Secretaria de Saúde de Juazeiro afirma que reclamação de leitora sobre UPA “está sendo investigada”

Em nota da assessoria, a Secretaria de Saúde (Sesau) de Juazeiro (BA) esclareceu a este Blog que a reclamação feita pela leitora Meire Carvalho, acerca do atendimento que recebe da UPA de Juazeiro, “está sendo investigada”.

Confiram a nota, na íntegra:

A Secretaria de Saúde de Juazeiro (Sesau) informa que a situação relatada pela leitora Meire Carvalho está sendo investigada. Caso seja constatado que houve negligência por parte dos profissionais da Unidade de Pronto Atendimento (UPA), as medidas cabíveis serão adotadas.

A Sesau orienta aos usuários do serviço de saúde da rede municipal que formalizem as denúncias junto ao serviço de Ouvidoria, sempre que se sentirem prejudicados.

O contato pode ser feito por meio dos telefones: 3613-8305/3613-8306, pelo endereço de e-mail (ouvidoria.saude@juazeiro.ba.gov.br) ou ainda no seguinte endereço: Rua 15 de Julho, nº 32, Centro da cidade. O horário de funcionamento do serviço é das 7h às 18h.

Sesau Juazeiro (BA)/Ascom

Leitora lamenta atendimento na UPA de Juazeiro

A leitora Meire Carvalho se indignou contra o tratamento recebido pela Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Juazeiro (BA), na última segunda-feira (1), quando foi à procura de um médico no local.

Confiram seu desabafo:

Na última segunda-feira (01/05/17) na parte da tarde, precisei (infelizmente) ir à UPA de Juazeiro, pois estava com dormência e dor no braço direito e em outras partes do corpo. Junto de minha mãe, me desloquei da minha casa para passar pelo médico na unidade. Chegando lá fui bem atendida na recepção, e logo fui encaminhada para a sala de triagem.

Para minha surpresa (pois já fui à UPA outras vezes e fui atendida normalmente) quando relatei minha situação para a enfermeira, a mesma argumentou que eu não passaria pelo médico e que eu teria que procurar um posto de saúde. Conversei com ela que no Posto provavelmente demoraria e que já tinha uns dias que eu venho sentindo essa dor.

Mas nada adiantou, e perguntou se eu queria um encaminhamento e aceitei. O que mais dói em mim é que nós temos direito a Saúde (está na Constituição), e tenho conhecimento que nos fins de semana, feriados e períodos noturnos a UPA tem que atender.

Entendo os casos de urgência e emergência, mas ninguém sai de casa sentindo-se bem para um hospital. Espero mais humanidade dos enfermeiros e médicos dessa unidade, pois ninguém sente a dor e necessidade do outro. Ninguém sai de casa para conversar com enfermeiro, pois não são médicos. Vamos à unidade para relatar nossa dor e receber um diagnóstico do médico.

Meire Carvalho/Leitora

Leitora solta o verbo contra atendimento do SAC de Juazeiro

Inconformada com a morosidade do Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC) de Juazeiro (BA), após passar metade do dia para tirar sua Carteira de Identidade (RG), na última segunda-feira (24), a leitora Sandra Quele dos Santos soltou o verbo e cobrou respeito por parte do órgão público.

Confiram:

Atualmente, em Juazeiro (BA), para se ter acesso à primeira ou segunda via do documento de Identidade (RG), precisa-se ir ao SAC, entrar na fila no dia anterior à noite ou na madrugada do mesmo dia.

Na segunda-feira, 24/04, fui uma das pessoas que acessaram essa fila. Como eu tinha o dia livre, deixei pra ir às 6 da manhã. Cheguei lá às 6h30 e a fila estava já numerosa.

Fomos aos poucos entrando no espaço do SAC. Até aí, tudo correndo bem! Uma senhora loira (funcionária) muito educada e trabalhadeira, pra lá e pra cá, organizando tudo!

