidente da Mesa Diretora, Osório Siqueira (PSB), no entanto, colocou apenas o projeto em votação, não levando em conta o pedido de Cancão e Cristina quanto à análise da emenda que revia o remanejamento. Autor de um pedido de vistas acerca de uma emenda pedindo mais recursos para a área irrigada, Dr.Pérsio Antunes (PV) contestou os dois colegas, citando o artigo 7º da Lei 4.320/64, que afirma que esse percentual poderia ser revisado. Cristina prometeu levar a decisão da Casa à justiça. Mais detalhes em breve.

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br