Ministro antecipa horário em palestra do Fórum de Energias do Sertão

 

O ministro das Minas e Energia, Fernando Filho (PSB), antecipou para às 11h30 desta quinta-feira (27) a palestra “Cenário Energético  do Brasil”, que estava programada para encerrar o 1º Fórum de Energias do Sertão, no auditório do Senai, em Petrolina. A alteração de horário, segundo a coordenação do evento, foi solicitada pelo Ministério das Minas e Energias devido a mudanças na agenda do ministro.

Os organizadores do Fórum, Fiepe e Sebrae, informam que a programação será mantida, observando-se apenas a mudança do horário da participação de Fernando Filho.

O fórum começará às 9h com a discussão do tema ‘A Indústria e Setor Energético’. A apresentação será de Carlos Eduardo Senna Figueiredo, da Confederação Nacional da Indústria (CNI). Em seguida, serão apresentados cases de sucesso, projetos de automação energética e edificações inteligentes. Também será discutido o Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) no cenário energético do Sertão e novas fontes de energia, finalizando o período da manhã com a fala do ministro. (Foto/foto arquivo)

Temer exonera pernambucanos Fernando Filho, Bruno Araújo e Mendonça Filho para votarem reforma trabalhista

O presidente Michel Temer exonerou nesta quarta-feira (26) três ministros com mandatos de deputado federal para que retornem à Câmara e votem no projeto da reforma trabalhista, considerado crucial pelo governo para a retomada econômica e que irá testar a base aliada antes da votação da reforma da Previdência. A exoneração dos ministros Bruno Araújo (Cidades), Mendonça Filho (Educação) e Fernando Bezerra Coelho Filho (Minas e Energia) foi publicada no Diário Oficial da União desta quarta.

Inicialmente o governo previa exonerar ministros com mandado de deputado federal apenas para a votação da reforma da Previdência para reforçar o empenho na aprovação da matéria, mas a estratégia também acabou sendo adotada para a reforma trabalhista.

Fernando Filho é do PSB, partido da base do governo que se encontra ‘rachado’ depois que sua Executiva fechou questão contra as reformas trabalhista e da Previdência.

O governo enxerga a proposta da reforma trabalhista como um teste para a análise da reforma da Previdência mais à frente, e trabalha para que sua votação seja concluída até a quinta-feira, um dia antes da greve geral e manifestações previstas contra as duas reformas. O projeto, que tem como um dos principais pontos a prevalência de negociações sobre a legislação vigente, foi aprovado na terça-feira em comissão especial da Câmara e seguirá direto para o plenário, apesar de emendas ao projeto não terem sido analisadas. (Fonte: Reuters/foto arquivo)

Decisão do PSB sobre reformas de Temer pode inviabilizar permanência de Fernando Filho no governo

É muito provável que o representante do PSB na equipe do presidente Michel Temer, o ministro Fernando Filho (Minas e Energia), esteja com os dias contados no governo. O motivo se deve à decisão, por ampla maioria, da legenda socialista em não respaldar as reformas da Previdência e Trabalhista, propostas por Temer – o que leva inevitavelmente o PSB para a oposição. Com 35 deputados, sendo dois suplentes e dois licenciados, os dois líderes do partido na Câmara, Teresa Cristina (MS), e do Senado, Fernando Bezerra (PE), foram votos vencidos contra o fechamento de questão nas bancadas.

O partido nunca esteve no governo. Esse governo não nos representa. Fica inviabilizada nossa permanência na base. Quem está lá sem a indicação do PSB, é quem tem que se resolver. É prudente que o Palácio do Planalto comece a contabilizar votos a menos”, disse o vice-presidente de relações governamentais do PSB, Beto Albuquerque.

O presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, fez uma analogia das decisões do partido, na atualidade, com o rompimento ao governo Dilma Rousseff a um ano da sua reeleição, em 2013, quando foi lançada a candidatura de Eduardo Campos, morto durante a campanha de 2014.

“Temos procurado ajudar o Brasil a sair da crise, votando a favor das matérias que interessam ao país. Fizemos isso com o Governo Dilma, rompemos e devolvemos dois ministérios. Podemos nos orgulhar de ser o único partido a não trocar votos por cargos”, disse Siqueira, informando que vinham sofrendo muita pressão de sindicatos, da Igreja e entidades de esquerda sobre as reformas.

Sobre as punições aos parlamentares que não cumprirem a decisão e votarem a favor das reformas, Siqueira lembrou que o estatuto prevê de advertência até expulsão, mas fez um apelo para que cumpram a posição da Executiva Nacional.

Esse partido não é um trem descarrilhado, em que entram sem saber para onde vão. O PSB não solicitou nenhum cargo no governo, não temos sequer um guarda de quarteirão, não consideramos (Fernando Coelho) um ministro do partido. O cargo é do presidente Temer, para ele fazer o que quiser com ele”, disse Siqueira.

Ele criticou as reformas do Governo Temer e disse que o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso sonhou em acabar com a Era Vargas e não conseguiu, e não seria Michel Temer, “que não teve sequer um voto, que conseguiria esse feito”.