Porém, após recebermos as senhas, o tempo para de passar naquele local. Não sei quais os critérios que a Diretoria do SAC se utiliza para distribuir as senhas, mas quem estava lá para tirar Carteira de Trabalho, recebeu a notícia na entrada que só tinham 15 senhas e os demais deveriam voltar no dia seguinte (boa parte da fila). Isso já é degradante, para o indivíduo que se encontra com pendências e com urgência para resolver.

Eu, peguei a senha para o RG, tendo chegado lá às 6h30. Peguei a senha após o número 70. E aí começou o caos. Algumas vezes que precisei do SAC nunca vi aquele sistema não cair e ficar no mínimo meia hora fora do ar. Na segunda-feira, não foi diferente. Sistema caiu! Funcionários pra lá e pra cá, fora dos seus postos de trabalho.

Enfim, deu 11h e eu lá, sem previsão de ter o documento. Mulheres com crianças, adultos…todos tão fadigados pela longa espera. Um grande detalhe: naquele setor de RG não tem tela para chamar o número da senha do cidadão! Os atendentes chamam pelo nome de cada um (não há transparência e ficamos perdidos na ordem de chamada), acontecendo de ter pessoas que ali não estavam mais cedo, sendo atendidas na nossa frente. Como sabermos, se não tem tela de senha?

Nesse sentido falta transparência e ética ali, não é Coordenação? Fui até um dos atendentes, pois todos ali se questionavam em qual atendimento estava naquele momento, às 12h. O atendente a quem eu me dirigi me informou que estava no número 55; sentei e aguardei. Em seguida foram chamadas três pessoas no atendimento e a minha vizinha do lado, que era do número 56, sentada sem atendimento, provando para quem ali estava que não há ali nenhuma ordem no atendimento!!

Após esse horário, dois dos quatro atendentes saíram com bolsas, acredito que indo almoçar. Ficou apenas dois atendendo.

Dois pontos fracos desse momento de espera: o SAC de Juazeiro não tem bebedouro para bebermos água. Um senhor veio a mim, para saber onde tomava seu remédio, queria um copo de água. Me dirigi ao funcionário mais próximo e este me disse que só tinha água na cozinha dos funcionários. O segundo ponto é que o acesso ao primeiro andar do SAC é feito apenas por meio de escada. Não há rampas ali!

E para finalizar, saí de lá às 13h. Pode isso?? Para se ter acesso a um serviço ao cidadão, ter que passar a manhã inteira e o início da tarde? Eu tinha o dia livre. Só me queixo da falta de respeito na ordem de chamadas e do cansaço de estar ali. Mas e quem trabalha, estuda e tem compromisso? Por que não pensarmos neles?

Por isso qualifico o atendimento ali como vexatório e humilhante! Por que apenas quinze senhas para Carteira de Trabalho? o SAC não funciona até às 15h?

Por que o atendimento nas Identidades é tão lento? faltam profissionais? falta compromisso dos que existem ali? ou falta gestão no SAC?

Sandra Quele dos Santos/Leitora

Leitora solta o verbo contra morosidade de agência da Caixa Econômica em Juazeiro

A já conhecida morosidade das agências bancárias da região no atendimento aos seus clientes mereceu duras críticas da leitora Elaine Azevedo. Ela reclama da Caixa Econômica em Juazeiro (BA), onde ontem (25) ficou mais de duas horas para ser atendida.

Confiram o desabafo da leitora.

Britto, quero deixar registrado meu repúdio em relação ao atendimento dispensado pela Caixa Econômica de Juazeiro, agência 0080, aos seus usuários. Estive lá semana passada por duas vezes e estava praticamente impossível entrar e/ou permanecer lá dentro, desisti e fui embora.

Ontem eu consegui entrar às 14h20 e fiquei em pé na fila expressa junto a outra dezena de usuários, só sendo atendida às 16h30. Após isso, fui encaminhada para o segundo atendimento…é desumano. Entendo que a demanda é grande, mas nada justifica uma pessoa ficar em pé, numa fila que deveria ser expressa, por tanto tempo.

