Vacinação contra HPV em meninos começa nesta terça-feira em Petrolina

A Secretaria de Saúde de Petrolina começa nesta terça-feira (10) a vacinar os meninos com idades entre 12 e 13 anos contra o Papilomavírus Humano (HPV). O órgão municipal recebeu do Ministério da Saúde 2.500 doses de vacinas. Esse volume é para atender a demanda do mês de janeiro.

O objetivo é prevenir esse público contra câncer de pênis e lesões pré-cancerosas. Recebendo a vacina, os meninos colaboram para a redução dos índices de câncer de colo nas mulheres, doença que causa morte, já que é a população masculina a responsável pela transmissão do HPV.

A meta é vacinar. Em todo o ano de 2017, aproximadamente 6.453 meninos. As meninas entre 9 e 14 anos também continuarão a receber a HPV. Depois da primeira dose, a vacina deverá ser repetida seis meses depois para completar a imunização.

A vacinação começará na sede do município, nas AMES e Unidades Básicas de Saúde (UBSs), nesta terça, e até sexta-feira (13) nas unidades de saúde do interior. Em 2016 foram imunizadas 1.330 meninas contra o HPV em Petrolina. A Secretaria ressalta a importância de os adolescentes levarem o cartão de vacinação.

Novidade

Será introduzido no calendário de vacinação a Meningo C, contra a meningite do tipo C. O público alvo é de meninos e meninas com idade entre 12 e 13 anos. Foram disponibilizadas 1.056 doses para as unidades de saúde. A Meningo C é aplicada em dose única. Os postos de saúde da sede funcionam de segunda à sexta-feira, das 8h às 17h. Na zona rural, das 8h às 13h. as informações são da assessoria. foto/divulgação)

Vacina contra o HPV beneficiará mais de 174 mil meninos em Pernambuco

Implantada na rotina do Calendário Nacional de Vacinação desde 2014, a vacina contra o HPV estava sendo disponibilizada apenas para meninas entre 9 e 13 anos. A partir de janeiro, os meninos de 12 e 13 anos também foram incluídos no esquema. Em Pernambuco, poderão ser imunizados 174.670 garotos. A meta é atingir, pelo menos, 80% do público total e deixá-los protegidos contra diversos tipos de cânceres que estão diretamente relacionados ao HPV.

A vacina protege contra quatro subtipos mais frequentes do vírus HPV (6, 11, 16 e 18). Para completar o esquema, é preciso tomar duas doses da vacina, com intervalo de 6 meses entre elas. Os postos de saúde também vacinarão meninos e jovens de 9 a 26 anos vivendo com HIV/Aids, totalizando 4.767 pessoas de ambos os sexos. Nesse caso, serão três doses com intervalo de dois e seis meses após a primeira dose. Além disso, meninas de 10 a 14 anos que não se vacinaram ou tomaram apenas a primeira dose em 2016 também devem procurar os postos.

De acordo com informações do Ministério da Saúde, a vacina contra o HPV protege os meninos contra os cânceres de pênis, garganta e ânus, doenças que estão diretamente relacionadas ao HPV.  A definição da faixa-etária para a vacinação visa a proteger as crianças antes do início da vida sexual e, portanto, antes do contato com o vírus. Já no caso das meninas, a proteção se dá para os cânceres de colo do útero, vulva, vaginal e anal; lesões pré-cancerosas; verrugas genitais e infecções causadas pelo vírus.

Meningite

O Calendário Nacional de Vacinação também passa a incluir a vacina contra a meningite C como reforço ou dose única para garotos e garotas de 12 e 13 anos. A vacina já é disponibilizada aos três meses, aos cinco meses e reforço aos 12 meses, podendo se estender até os 4 anos.

Vacina contra HPV será oferecida para meninos a partir deste ano

A partir deste mês, a rede pública de saúde vai passar a oferecer a vacina contra o HPV para meninos de 12 a 13 anos como parte do Calendário Nacional de Vacinação. A faixa etária, de acordo com o Ministério da Saúde, será ampliada gradativamente até 2020, período em que serão incluídos meninos de 9 a 13 anos.

A expectativa da pasta é imunizar mais de 3,6 milhões de meninos este ano, além de 99,5 mil crianças e jovens de 9 a 26 anos que vivem com HIV/aids no Brasil. Serão adquiriras, ao todo, 6 milhões de doses ao custo de R$ 288,4 milhões.

De acordo com o governo federal, o Brasil é o primeiro país da América Latina e o sétimo no mundo a oferecer a vacina contra o HPV para meninos em programas nacionais de imunização. Estados Unidos, Austrália, Áustria, Israel, Porto Rico e Panamá já fazem a distribuição da dose para adolescentes do sexo masculino.

Duas doses

O esquema vacinal contra o HPV para meninos será de duas doses, com seis meses de intervalo entre elas. Já para os que vivem com HIV, o esquema vacinal é de três doses, com intervalo de dois e seis meses, respectivamente. Nesses casos, é necessário apresentar prescrição médica.

A doença

HPV é a sigla em inglês para papiloma vírus humano, capazes de infectar a pele ou as mucosas. Existem mais de 150 tipos, sendo que cerca de 40 podem infectar o trato ano-genital. A infecção é muito frequente, mas transitória, regredindo espontaneamente na maioria das vezes.

No pequeno número de casos nos quais a infecção persiste, pode ocorrer o desenvolvimento de lesões precursoras que, se não forem identificadas e tratadas, podem progredir para o câncer, principalmente no colo do útero, mas também na vagina, vulva, ânus, pênis, orofaringe e boca. Pelo menos 13 tipos de HPV são considerados oncogênicos, apresentando maior risco ou probabilidade de provocar infecções persistentes e estar associados a lesões precursoras. Dentre eles, os tipos 16 e 18 estão presentes em 70% dos casos de câncer do colo do útero. (Fonte/foto: Agência Brasil)

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br