Petrolina poderá ganhar sua primeira Escola Técnica Estadual

Petrolina poderá ganhar sua primeira Escola Técnica Estadual (ETE). Essa foi uma das pautas de um encontro na cidade promovido no dia de ontem (16) pela Gerência Regional de Educação (GRE)/Sertão do São Francisco, sobre metas para o setor neste ano. A secretária municipal Maéve Melo participou do evento, juntamente com o titular da Pasta em Pernambuco, Frederico Amâncio.

Frederico aproveitou a ocasião na cidade para vistoriar áreas para a construção da ETE. Em companhia de Maéve, ele inspecionou os locais indicados pela equipe técnica de sua Secretaria. Foram identificadas as seguintes áreas: no Bairro Antônio Cassimiro, próximo à Avenida Sete de Setembro; na Estrada da Banana; no Bairro João de Deus, ao lado do IF Sertão-PE; e próximo ao campus de Ciências Agrárias da Univasf. A área necessária para construção da unidade é de 12 mil metros quadrados (m²).

Atualmente, 36 ETEs estão em funcionamento em Pernambuco, com ensino integral profissionalizante, ofertando cursos organizados por eixos tecnológicos: Ambiente e Saúde; Informação e Comunicação; Gestão e Negócios; Infraestrutura; e Controle de processos industriais. (Fonte/foto: Ascom PMP divulgação)

Ano letivo nas escolas estaduais em Petrolina começa com cobrança de porteiros por salários e profissionais nas unidades descobertas

O ano letivo nas escolas estaduais mal começou e os problemas já começaram a aparecer. Segundo nota enviada à redação do Blog, os porteiros das escolas da rede pública do estado em Petrolina já ameaçam cruzar os braços para protestar contra o atraso no pagamento dos salários. Os servidores estão sem receber os vencimentos equivalentes ao mês de janeiro, que segundo os profissionais, teria sido prometido para dia 7. Só que até esta quinta, 9, não tinha entrada nenhum real na conta deles.

Os porteiros disseram que após o fim do contrato do governo estadual com a empresa Soservi, a categoria vive na expectativa, pois a outra empresa vencedora da licitação “ainda não deu as caras”, diz a nota enviada ao Blog. Eles contam que só receberam um e-mail orientando que os porteiros continuassem o trabalho desde 2 de janeiro;

A Gerência Regional de Educação (GRE) em Petrolina já foi procurada pelos porteiros das escolas da rede, e tinha dito que os pagamentos sairiam até dia 7, o que não aconteceu. Eles ameaçam cruzar os braços, deixando as escolas sem segurança. Muitas em Petrolina não têm condições de funcionar sem porteiro, como alegam professores, funcionários e familiares dos estudantes matriculados na rede.

 Pagamento para dia 15

Em resposta ao Blog, a Secretaria de Educação do Estado informou que o atraso no pagamento dos porteiros das escolas estaduais na cidade aconteceu devido ao processo de transição da empresa anterior para a nova empresa licitada. A pasta informa ainda que o início do novo contrato aconteceu no primeiro dia útil do mês de janeiro de 2017, e que até o final do mesmo mês a nova empresa ainda estava recolhendo todas as documentações necessárias dos funcionários para a nova contratação.

De acordo com a Secretaria, toda a documentação já foi encaminhada para o banco credenciado à empresa. A previsão de pagamento dos vencimentos é na próxima quarta-feira, 15 de fevereiro.

Construída há quase dois anos, escola não funciona e causa revolta em moradores da Vila Eulália

escola-monsenhor-bernardino

Uma escola construída há quase dois anos na Vila Eulália, zona norte de Petrolina, tem gerado revolta em pais de estudantes da comunidade. O motivo é que o prédio, segundo os moradores, está pronto e não tem previsão de quando vai funcionar.

A este Blog, eles disseram que os filhos têm que se deslocar para outros bairros para estudar. Os moradores questionaram a atuação da Gerência Regional de Ensino (GRE), a qual informou que a escola não é estadual, nem municipal. Segundo a GRE, a Escola Monsenhor Bernardino foi construída pela Fundação Nilo Coelho e a mesma está disponível para aluguel.

Conforme a Gerência, os alunos da Vila Eulália estão todos assistidos. Eles estudam nas escolas dos Bairros Antônio Cassimiro e José e Maria, comunidades mais próximas. A GRE deixou claro que não há previsão de alugar a escola, pois afirma que não existe demanda.

Municípios do Sertão de Itaparica serão beneficiados com escolas em tempo integral

escola estadual belém do são francisco

Os municípios pernambucanos de Belém do São Francisco, Floresta, Petrolândia e Jatobá – todos no Sertão de Itaparica – serão contemplados com escolas em tempo integral. A notícia foi confirmada pela titular da Gerência Regional de Educação (GRE) do Submédio São Francisco, professora Dilma Marques.

Em Belém, o estabelecimento de ensino escolhido foi a Escola Estadual Maria Emília Cantarelli, conhecida carinhosamente por EMEC (foto).

Segundo Dilma Marques, esse modelo tem conseguido um grande avanço. “As atividades já começam para o ano. Vamos ter nossos jovens mais preparados para o vestibular e com formação ainda melhor. Parabenizo e agradeço ao senhor secretario estadual, Fred Amâncio, ao executivo Paulo Dutra e ao governador Paulo Câmara pela iniciativa”, destacou a gestora. (foto: GRE/Submédio São Francisco)

Gestora da GRE Petrolina destaca serviço de Isabel Cristina em prol da educação

anete sobre isabel cristina

Atual titular da Gerência Regional de Educação (GRE)/Sertão do São Francisco, a professora Anete Ferraz vê na figura da ex-deputada Isabel Cristina, falecida ontem (22) em Petrolina, uma mulher que “abriu veredas e deixou sua marca” em prol do desenvolvimento da cidade.

