Alunos aprendem menos matemática no ensino médio

O percentual de estudantes com aprendizado adequado no Brasil aumentou do ensino fundamental ao ensino médio, de acordo com dados divulgados hoje (18) pelo movimento Todos pela Educação. Persiste, no entanto, um gargalo em matemática, no terceiro ano do ensino médio. Ao deixar a escola, apenas 7,3% dos estudantes atingem níveis satisfatórios de aprendizado. O índice é menor que o da última divulgação, em 2013, quando essa parcela era 9,3%.

O índice é ainda menor quando consideradas apenas as escolas públicas. Apenas 3,6% têm aprendizado adequado, o que significa que 96,4% não aprendem o esperado na escola. “É algo muito frustrante. A gente não está conseguindo avançar na gestão da política pública educacional”, diz a presidente executiva do movimento, Priscila Cruz.

“Matemática é uma disciplina cujo aprendizado é muito mais dependente da escola. Se não aprendeu na escola, não aprende na vida”, acrescenta. De acordo com a definição do Todos pela Educação, o aprendizado adequado de matemática no ensino médio significa que os estudantes tiraram pelo menos 350 no Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb). Isso os coloca no nível 5 de 10. São estudantes que conseguem pelo menos resolver equações, determinar a semelhança entre imagens e calcular, por exemplo, a divisão do lucro em relação a dois investimentos iniciais diferentes. “É o mínimo adequado”, diz Priscila

Municípios

O levantamento mostra uma melhora em relação à primeira etapa do ensino fundamental, que vai do 1º ao 5º ano – fase que, na educação pública, é geralmente de competência dos municípios.

Entre 2005 e 2015, houve um aumento dos municípios com maiores percentuais de estudantes com aprendizado adequado. Em 2005, 0,1% dos municípios tinha mais de 75% dos estudantes aprendendo o mínimo adequado à etapa. Esse índice saltou para 8,4% em 2015. Em matemática, também houve aumento. Em 2005, nenhum município tinha mais de 75% dos estudantes com aprendizado adequado. Em 2015, eram 4,2%.

Os números são baseados no resultado da Prova Brasil e do Saeb), aplicados em 2015. A Prova Brasil é um dos componentes do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), considerado um importante indicador de qualidade do ensino. O índice vai até dez e é calculado de dois em dois anos. São divulgados indicadores do 5º e do 9º ano do ensino fundamental e do 3º ano do ensino médio, para português e matemática.

O Ideb de 2015 foi divulgado pelo governo no ano passado. A meta para o índice de 2015 foi cumprida apenas no início do ensino fundamental.

Nova base Curricular

Atualmente em discussão, a Base Nacional Comum Curricular deverá definir o que os estudantes têm direito de aprender em cada etapa de ensino. Isso deve, segundo Priscila, ajudar na definição clara das metas de aprendizado. A expectativa é de que a Base do Ensino Fundamental seja divulgada até março pelo Ministério da Educação e a do ensino médio, ainda este ano. (fonte: Agência Brasil)

Promotora Ana Rúbia ganha homenagem de escola da rede municipal de Petrolina por projeto de educação ambiental

ana-rubia-e-gilmara

A promotora pública do Meio Ambiente, Ana Rúbia Torres, recebeu na noite de ontem (16) uma homenagem da Escola Mãe Vitória, que integra a rede municipal de Petrolina, por ter idealizado uma iniciativa que ajudou a escola a melhorar seu desempenho no Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), saindo de 3,7 para 4,8. O resultou garantiu à Mãe Vitória atingir a meta prevista pelo Ministério da Educação (MEC) para 2021.

A solenidade, realizada no Bairro Henrique Leite (onde se localiza a escola), contou com a presença da secretária municipal de Educação, Gilmara Lacerda, além de alunos, da gestora e dos professores. A promotora recebeu um certificado de Honra ao Mérito da Secretaria de Educação, no bairro Henrique Leite.  Ana Rúbia não escondeu a emoção. Com a voz embargada durante todo o seu discurso, ela destacou o esforço e crescimento de cada aluno no resgate da sua autoestima. E enfatizou o despertar do empoderamento de cada um dos participantes, agradecendo ao trabalho voluntário dos envolvidos no projeto.

Os professores participantes Magda Feitoza, José Amaral Damasceno, Pedro Norberto, Anísia Joana e a gestora da Mãe Vitória, Maria José Sá, também estavam emocionados com o resultado exitoso do Projeto.

