Em nota, Sinpol aponta caminhos para diminuir criminalidade em Pernambuco

Em nota, a diretoria do Sinpol – Sindicato dos Policiais Civil de Pernambuco – lamentou os números da violência que foi destaque em jornal de circulação nacional. A entidade aponta caminhos para a redução do quadro de insegurança que o estado vive hoje. Confira:

Lamentavelmente, a crescente onda de violência em Pernambuco voltou a ganhar destaque na imprensa nacional. Dessa vez foi a Folha de São Paulo que estampou em matéria de capa deste domingo (16) que a “Violência explode, e PE regride uma década com 16 assassinatos por dia”. E como se já não bastasse, a própria Folha de São Paulo precisou corrigir-se com a última atualização dos números da violência no estado: em março, superamos a marca dos 17 homicídios diários, em média.

Em entrevista aos repórteres especiais da Folha, o presidente do Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco (Sinpol-PE), Áureo Cisneiros, expôs sua preocupação com a falta de medidas que efetivamente possam contribuir para a diminuição da violência no estado, como a valorização dos agentes de segurança pública, o aumento no efetivo e melhores condições de trabalho.

No final de 2014 o Sinpol já chamava a atenção do Governo do Estado para o iminente colapso na segurança pública, e em especial na polícia investigativa. Infelizmente tal prognóstico se concretizou. Na ocasião, o sindicato preparou um dossiê que foi entregue ao governador Paulo Câmara em 2015 no qual foram expostas deficiências e propostas de soluções para cada uma delas. O governo, no entanto, optou por não acolher as propostas encaminhadas e, à revelia do que diziam os agentes de segurança pública, trilhou o caminho que fez de Pernambuco um lugar cada vez mais inseguro e violento.

Sempre deixamos claro que a impunidade é o grande mal a ser combatido para se diminuir a violência e a criminalidade, pois, ela faz com que os indivíduos continuem reiteradamente a delinquir, causando um verdadeiro incentivo à atividade criminosa já que leva a crer que o “crime compensa”. Só há uma forme efetiva para atacar tal mal: investimento maciço na polícia que investiga e elucida os crimes. A regra nos países com baixas taxas de criminalidade é uma polícia investigativa profissional, aparelhada e com efetivo suficiente para apurar e levar os criminosos a serem julgados pela justiça com provas suficientes, evitando, assim, que os bandidos não sejam facilmente soltos. À título de exemplo, no Japão a taxa de solução de crimes chega a 95%, enquanto que no Brasil não passa de absurdos 8%!

Por entender que não há tempo a perder e que trata-se, literalmente, de questões de vida ou morte, o Sinpol resolve outra vez tornar pública a série de medidas aconselhadas ao Governo do Estado para diminuir a violência no Estado, salvar vidas e recuperar a imagem de Pernambuco Brasil à fora:

Concursos periódicos para recompor o quadro, pois, não se pode admitir que uma carreira típica de Estado tenha concursos de 10 em 10 anos. Hoje temos o mesmo efetivo que há 30 anos atrás, enquanto que a população de Pernambuco quase duplicou;

Melhorar e padronizar as Delegacias. A maioria são casas alugadas e mal adaptadas para servirem as necessidades das equipes de investigação;

Desburocratizar a estrutura de investigação dando autonomia administrativa para a Polícia Civil, focando na atividade fim do Policial, e não utilizar o efetivo para atividades administrativas, como preencher planilhas;

Aparelhar e equipar a Polícia Civil com coletes e armamento adequado e confiável, com viaturas DESCARACTERIZADAS, pois, diferentemente do policiamento ostensivo, a investigação deve ser realizada de forma velada e discreta;

Valorização e incentivo a todos os servidores Policiais Civis, com melhores salários, já que trata-se de uma carreira de nível superior, mas, que paga como nível médio, buscado diminuir e harmonizar as diferenças entre os cargos que a compõem, incentivando a permanência na carreira;

Combate às injustiças e privilégios internos e priorização a atividade investigativa;

Integração, interiorização e descentralização das atividades Periciais da Polícia Civil, fazendo com que as perícias atuem em conjunto e no mesmo espaço que as equipes de investigação.

Sabemos que não há mágica para se diminuir a criminalidade: é necessário um forte e perene combate a desigualdade social juntamente com uma Polícia Investigativa forte, capaz, bem aparelhada e bem remunerada. Faltou sensibilidade por parte do Governo Estadual em dialogar e debater as dificuldades e as saídas para tão grave problema com as entidades sindicais representativas da classe, com a sociedade civil organizada, com a academia e com todos os atores que, direta ou indiretamente atuam no combate à criminalidade. Faltou ao Governo o PACTO. 

