Funcionários de empresa de coleta seletiva de Petrolina reclamam salários atrasados; Secretaria justifica que débito é de gestão passada

O Blog recebe a informação de que funcionários da Ecovale – empresa de coleta seletiva em Petrolina – estariam de braços cruzados por falta de pagamento. Sem o trabalho dos funcionários, o material coletável para reciclagem não está sendo recolhido.

A reportagem entrou em contato com a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade, que confirmou o fato.

Por meio da assessoria de comunicação, a Secretaria ressalta que existe um débito registrado junto à Ecovale referente ao mês de dezembro de 2016, portanto de responsabilidade da gestão passada. Em relação aos vencimentos de janeiro, a Secretaria frisa que ainda não foram pagos, mas estão dentro do que estabelece a lei.

O setor de Serviços Públicos já encaminhou a planilha de cálculo dos serviços prestados nos meses de dezembro de 2016 e janeiro de 2017 para a Secretaria de Finanças, que deve realizar a devida regularização o quanto antes”, destacou a pasta.

Funcionários de empresa contratada para serviços de limpeza de Petrolina cobram salários em atraso

Os trabalhadora de uma das empresas que fazem o serviço de limpeza em Petrolina suspenderam os serviços nesta quinta-feira, 9. Eles alegaram que estão há dois meses sem receber os salários e que vários direitos trabalhistas estão sendo comprometidos. Em nota, a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade informa que a paralisação dos trabalhadores da empresa terceirizada responsável pelos serviços de limpeza foi pontual e atingiu somente 30% do efetivo.

O problema do atraso no pagamento do salário, ocorrido por causa da falta de repasses de verba pela gestão anterior, está sendo resolvido entre a empresa prestadora de serviço e sindicato da categoria, que entraram em acordo sobre um prazo para regularização dos débitos. A secretaria ainda pontuou que não existe débito com a terceirizada nesta gestão. Os serviços de limpeza seguem sendo realizados normalmente. (foto/arquivo divulgação)

Funcionários do HRJ promoverão nova greve por tempo indeterminado a partir desta quarta

Os funcionários do Hospital Regional de Juazeiro (HRJ) preparam-se para deflagrar mais uma greve nesta quarta-feira (25). O motivo é o mesmo das outras vezes: salários atrasados e falta de condições de trabalho.

A paralisação será por tempo indeterminado e os atendimentos, claro, serão comprometidos. O HRJ é administrado pela Associação de Proteção à Maternidade e à Infância (APMI) de Castro Alves, mas os repasses são feitos pelo Governo da Bahia, que tem o espaço reservado para os devidos esclarecimentos.

Casa Nova: Após boatos de demissão no setor eólico, prefeito cobra entendimento entre empresas e trabalhadores

Nos últimos dias circularam boatos nas redes sociais sobre a demissão de alguns funcionários que atuavam como armadores nas atividades de construção, acesso e montagem dos geradores de energia eólica, em Casa Nova, no norte da Bahia. A demissão teria acontecido em detrimento da admissão de pessoal de fora do município. Para esclarecer os fatos, o prefeito Wilker Torres (PSB) convocou uma reunião com representantes das empresas e dos trabalhadores.

Na ocasião, lideranças do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Pesada e Montagem Industrial do Estado da Bahia (Sintepav-BA) apresentaram um gráfico com o quadro atual dos funcionários, no qual foi constatado que cerca de 60% da mão de obra das empresas é local. De acordo com o diretor de Assuntos Econômicos e responsável pelo Sintepav-BA na região norte, José dos Santos, os quatro funcionários recentemente contratados – que teriam gerado a insatisfação de alguns internautas – são moradores de Casa Nova.

Nós tivemos acesso à lista nominal dos trabalhadores e constatamos que a folha de pagamento irá fechar o mês de fevereiro com algo em torno dos 60% do quadro de funcionários, sendo de moradores de Casa Nova. E se calcularmos ainda os moradores daqui do entorno da cidade, esse número salta para os 80%”, informou José dos Santos. Ainda sobre o caso, o prefeito Wilker Torres foi informado que a Câmara de Vereadores irá convocar uma audiência pública para debater com a população o cenáro atual da eólica. (foto/divulgação)

Caixa poderá demitir 10 mil funcionários e fechar agências

Banco que funciona também como auxiliar nas ações de programas sociais e ligados ao trabalhador, a Caixa Econômica Federal poderá ter seu papel na economia financeira do País reduzido. O banco anunciou que irá implantar o Plano de Demissão Voluntária (PDV) que poderá implicar numa redução de 10 mil funcionários e de agências bancárias que a direção da Caixa avaliou como deficitárias. A iniciativa vai promover uma diminuição de  quase 10% do quadro de funcionários.

O banco ainda negocia com a União, sua controladora, os detalhes do plano. Para incentivar a adesão, a Caixa deve pagar 10 salários extras e garantir o plano de saúde por um tempo que ainda está em discussão – neste período, mas se o funcionário reunir condições de se aposentar, o plano de saúde fica pelo resto da vida.

O PDV será oferecido a todos os funcionários, e não apenas aos que já puderem se aposentar. No último ano, a Caixa cortou o número de funcionários de 100,3 mil para 97 mil. No acumulado de janeiro a dezembro de 2016, o banco gastou R$ 15,6 bilhões com pessoal, ante R$ 14,3 bilhões do mesmo período de 2015, crescimento de 9,2%. O impacto maior no gasto foi com o aumento do salário dos funcionários, definido em convenção coletiva.

