Oposição vem no rastro de Paulo Câmara em vistoria de obras do estado no sertão

 

Uma semana após a passagem de Paulo Câmara, a oposição vem à mesma região para vistoriar obras atrasadas ou paralisadas e cobrar in loco promessas de campanha do governador que ainda não foram cumpridas. A primeira etapa do que está sendo chamado de “Pernambuco Sem Ação” começará nos próximos dias 30 e 31 em Serra Talhada, Afogados da Ingazeira e Arcoverde.

Na noite do primeiro dia, o grupo deve realizar uma plenária para ouvir lideranças políticas, sindicais e de entidades civis sobre os principais problemas da região. Com base no que for informado, a oposição pode incluir novas obras nas vistorias realizadas no dia seguinte.

Candidato a presidente da UVP quer regionalizar a entidade e capacitar os vereadores

Vereador de São Bento do Una, agreste do estado, André Valença (PSD), encabeça a chapa de oposição nas eleições para a escolha da nova diretoria da UVP – União dos Vereadores de Pernambuco marcadas para o próximo final de semana. A chapa tem integrantes de Petrolina, como os vereadores Ronaldo Silva (PSDB) e Cícero Freire (PR) que se juntam a colegas de outros municípios sertanejos como Afrânio, Triunfo e de Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana do Recife.

A intenção de Valença é integrar a UVP do litoral ao sertão, e promover a qualificação dos vereadores no estado.”Formamos uma chapa de oposição forte e que visa integrar a nossa entidade em todo o estado. A UVP antes tinha quase todas as Câmaras associadas e hoje possui pouco mais de 90 contribuindo com o trabalho da entidade”, conta Valença.

Outro ponto é fazer valer a força da UVP como sempre teve ao longo de sua existência. “Nossa entidade tem 42 anos de existência. A gestão atual não cumpriu com os verdadeiros objetivos da UVP e por isso resolvemos disputar essa presidência pela oposição”, pontuou André.

O trabalho do candidato a presidente da UVP visa a regionalização do trabalho que pretende criar para preparar melhor os vereadores. “Nós somos legisladores e fiscalizadores. Precisamos saber mais. Somos os político mais próximo da população, por isso precisamos estar preparados para atender a população, principalmente aquela que exige mais do vereador que é a mais carente”, considerou André.

Sendo eleito, André Valença informou que irá andar por todo o estado para filiar as Câmara à UVP, mostrar a importância da entidade e o que ela tem a oferecer a toda a sociedade do litoral ao sertão.

Miguel manda recado para oposição: “Petrolina ganha prêmios de cidade destaque há muitos anos, desde FBC”

Durante a assinatura da ordem de serviço para reforma do Restaurante Popular de Petrolina, ontem (13), o prefeito Miguel Coelho (PSB) falou das obras que estão sendo realizadas na cidade, das já conquistadas através do governo federal e aproveitou a oportunidade para mandar um recado para o grupo de oposição. Segundo Miguel, Petrolina ganha prêmios de cidade destaque há muitos anos, desde a gestão de Fernando Bezerra Coelho.

O primeiro prêmio internacional que petrolina ganhou foi em 1995, o selo amigo da criança, dado pelo Unicef, na gestão do então prefeito Fernando Bezerra Coelho, quando reabriu o Hospital Dom Malan e transformou o hospital em referência. Depois, em 2004, pela primeira vez Petrolina estava entre as 100 melhores cidades. Em 2005 e 2006, ganhamos prêmio referência no saneamento básico. No ano seguinte, fomos considerados o terceiro melhor sistema de mobilidade urbana e transporte coletivo“, enumerou.

Miguel ainda reconheceu a gestão de Odacy Amorim (PT). “Em 2008, mais uma vez, com Odacy Amorim, Perolina voltava a listar entre as 100 melhores cidades para se viver. Agora, em 2017, Petrolina lista novamente entre as 100 melhores cidades do país, numa posição que estivemos melhor – a 25ª posição, hoje estamos na posição 45… Isso mostra que o esforço de todos os prefeitos, secretários, vereadores e, principalmente, homens e mulheres que se dedicam todo dia para fazer dessa cidade a terra dos impossível valeu a pena“, disse.

