Paulo Valgueiro rebate declarações de gerente da Compesa: “Cara de pau”

O vereador da bancada de oposição na Casa Plínio Amorim, Paulo Valgueiro, não gostou nem um pouco das declarações do gerente regional da Compesa, João Raphael Queiroz, o qual afirmou ontem (25), durante audiência pública, que os investimentos da empresa em Petrolina, na área de água e esgoto, não foram maiores por conta da gestão do ex-prefeito Julio Lossio, que tentou quebrar a concessão do serviço. Valgueiro tachou o gerente de “cara de pau”, justificando que Lossio tentou justamente buscar um diálogo junto à Companhia, em buscas de melhorias para o abastecimento d’água e esgotamento sanitário da cidade, e não obteve êxito.

O vereador enviou ao Blog uma nota, manifestando seu repúdio às declarações de João Raphael. Confiram:

É muita cara de pau, para pouco óleo de peroba! Isso mesmo. Não há outra forma de definir a atitude do gerente regional da Compesa, Sr. João Raphael Queiroz, em colocar a culpa da má gestão da Compesa em Petrolina na gestão do Prefeito Julio Lossio.

Não é segredo que foi exatamente pelo fato de a Compesa faturar alto em nossa cidade e não oferecer a devida contrapartida, investindo em saneamento, que o Prefeito Julio Lossio tentou municipalizar o sistema de água e esgoto do município, que é superavitário.

E é bom que se diga, que antes de partir para o embate visando ao cancelamento da concessão para exploração dos serviços de saneamento em Petrolina, a gestão de Lossio buscou o diálogo junto à Compesa para tentar encontrar uma solução para a melhoria do serviço, sem que tenho obtido êxito.

E o que vimos, ao longo dos últimos anos, foi a sociedade ser castigada pela má gestão da Compesa, que esteve em audiência pública na Câmara de Vereadores, nesta terça-feira, 25 de abril, justamente em decorrência das reclamações da população em Petrolina, que sofre sem água nas torneiras e com os inconvenientes da falta de esgotamento sanitário em vários bairros da cidade.

Sabemos, também, que os últimos investimentos realizados pela Compesa no Município de Petrolina foram feitos com recursos do Governo Federal.

Infelizmente, parece que a Compesa tem usado a receita arrecadada em Petrolina para financiar a sua incompetência gerencial em outras cidades pernambucanas, deixando a nossa cidade desabastecida e a população sedenta de soluções para o abastecimento de água e o esgotamento sanitário que lhes proporcione uma melhor qualidade de vida.

Talvez uma pista para a falta de recursos para investimentos da Compesa em nosso Município e no Estado seja a odiosa parceria que a Compesa fez na região metropolitana com a empresa mais corrupta de história do Brasil: a Odebrecht, cuja promiscuidade em todos os seus negócios tem saltado aos olhos da nação em um dos maiores escândalos de corrupção que já tivemos notícias.

Mas não estou aqui para torcer contra. Ao contrário, espero que a Compesa aprimore os seus serviços e possa estar trazendo mais investimentos para a nossa cidade e transforme Petrolina em um canteiro de obras de saneamento de qualidade, beneficiando toda a população e fazendo de Petrolina uma cidade ainda melhor para se viver. Aliás, esse é um compromisso que a Compesa vem assumindo e é isso que todos nós esperamos dela.

Paulo Valgueiro/Vereador do PMDB

Paulo Valgueiro joga para jurídico e presidente da Câmara presença de servidor da PMP sobre polêmica ‘mala preta’

Frisando que fez o papel de fiscalizador e defensor do Legislativo Municipal de Petrolina, o líder da oposição, vereador Paulo Valgueiro (PMDB), disse nesta quinta-feira, 20, que agora caberá aos advogados da Casa e ao presidente da Mesa Diretora, Osório Siqueira (PSB), a vinda do servidor Talles Khalil para esclarecimentos, conforme aprovado no seu requerimentos na última terça, 18.

O servidor foi acusado pelos vereadores de denegrir a imagem da Câmara e dos vereadores, ao espalhar nas redes sociais, segundo Valgueiro em seu requerimento, um banner apócrifo sobre uma suposta ‘mala preta’ na Casa Plínio Amorim em troca da aprovação das contas do ex-prefeito Julio Lóssio (PMDB).

O servidor mandou informar que não iria porque o Regimento Interno da Câmara não permite. O vereador da situação, Aero Cruz (PSB), reforçou o argumento de Talles após consultar o departamento jurídico da Casa, mas Valgueiro afirma que fez o seu papel de fiscalizador.