Segundo a professora Anete, Isabel teve não apenas uma forte atuação junto aos movimentos sociais, mas também será lembrada por tudo o que fez na área de sua formação profissional. “Como educadora ela deixa sua história escrita nos livros da juventude que passou pelas suas mãos, e que hoje já desponta como jovens defensoras dos direitos da cidadania, e ela exercia essa cidadania”, afirmou.

Anete ressaltou que Isabel Cristina sempre soube, a vida inteira, conviver com as diferenças e se destacar como uma cidadã comum, o que também a ajudou a se moldar como uma grande liderança política que foi. “Isso faz uma grande diferença. Então para nós, que somos educadores, ela nunca vai morrer”, finalizou.

Vídeo Blog: Índios Trukás ocupam sede da GRE em Petrolina para pressionar Governo de PE

Índios da Tribo Truká ocupam sede da GRE em Petrolina para protestar contra Governo de Pernambuco

trukás na GRE Petrolina

Um grupo de aproximadamente 200 índios da Tribo Truká, de Cabrobó (PE), no Sertão do São Francisco, ocupou na manhã desta terça-feira (31) a Gerência Regional de Educação (GRE)/Sertão do São Francisco, localizada em Petrolina. Os índios reclamam da falta de compromisso do governo do estado com a educação no município sertanejo.

De acordo com uma das articuladoras da mobilização, Edilene Bezerra Pajeú (mais conhecida em Cabrobó como ‘Pretinha’), a demanda dos trukás é vasta, mas um dos principais itens da pauta é o atraso de duas parcelas referentes ao transporte escolar terrestre e fluvial dos estudantes.

Ela explica que o estado precisa quitar essas parcelas, porque em Cabrobó os postos de combustíveis são praticamente de um dono só, e o prazo dado aos transportadores para pagarem pelo abastecimento nos veículos é de apenas 30 dias. “Como esse prazo está vencido, os postos fecharam as portas para os motoristas e a gente está sem condição de fazer o traslado dos alunos”, afirmou.

Outra questão é o contrato dos professores da rede estadual, que iniciaram o ano letivo e ainda não receberam. Pretinha informou que outra reclamação diz respeito à falta de Auxiliares de Serviços Gerais (ASG’s) em escolas consideradas referências em Cabrobó. “A gente precisa que os setores da Secretaria (de Educação) se responsabilize por essas questões, já que a educação escolar indígena é responsabilidade do governo estadual”, ressaltou.

Acampados

A líder do movimento assegurou ao Blog que o grupo só deixará a sede local da GRE se houver um posicionamento concreto do governo. A gestora da GRE, Professora Anete Ferraz, chegou à cidade nesta terça, após cumprir agenda no Recife, no dia de ontem (30). Ela recebeu uma comissão dos trukás e repassou as demandas à Secretaria Estadual de Administração, a qual se comprometeu em se manifestar sobre as reivindicações até sexta (3). A informação, no entanto, não agradou os indígenas. “O povo truká acha que só uma declaração não é suficiente”, criticou Pretinha, acrescentando que mais pessoas da tribo poderão vir a Petrolina reforçar o protesto.

Ela disse ainda que os trukás serão tolerantes com os demais itens da pauta, mas os dois meses de atraso no pagamento do transporte escolar precisam ser quitados. “Queremos que eles (governo) mandem para a gente um documento de ordem bancária, que a gente sabe que vai tramitar e o pagamento vai sair”, pontuou.

Rotina difícil: Alunos são flagrados indo para escola de carroça em Petrolina

IMG-20151204-WA0034

Driblar as dificuldades para continuar os estudos é uma realidade de muitos estudantes pernambucanos, mas em Petrolina uma cena triste resume bem o tamanho do problema: Vários estudantes da cidade estão se arriscando indo para a escola de carroça, por não ter outra opção de transporte.

(mais…)

Escola Paul Harris pode ser extinta

GRE Petrolina (1)

A tradicional Escola Paul Harris, pertencente à rede estadual de ensino em Petrolina, pode estar com os dias contados.

Numa reunião promovida ontem (22) pela Gerência Regional de Educação (GRE)/Sertão do Médio São Francisco, os pais dos alunos receberam a triste notícia, de uma representante do órgão, que a Escola Paul Harris será extinta.

A reportagem tentou um contato, por telefone, com a gestora da GRE, Professora Anete Ferraz, mas até o momento não obteve sucesso. Um e-mail também foi enviado à GRE sobre o assunto.

Bomba quebrada deixa alunos de escola estadual de Petrolina sem aulas, denunciam comunitários

escola otacílio nunes de souzaA Escola Estadual Otacílio Nunes de Souza, localizada no bairro Areia Branca, zona leste de Petrolina, estaria com o fornecimento d’água suspenso há uma semana devido a um defeito numa bomba na unidade.

Segundo informações de comunitários enviadas através do WhatsApp do Blog, o equipamento teria dado problemas no último dia 9, prejudicando e os estudantes do turno da tarde, que estão sem aulas desde então.

Ainda segundo informações, as mães e alguns alunos já teriam entrado em contato com a Gerência Regional de Educação (GRE), que teria alegado não ter recursos para consertar o equipamento.

A preocupação maior é que a instituição ainda estaria repondo aulas, e com esse problema o ensino pode ficar comprometido, uma vez que não há um prazo para as aulas voltarem ao normal.

A reportagem do Blog tentou por várias vezes contato com a GRE, por telefone, mas não obteve retorno. Contudo, o espaço deste Blog está aberto para quaisquer esclarecimentos do órgão estadual. (foto/reprodução Google Street View)

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br