Durante seu discurso, o prefeito foi mais adiante e disse que, “enquanto tem gente torcendo o nariz pra dar errado, a gente trabalha para que dê certo. Ainda temos muitos desafios para Petrolina se superar“, pontuou. O prefeito Miguel Coelho ainda falou da boa relação com o governo federal, que está liberando verba e atendendo os pedidos feitos por ele. “O lema dessa gestão, é construir um novo tempo“, finalizou.

Vereadora Rosa de Erasmo avalia primeiros dias da gestão Vilmar Cappellaro e diz: “Está deixando a desejar”

A vereadora de oposição em Lagoa Grande, Rosa de Erasmo (PRB), fez sua avaliação dos primeiros dias do governo do prefeito de Lagoa Grande, Vilmar Cappellaro (PMDB). Algumas medidas tomadas pelo gestor, tendo como “desculpa”, dívidas herdadas da gestão anterior, ela frisa que já não mais convencem e o prefeito tem que mostrar a que veio.

“O Executivo Municipal está deixando a desejar e começou ruim tirando o transporte para os estudantes e isso tem nos preocupado. São alunos que não têm condição nenhuma de pagar pela passagem e por conta disso, desistiram de seus cursos. A desculpa que recebeu um “rombo” não justifica, porque todos os ex-prefeitos nunca deixaram de atender a essa parcela da população. Não justifica”, declarou Rosa.

Rosa lembrou que a juventude teve participação importante na eleição de Vilmar e dessa forma, ele vem decepcionando essas pessoas. “Como se fala em se priorizar educação, sem dá o devido apoio. Sabemos que é cedo para criticar, mas as medidas iniciais realmente têm sido negativas”, pontuou a oposicionista.

Apesar de ser estreante na Casa Zefferino Nunes Gomes, Rosa de Erasmo conhece bem os bastidores do poder legislativo lagoagrandense. Sempre acompanhou seu pai, o ex-vereador Erasmo Farias, nos mandatos e sabe como funcionava o trabalho na Câmara.

“Espero atuar de forma que o eleitorado esteja satisfeito com o trabalho. Esse é o legado que herdei”, finalizou a vereadora Rosa de Erasmo. (Foto: Blog Lagoa Grande Notícia)

Menos mimimi e mais trabalho

Publicada por este Blog na última segunda-feira (20), a matéria intitulada “Bancada de situação na Casa Plínio Amorim leva ‘bola nas costas’ e vota contra o governo sem perceber” ganhou repercussão na Câmara de Petrolina e o vereador Gilmar Santos (PT), na última sessão ordinária da Casa, classificou a postagem como sendo uma “violência à postura de todos os vereadores. Um acinte”. Como o vereador usou a tribuna da Câmara para comentar, deixei para publicar minha resposta hoje (23).

A matéria, em nenhum momento, diz que é certo ou errado como os vereadores votaram. Nós achamos mesmo e defendemos muito, aqui, que a Câmara não pode ser a filial da prefeitura. Deve ser, efetivamente, um Poder fiscalizador. Defendemos, ainda, todas as “cartas na mesa”, todos os atos abertos e todas as ações cristalinas –  mister de um serviço público honrado e de um Legislativo atuante. E, de fato, acreditamos que muitos vereadores vivem pedindo emprego a prefeito e negociando alianças por todo o país – vereadores de todos os partidos –  inclusive o partido do vereador que contesta nossa matéria.

A nota do Blog se baseou no voto unânime, sem, sequer, os vereadores saberem no que votavam. Este Blog não defendeu qualquer voto que vá de encontro aos princípios éticos e morais. Mas o professor Gilmar, de quem se esperava uma postura madura, um mandato diferente, inteligente e inovador, já provou que é mais um, quando parte para a espetacularização, o proselitismo,  afastando-se do debate sério e inteligente que se esperava dele.

O próprio partido do professore Gilmar está no centro dos escândalos de corrupção deste país, sendo acusado de um sem fim de atos nada republicanos. O estranho é não se ter visto ou ouvido desse “cristão novo” do Legislativo qualquer palavra de censura ou desculpa pelos atos absurdos até aqui provados e comprovados que já levou muitos “companheiros” do partido dele para a cadeia. Estaríamos confrontando mais um daqueles que pregam “nós somos os certinhos e todos os outros são a elite burguesa e desonesta”?