“O requerimento foi aprovado e cabe ao presidente a Casa e ao jurídico convocar ou não o servidor. Fiz minha parte. Ficará agora a cargo da presidência”, ressaltou, lembrando que quem encaminha o requerimento é Osório. Sobre a defesa de Aero ao servidor, Valgueiro não deixou passar em branco. “Se Aero consegue afirmar que não foi Talles Khalil, então ele deve sabe quem foi. Essas definições de obrigar ou não a vinda do servidor, repito, cabe agora ao jurídico da Casa. Minha função é fiscalizar”, acrescentou o oposicionista.

Julio Lossio Filho

Quem também falou sobre esse assunto foi o estudante de Direito, Julio Lossio Filho, presidente municipal do PMDB, que veio passar o feriado na cidade e foi à Casa Plínio Amorim, a convite dos amigos peemedebistas na Câmara. Filho do ex-prefeito, Julinho tachou de “falta de respeito” com a imagem do seu pai o envio do banner da ‘mala preta’.

“Eu achei muita falta de respeito, até porque meu pai não está aqui para responder. As contas dele foram aprovadas pelo Tribunal de Contas, e aqui cada um sabe o que faz e irá avaliar com suas consciências”, destacou, frisando que o melhor é que tanto o grupo do pai dele como o do atual prefeito Miguel Coelho (PSB), trabalham “pelo melhor por Petrolina”.

 

Vereador oposicionista mostra estar desinformado em relação a recente polêmica na Casa Plínio Amorim

Difícil a situação da Câmara de Vereadores de Petrolina. Nossos parlamentares poderiam aproveitar o tempo de forma mais eficiente para ações mais produtivas. Estudar, por exemplo.

Poderiam começar pela Lei Orgânica e o Regimento Interno. Se o vereador Paulo Valgueiro (PMDB), por exemplo, fizesse isso, não estaria promovendo um ‘cavalo de batalha’ por uma questão inconstitucional e desprovida de amparo legal.

É que o artigo 222 do Regimento Interno da Casa Plínio Amorim é muito claro: diz que só podem ser convocados para prestar esclarecimentos secretários ou responsáveis por entidades públicas da administração. Somente o responsável. Ainda assim, esse profissional só estará obrigado a responder assuntos da administração do órgão ao qual está veiculado.

Portanto, o servidor comissionado Talles Khalil não é obrigado a comparecer à Casa. Ou seja, o vereador está desinformado. Esperamos um nível melhor de trabalho até o final dessa legislatura.

Líder da oposição endurece nas críticas e reclama de falta de transparência da bancada governista na Casa Plínio Amorim

O vereador Paulo Valgueiro (PMDB), líder da oposição na Câmara de Petrolina, anda reclamando da falta de transparência dos colegas da bancada de apoio ao prefeito Miguel Coelho (PSB). Em nota enviada à imprensa, Paulinho, como é conhecido, declara que propôs na última sessão plenária, na quinta-feira, 23, requerimento com o objetivo de solicitar informações sobre o processo seletivo promovido pela Prefeitura destinado à contratações temporárias para a secretaria municipal de Desenvolvimento Social e Recursos Humanos. Ele também sugeria a possibilidade de suspender o processo até que seja esclarecida a legalidade da forma de inscrição e escolha dos candidatos. Mas o requerimento foi rejeitado

“Saliente-se que muitas são as denúncias de irregularidades que se apresentam, sempre no sentido de influências externas ao certame, haja vista, a modalidade escolhida não testar o conhecimento das pessoas, tendo em vista que a seleção tem exigido somente a entrega de curriculum para a escolha dos contratados”, justificou o oposicionista no texto do requerimento.

Diante dessas irregularidades, e em nome do princípio da transparência, Valgueiro afirmou no requerimento, “ser obrigação da administração municipal prezar por ele”, por isso apresentou a solicitação. O peemedebista acrescenta que a rejeição ao seu requerimento, deixou claro a ausência de transparência no processo seletivo e teceu duras críticas diante da interferência do poder executivo nos trabalhos da Câmara de Vereadores de Petrolina.

“Petrolina foi surpreendida pelo rolo compressor do Poder Executivo, pelo simples fato de requerer transparência nos atos da administração pública municipal. Votando a rejeição ao requerimento de minha autoria, entendo que essa ação conjunta dos representantes do executivo e os colegas vereadores para barrar o requerimento nos faz refletir sobre a real possibilidade de existirem problemas no processo seletivo questionado que não possam ser trazidos a público”, alfinetou o líder da oposição.