“Punição popular”

“A maior punição aos parlamentares pelo não cumprimento do fechamento de questão virá dos próprios eleitores, se votarem a favor dessas reformas impopulares, que tem a rejeição da maioria da população”, disse Siqueira. Ele confirmou que o recurso que o líder Fernando Bezerra Coelho fará contra a decisão ao Congresso Nacional do partido será inócuo, já que a Executiva nacional deliberou, ao final da reunião, que a próxima reunião desse órgão será nos dias 12, 13 e 14 de outubro. (Com Agências/foto arquivo)

Energia: Leilão da Aneel permitirá mais de R$ 12,7 bilhões de investimentos em transmissão em 19 Estados

O leilão de transmissão nº 5/2016 realizado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) propiciará R$ 12,7 bilhões de investimentos em transmissão nos Estados de Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraná, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo e Sergipe. O certame ocorreu nesta segunda-feira (24) na sede da B3 em São Paulo, e resultou no arremate de 7.068 km de linhas de transmissão e subestações com 13.132 Mega-Volt-Amperes (MVA) de potência. A Receita Anual Permitida (RAP) contratada foi de R$ 1,6 bilhão. Dos 35 lotes ofertados, 31 foram arrematados.

O ministro das Minas e Energia, Fernando Filho, esteve na capital paulista para acompanhar o leilão e comemorou o resultado. “O país ainda vive muitas dificuldades no cenário político e econômico, mas aqui estamos falando de investimentos de 30 anos, de pessoas que apostam no futuro do Brasil e que acreditam que o país começa de fato a se recuperar, como estamos vendo pela queda dos juros, pela queda da inflação, pela volta dos empregos“, afirmou.

O leilão apresentou deságio médio de 36,47% ao preço inicial ofertado. Isso significa que a receita dos empreendedores para exploração dos investimentos ficará menor que o previsto inicialmente, contribuindo para modicidade tarifária. O resultado do certame representa uma economia, em 30 anos, de R$ 24,2 bilhões para os consumidores.

As empresas vencedoras terão direito ao recebimento da Receita Anual Permitida para a prestação do serviço a partir da operação comercial dos empreendimentos. O prazo das obras varia de 36 a 60 meses e as concessões de 30 anos valem a partir da assinatura dos contratos. As informações são do Ministério. (Foto/divulgação)

Paulo Afonso: Ministro Fernando Filho confere, em sobrevoo de helicóptero, atual cenário de barragens

Como já havia adiantado à imprensa, o ministro Fernando Filho (Minas e Energia) está nesta quinta-feira (20) em Paulo Afonso, no norte da Bahia.

Fernando Filho conversou com técnicos da Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf) sobre o atual cenário das barragens locais. Acompanhado de engenheiros da Chesf, o ministro fez um sobrevoo de helicóptero para conferir os reservatórios.

Fernando Filho descarta especulações em torno de eventual disputa pelo Governo de PE em 2018

Elogiado pelo trabalho que vem fazendo à Frente do Ministério das Minas e Energia, o deputado federal licenciado Fernando Filho (PSB) descartou a possibilidade de encarar uma disputa pelo Governo de Pernambuco nas eleições 2018. Em entrevista ao Programa Nossa Voz (Grande Rio FM) desta segunda-feira (17), o socialista assegurou que no momento está “extremamente focado” em sua Pasta.

Fernando Filho ressaltou que tem procurado ajudar a administração do seu irmão, o prefeito de Petrolina Miguel Coelho (PSB), e de outros gestores aliados. Além disso, dentro do que pode fazer, também tem socorrido o governo a retomar obras paralisadas, consideradas fundamentais ao desenvolvimento de Pernambuco. “A Chesf anunciou, há 30 dias, investimentos de R$ 2 bilhões em obras no interior, que vão gerar 20 mil empregos”, afirmou.

O ministro disse ainda que, embora fique feliz em ter seu trabalho reconhecido, tudo o que for discutido em relação às eleições 2018, com essa antecedência, “não passam de especulações”.

Julianeli Tolentino e Fernando Filho discutem reforma de hospital da Chesf repassado à Univasf

O ministro das Minas e Energia, Fernando Filho, recebeu na tarde de ontem (11) no seu gabinete, em Brasília, o reitor da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), Julianeli Tolentino.

A pauta do encontro foi o hospital pertencente à Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf) em Paulo Afonso, no norte baiano, que será repassado à Univasf, mas a Chesf deverá assumir a reforma da unidade. Também participaram da reunião de ontem o assessor da universidade, Leonardo Cavalcanti, e gestores do Ministério.

Ministro Fernando Filho participa das comemorações pelos 60 anos da Hidrelétrica de Furnas

O ministro Fernando Coelho Filho participou no dia de ontem (4) das solenidades em homenagem aos 60 anos de Furnas Centrais Elétricas SA.

A empresa é uma das mais importantes do setor de energia do país, com 49 subestações e mais de 19 mil km de linhas de transmissão.

Furnas é um patrimônio do povo brasileiro“, afirmou o ministro. (foto/divulgação)

Mendoncinha rasga elogios a Fernando Filho durante ato da Univasf

 

O ministro da Educação, Mendonça Filho, aproveitou que estava em Petrolina para rasgar elogios ao colega de governo, o também ministro e deputado licenciado assim como Mendoncinha, Fernando Filho. Logo no começou de sua fala durante a inauguração da Policlínica da Univasf, nesta sexta-feira, 17, o titular do MEC disse ao justificar a ausência de Fernando Filho que é filho de Petrolina.

“Vou aproveitar que estou aqui na terra dele e afirmar. Todos do governo têm elogiado o desempenho do ministro Fernando Filho à frente do ministério de Minas e Energia, mas para mim isso não é surpresa. Fernando vem de uma família de gente muito competente, conheço e portanto, não tinha dúvidas do seu sucesso”, afirmou Mendonça Filho.

 

Fernando Filho representa o Brasil pelo mundo

O ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, representou o Brasil no Prospectors & Developers Association of Canada (PDCA), em Toronto. Ele inaugurou estande brasileiro e participou de rodadas de negócios com investidores de diversos países. O evento é um dos mais importantes do mundo no campo da mineração. (Foto: Ascom)

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br