Domingos de Cristália desmente boatos que teria sido intimado esta semana para responder sobre cassação de mandato

Foram muitos os comentários na reunião plenária da Câmara de Petrolina da última terça, 18, por causa da ida de oficiais de justiça à Casa Plínio Amorim com objetivo de conversar com o vereador Domingos de Cristália (PSL). Os rumores eram de que ele teria sido intimado para ser ouvido no processo que responde sobre cassação do seu mandato, ação ajuizada pelo líder comunitário Julio César Monteiro, de Izacolândia, povoado da área irrigada de Petrolina.

Domingos explicou que os oficiais levaram as intimações para serem entregues às testemunhas de acusação e defesa, e como ele conhece essas pessoas, os oficiais pediram para que entregasse a elas os documentos. “Não teve intimação para mim, não. Foi entregue as intimações para as testemunhas. Continuo tranquilo quanto a essa questão”, assegurou Domingos.

O processo movido por Julio César acusa Domingos de abuso de poder econômico durante as eleições 2016, entre outras irregularidades. Domingos nega. O vereador será ouvido pela justiça eleitoral no próximo dia 26, juntamente com Julio César.

Belém do São Francisco: Vereador que declarou renunciar a mandato não comparece a sessão e deixa suspense no ar

Em Belém do São Francisco (PE), Sertão de Itaparica, as expectativas na sessão plenária da Câmara de Vereadores local, realizada na noite de ontem (18) estavam todas voltadas ao vereador Vavá do Bode, sobre a polêmica declaração que concedeu a uma rádio local, anunciando que renunciaria ao mandato.

As expectativas, no entanto, foram frustradas. Motivo? Vavá do Bode simplesmente não compareceu à sessão, o que só aumentou o suspense.

Vereador mais votado em Belém do São Francisco ameaça abrir mão de mandato por “não aguentar mais”

Depois do vereador Sininho, de Cabrobó (PE), eleito em 2016 para o primeiro mandato, anunciar recentemente que estava abrindo mão do mandato, outro fato semelhante aconteceu – desta vez, em Belém do São Francisco (PE).

Mais votado na cidade nas duas últimas eleições municipais de Belém, Vavá do Bode disse que “não aguenta mais” e iria renunciar. A declaração foi concedida ao radialista João Jodélio, da Rádio Educadora, que se mostrou surpreso com a notícia.

Nos bastidores políticos da cidade, porém, a decisão de Vavá do Bode ainda não é tida como oficial. (Com informações do Jornal Gazeta do Sertão/foto reprodução)

Como Blog adiantou, vereador de Cabrobó confirma renúncia ao mandato

Como este Blog havia antecipado, o vereador de Cabrobó (PE), Paulo Cezar dos Santos – o ‘Sininho’ (PSB) – confirmou ontem (4), durante sessão na Câmara Municipal, que estava renunciando ao seu mandato. Mas durante seu discurso, ele chegou a ser interrompido por alguns servidores, que o chamaram de “covarde”.

Sem se abalar, Sininho pediu a compreensão dos mesmos servidores, os quais há pouco tempo diziam que admiravam e respeitavam, para concluir o discurso. “Não nasci para essas discussões”, desabafou o vereador, mostrando seu desencanto com o mandato.

Sininho deixou claro, porém, estar deixando a casa legislativa em harmonia com todos os demais colegas de legislativo.

Só tenho a pedir desculpa a cada eleitor pela minha decisão, não dá pra mim. Sou o Sininho da paz. Daqui eu saio tranquilo (…) mas nunca vou estar preparado para ser agredido verbalmente por ninguém. Não tenho sangue político, não nasci para trabalhar dessa forma. Eu nasci para olhar para as pessoas com o coração, não com pressão”, ponderou. No final do discurso, Sininho elogiou cada companheiro de Legislativo e enalteceu as virtudes de cada um deles para estarem representando o povo de Cabrobó na Câmara Municipal. O vereador, que estava em seu primeiro mandato, foi eleito com 1.513 votos, sendo o mais votado nas eleições do ano passado.

Vereador de Cabrobó prepara-se para renunciar ao mandato

O vereador de Cabrobó, Paulo Cezar dos Santos, o ‘Sininho’ (PSB) é um poço de decepção. Ele já não esconde sua tristeza e já teria revelado aos quatro cantos que deseja renunciar ao se mandato, no qual foi eleito nas últimas eleições.

