Artigo do leitor: Fidel Castro, uma análise realista

fidel castroNeste artigo, o jornalista Machado Freire faz uma análise realista, sem jogar confetes nem atirar pedras, acerca do líder cubano Fidel Castro, que morreu no último sábado (26), aos 90 anos de idade.

Confiram:

Eu não queria falar de Fidel Castro – nem contra nem a favor do político, do ser humano e muito menos do ditador.

Acho que muita gente deles é que tem até obrigação se de explicar por que “amavam Fidel” e outros, por que “detestavam” o líder cubano.

Não me coloco em nenhuma dessas situações, mas também não fico em cima do muro. Posso até já ter votado nulo ou em branco, mas a minha posição política e ideológica, jamais foi omitida!

Com origem sertaneja, sou da época em que na minha juventude – logo na segunda adolescência, apesar das limitações que tínhamos na comunicação (era o rádio, o cinema e, aqui ou acolá, um jornalzinho) havia motivos para cada um acompanhar a mesmice do coronelismo (com tendência udenista-patriarcal), ou optar pelo lado contrário, como esquerda consciente.

Sempre aparecia uma ou outra “alma perdida” que vinha da capital e nos estimulava a fazer uma opção política. E o ápice foi a ditadura de 64, que “separou o joio do trigo”, com as consequências que a história nos reserva.

Então, por que negar ou omitir que as lideranças dos Estados Unidos, União Soviética e Cuba não nos influenciaram politicamente? Só os indiferentes (e são poucos) não provaram desse “mingau delicioso”, jamais esquecido!

Não interessa detalhar que fulano ou beltrano era assim ou assado; ligado ao imperialismo ianque ou à esquerda soviética ou cubana. Todos temos o livre arbítrio e, mesmo debaixo do cacete, haveremos de levar nossos princípios e tendências para a sepultura. Os covardes têm outra opção/convicção!

Para me situar mais ou menos neste fato – que o mundo inteiro acompanhou – elogiando ou criticando, não posso deixar de emitir a minha modesta avaliação.

Fidel Castro foi um grande líder que exerceu um papel espetacular, juntamente com Guevara, no momento em que derrubou a ditadura de Batista e passou a organizar o povo cubano. Mas se transformou em ditador sanguinário (negando suas mais importantes promessas ao povo cubano e do mundo), na medida em que passou a ter a Ilha como uma propriedade privada e a praticar todas as crueldades que tiveram origem no desgovernos dos seus principais adversários do passado.

Ninguém é dono do destino de ninguém. O ser humano não pode, em nenhuma hipótese, ser tratado como propriedade privada, seja lá de quem for.

Um país sem liberdade não pode ser comparado nem a uma pocilga.

Machado Freire/Jornalista

Morre aos 90 anos líder cubano Fidel Castro

aaklygb

O líder cubano Fidel Castro morreu aos 90 anos de idade, informou neste sábado (26) seu irmão, o presidente de Cuba Raúl Castro, em um discurso pela televisão estatal. “Com profunda dor é que compareço para informar ao nosso povo, aos amigos da nossa América e do mundo que hoje, 25 de novembro do 2016, às 22h29, faleceu o comandante da Revolução Cubana, Fidel Castro Ruz“, disse Raúl Castro, visivelmente emocionado.

O presidente cubano disse que o corpo do líder histórico da Revolução será cremado, segundo sua “vontade expressa”, e que nas próximas horas divulgará ao povo a “informação detalhada sobre a organização da homenagem póstuma a Fidel”.

As últimas imagens de Fidel Castro são do último dia 15, quando recebeu em sua residência o presidente do Vietnã, Tran Dai Quang; e a última vez que ele foi visto em um ato público foi no dia 13 de agosto, por ocasião da comemoração de seu 90º aniversário, em um evento no Teatro Karl Marx, em Havana.

Naquela ocasião, Fidel apresentou um semblante frágil, vestido com um moletom branco e acompanhado pelo seu irmão Raúl e o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro. Desde seu aniversário, recebeu também em sua residência outros líderes, como o presidente do Irã, Hassan Rohani; de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa; e os primeiros-ministros do Japão, Shinzo Abe; da China, Li Keqiang, e Argélia, Abdelmalek Sellal.