As pessoas quando vão a um banco buscam a solução do seu problema e merecem um atendimento digno. Mesmo que seja irreal a Lei dos 15 minutos, ficar tanto tempo parado é desumano. E para completar, eles não fornecem senha com o horário da entrada para dificultar a comprovação, pelo usuário, de tempo dispensado dentro do banco.

Elaine Azevedo/Leitora

Prefeitura de Juazeiro rebate críticas de leitora sobre problemas na saúde pública

Em nota enviada a este Blog por meio da assessoria, a Prefeitura de Juazeiro rebateu as críticas da leitora Maria das Grotas Sena Araújo, postadas na última segunda-feira (17), acerca dos problemas que ainda persistem na saúde pública do município baiano.

De acordo com a atual gestão, várias ações no setor estão sendo realizadas. Confiram:

A Secretaria de Saúde de Juazeiro esclarece que a pasta vem sendo tratada como prioridade desde o primeiro dia da gestão do prefeito Paulo Bomfim, conforme prometido durante a campanha eleitoral. Para isso, o governo está trabalhando com foco em melhorar a qualidade da Atenção Básica e para isso criou o programa ‘Atender Melhor’, humanizando ainda mais o atendimento ao usuário de saúde da rede municipal.

Este ano já foram realizadas 14 edições da Caravana da Saúde, dando celeridade ao cumprimento de mais de duas mil guias na sede e no interior, assim reduzindo as demandas reprimidas dos Postos de Saúde, inclusive, a vice-prefeita e cardiologista, Drª Dulce Ribeiro, é uma das médicas especialistas que atende a população na Caravana, além de fazer o seu papel de gestora, ouvindo a comunidade.

Com relação à infraestrutura, o prefeito Paulo Bomfim inaugurou a Unidade Básica de Saúde do bairro Jardim Primavera. Um equipamento público novo, completamente equipado e abastecido com todos os insumos necessários.

Ainda este ano, o município, em parceria com o Governo do Estado, realizou um mutirão de cirurgias, pelo qual foram ofertados os procedimentos de histerectomia e hérnias (umbilical, inguinal e epigástrica), para os pacientes que já estavam na fila de espera. Cerca de 380 agendamentos para o procedimento cirúrgico foram realizados.

Também em parceria com a Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab), foi realizado o mutirão de glaucoma para pacientes já cadastrados. Na ocasião, mais de 600 atendimentos foram realizados e mais de 2700 colírios foram entregues para os usuários.

A Secretaria ainda esclarece que não há engavetamentos de guias, como sugeriu a leitora. Infelizmente, em âmbito nacional, a saúde pública enfrenta o desafio de ter maior procura do que oferta do serviço. Por esse motivo, existe uma fila de prioridades para atender os casos mais urgentes. As demais demandas serão atendidas de acordo com a disponibilidade de vagas e a lista de espera.

Secretaria de Saúde/PMP Ascom

Leitora solta o verbo contra empresa de viação intermunicipal do norte baiano e cobra providências

Indignada contra a prática de uma empresa de viação intermunicipal do norte baiano, a leitora Andreia Borges não poupa críticas e cobra veementemente uma fiscalização rigorosa por parte das autoridades competentes.

Confiram:

Precisamos acabar com esse descaso e falta de segurança, enquanto se fala tanto em segurança nas estradas e punem motoristas com muitas absurdas. Comprei passagem de ônibus na empresa Falcão Real/São Luiz, de Juazeiro para Senhor do Bonfim na quinta feira, e ainda na rodoviária o ônibus lota todas as poltronas e ainda entram mais de 30 pessoas, entre idosos e mulheres com crianças no colo.

Viajamos cerca de 129 km com essas pessoas de pé, se segurando como podiam. Cadê a fiscalização? Pior foi ouvir de várias pessoas que isso é um problema antigo e que não adianta falar nada, que temos é que aceitar.

