Parte do PSB quer expulsão de Fernando Filho, mas legenda vem evitando posicionamento definitivo sobre questão

Após peitar o PSB e decidir ficar no cargo de ministro das Minas e Energia, o deputado federal licenciado Fernando Filho criou definitivamente um clima de mal-estar dentro do seu partido.

Pela nota divulgada ontem (23), Fernando Filho tentou mostrar coerência ao decidir permanecer no Governo Temer. Até porque o socialista foi uma escolha pessoal do presidente, e não uma indicação do partido.

Mas a Executiva Nacional do PSB parece não pensar assim. Uma parte, inclusive, defende a expulsão de Fernando Filho da legenda, e não somente pelo fato dele estar ao lado de um chefe de Executivo denunciado em delação do empresário Joesley Batista, da JBS. Ele também foi liberado por Temer para votar a favor da reforma trabalhista.

Mas, ao menos por enquanto, o PSB ainda não bateu de frente publicamente com Fernando Filho nem o pai dele, o senador Fernando Bezerra Coelho, o qual também apoia o governo federal. Resta esperar pelos próximos capítulos desse impasse.

Fernando Filho se antecipa à bancada do PSB e garante permanecer no Ministério

Licenciado do cargo de deputado federal, Fernando Filho não esperou a decisão da bancada do seu partido – o PSB – na Câmara para confirmar que ficará à frente do Ministério das Minas e Energia.

Por meio de uma nota enviada à imprensa, o ministro garantiu nesta tarde (23) que continua comandando a Pasta no Governo Temer. Confiram, no link, a íntegra da nota de Fernando Filho: documento_ministro. (Foto/divulgação)

Setor elétrico pede permanência de Fernando Filho no Ministério das Minas e Energia

Ameaçado de expulsão pelo PSB, o ministro das Minas e Energia, Fernando Filho, recebeu apoio de associações do setor elétrico para permanecer no cargo. Em uma reunião com 22 associações na segunda-feira (22), o ministro recebeu pedidos para continuar no comando da pasta, informou a repórter do G1, Laís Lis. Associações presentes no encontro avaliam que o ministro conseguiu avanços em assuntos importantes, como o déficit de geração das usinas hidrelétricas causado pela escassez de chuva – que vinha causando prejuízo às concessionárias.

Para o presidente da Associação Brasileira dos Investidores em Autoprodução de Energia (Abiape), Mario Menel, a maior preocupação das associações é que a eventual saída do ministro signifique desmantelar a equipe técnica que ele colocou no ministério.

“Ele [Fernando Filho] se comprometeu, dentro do possível, a permanecer como ministro”, disse Menel. O PSB decidiu abrir processo contra o ministro por indisciplina partidária. Na semana passada, após a divulgação do áudio da conversa entre Michel Temer e o dono da JBS, Joesley Batista, o PSB decidiu deixar a base do governo, mas Bezerra permaneceu no cargo. Ao final do processo, Bezerra pode ser expulso do partido.

O presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, afirmou que o fato de Bezerra não sair do ministério agrava muitíssimo a situação dele. Fernando Filho já estava na mira da comissão de ética do PSB por ter se licenciado do cargo para votar a favor da reforma Trabalhista. (Fonte: G1/foto reprodução)

Bancada do PSB na Câmara dos Deputados definirá nesta quarta posicionamento do partido em relação ao Governo Temer

Cogitado em deixar o Ministério das Minas e Energia, Fernando Filho deverá permanecer por enquanto no cargo.

O posicionamento do ministro deve valer ao menos até quarta-feira (24), quando a bancada do seu partido, o PSB, fará mais uma reunião para bater o martelo sobre os rumos dos socialistas em relação ao Governo Temer.

Como já é notório, Fernando Filho é da cota pessoal do presidente. Portanto, não foi indicado pelo PSB.