Educação ambiental

O programa de educação ambiental e intervenção pedagógica implantado na escola teve o objetivo de aprimorar o processo ensino/aprendizagem, por meio da aproximação entre escola e comunidade local, e com a preservação ambiental através da contextualização dos conteúdos e do trabalho multi e interdisciplinares, tendo o meio ambiente como tema transversal. (fonte/foto: Ascom Seduc/PMP)

Artigo do leitor: Senador Cristovam Buarque defende que escola “respeite opção e vocação” do estudante

Educação_-reprodução-internetEm tempos de desempenho negativo dos estudantes brasileiros no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), o senador Cristovam Buarque (PPS-DF), conhecido por um contumaz defensor da educação pública de qualidade, voltar a manifestar mais um posicionamento pertinente sobre o tema. Segundo ele, a escola não deve impor aos alunos o que devem estudar, mas o que mais gostariam de estudar, principalmente no Ensino Médio.

Boa Leitura:

Estão pedindo que eu me manifeste, aqui, sobre a reforma do Ensino Médio. Quero muito a contribuição desapaixonada de todos.

Paulo Freire já dizia que a pedagogia deveria ser para a liberdade e conforme o interesse, o gosto do aluno. A ideia de mais disciplinas optativas vai nessa direção. Se tivéssemos obrigado Hegel a ser matemático, era capaz dele não ter conseguido ser um grande filósofo. Se tivéssemos obrigado Einstein a estudar muita geografia, era capaz dele não ter sido um grande físico. Ainda menos pessoas felizes durante seus cursos básicos. Mas se eles não tivessem tido acesso à língua alemã e matemática, tampouco teriam sido filósofo ou físico.

A escola tem de oferecer, sobretudo, todas as disciplinas, mas para ser libertária e atrativa, a escola, notadamente no ensino médio, precisa de uma reforma que a torne atraente para o aluno. Isso exige professor muito bem remunerado, para todos serem motivados, bem preparados. Mas exige também permitir que as crianças escolham o estudo dos temas que lhe interessam, que lhes satisfaçam mais. Tive a sorte de que no meu tempo o ensino médio se dividia: aqueles que preferiam disciplinas voltadas para a ciência iam para o chamado Curso Científico, e aqueles que se dirigiam para as letras, buscavam o Clássico.

A atual proposta de reforma vai nessa direção, de respeitar o gosto e a vocação do aluno. Além disso, traz a grande vantagem de valorizar o ensino integral. E isso só é possível se o aluno ficar satisfeito durante todas as horas em que ficar na escola. Senão seria uma prisão, em vez de um instrumento de libertação.

Tenho certeza de que muitos dos que preferem as disciplinas técnicas, quando adultos vão estudar artes e filosofia. Este é o meu caso. Fiz o Científico e hoje dedico muito tempo às artes e à filosofia. Precisamos encarar as propostas para a educação na ótica dos alunos.

Além disto, a MP traz duas outras iniciativas esperadas há décadas: formação profissionalizante e mais horas e dias de escolaridade. Ainda não é o passo que o Brasil precisa para ser o que esperamos na educação equivalente de pobres e de ricos; ainda não quebra a desigualdade na qualidade da educação dos pobres e dos ricos. Mas é um avanço no triste quadro que o IDEB mostrou.

Cristovam Buarque/Senador (PPS-DF)

Ex-secretário Heitor Leite comemora resultado de Petrolina no Ideb 2015, mas se mostra preocupado com nova gestão

coronel-heitor-leite

O ex-secretário de Educação de Petrolina, Coronel Heitor Leite, continua comemorando os bons números que o município voltou a obter no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) referente ao ano de 2015. Petrolina saltou de 5,2 para 5,6 (anos iniciais) e de 4,4 para 5,0 (anos finais), atingindo este ano a meta que havia sido programada para ser alcançada apenas em 2021.

Em entrevista a este Blog, o ex-secretário destacou a dedicação de todos os envolvidos no processo educacional de Petrolina. “Esses números são resultado da dedicação dos alunos, que estudaram e aumentaram a freqüência escolar. As famílias desses alunos também fazem parte do importante tripé família-escola. Os professores e professoras, que superam suas dificuldades, e conseguem motivar e fazer com que seus alunos aprendam. Todos merecem ser lembrados, desde os gestores, coordenadores, passando pela merendeira e pelos auxiliares de serviços gerais”, disse Leite.

Ele falou sobre a aplicação de recursos para que o município atingisse a meta estabelecida pelo Ministério da Educação (MEC) para o ano de 2021. “Essa equipe trabalhou como uma orquestra afinada. A mim cabia colocar cada recurso humano no local adequado, coordenar as ações e decidir. Por conta de uma gestão com a busca de resultados, nos tivemos essa vitória, que não foi muito diferente do Ideb anterior. O que o MEC estabeleceu para a rede municipal de Petrolina para 2021, nós conseguimos agora. O êxito é fruto de uma gestão da Secretaria de Educação qualificada, com pessoas dedicadas e motivadas”, destacou o ex-secretário.

