Líder comunitária do Vivendas rebate morador sobre barulho excessivo; Secretaria diz estar atenta a problema

A representante da Associação de Moradores do Residencial Vivendas, Luciana dos Santos Souza, rebateu as críticas feitas por um comunitário em relação a uma festa realizada no último domingo (14). Ele disse ao Blog, reservadamente, que o barulho excessivo do evento incomodou bastante a vizinhança. Luciana, no entanto, disse que os comentários não procedem. Ela justificou que a festa foi em homenagem ao Dia das Mães (foto), e ocorreu dentro da normalidade. “Essa pessoa que criticou com certeza não tem mãe, porque a festa foi dedicada a elas, inclusive com sorteios de brindes. Só tinha mães, crianças, famílias. Não houve badernas nem barulho excessivo. Isso é coisa de gente que não tem o que fazer”, desabafou.

Luciana informou ainda que a banda que tocou no evento é formada por meninos de um projeto social idealizado pela associação. Ela ressaltou ainda que os guardas municipais presentes ao residencial foram solicitados à prefeitura pro meio de um ofício. A líder comunitária frisou também que até encerrou a festa uma hora mais cedo. “Poderíamos ir até à meia-noite, mas decidimos encerrar às 23h”, completou.

Por meio de nota, a Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade (Sedurbs) da Prefeitura de Petrolina informou ao Blog que a demanda sobre poluição sonora no residencial já é de conhecimento da Pasta.

A Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade de Petrolina informa que já tem conhecimento da demanda do Residencial Vivendas sobre a poluição sonora. Por isso, a Diretoria de Disciplinamento Urbano e Atividades Licenciadas já está articulando com a AMMPLA e a Guarda Municipal a realização da operação Sossego naquela localidade. Por se tratar de uma ação de fiscalização, não é possível antecipar quando o trabalho irá ocorrer. Além disso, a Sedurbs orienta à população que qualquer reclamação pode ser formalizada junto à Ouvidoria Municipal através do telefone 156 ou do site www.petrolina.pe.gov.br. Não é necessário se identificar, mas é importante que o cidadão forneça informações válidas para que os responsáveis possam tomar as providências cabíveis em cada caso”, destacou.

Líder comunitária de assentamento em Petrolina ‘detona’ Compesa

dona maria assentamento associação lyndolpho silva

A comunitária Maria da Conceição da Silva, presidente da associação do Assentamento Lyndolpho Silva, em Petrolina, é mais uma a criticar a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa). Segundo contou ao Blog, sua comunidade ficou sem água por mais de 15 dias, devido às fortes chuvas deste ano.

No entanto, tudo o que ouviu de um funcionário da empresa foi de que as chuvas danificaram a tubulação responsável pelo abastecimento dos moradores e não seria possível o conserto naquele momento. “Ele nos pediu paciência e garantiu que quando as águas baixassem fariam o trabalho”, lembra.

A paciência, porém, deu lugar à revolta. Desesperados com a demora da Compesa em realizar a intervenção, os comunitários decidiram eles próprios, na semana passada, trocar o cano rompido.

“A água estava jorrando, sendo desperdiçada, e nós não poderíamos ficar esperando o dia em que Compesa quisesse ir fazer o serviço”, desabafou Maria da Conceição. Ela diz ainda que já pensou em entregar a conta do conserto à Compesa, mas acredita que não vai adiantar. “O certo seria nós cobrarmos, mas sabemos que não teríamos esse retorno”, completou a líder comunitária. Atualmente vivem no assentamento 34 famílias.

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br