Nove dias após ser inaugurado, novo monumento turístico de Petrolina já vira alvo dos vândalos

Inaugurado há apenas nove dias pelo prefeito Miguel Coelho, o mais novo equipamento turístico de Petrolina já se transformou em alvo da ação de vândalos.

Um dos refletores que iluminam o monumento ‘#Eu Amo Petrolina”, instalado no calçadão da orla fluvial, foi praticamente destruído. O que chama atenção é que o letreiro, construído por um empresário da cidade e doado ao município, fica num cruzamento entre as Avenidas Cardoso de Sá e Joaquim Nabuco, que é monitorado por câmeras de vigilância do 5° Batalhão de Polícia Militar (BPM).

A reportagem do Blog tentou um contato telefônico com o 5°BPM sobre o assunto, mas até o momento não obteve êxito. Em relação à prefeitura, a assessoria informou que irá comunicar o fato à Guarda Civil Municipal (GCM) para evitar novas ações de vandalismo no local.

Procurador-geral de Petrolina intervém em polêmica do monumento e garante: “Não foi construído com recursos públicos”

O procurador-geral da Prefeitura de Petrolina, Diniz Eduardo, decidiu se pronunciar acerca do mais novo equipamento turístico da cidade – o letreiro “#Eu Amo Petrolina”, inaugurado por Miguel Coelho na última quarta-feira (10). Quem acendeu a polêmica foi a vereadora Cristina Costa (PT), na sessão plenária da quinta (11), na Casa Plínio Amorim.

Segundo ela, o ‘Eu’ na cor azul da placa estaria ferindo uma lei municipal (nº 698 de 26 de junho de 1997), a qual determina que qualquer monumento construído ou adquirido pela administração precisa obrigatoriamente ter as cores da bandeira do município (verde, amarela e vermelha). Além destas, apenas a cor branca, por ser neutra, também pode ser incorporada. Mesmo tendo tomado conhecimento de que o letreiro foi construído por uma empresa privada, a Novo Centro, e doado ao município, a vereadora justifica que a área onde foi instalado é pública.

Diniz Eduardo ressaltou que o monumento não foi construído com recursos públicos, mas partiu da iniciativa de um empresário local, que decidiu doar o equipamento à prefeitura. “Por se tratar de um presente, entendemos que não contraria a lei. Seria ilógico a gente tratar um presente e exigir daquela pessoa que quer presentear o município quais as cores que a gente quer receber”, argumentou.

O procurador reforçou ainda que o prefeito Miguel Coelho (PSB) entendeu que o presente era para a população, e não para ele. Portanto, não poderia deixar de aceitá-lo por conta de um detalhe da cor. Diniz rechaçou também alguns comentários referentes ao coração no monumento (que assim como a cor azul, é emblemático de campanhas realizadas pelo grupo do atual prefeito). “O amor não é externado através de uma estrela, ou de uma pomba. É através do coração”, salientou. O procurador deixou claro que monumentos desse tipo existem em várias cidades e capitais do país, e fez questão de afirmar que a administração está aberta a receber, “de bom grado”, outras iniciativas semelhantes de empresários da cidade.

 

Cor azul em frase do novo monumento turístico de Petrolina gera controvérsia na Casa Plínio Amorim

O mais novo monumento turístico de Petrolina, que foi inaugurado na noite de ontem (10) na Orla Fluvial pelo prefeito Miguel Coelho (PSB), deu o que falar na sessão plenária desta quinta-feira (11) na Casa Plínio Amorim. A protagonista da polêmica foi a vereadora Cristina Costa (PT), que questionou a cor azul no ‘eu’ da frase “#Eu Amo Petrolina”.

O letreiro, com 20 metros de comprimento por dois de altura, foi instalado num trecho da calçada da orla (no cruzamento das Avenidas Joaquim Nabuco e Cardoso de Sá) e vem recebendo elogios de quem passa pelo local. A própria Cristina enalteceu a beleza da obra. No entanto, ela quer explicações sobre como se deu a construção do equipamento.

Responsável pela obra, a empresa Novo Centro investiu cerca de R$ 40 mil no monumento e o doou para o município. Mas Cristina justificou que se a área não for particular, Miguel Coelho estaria ferindo a Lei 698 de 26 de junho de 1997, nascida de um projeto de lei do então vereador Chico Freire.