Coronel Leite também disse que a formação dos professores foi um fator importantíssimo para a boa avaliação do Ideb. “Hoje, quase como um troféu, eu carrego a satisfação da minha boa relação com os professores e professoras deste município. Mais do que colegas de trabalho, nós construímos uma verdadeira amizade, fruto de uma relação profissional e responsável. Nós proporcionamos formação continuada, realização de seminários, viagens para obter conhecimento de experiências fora. Elevamos também a auto-estima desses professores. Eles têm satisfação em serem professoras do município, pois foram respeitadas na minha gestão. Não podemos deixa de falar em salário, pois nós construímos, junto como sindicato da categoria, o reajuste salarial. A gente trabalhava em parceria com eles, foi assim que nós construímos as nossas propostas. Por isso que, durante esse tempo todo, não tivemos greve”, comentou Leite.

Com relação à questão da estrutura das escolas, o ex-secretário disse que os investimentos foram grandes e garantiu que todas receberam algum tipo de melhoria. “Nós reformamos, nestes três anos e meio, quase todas as escolas do município. Hoje, não existe escola que não tenha recebido ao menos uma reforma. Nós investimos na infraestrutura, climatizamos mais de 30% das escolas, do ano passado, quando foi aprovada a lei, para cá. Novas cadeiras, materiais para todos eles e construímos uma Central de Logística. Nós passamos a oferecer materiais que eram obrigação do município, mas que não recebia antes. Passamos a oferecer tablets aos professores. Então, essa valorização na infraestrutura, nos equipamentos e implementação de novas tecnologia alcança, ao mesmo tempo, alunos e professores.”

Fiscalização

Heitor Leite também falou sobre a parte de fiscalização do Conselho Municipal de Educação. “Petrolina tem um índice melhor que mais de vinte capitais no nível fundamental I. Mas para que eles [os estudantes] compareçam à escola, precisa ter gestão, entre coordenadores, professores e também a parte dos controles sociais. Nós temos os Conselhos, que não são subordinados à educação do município. Eles têm autonomia de funcionamento. Lá, temos vários conselhos, e são eles que nos fiscalizam, nos cobram e nos autorizam. Tudo tem que ter a provação do Conselho Municipal de Educação, e foi assim que tivemos esses resultados, inclusive trazendo as famílias para dentro da escola”, pontuou, destacando o programa da rede municipal que leva estudantes e professores para o exterior.

Coronel Leite ainda falou sobre os alunos que têm necessidades especiais. Segundo ele, todos recebem assistência e apoio para cada tipo de deficiência. “Atribuímos como prioridade nesses últimos quatro anos ao atendimento dos alunos especiais, tornando nossas escolas referência, até para rede privada. Hoje atendemos mais de 600 alunos especiais, de variados casos. Temos o Núcleo de Atendimento aos Alunos com Necessidades Especiais (Napne), dotados de profissionais capacitados em várias especialidades e que conduzem o processo pedagógico dessas crianças com o zelo e dedicação que elas merecem. Como exemplo ampliamos nos últimos quatro anos de vinte, para mais de cem, o número de assistentes de crianças autistas”, destacou.

Preocupação

Questionado sobre os rumos que a Educação do município pode tomar, uma vez que o ano é de eleição e um novo gestor vai passar a gerir o município a partir do ano que vem, ele disse que este momento  o deixa preocupado. “É importante que todos nós tenhamos responsabilidade de saber que nós não podemos parar. Temos que manter o mesmo esforço, para não perdermos tempo no próximo ano. O que nós perdermos neste ano de 2016, dificilmente recuperaremos em um ano. Eu tenho informação de que desviou-se o foco e que o processo pedagógico não está acontecendo como vinha, a gestão de recursos, e isso pode resultar num déficit de aprendizagem. Nós avançamos com essa forma criteriosa de aplicar os recursos e de que o profissional cumpra com o seu papel. Conclamo a todos que tenham responsabilidade, não se deixem levar, não se afastem do papel principal, de condutores do processo pedagógico. Não é possível manter esse crescimento diminuindo o trabalho, diminuindo este empenho”, finalizou.

Artigo do leitor: Ex-secretário municipal de Educação destaca Ideb de Lagoa Grande

O município de Lagoa Grande (PE), no Sertão do São Francisco, é mais um a se destacar na região quanto ao Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) em 2015, divulgado pelo governo federal na última semana. Com nota de 5,1, o município superou a meta prevista para 2021, que era 4,9. Num artigo enviado a este Blog, o ex-secretário de Educação do município, Daniel Torres, comemora os avanços no sistema educacional de Lagoa Grande.