O Sinpol continua e continuará com sua posição crítica, porém, como sempre o foi, disposto a discutir e contribuir para uma sociedade mais justa e menos violenta para todos, pois, o nosso compromisso é com os policiais e com a sociedade pernambucana.

A Diretoria

Fique com a gente

Codevasf e Mapa vão ampliar apoio à produção em projetos irrigados do sertão pernambucano

Cerca de 3 mil famílias de produtores dos projetos públicos de irrigação do Sistema Itaparica em Pernambuco serão beneficiadas com apoio à produção, numa parceria entre a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) e do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). A ação envolve recursos da ordem de R$ 3 milhões. A primeira fase está sendo cumprida nesta semana com a apresentação do diagnóstico durante a visita das duas instituições aos projetos Fulgêncio, Brígida, Manga de Baixo, Icó-Mandantes, Apolônio Sales e Barreiras.

A partir da elaboração do diagnóstico situacional, serão realizados levantamentos das estruturas socioprodutivas dos perímetros o que envolve, também, capacitações de produtores, visando à autogestão; implementação das técnicas voltadas às principais culturas exploradas nos projetos; manejo de solo e água e manejo de métodos mais eficientes de irrigação parcelar; e incentivo à adesão por esses métodos.

“Com a realização do diagnóstico, vamos montar o plano de trabalho para dar início as capacitações. O objetivo geral dos serviços é capacitar os produtores e suas organizações para o planejamento da produção e gerenciamento do lote, além de conscientizá-los e orientá-los para a aplicação dos princípios de boas práticas agrícolas. Além disso, possibilita a apropriação de tecnologias que permitam aumento da produtividade, agregação de valor à produção e competitividade”, explica a gerente de Apoio à Produção da Codevasf, Andrea Rachel Sousa, que está acompanhada do superintendente regional da 3ª Superintendência Regional, em Petrolina (PE), Aurivalter Cordeiro.

Para o produtor Osvaldo Xavier, do projeto de irrigação Barreiras, os serviços de apoio à produção são fundamentais. “Eu acho muito importante. Antes, quando tínhamos essa assistência, o projeto estava avançando bastante, no que diz respeito a produção, comercialização e acesso ao crédito”, afirma.

“Nós temos informações agora que podemos, junto com a Codevasf, trabalharmos o futuro desse apoio à produção, consolidar esse programa que vem para apoiar na organização dos produtores. Hoje, demos o pontapé inicial desse nova assistência técnica”, diz Mychel Ferraz, coordenador-geral de produção sustentável do Mapa.

Dessa etapa de diagnóstico participam produtores, lideranças locais, representantes da Prefeitura de Petrolândia (PE) e do Mapa, além da equipe contratada para apoio à produção. Da Codevasf, também acompanham os trabalhos o gerente regional de Empreendimentos de Irrigação da 3ª Superintendência Regional, José Costa Barros; o chefe da Unidade Regional de Apoio à Produção, Marcelo Ramos; e o analista em Desenvolvimento Regional Márcio Ferreira

Sistema Itaparica

O Sistema Itaparica é um conjunto de dez projetos de irrigação situados na fronteira do Submédio São Francisco, entre Pernambuco e Bahia. Foi criado pela Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf) no final da década de 1980, para compensar famílias que viviam na área rural onde se formou o lago da usina hidrelétrica de Luiz Gonzaga. Ele é voltado à agricultura familiar.

Até 2014, os projetos do complexo Itaparica eram administrados por meio de parceria entre a Codevasf e a Chesf. Com o fim do convênio, as áreas irrigadas localizadas nos municípios pernambucanos de Petrolândia, Floresta e Itacuruba passaram a ser administradas pela 3ª Superintendência Regional da Codevasf, em Petrolina, com o apoio da Área de Gestão dos Empreendimentos de Irrigação da Codevasf, em Brasília. (Foto: Ascom Codevasf)

Petrolina ou Serra Talhada poderá abrigar presídio federal em PE, caso unidade venha para o interior

A viabilidade da construção de um presídio federal em Pernambuco pautou, na manhã desta segunda-feira (10), uma reunião entre o secretário de Justiça e Direitos Humanos, Pedro Eurico, e representantes do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), no Recife. Pernambuco foi um dos primeiros estados a se habilitar, junto ao Ministério da Justiça, para receber o estabelecimento prisional, após o anúncio do Plano Nacional de Segurança Pública, feito pelo presidente Michel Temer no último mês de janeiro.

