Frente Brasil Popular de Petrolina inicia mobilização para o ‘Fora Temer’ e ‘Diretas já’

Reunidos na noite desta quinta, 18, integrantes da Frente popular de Petrolina definiram os próximos passos do grupo que abrange mais de 20 entidades – entre sindicatos, movimentos sociais e partidos de esquerda – da região. O encontro foi agendado diante dos novos escândalos políticos envolvendo o nome do presidente Michel Temer, que foi delatado pelos donos da JBS dando aval para a compra do silêncio do ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, o qual está preso e foi condenado a 15 anos dentro da operação Lava Jato.

Segundo o médico Aristóteles Cardona, que integra a Consulta Popular e coordena a Frente no município, além de mobilizar contra as reformas da Previdência e trabalhista, o foco será os protestos do ‘Fora Temer’  e pelas eleições ‘Diretas Já’, antecipando o pleito presidencial, que no calendário nacional está marcado para o próximo ano.

“Tiramos uma semana de atividades, começando domingo, 22, a partir das 7h, na feira da Areia Branca, quando faremos panfletagem, dialogando com a sociedade sobre a pauta do Fora Temer e diretas já para restabelecer a democracia em nosso país”, frisou Aristóteles.

Ele informou ainda que foi tirada um comissão que marcará a Frente de Petrolina no ‘Ocupa Brasília’, ato que está ocorrendo na capital federal para pressionar a saída de Temer da presidência.

Mobilização que ficou apenas no campo democrático

Independente de quem foi a favor ou contra, a mobilização em Petrolina (PE) e Juazeiro (BA) que engrossou a greve geral contra as reformas propostas pelo Governo Temer, realizada no dia de ontem (28), ocorreu sem incidentes. Pelo menos nada foi divulgado nesse sentido.

Ao contrário de outras cidades, em que foram registros conflitos e até mortes, por aqui prevaleceu a democracia nas ruas. Protestar faz parte do jogo, desde que não saia do campo das ideias.

E é assim que sempre deve ser. Ou deveria. Nossa região deu um belo exemplo. (Foto/divulgação)

Mobilização em Petrolina e Juazeiro contra reformas de Temer tem ocupação na Ponte Presidente Dutra

Pelo menos duas mil pessoas estão, neste momento, concentradas na Praça do Bambuzinho, Centro de Petrolina, em protesto contra as reformas trabalhista e da Previdência. A mobilização é promovida pela Frente Brasil Popular.

Em Juazeiro (BA), os manifestantes decidiram ocupar a Ponte Presidente Dutra, que liga o município a Petrolina. Mais detalhes pelas próximas horas. (foto/divulgação)

Servidores municipais de Juazeiro promovem mobilização ao lado da Prefeitura

Como prometeram na semana passada, os servidores públicos municipais de Juazeiro (BA) realizam, neste momento, uma mobilização ao lado da Prefeitura, no centro da cidade.  Acompanhados por dirigentes de vários sindicatos e associações, eles aguardam negociação com a gestão municipal sobre a Campanha Salaria 2017.

Estão reunidos os sindicatos dos Servidores Públicos Municipais de Juazeiro (Sinserp), Sindicato dos Agentes de Saúde e Endemias (Sintase), Associação da Guarda Municipal de Juazeiro (AGMJ), Associação dos Agentes de Trânsito (Assogestran), entre outros. Uma comissão está reunida com uma equipe do governo municipal. O Blog trará mais informações sobre o assunto nas próximas horas.

Afrânio: Depois de assalto, agência do BB continua fechada e comerciantes e entidade se mobilizam

Desde que foi alvo de criminosos em janeiro de 2017, a agência do Banco do Brasil (BB) de Afrânio (PE), sertão do São Francisco, ainda não foi reaberta, o que vêm provocando grandes transtornos à população, bem como prejuízos à economia do município.  Para realizar os serviços bancários, os moradores precisam se deslocar para as cidades de Petrolina (PE) ou Paulistana (PI), e isso já afeta o comércio local, que sente a diminuição das vendas.

Tentando reverter a situação, os dirigentes da Associação Comercial se reuniram para cobrar uma posição do Banco do Brasil. Os dirigentes receberam apoio da  Câmara de Dirigentes Lojistas de Petrolina (CDL)/Núcleo Afrânio, comerciantes e moradores, que realizaram um ato em favor da abertura da agência do BB.

O presidente da CDL Petrolina (NDL Afrânio), Manoel Vilmar, e o diretor executivo, Valdivo Carvalho, participaram do ato em favor da abertura da agência em apoio aos comerciantes e moradores do município. A entidade solicitou uma audiência com o prefeito de Afrânio, Rafael Cavalcanti, pedindo a intervenção do chefe do executivo para mobilizar a segurança pública e cobrar a reabertura da agência. Com a palavra, o Banco do Brasil. (foto/divulgação)

Bahia: Policiais civis paralisarão atividades por 24 horas nesta sexta-feira

mobilizacao-sindpoc-bahiaTodas as categorias da Polícia Civil do Estado da Bahia e o Departamento de Polícia Técnica (DPT)  irão paralisar as atividades por 24 horas, nesta sexta-feira (2).  Os serviços essenciais serão mantidos de acordo com o percentual exigido por lei (30% dos profissionais).

A paralisação foi decidida durante assembleia realizada no dia 25 de novembro e acontece como forma de protesto contra a precariedade e falta de estrutura das unidades policiais. Segundo o Presidente do Sindicato dos Policiais Civis e Servidores da Segurança Pública do Estado da Bahia (Sindpoc-BA), Marcos Maurício, 90% das delegacias do estado estão inadequadas, com condições de extrema precariedade e algumas delas estão instaladas em casas residenciais.