Conforme o presidente da Caixa, Gilberto Occhi, o banco também monitora o desempenho de cem agências deficitárias. Desde 2010, a Caixa abriu 1.329 agências. A análise do presidente é que não se faz mais necessária toda essa estrutura, ainda mais com a mudança dos hábitos dos clientes, que cada vez mais optam pelos serviços pelo computador ou pelo smartphone.

Um empecilho para o fechamento das agências é o fato de as unidades serem usadas para o pagamento de benefícios sociais, como o Bolsa Família, mas a avaliação é de que esse serviço poderia ficar restrito às casas lotéricas. (Com informações da Agência Estado)

 

Plano de Aposentadoria do Banco do Brasil tem adesão em Juazeiro

O Banco do Brasil (BB) anunciou que vai redimensionar sua estrutura já para os primeiros meses de 2017. Em todo o país, 379 agências serão transformadas em postos de atendimento e 402 serão desativadas.

Devido à mudança, 9.409 funcionários aderiram ao Plano Extraordinário de Aposentadoria Incentivada, sendo 19 funcionários em Juazeiro (BA), onde sete já foram homologados. Atualmente, a rede de atendimento  no município conta com três agências. Após as novas medidas, a agência que fica localizada no Shopping Águas Center,área central, será transformada em posto de atendimento.

O conjunto de medidas faz parte de uma reorganização institucional, que será implementada em 2017. Para aderir ao plano, os servidores precisavam estar aposentados pela Previdência Social ou ter 50 anos de idade e, no mínimo, 15 anos de trabalho no banco.

Bolsa família pago a funcionários municipais que recebem até R$ 4 mil de salário: A prefeitura se calou

Bolsa Família

A Secretaria de Cidadania em Petrolina é um poço de desinformação. Ali não se sabe de nada, não se responde nada, as coisas acontecem a conta-gotas e o trabalho é o retrato da gestão: fraquinho.

Este Blog já publicou que centenas de funcionários da prefeitura de Petrolina recebem bolsa família, conforme denúncia do Ministério Público Federal (MPF). A assessoria de comunicação da secretaria nos ligou, esperneou, disse que era mentira, que enviaria reposta à altura…depois se calou.

Resumo da ópera: soube da lambança da própria secretaria pelo Blog.

Quem é responsável pelo cadastro? Por que conceder Bolsa Família a uma gente que ganha até mais de R$ 4 mil de salário? Não existem critérios na hora da inscrição, que ficaria sob a responsabilidade da secretaria?

Parece que competência e verdade teimam em não andar juntos. Vamos ver o que dirá a Justiça, que já investiga o caso.

Exclusivo: Funcionários da Prefeitura de Petrolina recebem Bolsa Família mesmo com salários acima de R$ 2 mil

Prefeitura2

Criado na primeira gestão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (2003/06), o Programa Bolsa Família surgiu como uma espécie de ‘arrimo’ para pessoas em situação de pobreza – ou de extrema pobreza. O valor do benefício é definido de acordo com o perfil de cada família (entre R$ 85 e R$ 170), mas só recebe aquelas que estiverem devidamente cadastradas em programas sociais do governo federal e dentro de uma série de requisitos – entre estes, o de manter os filhos na escola. O problema é que nem sempre o Bolsa Família está chegando para quem precisa.

O Ministério Público Federal (MPF) investiga cerca de 870 mil beneficiários do programa, devido ao perfil econômico e social não bater com os requisitos do Bolsa Família (as informações podem ser conferidas no site www.mpf.gov.br).

Desse quantitativo, 4,53% estão localizados no Estado de Pernambuco, conforme dados estampados no link www.raioxbolsafamilia.mpf.mp.br.

Aprofundando ainda mais essas informações, a reportagem do Blog confrontou os dados fornecidos pelo Portal da Transparência da Prefeitura de Petrolina com os nomes de todos os servidores (efetivos, contratados e comissionados), e constatou o pior: em agosto deste ano, 264 servidores da administração municipal receberam o benefício, e no mês de setembro esse número reduziu para 142. Desses beneficiários, há casos de servidores com remuneração líquida de R$ 2.605,00 e outros passando dos R$ 3 mil – os quais não poderiam estar recebendo Bolsa Família.

Falha

A reportagem do Blog entrou em contato no dia de ontem (20) com a prefeitura para saber se houve algum tipo de falha no sistema de cadastramento do programa, que incluiu pessoas com salários bem acima dos critérios determinados pela prefeitura. Aguardamos uma resposta. Nossa equipe também procurou o Ministério Público Federal (MPF) em Petrolina sobre o assunto. A procuradora responsável ficou de agendar uma entrevista com o Blog.

Leitor cobra empresas do ramo de internet em Petrolina a orientar funcionários no momento da instalação do serviço

instalação internet

As empresas do ramo de internet em Petrolina deveriam oferecer mais segurança aos seus funcionários no dia a dia do seu trabalho. Pelo menos é essa a observação de um leitor do Blog, que constatou uma prática que pode se tornar um risco.

Na foto registrada, ele chama atenção para um funcionário que está instalando o serviço de internet. O profissional sobe no poste e não há nenhum tipo de sinalização de que esteja fazendo o serviço. “Um risco utilizar a rua sem sinalizar o local”, alfineta o leitor.

Funcionários do Samu de Petrolina passam domingo a duras penas e só conseguem almoçar quase no final da tarde

funcionarios-samu-petrolina

Funcionários do Serviço de Atendimento Móvel de Emergência (Samu) em Petrolina passaram praticamente um dia de fome, neste domingo (30). (mais…)

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br