Para o secretário Pedro Eurico, toda iniciativa que fortaleça o combate e a redução dos padrões de violência é importante. “O Governo do Estado quer um presídio federal em Pernambuco. Nós temos um crescimento vertiginoso da criminalidade em todo o país. E em função disso, a nossa decisão é de trazer esse presídio. O novo espaço permitirá a permuta de presos de alta periculosidade entre estados, isolando chefes de núcleos criminosos altamente danosos à sociedade”, explica.

Durante a reunião foram avaliadas as áreas e as formas de implantação da unidade. Em Pernambuco, quatro espaços foram apresentados ao Depen. No interior do estado, Petrolina e Serra Talhada, visto que a prioridade é para os municípios que possuam aeroportos. Já na Região Metropolitana do Recife (RMR), foram apresentadas outras duas cidades: Itaquitinga e Araçoiaba. Ambas contam com a construção – em andamento – de complexos prisionais e possuem áreas extensas e de propriedade do Governo do Estado.

Um presídio federal tem em média 400 vagas, possui celas individuais de isolamento e custam cerca de R$ 40 a R$ 45 milhões. Atualmente, todo o Nordeste conta apenas com um presídio federal, localizado em Mossoró, no Rio Grande do Norte.

“Na reunião ficou decidida a preferência da União pela instalação de um presídio federal em Pernambuco e o desejo do governador Paulo Câmara do estado ser contemplado”, finaliza Eurico. Após o encontro, engenheiros, diretores de presídios federais, membros do serviço de inteligência nacional e representantes do Depen, seguiram para visitar as áreas disponibilizadas pelo Governo do Estado. Os profissionais ficam em Pernambuco até o próximo dia 13, a fim de definir a questão. (fonte/foto:Ascom)

MPF em Pernambuco cobra agilidade de Estado e União quanto a registros de pescadores

O Ministério Público Federal (MPF) em Pernambuco (PE) ajuizou ação civil pública contra a União no intuito de que sejam reiniciadas as análises dos pedidos de inscrição no Registro Geral da Pesca Artesanal. A ação foi ajuizada também contra o Estado de Pernambuco, responsável pela concessão do benefício do Programa Chapéu de Palha da Pesca Artesanal, a fim de resguardar os direitos sociais dos pescadores prejudicados com a omissão do órgão federal. A responsável pelo caso é a procuradora da República Mona Lisa Ismail.

A atuação do MPF é decorrente de representação feita por movimento de pescadores que alegou omissão administrativa na análise dos requerimentos de inscrição no Registro Geral da Atividade Pesqueira (RGP) desde o ano de 2012, além da suspensão de novos registros. O documento é fornecido aos pescadores artesanais e comprova o exercício regular da atividade profissional. Além disso, é pré-requisito para o acesso a benefícios assistenciais e previdenciários, como o seguro-defeso e o seguro-desemprego. Em âmbito estadual, permite ainda usufruir o benefício do Programa Chapéu de Palha-Pesca.

O MPF requer que o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento inicie imediatamente a análise de todos os requerimentos de inscrição pendentes no RGP (cerca de 5.000 só no estado de Pernambuco, de acordo com os pescadores), incluindo os que forem realizados após o ajuizamento da ação, emitindo as carteiras ou documentos equivalentes que comprovem a condição dos pescadores.

A procuradora da República requer ainda que a Secretaria de Planejamento do Estado de Pernambuco aceite, como documento hábil à inscrição no Programa Chapéu de Palha da Pesca Artesanal de 2017, o protocolo de requerimento de inscrição no RGP ou documento equivalente, conforme foi feito até 2015. O órgão pede também que seja prorrogado ou reaberto o prazo de inscrição no programa, iniciado no dia 3 de abril para algumas regiões do Estado. O processo pode ser conferido no MPF sob o nº 0804924-78.2017.4.05.8300. (foto/arquivo)

Salgueiro: Exposição comemora 50 anos de sacerdócio do padre Remi de Vettor

 

 

No ano de 1991, a comunidade católica de Salgueiro, no sertão Central,  foi surpreendida de maneira brutal com o assassinato do padre português José Maria de Prada, ocorrido no salão da Paroquial de Santo Antônio, padroeiro da cidade. O crime foi cometido por um ex-sargento da Polícia Militar que teria se vingado porque o religioso não cancelaria seu casamento na igreja, após vários pedidos. O acusado fugiu e jamais chegou a ser detido ou condenado pelo crime.