Quando eu falo em terra sem lei, acham ruim comigo. Mas uma cidade onde tudo é baseado em relações de interesses que favorecem uma minoria, é sim uma terra sem lei. Empresas como essa são protegidas. No dia 16/04/2017, voltando de Senhor do Bonfim para Juazeiro, mais uma vez passagens vendidas e passageiros em pé. Fiscalização!

Andreia Borges/Leitora

Leitora reclama de funcionamento da CEF para quem tem que sacar FGTS inativo

Uma leitora do Blog escreveu indignada porque só dispõe do fim de semana para sacar o FGTS inativo e não está conseguindo. Ela conta que a Caixa Econômica Federal (CEF) distribui poucas fichas diante, da quantidade de gente que tem direito de sacar seu dinheiro.

A leitora disse que saiu de casa às 4h da madrugada, recebeu uma ficha número 47, e mesmo assim não conseguiu efetuar o saque. Ela Está chateada porque porque trabalha numa escola de tempo integral e fica impossibilitada de procurar a agência durante os dias úteis.

A leitora cobra uma resposta da CEF, porque outras pessoas têm ficado também sem sacar o recurso, mesmo morando longe e chegando também de madrugada à agência.

Leitora desabafa diante de cenário “caótico” da Biblioteca de Petrolina

Indignada pelo atual cenário em que se encontra a Biblioteca Municipal Jornalista Cid Carvalho, em Petrolina (que, aliás, não é de hoje), a leitora Paula Sá desabafa ao Blog.

Confiram:

Carlos Britto, estou lhe enviando esse e-mail para relatar a triste realidade da Biblioteca Municipal de Petrolina.

Era uma vez a biblioteca de municipal, onde pessoas se reuniam para estudar, adquirir conhecimento, pesquisar etc. Podiam se encontrar lá diversos livros, ainda que desatualizados, piso deteriorado, forro mofado, morcegos e baratas, mas ainda assim funcionava.  Como diz o ditado: ruim com ela, pior sem ela.

A Secretaria de Cultura não fazia muita coisa e até hoje parece não fazer, pois a mesma está fechada desde a gestão passada. Parece que entra ano e após ano é a mesma coisa, continua esquecida pelos secretários e prefeitos que passam. Ela está ali!  Ao lado do shopping.

Parece não fazer falta, até mesmo porque existe a biblioteca da Univasf, e o município adora se escorar no Governo Federal, como um filho que se apoia no pai. Coincidência? Agora recentemente o atual prefeito foi buscar verba para que ocorram 30 dias de São João. Ótimo negócio, pois vai trazer turistas e alavancar a economia da cidade nesses 30 dias.

Mas a biblioteca não gera lucros e nem pessoas de fora para estudar. Ao contrário: ela leva as pessoas para outros lugares e mundos diferentes através dos livros, faz com que pessoas abram os olhos e comecem a tomar suas próprias decisões, ao invés de fazer como a maioria da massa e continuar vendo a morte da biblioteca municipal. Obrigada!

Paula Sá/Leitora

Artigo do Leitor: Muitas críticas por atendimento ruim da Unimed em Juazeiro

Atendimento ruim da Unimed  em Juazeiro (BA), levou a leitora do Blog, Karolyne Amorim, a bater duro quanto ao tratamento que os usuários do plano de saúde vêm recebendo.  Acompanhe:

Estava com uma consulta marcada com a pediatra do meu filho, ontem, 28,na sede da Unimed de Juazeiro. Quando a gente liga pra marcar a consulta eles informam que a médica começa a atender a partir das 14h. Já começa o desrespeito com os pacientes, porque a médica foi chegar no local mais de 17h.

Isso, um local de atendimento a crianças, sem a menor estrutura, não tem uma televisão se quer pra entreter as mesmas. Muito menos uma brinquedoteca, no mínimo uns brinquedos. Quatro funcionárias totalmente mau humoradas, no mínimo mal pagas, atendendo os pacientes com uma cara de abuso fora do comum.