Talvez, o professor esteja acostumado a uma plateia que o ouvia  sem o poder de argumentar ou o discernimento de questionar sua fala e suas atitudes. Ou espera encontrar aqui uma imprensa que trabalhe em “manada” e desprovida das condições para o debate a altura.

Da próxima vez que o vereador desejar fazer media com os colegas, poderia encontrar um tema mais consistente, amparado em bases mais robustas e honestas. No mais, é afirmar que estaremos aqui, noticiando e opinando, como rege o nosso editorial, sem compromisso de agradar político de nenhuma esfera.

Nosso compromisso não é com nenhum grupo político ou com vereador que faz “beicinho” e “mimimi”. Temos compromisso apenas com a nossa enorme legião de leitores que abrem o nosso Blog todos os dias e esperam um jornalismo tão verdadeiro quanto contundente. É isso aí. (foto/reprodução CMP)

Grupo de oposição ‘esfarela-se’ na Câmara de Juazeiro

Como este Blog já vinha adiantando desde o final do ano passado, a oposição na Câmara de Juazeiro (BA) nada mais é que uma divisória de cadeiras. Com a divulgação dos blocos parlamentares, ficou mais nítida a união dos governistas e dos “opositores”. Em outras palavras, a oposição foi ‘esfarelada’.

A bancada de apoio ao prefeito Paulo Bomfim (PCdoB) é formada por 16 dos 21 vereadores eleitos para a atual legislatura. Como bem disseram o presidente da Casa Aprígio Duarte Filho, Alex Tanuri (PSL) e o líder governista Gleidson Medrado (PSD), a união de todos os vereadores seria questão de tempo. E isso é só o começo.

Crise na segurança pública coloca em choque governo, militares e oposição na Alepe

Ao apoiar a não anistia aos militares que realizam movimentos nos Estados por melhorias salariais e melhores condições de trabalho, o governador de Pernambuco Paulo Câmara (PSB) bota mais lenha na fogueira na crise da segurança pública estadual.  Integrante da bancada de oposição na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), o deputado estadual Odacy Amorim (PT) discorda da postura do governo e reitera que a falta de diálogo está levando a crise a se avolumar.

Enxergamos os esforços do governo para atender os militares, mas questionamos a forma como foi colocada a proposta na Assembleia, sem diálogo com as corporações e com a bancada de oposição, que pelo regimento tinha direito de colocar emendas para melhorar o projeto. Temos de criar um pacto e vermos a importância do papel da segurança pública, acima de tudo”, argumentou.

Odacy criticou a punição aos militares quando o governo propõe não reajustar os vencimentos para quem for detido e a transferência de policiais por defenderem melhorias salariais e de trabalho.

Temos um PM de Petrolina que foi transferido para Toritama, no Agreste do Estado, porque no final do ano foi às ruas defender melhores condições de trabalho para a tropa. Militares que ganharam R$ 90,00 de reajuste, mas em compensação terá R$ 200,00 de descontos. Policiais da reserva que não foram contemplados na proposta de reajuste do governo. Então faltou essa conversa, esse diálogo. Fomos melhorar a proposta e a bancada do governo se negou. Só com diálogo  que essa crise será superada”, assinalou Odacy Amorim. (Foto: Portal Rádio Jornal)

Municípios perdem R$ 1 bi do FEM, segundo oposição na Alepe

Os municípios pernambucanos deixaram de receber cerca de R$ 1 bilhão do Fundo Estadual de Apoio ao Desenvolvimento Municipal (FEM), segundo levantamento realizado pela Bancada de Oposição na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) sobre os repasses do programa.

Lançado em 2013 como carro-chefe do governo do PSB, o FEM deveria ter disponibilizado para as prefeituras do Estado um total de R$ 1,34 bilhão. No entanto, sob a gestão Paulo Câmara pouco se avançou e as edições de 2016 e 2017 sequer chegaram a ser lançadas. “Do FEM 2015, o último lançado pelo Governo, apenas 3,5% foram efetivamente repassados aos municípios pernambucanos, sendo pagos R$ 9,3 milhões de um total anunciado de R$ 263,2 milhões”, detalhou o deputado Silvio Costa Filho (PRB), líder da Bancada de Oposição na Alepe.