Confiram:

O Ministério da Educação divulgou o Índice de Desenvolvimento da Educação de todos os Estados Municípios do Brasil.  Com o índice 5,1 Superamos a meta prevista para 2021, que era 4,9.

Nossas escolas atingiram metas previstas para os próximos quatro anos, a exemplo da Prudente de Moraes, que saiu de 3.0 em 2011 para 5.7; a Hélio Ferreira, de 3.6 para 5.4; a Auxiliadora, de 4.1 para 4.8; a Tarcila, de 4.0 para 4.7; a Arco Íris, de 3,4 para 4.4. 

Algo imaginável para uma rede municipal que encontramos, em 1º de janeiro de 2013, que se resumia a salário de dezembro e 13º dos servidores sem pagar, todas as contas, inclusive do Fundeb, zeradas, descontos da previdência efetuados e não repassados, duas  creches do FNDE com mais 80% da obra concluída necessitando de mais de R$ 200 mil para finalizar, duas quadras (Auxiliadora e Arco Íris) com as obras abandonadas e os recursos utilizados como se tivessem sido concluídas, além do desvio R$ de 1,2 milhão para pagamento dos ônibus e equipamentos do FNDE. E ainda encontramos nossa rede escolar em estado inadequado para o bom funcionamento, além de todo o mecanismo de controle social (conselhos Fundeb/Educação/Alimentação) desativados, sem falar em diversos profissionais da educação recebendo pelo Fundeb em desvio de função, o que onerava ainda mais as despesas.

A partir da autonomia dada pelo prefeito Dhoni Amorim e toda a administração municipal, pudemos a partir daí criar as condições para transformar sonhos em realidade, “compromisso com o melhor” em rotina obrigatória e assim:

  1. Concluímos e equipamos as duas creches do FNDE com recurso próprio;
  2. Iniciamos, construímos e inauguramos duas grandes Escolas em Vermelhos e Jatobá,
  3. Criamos um padrão de reconstrução exclusivo nosso, estamos instalando banheiros, refeitórios, pátios, laboratórios em escolas de todos os setores do Município;
  4. Com o Programa ‘Água na Escola’, em Parceria com o Núcleo de Educadores Populares e o MDS, instalamos cisternas de 50 mil litros em 100% das escolas do Campo;
  5. Climatizamos mais 70% das salas de aulas.
  6. O único espaço coberto para prática esportiva era o ginásio de esporte. De 2013 pra cá foram entregues mais sete quadras cobertas, sendo 3 em Vermelhos, 3 na sede e uma em Jutaí;
  7. Erradicamos o Pau de Arara  para o transporte de alunos;
  8. Universalizamos o acesso ao transporte universitário (manhã/tarde e noite);
  9. Entregamos kit escolar e fardamento;
  10. A merenda é de qualidade, cardápio variado que inclui até lasanha e com produtos da  nossa agricultura familiar, onde são investidos mais de R$ 200 mil na compra direta aos agricultores; 
  11. No meio da maior crise financeira o maior investimento se deu na valorização do servidor , com a implantação do Plano de Cargos e Carreiras. Antes dele o professor do quadro efetivo que  tinha 200h/aula trabalhava numa turma de manhã e outra à  tarde, e tinha que utilizar o fim de semana para planejamento das suas aulas, correção de provas, etc. Agora 1/3 das suas 200h/aula é destinada a esse planejamento, feito durante a semana e com a mesma remuneração;
  12. Recriamos o benefício do Difícil Acesso para os profissionais que lecionam no interior, bonificando em percentual;
  13. A mudança não se ateve apenas ao professor: o servidor de apoio, merendeiras, vigilantes foram contemplados com o mesmo Plano de Carreiras e passaram a receber de acordo   com sua formação e tempo de serviço no Município;
  14. Erradicamos a “escolha política” e implantamos a meritocracia como Seleção Publica de Professores, após convocação de todos os concursados;
  15. Ofertamos Curso pré-vestibular em parceria com IF-Sertão e investimos em parceria com a Secretaria de Assistência Social na implantação do Cetep;
  16. Reimplantamos e demos condições de funcionamento ao controle Social, através dos conselhos;
  17. Construímos com a sociedade de lagoagrandense o Plano Municipal de Educação;
  18. Entrega de material escolar para Educação Infantil;
  19. Nova Quadra e primeira etapa da reforma da Escola Tarcila Araújo;
  20. Através do Programa ‘Escola Conectada’ universalizaremos o acesso a internet em todas escolas da rede;

Essa foi a parte que consideramos obrigação nossa, de quem assume a responsabilidade de gerir essa tão nobre área, que é a Educação. A outra parte foi por aqueles que verdadeiramente estão onde a educação acontece, que é no chão da sala de aula. Foram vocês, profissionais da educação, professores, assistentes, gestores, todos que estão no dia a dia das nossa escolas, entenderam que o que sonhamos é com um futuro cada vez melhor para nossa terra, para nossa Lagoa Grande que estamos construindo juntos.