Em meio ao caso que foi destaque no noticiário nacional, a igreja estava recebendo a chegada de um novo padre que assumiria o posto em julho daquele ano. Na efervescência negativa dos fatos, a população já se juntava ao recém-chegado padre italiano Remigio de Vettor (desde então passou a ser chamado pela comunidade de padre Remi) que encabeçou uma campanha até em seus sermões, ao longo dos anos 90, de combate à violência e tráfico de drogas que dominava o Sertão. (mais…)

Odacy Amorim critica Petrobras e vai debater na Alepe venda de Complexo Têxtil e Químico de Suape

 

O deputado estadual Odacy Amorim (PT) bateu duro sobre decisão da Petrobras de vender o Complexo Químico e Têxtil de Suape. Esta semana, o parlamentar foi à tribuna em duas oportunidades na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), criticar a venda, aprovada em assembleia pelos acionistas da estatal. O equipamento, que inclui a Petroquímica Suape e a Companhia Integrada Têxtil de Pernambuco (Citepe), será vendido à empresa mexicana Alpek pelo valor de U$ 385 milhões.

“A decisão é preocupante, pois representaria a dilapidação do patrimônio brasileiro.”, frisou o parlamentar. Segundo Odacy Amorim, o ex-presidente Lula e o ex-governador Eduardo Campos estiveram na linha de frente para implantar obras importantes para o Estado, que geraram expectativas e sonhos nos pernambucanos, a exemplo do Complexo de Suape que estará à venda agora.

“O presidente Temer, que está no posto de forma questionável, não pode simplesmente desmanchar tudo que foi feito”, avalia o deputado que protocolou ofício nesta quinta, 30, solicitando um Grande Expediente Especial para discutir o assunto.

A instalação das subsidiárias da Petrobras em Pernambuco custou R$ 9 bilhões aos cofres públicos e a venda de ambas está orçada em R$ 1,2 bilhão (US$ 385 milhões).

“Não consigo entender como uma obra desse porte seja vendida a praticamente 10% do valor investido quatro anos depois de entrar em funcionamento. Não podemos acreditar nessa história de que tudo está errado, que tudo está dando prejuízo. Temos que pensar nas próximas gerações, e não em destruir aquilo que os governos anteriores deixaram”, argumentou.

Odacy informou ainda a disposição de convidar, para o Grande Expediente Especial, a Presidência da Petrobras, o Ministério das Minas e Energia, o Ministério Público Federal e o Governo de Pernambuco.

A Petroquímica integra o Complexo Industrial Químico-Têxtil, o qual é composto também pela Companhia Integrada Têxtil de Pernambuco (Citepe). De acordo com dados da estatal, os dois empreendimentos operam hoje, cada um, com prejuízo superior a R$ 1 bilhão. (Foto: PortalPE)

Dia de manifestações nesta sexta contra terceirização e reformas previdenciária e trabalhista

Contra terceirização, reforma da previdência e trabalhista, movimentos sindicais e sociais vão às ruas nesta sexta-feira (31), em um ato chamado Dia Nacional de Mobilização. As centrais sindicais, Frente Brasil Popular e Povo Sem Medo convocaram outros movimentos sociais e sindicatos para participarem da manifestação que vai se concentrar em várias capitais e principais cidades do País.

Em Petrolina, principal cidade do sertão pernambucano, a Frente Brasil Popular junto com partidos de esquerda, realizam ato com concentração marcada para a Praça do Bambuzinho, Centro da cidade, a partir das 8h30.

A terceirização foi aprovada há uma semana na Câmara dos Deputados. Já as reformas trabalhista e da previdência aguardam serem votadas no plenário da casa.

O presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT) Pernambuco, Carlos Veras, afirma que o ato é uma preparação para uma mobilização marcada para dia 28 de abril. (Foto: Reprodução/Internet)

O presidente da CUT no Estado fala das cobranças a serem realizadas dentro do movimento.

Empresários de Juazeiro conhecerão potencial do polo de confecções de Pernambuco

A comitiva de gestores do Moda Center Santa Cruz estará nesta quinta-feira (30) em Juazeiro (BA) para divulgar seu potencial a empresários de uma das principais cidades do Nordeste brasileiro. Bastante conhecido por suas dimensões gigantescas, o maior centro atacadista de confecções do país fica em Santa Cruz do Capibaribe, no Agreste pernambucano, e reúne mais de dez mil pontos de venda entre lojas e boxes. O evento será a partir das 19h, na sede da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), no bairro Alagadiço. A entrada é gratuita.