Quando deu 18h, todas as funcionárias foram embora! Ficou o consultório por conta dos pacientes. Uma verdadeira esculhambação. Chegava a hora de um paciente entrar na sala e ninguém sabia quem era a vez!! O povo em tempo de se estapiar na recepção, as crianças estressadas com a demora no atendimento.

Um descaso sem fim, com nós que pagamos tão caro por um plano de saúde. Parece até muitas vezes que estamos pedindo favor. Só pra constar esse atraso da médica, não foi a primeira vez, isso acontece todos os meses!!!! Muita gente estava lá indignada, mas nem todos cobram os seus direitos. E nisso, a hora se passando.

Karolyne Gomes Amorim, usuária do plano e leitora do Blog

Artigo do Leitor: Em Pedrinhas, moradora diz que população reclama, mas não quer água tratada na comunidade

 

Mary Gonzaga, proprietária de casa na comunidade de Pedrinhas, área ribeirinha de Petrolina, escreve ao Blog para explicar sobre a situação polêmica da água consumida pelos moradores do lugar. Lá, existem um sistema novo, pronto para levar água tratada às residências, mas um impasse entre os próprios moradores, tem impedido que a população passe a consumir água potável. Confira:

O caso específico de Pedrinhas é algo marcante, inusitado e tenho certeza de que o prefeito Miguel Coelho não tem conhecimento desses desmandos. Na primeira semana de 2017, o prefeito Miguel Coelho reuniu autoridades e pessoas de sua confiança e da Codevasf e foi inaugurar um “Elefante branco” que estava lá há anos.

O vereador Ibamar Fernandes é testemunha de quantos anos tem essa coisa que está lá no meio da praça. Eu estava lá. O Prefeito inaugurou simbolicamente. Agora o povo não quer. E aí? Começou a ocorrer um aguaceiro que se direciona para minha casa que fica na esquina. É da caixa velha antiga que ao que tudo indica tem um problema.

Tem que transbordar, porque do contrário não abastece as demais casas da vila que ficam nas laterais do asfalto. A caixa nova, disse-me o Sr. Moreira, que teria ficado encarregado de ligar o sistema, na presença da sua esposa, que lhe foi entregue uma chave por um encarregado da Codevasf (ele não soube precisar o nome).

Que deveria o Sr. Moreira ligar essa água todos os dias para evitar queimar um determinado dispositivo. Segundo a presidente da Associação, Dona Helena, o encarregado entregou essas chaves a ela, que é presidente e que isso deveria ser feito por um mês, para testar. Desde então a caixa é ligada, mas não temos água tratada nas nossas casas.

A presidente disse que lá não terá água tratada porque o povo não quer. Nem ela. Que o povo não pode pagar! O mesmo me falou o Sr. Moreira: que o povo não quer.

Por outro lado, moradores estão abrindo valas e valas em direção ao que seria uma pracinha e enchendo-a de água de esgoto. O chamado esgoto a céu aberto. O vizinho da casa da Vice Prefeita Luska Portela fez, a do outro lado também e assim vai, uma podridão sem fim, possibilidades de doenças várias e outras endemias.

Os mesmos moradores que não querem a água, estão culpando o prefeito. A pergunta é: culpando do quê? O prefeito sabe desses desmandos? A Codevasf não age por quê? Quem liga essa água precisa de autorização do povo? É assim que funciona?

O que falta é uma ação coercitiva, o que é normal no Direito Administrativo, no sentido de preservar o bem público, evitar o desperdício e evitar endemias e até possíveis epidemias. Nesse sentido o Poder Público pode agir. E creio que o prefeito, bem intencionado que foi e que é, agirá conforme a Legislação, usando seu Poder de Polícia, inerente ao Direito Administrativo.