Os profissionais pedem ainda a restruturação das carreiras. De acordo com o presidente da Sindicato dos  Delegados da Polícia Civil do Estado (ADPEB), Fábio Lordello, a Polícia Civil baiana possui a pior remuneração do Brasil. Lordelo explica que a partir de sábado (3) a categoria irá trabalhar sob o regime de operação padrão, ou seja, só executará as atividades que estiverem com todas as condições de trabalho exigidas por lei. (foto/divulgação)

Contra PEC do Teto de Gastos, grupo promove mobilização no Centro de Juazeiro

protesto-juazeiro

Assim como em Petrolina e centenas de cidades do país, esta sexta-feira (11) em Juazeiro (BA) está sendo de protestos contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 55 – antiga PEC 241. Sindicatos, movimentos sociais, professores e estudantes promoveram uma mobilização na região central da cidade nesta manhã.

Os manifestantes levaram faixas e cartazes contra o governo de Michel Temer (PMDB), dizendo não à PEC 55 – também conhecida como PEC do Teto de Gastos – que pretende alterar a constituição para limitar o crescimento das despesas do governo brasileiro, tendo efeito para os três poderes, além do Ministério Público e da Defensoria Pública da União. (foto/divulgação)

Manifestantes do MST protestam contra Governo Temer e bloqueiam rodovia no Sertão de Itaparica

Um grupo de manifestantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) interditou a BR-110, entre as cidades de Petrolândia e Jatobá (PE), no Sertão de Itaparica, na manhã de hoje (11). A mobilização, segundo informações, faz parte dos protestos que estão ocorrendo em todo o país nesta sexta, contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 55, que limita os gastos públicos e é uma das bandeiras da gestão do presidente Michel Temer (PMDB).

Eles atearam fogo em pneus e impediram a passagem dos veículos pela rodovia. Inúmeros caminhões ficaram parados ao longo da estrada. O fato causou revolta em muitos motoristas que tentaram passar pelo bloqueio. (foto/divulgação)

Mobilização pela preservação do Rio São Francisco acontecerá neste domingo na Orla de Petrolina

Uma mobilização pela preservação do Rio São Francisco está marcada para acontecer neste domingo (13), no Ponto das Barquinhas, Orla de Petrolina. O convite está sendo feito via redes sociais.

O objetivo é reunir o máximo de pessoas possível para o ato público.

O movimento, que também servirá como clamor pela conscientização ambiental, está marcado para começar  às 8h. Os organizadores pedem no convite para que as pessoas se dirijam ao local trajadas de luto.

Estudantes de Petrolina invadem Casa Plínio Amorim e alfinetam PEC 241 e Governo Temer: “Educação atacada”

estudantes-pec-241-petrolina

A sessão plenária de ontem (27) na Casa Plínio Amorim foi interrompida por uma mobilização de centenas de estudantes das redes estadual e municipal de Petrolina, promovida por entidades que representam a classe, a União dos Estudantes Secundaristas de Pernambuco (Uespe) e de Petrolina (Uesp). Articulados em todo o país contra a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 241, que restringe gastos públicos por um período de 20 anos – já aprovada em dois turnos na Câmara dos Deputados – lideranças estudantis do movimento na cidade voltaram a disparar duras críticas contra a medida.

Com gritos de ordem como “Fora Temer!” e “Governo golpistas”, os manifestantes invadiram o plenário da Câmara Municipal. Disposto a ouvir as lideranças do movimento, o presidente da Mesa Diretora, Osório Siqueira (PSB), pediu a compreensão dos estudantes para concluir a pauta. Depois disso, chegou a ameaçar encerrar a sessão, caso os manifestantes não atendessem seu apelo.

Um dos alvos do grupo foi a vereadora Maria Elena (PSB), a qual disse recentemente na Casa Plínio Amorim que a PEC 241 “seria um mal necessário” para rearrumar o país. “Maria Elena, cadê você, vimos aqui só pra te ver!”, gritaram os estudantes. A vereadora, no entanto, já não se encontrava no plenário.

Representante da União dos Estudantes Secundaristas de Petrolina (Uesp), a jovem Larissa Vanessa teve o espaço concedido na tribuna para fazer suas explanações. Segundo ela, a PEC 241 culmina com outras decisões do atual governo federal que “atacam a educação pública” do país, a exemplo da ‘Escola Sem Partido’, que quer “tolher o pensamento crítico dentro das escolas”.

Ela também lembrou da Medida Provisória (MP) que muda a grade de ensino – prejudicando, por exemplo, os professores que se especializaram em cursos de licenciatura, os quais poderão perder a vaga na escola para quem o diretor simplesmente julgar que tem pleno poder. Sem falar no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que vai ficar mais difícil para os estudantes que não podem pagar por um cursinho privado. “Até o pouco que tínhamos conseguido, como o ProUni e o FIES, também estão ameaçados”, afirmou.

Audiência pública

Sobre a PEC 241, Larissa reforçou que a proposta, a qual reajustará os gastos baseados apenas na inflação do ano anterior, implicará em perdas muito grandes para a população em todas as áreas. “Não será apenas a educação. Saúde, previdência e habitação também serão prejudicadas”, declarou a líder estudantil. Alguns vereadores também se pronunciaram sobre a polêmica. Um deles foi Cristina Costa (PT), a qual propôs a realização de uma audiência pública na Casa, a fim de ampliar o debate, reunindo pessoas contra e a favor da PEC 241.

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br