MST ocupa sede do Incra em Petrolina e serviços de órgão são suspensos na região

Integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem terra (MST) ocupam desde a manhã desta segunda-feira, 20, a sede do Incra do Médio São Francisco, localizada na Avenida da Integração, Bairro Jardim Colonial, área central de Petrolina. Conforme nota da assessoria de comunicação da autarquia federal, o movimento solicitou uma reunião com o Superintendente Bruno Medrado e chefes de divisão para às 15h, quando será apresentada a pauta de reivindicação.

“Diante do exposto, o superintendente da autarquia, Bruno Medrado, esclarece que enquanto a sede estiver ocupada, os serviços e atendimentos estarão suspensos”, conclui a nota.

Viva Petrolina esclarece sobre movimento de ex-funcionários e ônibus voltam a circular

A empresa de transporte coletivo Viva Petrolina emitiu nota esclarecendo o motivo do atraso nos ônibus na manhã de hoje (16). De acordo com a empresa, não foi deflagrada greve de motoristas, e sim um movimento de ex-funcionários na entrada da empresa. Em nota, a Viva Petrolina classificou o protesto como um “ato irresponsável com toda a população”.

Os ex-funcionários alegam falta de pagamento. A empresa ainda informou estar “em processo de recuperação judicial por conta da forte crise que acomete o País e, especialmente, todo o setor de transporte. Todos os prazos legais vêm sendo cumpridos religiosamente”.

A Viva realizou nesta manhã uma reunião com os ex-funcionários e se colocou à disposição para dirimir todas as dúvidas.  “De qualquer maneira, lamenta e repudia que, por conta de problemas individuais, toda a população seja prejudicada. A frota de ônibus já está funcionando na sua totalidade”, ressaltou.

HDM/Imip volta a se pronunciar sobre morte de gestante de 17 anos e diz que vai abrir uma sindicância interna

O Hospital Dom Malan (HDM)/Imip, em Petrolina, voltou a se pronunciar sobre o caso da adolescente gestante de 17 anos, Adriana Silva Rodrigues, que faleceu na unidade na última sexta-feira (10). Em nota, o hospital reforçou que “o incidente foi uma fatalidade sem precedentes clínicos aparentes”. A família Adriana disse que a jovem passou o dia todo sofrendo, com pressão alta. Já o HDM explicou que “a pressão arterial [da paciente] estava controlada, tendo o trabalho de parto evoluído sem qualquer intercorrência.

Os parentes da jovem também alegam que houve recusa da unidade em realizar o parto cesariano, mas a direção do hospital rebateu dizendo que o índice de cesarianas realizadas na unidade é bem maior que o recomendado pelo Ministério da Saúde.

A equipe de ginecologia e obstetrícia reforça que não existe uma recusa por parte do hospital em realizar o parto cesariano. Para fins estatísticos e comparativos, a unidade materno/infantil esclarece que somente no ano passado foram realizados 3.064 partos por cesárea e 4.218 partos normais. Ou seja, as cesarianas correspondem a 42% do total de partos realizados no HDM, um índice inclusive bem maior do que o recomendado pelo Ministério da Saúde, que é de 30%”, ressaltou a direção. “A decisão da equipe médica-obstétrica do HDM baseia-se sempre no Protocolo Clínico de Diretrizes Terapêuticas (PCDT) para cesariana, do Ministério da Saúde, que estabelece um modelo de indicação para o procedimento. No caso da paciente citada, a equipe avaliou que não havia recomendação para o parto cesárea, visto que não havia comprometimento materno ou fetal”, reforça a nota.

Com relação ao bebê, o hospital disse que “ele continua sendo acompanhado na UTI pediátrica”, mas não deu maiores detalhes sobre seu estado de saúde. O nome da criança é Davi. A família alega, também, que a jovem passou por todos os acompanhamentos necessários durante a gravidez. Agora, eles vão procurar a justiça para as medidas cabíveis.  O HDM se colocou à disposição dos familiares de Adriana para mais esclarecimentos e disse estar abrindo uma sindicância interna “para melhor investigar” o caso.

Problemas na logística do HRJ estariam comprometendo atendimento, segundo denúncia; direção do hospital rebate

O Hospital Regional de Juazeiro (HRJ) vem passando por problemas que têm afetado o atendimento à população. A informação, repassada com exclusividade por uma fonte do Blog, dá conta de que na unidade – que é mantida pela Associação de Proteção à Maternidade (APMI), uma organização de sociedade civil de interesse público (Oscip), em parceria com a Secretaria de Saúde da Bahia (Sesau) – vem faltando material de limpeza e que os acompanhantes estariam comprando os produtos para fazer a higienização dos banheiros das enfermarias.