Mary Gonzaga, proprietária de casa nas Pedrinhas

Artigo do Leitor: Moradora do Minha Casa Minha Vida em Juazeiro pede ajuda às autoridades antes que destruam as moradias do programa

Neste artigo, a leitora do Blog, Samila Alves, relata sobre problemas enfrentados por moradores devido a invasores dos aparatamentos do programa Minha Casa Minha Vida, em Juazeiro;BA. O fato é relatado no residencial que fica no bairro Itaberaba. A situação, segundo Samila, é de muita preocupação e merece atenção imediata das autoridades. Acompanhe:

 

Boa tarde senhor Carlos Brito 

Gostaria de fazer um apelo para a uma pessoa de autoridade maior, pois venho com muita tristeza lhe informar que meu avô ganhou uma casa no Residencial 2 da Itaberaba 

Sei que isso era pra sê uma grande conquista, mas simplesmente se tornou um tormento, pois no momento tivemos que abandona a casa pois o apartamento acimar do nosso  foi invadido várias vezes e só por pessoas que não tem a minima condições de com viver com pessoas de bem como agente e os outros moradores.

Pois bem esses últimos invasores simplesmente estão acabando com o património público e estão acabando com a minha casa ,pois os de Mas estão entrando dentro das caixas d’água e estão tomando banho e defecar dentro das nossas caixas, gente isso simplesmente ė um absurdo eu tenho um filho que tem simplesmente apenas 5 meses e tem o meu avô que tem 75 anos um idoso que mora comigo  e sem saber estávamos tomando banho com essa água e fazendo almoço e muita outras coissas com essa água..

A porta da minha casa não permanece nunca limpa pois estão fazendo a minha e a dos outros moradores de depósito de lixo…

Pois não sei mas o que fazer já procurei a secretaria de habilitação e simplesmente mim pedirão para t paciência, procurei a CAIXA  e simplesmente não fizeram nada.. gente isso ja vai fazer 1 ano e nao resolveram nada e ainda querem que eu espere mas…agora mesmo to morando de com a minha sogra 

Pois não tenho condições nenhuma de morar la pois os mesmos so vivem mim ameaçando porque pesso pra não jogarem lixo na minha porta e ainda acham ruim…

Pois espero que as autoridades maior possam mim dar uma resposta pois não posso viver na casa dos outros sendo que eu tenho a minha e não posso morar porque a CAIXA e nem a secretaria de habilitação podem tomar uma providência…

Obrigada

Samila alves, leitora

Artigo do Leitor: Comerciários de Juazeiro cobram do sindicato início da convenção coletiva da categoria

Em nota enviado ao Blog, a leitora Sabrina Miranda, cobra em nome dos comerciários de Juazeiro/BA, uma posição dos sindicatos patronal e dos comerciários que até a esta altura não iniciaram discussão sobre a alteração no valor dos salários desses profissionais e nem convocaram uma convenção coletiva da categoria para iniciar o debate. Ela chama ainda mais atenção por parte do dirigente do sindicato. Acompanhe:

Bom dia Carlos,

Desde já agradeço a você pelo espaço que tem dado aos seus leitores. Venhamos por meio deste relatar a indignação com os dois sindicados , sendo eles o patronal e o do comerciário de Juazeiro-BA ,pois até agora não foi nos dado satisfação do nosso salário que, onde o salário mínimo teve aumento desde de janeiro de 2017 e até agora nem se quer teve convenção para discutir valores a serem alterados.

Queremos também registrar a inoperância do presidente, Sr.Renato, presidente do sindicado de Juazeiro que, não tem não altivez para resolver as questões relativas à classe comerciária de nossa cidade.

Cobramos uma resposta breve do Sr. Presidente do sindicato regional de Juazeiro.

Grata!