O Blog conversou com ele.

“Estou ainda conversando com os amigos, as pessoas que acreditaram em mim. Mas confesso minha tristeza, minha decepção com a política. Estou nessa vida para ajudar as pessoas, mas penso que esse sistema político mais me atrapalha do que ajuda. Eu não sou feliz fazendo isso. Prefiro ganhar muito menos e ajudar as pessoas como sempre fiz”, declarou.

Sininho descartou que possa deixar o mandato por pressões.

“Não existe pressão, tem é tristeza mesmo. A política é uma vista de fora e outra você dentro dela. Hoje estou triste e não quero ser triste, Dia 20 solto uma nota e exponho todos os motivos”. O suplente de Sininho é o ex vice-prefeito Romero Gomes (PR).

Vereador Professor Gilmar Santos lança plenária popular ‘Coletivo na Rua’

Como parte do Mandato Coletivo, como denomina sua atuação na Câmara de Petrolina, o vereador professor Gilmar Santos (PT) promoveu no sábado, 18, a I Plenária Popular “Coletivo Na Rua”. A ação reuniu lideranças comunitárias e moradores engajados na luta por melhoria na qualidade de vida da população dos bairros Terra do Sul, Mandacaru, Santa Luzia, São Jorge, José e Maria e comunidades adjacentes.

O encontro aconteceu em frente à Igreja do bairro, ao lado de um terreno em que a comunidade sonha que sejam construídas uma quadra poliesportiva e uma escola pública. Atualmente, o terreno é objeto de disputa com a paróquia do bairro, que já usufrui de uma parte significativa da área, conforme os moradores.

O local foi escolhido  simbolicamente por se tratar de um espaço que congrega a luta e o sonho de lideranças comunitárias para a melhoria do bairro. Os depoimentos dos mais de 50 presentes expressavam, por um lado, a surpresa em ver um político indo à comunidade depois das eleições para ouvir e debater com o povo, e por outro lado, muita disposição das lideranças e dos comunitários em participar das discussões sobre políticas públicas de modo mais amplo, planejado e sistemático.

O morador do Santa Luzia, Francisco Luiz citou a importância de se ter maior participação popular no desenvolvimento e efetivação do Plano Diretor da cidade. Já Pedro Japão, presidente da Associação dos Moradores do Bairro Mandacaru, sugeriu que seria importante haver uma sessão da Câmara na comunidade.

“As sugestões serão encaminhadas aos colegas na Câmara de Vereadores a fim de garantir, de modo cada vez mais profundo, o diálogo entre o legislativo com o povo e por sua vez, que o resultado desse diálogo possa ser ouvido e atendido pelo o prefeito Miguel Coelho”, assegurou Gilmar. Conforme o petista, ele chegou ao Legislativo Municipal para diminuir o caminho entre as comunidades, suas demandas e assim, através do mandado, colocar em prática essas reivindicações.

“São muitas as demandas naquela região e acredito que em muitas partes de nossa cidade. Vamos levantar essas reivindicações e encaminhar também através de indicações para as secretarias e demais órgãos envolvidos. Depois iremos cobrar a execução, com a fiscalização que temos que fazer como representante de um mandato coletivo na Câmara”, disse o Professor Gilmar.

TRE do Rio de Janeiro decide cassar mandato da chapa do governador Pezão

Por 3 votos a 2, o Tribunal Regional Eleitoral do Rio (TRE-RJ) decidiu nesta quarta-feira (8) pela cassação do mandato da chapa do governador do estado, Luiz Fernando Pezão, e do vice, Francisco Dornelles, por abuso de poder econômico e político. Os dois ficam inelegíveis por oito anos.

Pezão e Dornelles vão recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) assim que for publicada a decisão. Segundo as assessorias de imprensa do TRE e do governo, até que o recurso seja julgado governador e vice podem permanecer no cargo.

Na decisão, ficou determinada a realização de eleições diretas para a escolha dos representantes do Poder Executivo estadual. A decisão, no entanto, só produz efeito após o ‘trânsito em julgado’, ou seja, quando não couber mais recurso.

“Teve um efeito suspensivo, o TRE manteve ele no cargo (…) [Pezão] Vai recorrer e a gente espera que ele tenha sucesso para o bem do Rio de Janeiro”, declarou o presidente da Assembleia Legislativa (Alerj) e aliado de Pezão, Jorge Picciani, em entrevista ao RJTV.