“Estamos focados principalmente nos comerciantes e atacadistas que trabalham com artigos de vestuário e acessórios, alguns dos itens de maior destaque do nosso amplo mix de estilos e peças. Atualmente, já recebemos uma quantidade expressiva de clientes de Salvador, Feira de Santana e outros municípios próximos, mas sabemos da força e da importância do polo econômico do Vale do São Francisco e pretendemos incrementar o fluxo de compradores oriundos da área de abrangência deste importante núcleo urbano do Sertão nordestino, que inclui cidades como Juazeiro, Sobradinho, Curaçá e Casa Nova”, explicou o síndico do condomínio, Allan Carneiro.

De acordo com o gestor, muitos comerciantes e atacadistas do Sertão já podem ter adquirido itens made in Polo de Confecções do Agreste de Pernambuco sem saber. “Há muitos lojistas de Juazeiro, de Petrolina e da região abastecendo seus estoques em tradicionais destinos de compras como Fortaleza e São Paulo que, por sua vez, já são consumidores do Moda Center Santa Cruz. Nesse caso, os empresários eliminariam etapas e teriam possíveis ganhos maiores se forem diretamente no nosso empreendimento, conseguindo preços melhores e com acesso a uma maior variedade de peças”, acrescentou.

Segundo Carneiro, o público do evento conhecerá o processo histórico que tornou uma humilde feira de rua num parque de números monumentais. “Mostraremos a nossa cultura empreendedora e criativa”, enfatizou. Os participantes ainda terão acesso a um mostruário com peças dos muitos estilos disponibilizados no centro atacadista, desde lingerie até moda infantil, passando pelas linhas praia, fitness, jeans, esportiva e surf e street wear.

A realização do encontro ocorre em parceria com a CDL Juazeiro. Para inscrições e mais informações, o telefone é (74) 3611.7751.

Saiba mais

Referência nacional no setor, o Moda Center Santa Cruz é o maior centro atacadista de confecções do Brasil, reunindo mais de 10 mil pontos comerciais, entre lojas e boxes. Ele oferece um mix de produtos variados, com destaque para roupas e acessórios, comercializados especialmente em grande escala.

Nas segundas e terças ocorrem as chamadas feiras, quando todas as unidades de venda estão funcionando. Na alta temporada, o empreendimento chega a receber uma média semanal de 150 mil clientes vindos de todo o país, com predominância dos estados do Norte e Nordeste e crescimento dos oriundos do Centro-Oeste e Sudeste, a exemplo de Minas Gerais.

O parque disponibiliza seis praças de alimentação, estacionamento gratuito para 6,5 mil veículos e rede própria de hotéis e dormitórios com cerca de dois mil leitos. O local ainda conta com posto ambulatorial, caixas eletrônicos, banheiros, fraldários, carrinhos de compras, sistema de som e TV e circuito interno de segurança. (Foto: Ascom)

Curso sobre exportação está aberto no Sebrae em Petrolina

 

Estão abertas as inscrições para o curso Passaporte para a Exportação, em Petrolina. O curso, que será realizado de 03 a 11 de abril, é voltado para produtores da fruticultura, agroindústrias e empresários de micro e pequenas empresas com potencial para exportação. Realizado pelo Sebrae em Pernambuco, por meio da  Unidade do Sebrae no Sertão do São Francisco, o curso tem o objetivo de capacitar os produtores e empresários interessados em ampliar seus mercados, exportando produtos com qualidade e adaptados as especificidades locais.

A capacitação destaca ainda a importância do planejamento para a internacionalização com sustentabilidade, possibilitando o aumento da competitividade dos produtos das micro e pequenas empresas. Permitindo ao empresário responder a questões como: Porque exportar? Minha empresa está pronta para exportar? O preço do meu produto é competitivo? O participante conhecerá também a documentação necessária, habilidades e formas de pagamento na exportação.

O treinamento é uma oportunidade para os que já exportam e para os que pretendem desenvolver um projeto para exportação. Com carga horária de 45 horas, em 13 encontros, a programação também inclui duas horas de consultorias individuais por empresa participante, e visita técnica ao Terminal de Cargas do Aeroporto de Petrolina – Teca.

Estão sendo oferecidas 20 vagas, e as inscrições podem ser feitas até a manhã do dia 03, na Unidade do Sebrae, localizada na Avenida 31 de Março, no Centro de Convenções Senador Nilo Coelho, Centro de Petrolina. Mais informações podem ser obtidas pelos telefones (087) 2101-8902/2101-8904/2101-8918. O investimento é de R$160.

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br