Muito obrigado a todos. Missão plenamente cumprida.

Daniel Torres/Ex-secretário Municipal de Educação

Ideb: Petrolina mantém desempenho e alcança meta projetada para 2021

educaçãoPelos resultados do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) 2015, divulgados esta semana pelo Ministério da Educação (MEC), Petrolina manteve o bom desempenho registrado em avaliações anteriores. O município saltou de 5,2 para 5,6 (anos iniciais) e de 4,4 para 5,0 (anos finais), atingindo este ano a meta que havia sido programada para ser alcançada apenas em 2021.

Com os novos números, Petrolina continua em primeiro lugar entre grandes cidades de Pernambuco, com melhores índices da educação básica. O município também superou indicadores de cidades como São Paulo (SP). A capital paulista recebeu nota 4,3 nos anos finais, enquanto Petrolina teve 5,0. As informações são da prefeitura.

Cabrobó é mais um município pernambucano a se destacar no Ideb 2015

CabrobóCabrobó (PE), no Sertão do São Francisco, é mais um município de Pernambuco que se destacou  no  Índice de Desenvolvimento da Educação Básica  (Ideb), referente ao ano de 2015.

O Estado ficou ao lado de São Paulo com os melhores resultados do Brasil. E Cabrobó, que tinha a meta projetada de 3,8, atingiu a média de 5,1.

A avaliação nacional, realizada pelo Ministério da Educação (MEC), foi divulgada na quinta-feira (8). O prefeito Auricélio Torres (PSB) fez uso das redes sociais para comemorar o resultado e parabenizar todos os educadores do município pelo trabalho realizado, assim como agradecer a todos os alunos pela dedicação.

Ouricuri tem pior Ideb do Sertão do Araripe pernambucano

ouricuriO município de Ouricuri (PE) apresentou o pior Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) do Sertão do Araripe nos anos iniciais do ensino fundamental, relativo ao ano de 2015.

Já nos anos finais o município ficou em sexto lugar. A avaliação nacional, realizada pelo Ministério da Educação (MEC), foi divulgada na quinta-feira (8). (veja aqui)

Atualmente na região o município de Trindade está em primeiro lugar no ranking regional nos anos finais do ensino fundamental, enquanto Santa Filomena ficou em primeiro nos anos iniciais.

Paulo Câmara comemora desempenho de Pernambuco no Ideb: “Estamos no caminho certo”

paulo-camara-bom-dia-pernambuco-ideb

O governador Paulo Câmara destacou a atratividade da Rede Estadual de Ensino como um dos fatores que contribuíram para Pernambuco ter alcançado o primeiro lugar no ranking do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). Divulgado na última quinta-feira (8) pelo Ministério da Educação (MEC), o resultado mostrou que as escolas públicas estaduais se consolidaram como as que possuem o melhor desempenho do País, tendo, inclusive, a menor diferença entre o ensino público e o privado.

“Isso mostra que avançamos cada vez mais e que estamos muito próximos de atingir um padrão de referência na educação pública”, afirmou Paulo Câmara na manhã desta sexta-feira (9), em entrevista ao ‘Bom Dia Pernambuco’, da TV Globo. “A escola pública pernambucana tem a menor taxa de abandono, ou seja, a cada 100 alunos do Ensino Médio, apenas dois deixam de concluir. Há oito anos, esse número chegava a 24″, frisou.”O resultado do Ideb mostrou que Pernambuco está no caminho certo”, completou.

A Rede Estadual do Ensino Médio do Estado obteve a melhor nota 3,9 no ranking do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), ultrapassando a meta de 3,6 estipulada pelo MEC.

Juazeiro, na Bahia, e Santa Maria da Boa Vista, em Pernambuco, alcançam meta do Ideb

ideb-juazeiro

Os municípios de Juazeiro, na Bahia, e Santa Maria da Boa Vista, em Pernambuco, têm muito o que comemorar em relação ao Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) 2015. Os dois alcançaram a meta projetada do Ideb, conforme divulgação nesta quinta-feira (8) de dados do Ministério da Educação (MEC). (mais…)

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br