PSB rompe com o governo e pede renúncia de Michel Temer

Sexta maior bancada do Congresso, com 42 parlamentares, o Partido Socialista Brasileiro (PSB) decidiu neste sábado (20) romper com o governo do presidente Michel Temer (PMDB). A decisão saiu da reunião da Executiva Nacional do partido, que esteve reunida desde o começo da manhã. Os socialistas também pedem a renúncia o “mais rápido possível” de Temer.

O partido decidiu também que todos os cargos no governo, a exemplo do Ministério da Minas e Energia que tem à frente o deputado federal licenciando, Fernando Filho, serão entregues. O senador Fernando Bezerra Coelho, pai de Fernando Filho e membro da Executiva, não participou da reunião.

A decisão veio após as delações dos executivos da JBS, que apresentaram gravações com o presidente Michel Temer sendo conivente com a entrega de propina pelo empresário Joesley Batista para manter o silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha, que está preso por crime de corrupção dentro da Operação Lava Jato.

Em nota, o PSB afirma que “a imensa tensão entre a urgência que aflige a população, em busca de melhorias de suas condições de vida, e a incerteza quanto à demora nos resultados do julgamento que atingirá o presidente da República, lhe toma de forma irremediável a governabilidade”. O partido também fechou questão sobre eleições diretas, caso o presidente renuncie. (Com informações e foto do UOL)

 

Presidente do PSB defende saída de Fernando Filho do Governo Temer

O presidente do Partido Socialista Brasileiro (PSB), Carlos Siqueira, defendeu nesta quinta-feira (18) que o ministro de Minas e Energia, Fernando Filho, entregue o cargo. Ele é deputado federal pelo PSB de Pernambuco e assumiu o ministério após a chegada do presidente Michel Temer à presidência.

Siqueira defendeu a saída de Fernando Filho do governo após a revelação de que o dono do frigorífico JBS, Joesley Batista, gravou o presidente Michel Temer dando aval para a compra do silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

O G1 tentou contato com o ministro, mas não havia tido resposta até a última atualização desta reportagem.

“Diante das graves denúncias contra o presidente da República e das informações veiculadas a partir da noite de ontem [quarta], o presidente do Partido Socialista Brasileiro (PSB), Carlos Siqueira, defendeu a imediata entrega do cargo ocupado pelo deputado federal Fernando Coelho Filho, como ministro de Minas e Energia“, informa nota divulgada pelo PSB.

A nota afirma que a indicação de Coelho Filho para o cargo “jamais” foi “feita, reivindicada ou chancelada pela direção nacional” do PSB, mas que “o partido não pode admitir que um de seus membros faça parte de um governo antipopular que perdeu, por inteiro, sua legitimidade para governar o Brasil“. (Fonte: G1 Brasília/foto arquivo Blog)

Durante evento no RJ, Fernando Filho mostra-se otimista com futuro do país

“Acima de tudo vejo um país melhor, com um presente e uma expectativa otimista. Vejo avanços e muito trabalho”. A frase é do ministro de Minas e Energia, Fernando Filho, o sexto convidado do encontro “E agora, Brasil?”, promovido pelo Jornal o Globo, na manhã de ontem (16), ocorrido na Maison de France, consulado francês no Rio de Janeiro. O encontro contou com a participação das maiores autoridades do setor energético do país, editores e colunistas do Jornal o Globo, demais setores da imprensa entre outros convidados.

O ministro tratou das pautas do Ministério de Minas e Energia, o diagnóstico encontrado e dos progressos durante o primeiro ano do seu trabalho à frente de um dos mais importantes e mais bem avaliados ministérios do governo.

Este projeto se propõe a reunir sempre um convidado para conversar sobre o cenário atual do país junto com 10 colunistas do Jornal o Globo (Ancelmo Góis, Miriam Leitão, Merval Pereira, Lauro Jardim, Jorge Moreno, Ricardo Noblat, entre outros).