Ainda segundo a denúncia, faltam insumos como luvas, gases, compressas e até medicamentos como dipirona e omeprazol.

A unidade médica também estaria sem medicamentos quimioterápicos. Na primeira semana do mês, três pacientes foram a óbito. Eles estavam em tratamento de leucemia. As mortes teriam sido por infecção generalizada.

Ainda conforme a denúncia, essa questão da higiene comprometida do HRJ poderia ter contribuído para piorar a situação dos internos.  Outro problema apontado é sobre o atraso de salários, o que estaria desmotivando os profissionais. Os vencimentos de dezembro do ano passado só foram pagos no final de janeiro.

Nota

O Blog entrou em contato com a assessoria de comunicação do HRJ, que enviou a seguinte nota emitida pela direção:

A direção do Hospital Regional de Juazeiro (Gestão APMI) esclarece que na unidade possui uma Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) atuante, formada por uma equipe de  profissionais da assistência à saúde, a qual desenvolve ações de biossegurança,  adotando  normas e procedimentos seguros e adequados à manutenção da saúde dos pacientes, dos profissionais e dos visitantes. 

A direção informa também  que o índice de Infecção Hospitalar do hospital está dentro dos limites preconizados pelo Ministério da Saúde e ressalta que o hospital possui o estoque necessário de suprimentos para o seu funcionamento.

Na oportunidade,  direção do HRJ se coloca à disposição dos seus usuários para quaisquer esclarecimentos e assegura seu papel na construção da rede, buscando garantir atendimento digno e de qualidade, o qual é oferecido por uma equipe altamente comprometida com o usuário do SUS.

A unidade investe no aperfeiçoamento e qualificação dos seus profissionais mantendo o Serviço de Atendimento ao Cliente (SAC) que garante maior agilidade, eficiência e resolutividade na condução das atividades assistenciais prestadas na unidade.

HDM-Imip diz que morte de gestante de 17 anos durante parto teria sido “fatalidade sem precedentes clínicos”

Em nova enviada ao Blog, a assessoria do Hospital Dom Malan (HDM)/Imip, em Petrolina, presta esclarecimentos sobre morte da jovem gestante de 17 anos, que nesta sexta, 10, morreu durante o parto. O bebê encontra-se na UTI. Um leitor denunciou que médicos não fizeram a cesariana na jovem a tempo, mesmo a paciente estando com pressão alta e, segundo novos relatos encaminhados à redação, se queixado de palpitações. Ao reclamar o que estava sentindo, ela foi informada que era normal. Mas em nota enviada ao Blog, a direção da unidade médica justifica que o ocorrido “foi uma fatalidade, sem precedentes clínicos”.

Confira a nota do HDM/Imip:

O Hospital Dom Malan/Imip informa que a paciente em questão deu entrada na unidade materno-infantil no dia 10/02, às 9h38, com o quadro de gestação única a termo, com 4 cm de dilatação, e a pressão arterial controlada, tendo o trabalho de parto evoluído sem qualquer intercorrência.

A equipe de ginecologia e obstetrícia reforça que não houve nenhuma indicação que demonstrasse complicação. Portanto, não houve recusa pelo parto cesária, já que não havia comprometimento materno ou fetal. O que houve foi uma fatalidade, sem precedentes clínicos.

Foi prestada à paciente toda assistência necessária durante toda a passagem da mesma pelo hospital. O HDM/Imip ratifica que está à disposição da família para maiores esclarecimentos.

Problema com escuridão na Avenida dos Tropeiros está corrigido, diz prefeitura

A Prefeitura de Petrolina se manifestou sobre  um vídeo de um morador da Avenida dos Tropeiros, zona oeste da cidade, mostrando a dificuldade em transitar pelo local devido à escuridão. O vídeo foi publicado ontem (20) por este Blog.

Conforme nota da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade, equipes do setor de Serviços Públicos já realizaram a manutenção no local e o problema foi solucionado. (foto/ilustração)

Três dias depois, Reitoria da Univasf emite nota sobre trágico acidente com estudante

Três dias depois, a reitoria da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) se manifestou sobre o trágico acidente ocorrido com a estudante de Medicina da instituição, Fabiana Araújo Miranda. Ela se dirigia, com sua família, de Salvador para Petrolina, onde iria participar da colação de grau. Fabiana está internada.