Em abril, durante o 17º Congresso do Partido Comunista de Cuba, Fidel Castro também reapareceu e fez um discurso que soou como uma despedida, onde reafirmou a força das ideias dos comunistas. “A hora de todo mundo vai chegar, mas ficarão as ideias dos comunistas cubanos, como prova que neste planeta se trabalha com fervor e dignidade, é possível produzir os bens materiais e culturais que os seres humanos necessitam, e devemos lutar sem descanso para isso”, afirmou Fidel Castro na ocasião.

Líderes e personalidades políticas lamentam

Confiram o que algumas personalidades mundiais tem falado sobre o falecimento do líder:

Na madrugada deste sábado (26), o presidente do México Enrique Peña Nieto escreveu: “Fidel Castro foi um amigo do México, promotor de uma relação bilateral baseada no respeito, no diálogo e na solidariedade.”

Em outro post nas redes sociais, Peña Nieto escreveu: “Lamento a morte de Fidel Castro Ruz, líder da Revolução Cubana e referência emblemática do século XX”.

A famosa blogueira cubana Yoani Sanchez postou a imagem do presidente Raúl Castro fazendo o pronunciamento sobre a morte do irmão na televisão estatal. Ela escreveu: “#Cuba Rául Castro no momento de informar a morte de Fidel Castro.”

O Presidente do Equador, Rafael Correa, também publicou no Twitter. “Foi-se um grande. Morreu Fidel. Viva a Cuba! Viva à América Latina!”, escreveu.

Em mensagens publicadas no ‘Twitter’, o presidente da Venezuela Nicolás Maduro, disse que o líder cubano e o venezuelano Hugo Chávez “deixaram aberto o caminho” para a libertação dos povos.

O chefe de Estado venezuelano indicou ainda ter falado já com o seu homólogo cubano, Raúl Castro, a quem transmitiu “solidariedade e amor ao povo de Cuba face à partida do Comandante Fidel Castro”. (fontes: EFE/Notícias ao Minuto/foto reprodução)

Papa se encontra com ex-presidente Fidel Castro

sop_ap_spani_span_cu_franO Papa Francisco se encontrou com o ex-presidente de Cuba, Fidel Castro, neste domingo (20), e fez uma visita ao líder revolucionário de 89 anos em sua casa em Havana, de acordo com um porta-voz do Vaticano.

Segundo o padre Federico Lombardi, a reunião entre Francisco e o ex-presidente teria durado entre 30 e 40 minutos e ocorreu em um “ambiente muito familiar e informal”, com a presença da esposa do líder cubano, Dalia Soto del Valle.

O encontro foi realizado durante a visita do Papa Francisco à Cuba, que chegou ao país neste sábado (19). Fidel Castro, irmão mais velho do atual presidente de Cuba, Raul Castro, esteve à frente do governo cubano desde 1959, até renunciar por questões de saúde primeiramente em 2006, e então, de forma definitiva, em 2008.

Francisco também pediu durante a celebração que o governo da Colômbia e os guerrilheiros das Farc garantam que as negociações de paz que já duram três anos sejam bem sucedidas, pondo fim a uma “longa noite” de conflitos.

Por favor, não temos direito de permitir outro fracasso neste caminho de paz e reconciliação“, disse o Papa, durante uma missa campal na Praça da Revolução, em Havana, para logo depois agradecer ao presidente cubano Raul Castro por seu apoio a este diálogo.

O presidente colombiano Juan Manuel Santos colocou sua reputação em jogo ao buscar um pacto com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), tentando colocar fim à insurgência mais longa da história da América Latina, que já matou 220 mil pessoas e deslocou milhões ao longo de 50 anos.

Que o sangue vertido por milhares de inocentes durante tantas décadas de conflito armado (…) dê sustentação a todos os esforços que estão sendo feitos, inclusive aqui nesta bela ilha, para uma definitiva reconciliação. Assim, essa longa noite de dor e de violência poderá se transformar em um dia sem anoitecer”, disse Francisco. (De agência/foto reprodução)

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br