Picciani negou um possível adiamento da sessão previstas na Alerj para esta quinta-feira (8). Na pauta, entre outros temas, está a privatização da Cedae.

O pedido inicial da ação foi protocolado pelo PSOL. “Houve abuso de poder econômico na campanha do governador. Por isso que a decisão do TRE é pela cassação da chapa (…) Claro que depende do TSE para que ele possa ser definitivamente cassado, mas é a prova de que é um governo ilegítimo“, declarou o deputado Marcelo Freixo.

Campanha

A ação trata da produção irregular de material irregular de campanha sem prestação de contas. Segundo a Procuradoria Regional Eleitoral (PRE-RJ), foram omitidos gastos de mais de R$ 10 milhões na campanha de Pezão ao governo, em 2014. Segundo a decisão do TRE, houve abuso de poder econômico e político na concessão de benefícios financeiros a empresas como contrapartida a posteriores doações para a campanha do então candidato Pezão e de seu vice.

“Restou comprovado que contratos administrativos milionários foram celebrados em troca de doação de campanha“, afirmou um dos membros da Corte, desembargador eleitoral Marco Couto, em seu voto.

Segundo o pedido da PRE, uma diligência da equipe de fiscalização do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) na empresa High Level Signs constatou, ainda na campanha, divergência entre a tiragem registrada no material gráfico do então candidato e a que constava nas notas fiscais. A High Level Signs se declara como um “pool” de empresas formado por seis gráficas.

De acordo com a procuradoria, a prestação de contas de Pezão foi aprovada com ressalvas pelo TRE. O relator Fábio Uchôa, que votou pela não aprovação, apontou uma série de falhas que, segundo ele, omitem despesas de mais de R$ 10 milhões. Por isso, a PRE pediu que a prestação de contas de Pezão fosse anexada à representação. Além da cassação dos diplomas de Pezão e Dornelles, o procurador regional eleitoral Paulo Roberto Bérenger pediu a quebra de sigilo bancário das empresas e de seus sócios para a instrução do processo. (fonte: G1-RJ/foto reprodução TV Globo)

Procuradoria Regional Eleitoral na Bahia designa novos promotores para mandato até 2019

A Procuradoria Regional Eleitoral na Bahia (PRE-BA) designou novos promotores para atuarem na Justiça Eleitoral de primeira instância no estado. Eles iniciaram o mandato no último dia 1º de fevereiro e vão até 31 de janeiro de 2019, cumprindo o primeiro período de biênio fixo da função, estabelecido por meio da Portaria Conjunta do PRE-BA e Ministério Público Eleitoral (MPE-BA) nº 02/2016.

Através da norma, houve a unificação dos períodos dos mandatos de todos os promotores eleitorais do Estado. A portaria cumpre o artigo 5º da Resolução nº 30/2008 do Conselho Nacional do Ministério Público, que estabeleceu a designação dos promotores pelo prazo de dois anos, e a manutenção destes no exercício da função até, pelo menos, 90 dias após a eleição.

Atual presidente e vice de entidade dos comerciários de Petrolina são reeleitos para mais um mandato

O Sindicato dos Trabalhadores do Comércio de Petrolina (Sintcope) será comandado, por mais um mandato, pela atual presidente Dilma Gomes e o vice Sérgio Lacerda. Eles foram reeleitos com 80% dos votos válidos no pleito da entidade, realizado na última quinta (26) e sexta-feira (27). Os dois encabeçaram a chapa Comerciário Cidadão. (mais…)

Vereador Geraldo da Acerola garante que primeiro mandato na Casa Plínio Amorim também será o único

Um dos que estão deixando a Casa Plínio Amorim, o vereador Geraldo da Acerola (PT) garantiu a este Blog que não pensa mais em tentar um retorno ao Legislativo numa próxima eleição. Para ele, seu primeiro e único mandato foi um aprendizado, após quatro tentativas de se eleger.

Geraldo, no entanto, não conseguiu esconder sua decepção com o fracasso nas urnas este ano. Ele atribuiu o fato de não ter renovado o mandato ao “poder do dinheiro” na campanha municipal de Petrolina. E isso ele garante que não teve. Até porque, segundo o vereador, “voto tem de ser dado, e não comprado”.

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br