Acompanhe:

A Univasf manifesta publicamente o desejo de recuperação plena e imediata do estado de saúde de Fabiana Araújo Miranda. Em deslocamento para Petrolina-PE, onde iria participar da solenidade de colação de grau da turma de medicina a qual pertence, envolveu-se em um acidente no município de Tanquinho, no Centro Norte baiano, por volta das 7h de domingo (8).

O acidente deixou gravemente feridos Fabiana e seu pai, Sr. Augusto de Jesus Miranda, e vitimou fatalmente a sua mãe, Sra. Heloísa Miranda de Araújo, além de dois ocupantes do outro veículo envolvido no acidente.

Em contato com a Assessoria de Comunicação do hospital onde ela está internada, fomos informados que os dados a respeito do estado de saúde de Fabiana só podem ser entregues aos familiares, conforme postura ética e administrativa da instituição.

Nesse momento de tristeza e esperança, a Univasf se solidariza com os familiares e amigos de todas as pessoas envolvidas no acidente, reiterando o desejo de restabelecimento da saúde de Fabiana e seu pai.

Julianeli Tolentino/Reitor

Em nota enviada ao Blog, Compesa garante qualidade da água distribuída em Petrolina

COMPESA-19980Em nota enviada ao Blog, a Companhia Pernambucana (Compesa) de Saneamento assegurou que a água distribuída para os petrolinenses “está dentro dos padrões de potabilidade” exigidos pelo Ministério da Saúde. A empresa contestou recomendação do Ministério Público de Pernambuco (MPPE), que ontem (20) atestou o contrário, e informou ainda não ter sido notificada sobre a recomendação.

Confiram:

A Compesa tranquiliza a população de Petrolina informando que a água distribuída para a cidade está dentro dos padrões de potabilidade exigidos pelo Ministério da Saúde, de acordo com a portaria   Nº 2914/11. A cidade possui três estações de tratamento de água que, juntas, produzem 1.600 mil metros cúbicos. A companhia investe R$ 850 mil apenas com produtos químicos, o que garante a produção de água com excelente padrão de qualidade.

A água produzida nas unidades da Compesa passa por um rigoroso controle operacional que monitora a cada duas horas todas as etapas do processo de tratamento.

De acordo com os dados do monitoramento bacteriológico realizado na saída das estações de tratamento dos últimos 12 meses, os resultados foram satisfatórios. Em nenhuma das amostras foi detectada a presença da bactéria Escherichia Coli.

A Compesa também realiza o monitoramento na rede de distribuição, diariamente, em vários pontos da cidade. Quanto à positividade de contaminação evidenciada pelo Ministério Público de Petrolina em algumas amostras da rede de distribuição, a Compesa esclarece que o fato decorreu de uma falha no procedimento de análise das amostras coletadas pela própria empresa. Porém o caso já foi corrigido e a Companhia está à disposição das instituições que regulam o serviço para comprovar a nossa transparência.

PS: A Compesa ainda não foi notificada. Apresentara os devidos esclarecimentos quando isso ocorrer.

Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa)

Em nota, agentes de endemias de Juazeiro repudiam “descaso” da atual gestão e falam de esperanças para novo governo

agentes-endemias-juazeiro

Os agentes de endemias de Juazeiro (BA) voltaram a lamentar “a falta de atenção” da administração municipal. Por meio de nota enviada ao Blog, eles afirmam que o Governo Isaac Carvalho vem descumprindo várias leis que beneficiam a categoria. Apesar da próxima gestão ser de continuidade, com o prefeito eleito Paulo Bomfim, a categoria demonstra-se esperançosa por melhorias. (mais…)

Celpe diz que quedas de energia em Petrolina são causadas pelas altas temperaturas

Celpe_640x307Diante da enxurrada de reclamações contra as constantes quedas na rede elétrica em Petrolina, que têm afetado várias comunidades, a Celpe/Grupo Neoenergia disse o problema é causado pelas altas temperaturas e que já está reforçando a rede.

A Companhia Energética Pernambuco (Celpe) esclarece que identificou ocorrências pontuais no fornecimento de energia relacionadas às altas temperaturas registradas na região, realizou o monitoramento das áreas afetadas e está executando diversas ações de manutenção e reforço na rede elétrica, como a substituição de transformadores de maior potência. A concessionária também ampliou o número de equipes de prontidão para atender casos emergenciais.  Preventivamente, a companhia investiu mais de R$ 5 milhões em 49 obras de melhoramento da rede em todo o município de Petrolina, com a finalidade de minimizar o impacto provocado pelo calor na região“, esclareceu a Celpe, em nota enviada a este Blog.

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br