Paulinho lembrou na nota que “o trator” da situação também derrubou uma moção de repúdio de autoria do vereador Gabriel Menezes (PSL), também da bancada de oposição, e subscrito por ele, repudiando o posicionamento dos deputados federais de Pernambuco que votaram à favor do projeto de lei nº 4302/98 que permite a terceirização das contratações para qualquer tipo de atividade das empresas.

“A grande decepção da população é saber a forma como o Poder Executivo quer interferir nos atos da Câmara, e o que é pior, assistirmos a maneira subserviente de alguns vereadores com relação aos comandos. Isso é motivo de grande preocupação, pois fere o princípio da independência harmônica entre os poderes”, conclui Paulo.

Projeto do poder executivo tem tramitação ágil e é aprovado na Câmara; já o dos quebradores de pedra artesanal ainda não foi concluído

Um projeto de lei, do Poder Executivo, chegou à Câmara de Petrolina e em menos de dois dias foi para a pauta da sessão plenária e aprovado. Já o outro que inclusive já está aprovado em primeira discussão, que retornaria para conclusão da votação, não chegou à Mesa Diretora na quinta-feira (23). O texto, dos vereadores Ronaldo Souza IPTB) e Gabriel Menezes (PSL), regulamenta a profissão de quebrador de pedra artesanal, atividade principal para a sobrevivência de famílias da comunidade de Serrote Pelado, zona rural de Petrolina.

Recebemos com surpresa a pauta da sessão sem esse projeto, já que os colegas da situação tinham deixado claro que o texto seria votado nesta sessão. Está faltando respeito com as famílias que precisam dessa regulamentação. Para nós da oposição, não há interesse do poder executivo para que esse projeto seja aprovado, por isso estão se fazendo essas manobras para que seja deixado de lado”, enfatizou Paulo Valgueiro (PMDB), líder da oposição.

Presidente da Casa, o vereador Osório Siqueira (PSB), frisou que não teria ficado acordado que o PL dos quebradores de pedra entraria nesta quinta na pauta da Casa. Ele no entanto tranquilizou os interessados em ver a conclusão da votação que pode ocorrer na próxima terça (28).

O líder da situação pediu para retirar. Não se obrigava voltar à pauta na sessão de hoje, mas conversamos com os autores e terça concluiremos a votação. Se será aprovado ou não aí só com colegas, mas vou botar sim na pauta”, prometeu Osório.

Líder da oposição solicita ao prefeito Miguel Coelho a suspensão da seleção de secretaria de Desenvolvimento Social

O líder da oposição na Câmara de Petrolina, vereador Paulo Valgueiro (PMDB), deve apresentar nesta terça-feira, 21, requerimento solicitando informações sobre a seleção simplificada que vem sendo promovida pela secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos da Prefeitura de Petrolina. Ele explica que diante de irregularidades que chegaram ao seu conhecimento e da oposição na Casa Plínio Amorim, vai apresentar o requerimento, mas Paulinho resolveu provocar o prefeito Miguel Coelho (PSB) para que promova a suspensão do processo.

São denúncias de pessoas furando a fila porque fulano pediu, com critérios nada transparentes, pois é uma seleção que não testa o conhecimento das pessoas. Então diante dessas irregularidades, antes que seja através de ação no Ministério Público, seria uma  atitude sensata do prefeito suspender a seleção, para tornar o processo totalmente transparente“, frisou Valgueiro. As inscrições para a seleção da pasta da área social do município seguem até 24 de fevereiro e tem exigido somente a entrega de curriculum para a escolha das contratações.

Ruy Wanderley assume erro em votação de requerimento contra o governo, mas nega que tenha levado ‘bola nas costas’

O líder do governo na Câmara Municipal de Petrolina, vereador Ruy Wanderley (PSC), disse nesta terça-feira, 21, em seu discurso na tribuna da Casa Plínio Amorim, que assumia o erro por votação de requerimento do integrante da bancada de oposição, Paulo Valgueiro (PMDB), que contou com os votos da situação para ser aprovado na última quinta, 16. Entretanto o líder discorda de que tenha levado uma ‘bola nas costas’, termo usado em matéria postada neste Blog pelo descuido dos governistas.

“Não foi bola nas costas de forma alguma. Como líder, assumo o erro. Estou no comando da bancada com a confiança do prefeito Miguel Coelho. Tenho minha responsabilidade como líder. Não estaria aqui se por acaso achar que algo poderia ferir minhas convicções. Sempre falo como penso com o prefeito, porque acho que discordar é normal. Nessa liderança, o prefeito nunca me pediu nada que eu não pudesse fazer”, assinalou.