Pela lei, fica determinado no artigo 1° que “os bens móveis e imóveis pertencentes ao município, já existentes e doravante adquiridos, só poderão ser pintados com as cores da bandeira de Petrolina” – ou seja, verde, amarela e vermelha. O parágrafo único da lei permite somente que a cor branca seja incorporada às da bandeira por ser neutra. Mas no monumento, o azul também foi incluído. “O prefeito está descumprindo a lei municipal e a Lei Orgânica”, declarou. A vereadora disse ainda que entrará com um requerimento junto à Mesa Diretora para saber se o terreno onde fica o letreiro foi uma concessão, permissão ou se teve autorização, “porque no momento em que o prefeito pega um monumento público e o inaugura num espaço público, ele está se promovendo”, afirmou. “Nós, vereadores, não podemos ficar omissos para aprovarmos as leis e nós mesmos acatarmos o descumprimento dessa lei”, completou.

Outro lado

O vereador governista Ronaldo Cancão (PTB), porém, rebateu a colega de Legislativo. Ele assegurou que não há nada de ilegal, uma vez que o letreiro não foi construído com dinheiro público. Em contato com a assessoria de comunicação da prefeitura, o Blog foi informado de que as cores foram escolhidas pela empresa, assim como o formato das letras. A prefeitura ficará responsável pela manutenção e preservação do equipamento.

Monumento “Eu Amo Petrolina” será inaugurado na Orla hoje à noite

A Orla I da maior cidade do Sertão pernambucano ganhará, na noite de hoje (10), um letreiro com a frase “Eu amo Petrolina”. O monumento será inaugurado às 20h, com a presença do prefeito Miguel Coelho.

O letreiro tem 20 metros de comprimento por 2 metros de altura e ficará na calçada da orla, entre o cruzamento das Avenidas Joaquim Nabuco e Cardoso de Sá. A peça foi pintada nos tons azul, vermelho, verde e amarelo, com um coração vermelho no centro. Monumentos similares já foram implantados em cidades como João Pessoa, Natal e Recife, e se tornaram pontos turísticos, principalmente para quem gosta de tirar fotos.

A estrutura foi doada pelo grupo Novo Centro e será preservada pela prefeitura. Para a aquisição da peça a empresa investiu cerca de R$ 40 mil.

Uma nova bandeira para os pracinhas

IMG-20141111-WA0004O Memorial dos Pracinhas, localizado na Praça Kennedy no centro de Petrolina, finalmente recebeu atenção que merecia.

O monumento vinha recebendo críticas pelo descaso, depois que a bandeira do Brasil empunhada pela estátua de um dos pracinhas, apareceu totalmente despedaçada. Agora, um novo símbolo foi colocado no memorial, que foi inaugurado há dois anos pelo prefeito Julio Lossio para homenagear os oficiais da região (conhecidos por ‘pracinhas’) que lutaram na 2ª Grande Guerra.

 

Bandeira do monumento em homenagem aos pracinhas aparece despedaçada

monumento pracinhas_640x480monumento pracinhas2_640x480Inaugurado pelo prefeito de Petrolina, Julio Lossio, em 2012, o Memorial dos Pracinhas foi uma homenagem aos ex-combatentes da região que se integraram à Força Expedicionária Brasileira (FEB) na Segunda Guerra Mundial.

Mas em apenas dois anos, o monumento localizado na Praça Kennedy, em frente ao Colégio Pio XI, já dá sinais de que começa a cair no esquecimento. Prova disso é a bandeira do Brasil nas mãos de um dos pracinhas (como ficaram conhecidos os oficiais no conflito), já quase toda despedaçada. Uma pena.

Vândalos atacam monumento do ‘Relógio de Padre Cícero’

monumento relógio Padre CíceroAssim que os servidores da limpeza pública da Prefeitura de Petrolina chegaram para trabalhar, por voltar das 5h deste sábado (11), tiveram uma surpresa desagradável: depararam-se com o monumento do ‘Relógio de Padre Cícero’, na Praça Dom Malan, Centro da cidade, pichado e danificado.

Além de fazer desenhos e frases, os vândalos quebraram a base do monumento, danificando o mármore da obra.

As câmeras do 5° Batalhão da Polícia Militar (BPM) não gravaram a ação. O monumento foi inaugurado em agosto de 2013. De autoria do artista plástico Lêdo Ivo, a obra representa o relógio que Padre Cícero deu ao primeiro bispo da cidade,  Dom Malan, durante a construção da Catedral. (Foto: arquivo)

Prefeitura retira grade que cercava monumento próximo ao contorno da antiga Boate Trevo

equipamento contorno trevoQuem costuma passar nas proximidades do monumento localizado na BR-428 (saída de Petrolina para o Recife), já pôde observar um detalhe: o equipamento não tem mais a grade que o cercava.

A decisão da prefeitura dividiu opiniões. Houve quem gostou e quem não gostou. Mas o fato é, a bem da verdade, que os acidentes – não tão raros no local – provocados pela imprudência de motoristas fazendo o município gastar tempo e dinheiro para restaurar o espaço.

Se a medida foi ou não acertada, só o tempo vai dizer.

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br