Hoje, há um saldo em aberto no FEM de R$ 436,3 milhões, que somado às edições de 2016 e 2017 do programa (R$ 607,4 milhões) que deixaram de ser lançadas, eleva para R$ 1 bilhão o total de recursos que as administrações municipais deixaram de receber.

De acordo com o estudo da Oposição, nos últimos anos a execução orçamentária do FEM vem caindo acentuadamente, penalizando os municípios. Ex-prefeito de Canhotinho, o deputado Álvaro Porto (PSD) destaca que, além de obrigar gestores a paralisar obras, o esvaziamento do FEM tornou municípios devedores . “Há situações em que as obras estão terminadas, as prestações de conta estão em dia, as vistorias também e, ainda assim, o dinheiro aprovado pelo programa não chega aos municípios”, diz.

Segundo ele este Governo está desmontando todas as iniciativas positivas criadas pelos Governos de Eduardo Campos. “Já acabou com o Pacto Pela Vida e agora acabou com o FEM”, salienta.

Silvio acrescenta ainda que o não lançamento das edições 2016 e 2017 do FEM penaliza as prefeituras que consigam cumprir seus programas de investimentos. “Se um prefeito conseguir cumprir todos os projetos previstos no FEM, ele não terá mais recursos para ir buscar, porque o Estado não disponibilizou novas verbas”, criticou.

Após o Carnaval, anuncia Silvio, a Oposição vai convidar o secretário Márcio Stefani (Planejamento), a Amupe e a União de Vereadores de Pernambuco (UVP) para discutir o programa em audiência pública na Alepe. (Foto e informações-Ascom)

Oposição questiona Prefeitura de Petrolina por contratar empresa investigada no TCE-PE; bancada governista diz que contrato seguiu legislação

O líder da oposição na Câmara de Petrolina, vereador Paulo Valgueiro (PMDB), questionou a contratação com dispensa de licitação da empresa Locaserv, que irá atuar no transporte escolar do município. A Locaserv, disse Valgueiro, é investigada pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE-PE) por superfaturamento de mais de R$ 6 milhões em Ipojuca, litoral sul do estado.

A outra empresa, Ana Lúcia Lacerda ME, também foi contratada. A proprietária que dá nome à empresa chegou a ser presa pela Polícia Federal em 2007 no caso da Fazenda Mariad. A área foi desapropriada após investigações da Polícia Federal sobre envolvimento em tráfico de drogas. Ana Lúcia era gerente da fazenda. O Poder Executivo argumenta que a dispensa de licitação ocorreu devido à emergência do processo. (mais…)

Humberto Costa é escolhido o novo líder da oposição no Senado

A bancada do PT no Senado elegeu, nesta quarta-feira (8), o senador Humberto Costa (PE) como novo líder da oposição ao governo do presidente Michel Temer (PMDB). A senadora Gleisi Hoffmann (PR) foi escolhida para liderar o partido, em substituição a Humberto. A legenda tem a terceira maior bancada da Casa e é a maior da oposição, com 10 parlamentares.

Humberto – que havia sido líder do PT no Senado em 2011, 2014, 2015 e 2016, ano em que dividiu o cargo com o de líder do governo Dilma Rousseff – estará à frente dos trabalhos do chamado Bloco da Minoria, encabeçado pelo maior partido de oposição ao governo. O pernambucano vai substituir Lindbergh Farias (PT-RJ), que ocupou a vaga em 2016.

Teremos um ano muito difícil pela frente e vamos batalhar para derrubar essas reformas absurdas propostas pelos golpistas, como a trabalhista e a da Previdência Social. Além disso, vamos nos unir para combater esse crescente conservadorismo no Congresso Nacional, repleto de pautas retrógradas que atentam frontalmente contra o povo brasileiro”, resumiu Humberto.

Os petistas, agora, irão se reunir com o presidente do Senado, Eunício de Oliveira (PMDB-CE), e demais lideranças da Casa para definir a montagem das comissões permanentes. Como terceira maior bancada, o PT pleiteia presidir um colegiado considerado de primeiro escalão, em respeito ao critério da proporcionalidade. (foto/divulgação)

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br