Sabrina Miranda, leitora

Artigo do leitor: “Descaso em atendimento na Casa do Bolsa Família em Juazeiro”

A leitora do Blog, Luana Nadja, enviou um desabafo pela forma que foi mal atendida na Casa do Bolsa Família, em Juazeiro/BA. Acompanhe:

“Caro Carlos Britto, venho expressar o tão horrendo absurdo que passei ao me dirigir à Casa do Bolsa Família aqui de Juazeiro, necessitando do serviço. Cheguei ao órgão cedo, esperei abrir, estava agendada desde o mês passado, mas como se não bastasse as horas se passaram e o meu nome não chamava. Depois de inúmeras reclamações, enfim mim chamaram e neste exato momento a coordenadora Priscila se dirigiu até a atendente e disse que uma colega estava chamando. Fiquei aguardando a atendente voltar para iniciar o meu atendimento que ao chegar me informou que não poderia dar continuidade.

Não pegou nem ao menos a minha documentação, não perguntou o que eu queria. Simplesmente negou, criando diversos impedimentos. Falei com assistente social e a mesma solicitou que o atendimento fosse prestado, pois eu já estava esperando a mais de 6 horas e não poderia sair sem atendimento.Para minha surpresa, descobri o motivo dá negativa, pois a própria atendente informou para assistente social, a mesma que a chamou não se agradou de mim. Talvez tinha algo pessoal ou até mesmo preconceito.

Exigiu que eu não fosse atendida. Sem falar que todas feriram o principio dá impessoalidade, pois pessoas conhecidas que se cumprimentavam até com beijo no rosto, passavam na frente de todas que ali estavam na tão incansável esperança de um atendimento prestado e digno.

Os órgãos públicos existem para atender os cidadãos e o servidor público é obrigado por lei a prestar serviço de forma eficiente, e atender com excelência o cidadão. A lei 8.112 de 11.12.1990, estabelece os deveres do servidor público.Gostaria que aquele lugar fosse fiscalizado, pois como passei por isso, muitos passam, pois o mau humor das atendentes está mais que explícito. Tratam os cidadãos como cachorros.

Luana Nadja, leitora

 

Prefeitura de Petrolina diz que manutenção de fossa em calçada é de responsabilidade do dono do imóvel

 

A Secretaria de Infraestrutura, Habitação e Mobilidade de Petrolina enviou nota ao Blog em atenção à moradora Marlene Francisco de Oliveira que reclamou de uma fossa estourada já vários meses na calçada de sua casa, localizada na Rua 11 do bairro Fernando Idalino Bezerra, zona leste de Petrolina. O problema é bem próximo da Escola Municipal Nicolau Buscardini.

Conforme a secretaria, a manutenção da fossa (equipamento normalmente construído pelo morador no quintal ou calçada de casa a fim de descartar esgoto e dejetos) é de responsabilidade do proprietário do imóvel. A nota informa ainda que o mutirão de saneamento, resultado da parceria entre Prefeitura de Petrolina e a Compesa, já tem verba garantida, através do senador Fernando Bezerra, para que a rede de saneamento do Idalino Bezerra seja readequada.

Com a obra, em breve os moradores poderão efetuar a ligação dos seus esgotos à rede, resolvendo assim uma antiga demanda da população daquela comunidade.

Fossa estourada próximo a escola gera transtornos no bairro Fernando Idalino

Através do WhatsApp do Blog, a leitora Marlene Francisca de Oliveira disse que há meses enfrenta problemas com uma fossa estourada em frente a sua residência, localizada na Rua 11, número 80, no bairro Fernando Idalino Bezerra, área central de Petrolina. O transtorno, conforme a leitora, fica bem próximo à Escola Nicolau Buscardini.

Segundo Marlene, ela já apelou à Compesa e à Prefeitura para solucionarem a situação, mas ninguém resolve. Marlene disse que a Compesa informou que não tem nada a ver com o problema, porque o bairro não paga taxa de esgoto e ai ela diz que fica sem saber a quem recorrer. A prefeitura ficou de se pronunciar sobre o assunto. (foto/divulgação)

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br