Gente procurando Gente: Pastor apela a familiares de idoso de Exu perdido no Pará

Em nota enviada ao Blog, o pastor George Rodrigues, da cidade de Parauapebas (PA), apela a familiares de um idoso natural de Exu (PE), no sertão do Araripe, para que mantenha contato. O mesmo encontra-se na cidade paraense e com a saúde bastante debilitada.

Confira:

Carlos Britto, bom dia.

Se encontra comigo um senhor por nome de Antonio Lourenço dos Santos, filho de José Lourenço dos Santos e Maria Teodora de Jesus, com data de nascimento em 30/05/1947.

O mesmo se encontra com a saúde debilitada, estado psicológico não favorável. Não tem ninguém aqui por ele, da família. Ele é natural da cidade de Exu, conforme identidade.

Fico agradecido se puderes obter alguma informação e nos passar algum contato de seus familiares para fazer o procedimento.

Grato,

Pastor George Rodrigues /(094) 9 81645178 – WhatsApp.

Ex-ministro Jarbas Passarinho morre aos 96 anos

jarbas-passarinhoO ex-ministro, ex-senador e ex-governador do Pará Jarbas Passarinho morreu na manhã deste domingo (5) aos 96 anos, em Brasília, em decorrência de problemas de saúde devido à idade avançada, segundo nota divulgada pelo governo do Pará. O governo estadual decretou luto oficial de três dias.

O velório dele será às 13h na capital federal, onde ele residia havia anos, assim como o enterro, que está programado para iniciar às 16h, no Campo da Esperança.

Nascido em Xapuri, no Acre, Jarbas Passarinho iniciou sua trajetória política no Pará, estado que governou entre os anos de 1964 a 1966.

No Senado, conquistou três mandatos e atuou como ministro do Trabalho, ministro da Educação e ministro da Previdência Social no governo militar, além de ter sido ministro da Justiça no governo Fernando Collor. (fonte: G1 Brasília/foto reprodução)

Bispo de Salgueiro visita Diocese do Pará para definir intercâmbio de seminaristas

primeiro bispo de salgueiroO bispo de Salgueiro (PE), no Sertão Central, Dom Magnus Lopes, esteve esta semana no Pará visitando a Diocese de Prelazia de Óbidos. O religioso fez a viagem com o intuito de conhecer a comunidade e estreitar laços com Dom Bernardo Bahlmann, bispo da diocese paraense.

Durante o encontro, eles definiram o perfil da missão que três seminaristas de Salgueiro farão na cidade em 2014. A ideia é fazer um intercâmbio entre os religiosos das duas dioceses. De acordo com Dom Magnus, a parceria é uma oportunidade que os seminaristas terão de viver uma experiência missionária ímpar, que repercutirá para sempre na ação missionário-pastoral deles.

Em entrevista a uma emissora de rádio da cidade, o bispo confirmou a viagem dos seminaristas e ainda chamou a atenção para a necessidade de agir na região da Amazônia.

“Durante a vinda do Papa Francisco, em julho, o Santo Padre pediu aos bispos – não só da região amazônica, mas de toda Igreja do Brasil – que voltassem seu olhar para a Amazônia, sobretudo para a missão e para a ação pastoral daquela região. É preciso que haja mais sensibilidade e comprometimento de todos com essa causa”, comentou.

STF anula julgamento que condenou assassino da missionária Dorothy Stang

dorothy-stang-ae-20040302A 2ª Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) anulou ontem (14) o julgamento do fazendeiro Vitalmiro Bastos de Moura, mais conhecido como ‘Bida’, condenado como um dos assassinos da missionária Dorothy Stang (foto). O crime aconteceu em fevereiro de 2005 no Pará. O fazendeiro foi condenado a 30 anos de prisão no terceiro julgamento, em 2010. Apesar da anulação do julgamento, Bida permanecerá preso.

Os advogados de Bida argumentaram que houve cerceamento de defesa. No Superior Tribunal de Justiça (STJ), o pedido de anulação do julgamento foi rejeitado. No Supremo, por três votos a dois, os ministros, em sessão de turma, entenderam que o defensor público nomeado para cuidar da defesa não teve tempo suficiente para se preparar.

Um novo julgamento do tribunal de júri deverá ser marcado. Será o quarto júri que Bida terá de enfrentar pelo mesmo crime. Em maio de 2007, ele foi condenado a 30 anos de prisão. Como a pena foi superior a 20 anos, ele teve direito a novo julgamento. O segundo julgamento ocorreu em 2008. E desta vez, ele foi absolvido. O Ministério Público recorreu dessa decisão. Em 2009, o Tribunal de Justiça do Estado do Pará (TJ-PA) anulou julgamento. O terceiro júri foi marcado para março de 2010. A defesa de Bida não compareceu ao julgamento. Por isso, um defensor público foi nomeado. Ele teria 12 dias de prazo para preparar a defesa.

Os ministros Gilmar Mendes, Ricardo Lewandowski e Teori Zavascki julgaram que o tempo foi insuficiente para estudar os 26 volumes do processo. Outros dois ministros – Cármen Lúcia e Celso de Mello – rejeitaram o pedido. Lúcia argumentou que o defensor público só foi nomeado em razão de manobras protelatórias da defesa. (Fonte: Estadão)

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por agencialaguz.com.br