O requerimento de Valgueiro solicita declaração de renda e de domicílio eleitoral dos secretários municipais. Para Ruy, é direitos do vereador pedir informações. “Aprovar ou não, faz parte. Todos têm esse direito, sim”, justificou o líder governista.

Integrantes da oposição na Casa Plínio Amorim garantem que CPI do Nova Semente não passou por eles

O polêmico pedido de instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) na Casa Plínio amorim, proposto pelo vereador Ronaldo Cancão (PTB) para investigar supostas irregularidades na condução do Programa Nova Semente em Petrolina, gerou controvérsia na primeira sessão plenária do ano, realizada na manhã desta quinta-feira (2). Dois dos integrantes da oposição, Professor Gilmar Santos (PT) e o líder da bancada Paulo Valgueiro (PMDB), garantem que o documento sobre o assunto não passou por eles.

De acordo com o Professor Gilmar, a oposição sequer foi convidada para esse debate. “Fomos surpreendidos pela bancada governista”, declarou o petista. Gilmar deixou claro, contudo, que nem ele nem seus colegas de bancada terão dificuldades em respaldar a CPI, desde que as suspeitas de irregularidades sejam confirmadas.

O vereador disse que a dúvida é saber se a proposta é de qualificar ou inviabilizar o Nova Semente, diante das medidas tomadas recentemente pelo prefeito Miguel Coelho (PSB). “Já temos um prejuízo com a demissão de sementeiras, com as crianças que vão ficar sem acompanhamento, e de repente você tem uma CPI sendo apresentada no ‘calor’, sem uma análise mais crítica”, alfinetou.

Paulo Valgueiro foi mais além. Segundo o vereador, os governistas “tentam mudar o foco” ao falar em CPI porque estão vendo a repercussão negativa junto aos petrolinenses do novo modelo de Nova Semente apresentado pela atual gestão.

“Cabide de empregos”

Valgueiro rebateu os comentários de que o programa idealizado pelo ex-prefeito Julio Lossio (PMDB), seu aliado, seja um cabide de empregos”. Aliados de Miguel, e o próprio prefeito, justificam que o antecessor inaugurou unidades do Nova Semente no apagar das luzes, sem haver necessidade. Valgueiro justifica que o programa é exitoso justamente porque arregimentou mão de obra para cuidar das crianças, melhorando indicadores educacionais (Ideb) e sociais em Petrolina. Valgueiro disse que o papel de investigar o programa não é só do Ministério Público ou da Polícia Judiciária, é também do Legislativo. “Mas é preciso ver se realmente há algo errado com o Nova Semente”, ponderou.

Oposição confirma nome de Paulo Valgueiro para ser líder da bancada na Câmara de Petrolina

Uma reunião ocorrida nesta sexta-feira, 27, confirmou o nome do vereador Paulo Valgueiro (PMDB) como líder da oposição na Câmara de Vereadores de Petrolina. O encontro também definiu que a vereadora Cristina Costa (PT) será a vice-líder dos oposicionistas na Casa Plínio Amorim.

Segundo nota da assessoria de Valgueiro, o nome do peemedebista foi aclamado para comandar a oposição nas reuniões do Legislativo Municipal petrolinense. A estreia de Valgueiro como líder oposicionista poderá ser conferida na próxima quinta-feira, 2, como o retorno das sessões plenárias na Casa. (mais…)

Paulo Valgueiro contesta crítica de que teria votado contrário a aumento de subsídios do prefeito e secretariado

Em contato com este Blog, o vereador e futuro líder da bancada de oposição na Casa Plínio Amorim, Paulo Valgueiro (PMDB), contestou de que teria se posicionado contra o reajuste nos subsídios do prefeito Miguel Coelho (PSB) e do seu secretariado.

“Não poderia ser contra, até porque sou funcionário público”, argumentou. Valgueiro disse que sua postura contrária foi em relação aos erros contidos no projeto da reforma administrativa enviada pelo atual gestor à Casa Plínio Amorim. Para o líder da oposição, Miguel fala em diminuir secretarias para enxugar despesas, mas na prática vai em outra direção ao aumentar o número de cargos comissionados na sua administração. “Sou contra o discurso dúbio”, disse, referindo-se ao prefeito.

Valgueiro afirmou ainda que Miguel poderá ter problemas no futuro com o Ministério Público, da maneira como a reforma foi aprovada.

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br