Antes de Fernando Filho já tinham sido convidados o ex-ministro Pedro Malan, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, o juiz Sergio Moro e na última edição, em março, a Presidente do STF Carmem Lucia.

Vereador Elismar pede a FBC e Fernando Filho pavimentação para Bebedouro e Nova Descoberta

Com fortes bases na zona rural de Petrolina, o vereador Elismar Gonçalves (PMDB) apelou ao senador Fernando Bezerra Coelho (PSB) e ao ministro Fernando Filho (Minas e Energia) por melhorias para o Perímetro Bebedouro e Nova Descoberta.

Por meio de requerimentos enviados aos socialistas, Elismar solicitou serviços de pavimentação asfáltica nas duas comunidades. No caso do Bebedouro, o vereador pediu asfaltamento nas sete vilas, uma vez que apenas a via de acesso ao perímetro irrigado tem pavimentação. “Vale lembrar que o Bebedouro é o pioneiro na irrigação do Vale do São Francisco. É uma forma de proporcionarmos uma melhor qualidade de vida a esse povo, que tanto contribuiu com a irrigação”, destacou.

Já quanto a Nova Descoberta, a preocupação de Elismar se deve ao fato de que o povoado tem crescido bastante e já merece estradas pavimentadas para facilitar o deslocamento da comunidade.

Petrolina deverá ganhar centro para estudos de fontes alternativas de energia

Até a primeira quinzena de junho, Petrolina deverá começar a instalação de um centro de pesquisa e desenvolvimento, com investimento de R$ 40 milhões, que vai estudar fontes de energias alternativas para a região. A garantia foi dada ontem (27) pelo ministro Fernando Filho (Minas e Energia), ao participa do 1º Fórum de Energias do Sertão, organizado pela Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (Fiepe), em parceria com o Sebrae. O evento foi realizado no dia de ontem (27), no auditório do Senai.

O centro deve ficar pronto em dez meses. Nossa expectativa é aproveitar o aeroporto, universidades, escolas técnicas e o Sistema ‘S’, para convergir os futuros estudos e podermos transformar a cidade num polo de tecnologias energéticas”, afirmou o ministro. “O Brasil está voltando a crescer e nós precisamos estar integrados nesse crescimento, principalmente no setor elétrico, cujo potencial é enorme”, acrescentou.

O fórum visa a estimular debates e ideias sobre o futuro energético no Nordeste e promove seminários, debates e cases de sucesso. Além de Fernando Filho, participaram o presidente da Fiepe, Ricardo Essinger; a diretora técnica do Sebrae-PE; Ana Cláudia Dias, o prefeito de Petrolina, Miguel Coelho; o secretário estadual de Micro e Pequena Empresa, Alexandre Valença; o diretor-fundador do Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBIE), Adriano Pires; e o presidente da Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee), Humberto Barbato.

A programação do fórum iniciou às 9h com a formação de uma mesa redonda composta por empresários, especialistas e autoridades da área. Em seguida, a Fiepe promoveu a conferência ‘A Indústria e Setor Energético’, apresentou cases de sucessos nos setores de Alimento, Bebidas e Agroindústria, além de expor projetos de automação energética e edificações inteligentes. O prefeito de Petrolina, Miguel Coelho, recepcionou os visitantes e adiantou que as portas estão abertas para quem quiser investir na cidade. “O município tem apetite por parcerias”, disse.

Já o presidente da Abinee, Humberto Barbato, seguiu o mesmo caminho dos palestrantes do evento. Apresentou um histórico dos investimentos brasileiro em energias alternativas e apontou quais as ações necessárias para o aproveitamento máximo das fontes energéticas.

Encerramento

À tarde, o fórum continuou com as palestras ‘Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) no cenário energético do Sertão’, ‘Linhas de apoio e fomento a fontes alternativas de energia’, ‘Oportunidade para a energia solar no Semiárido’, ‘Eficiência energética: como reduzir custos’, além dos debates envolvendo representantes da Chesf, Celpe, Aneel, CBIE e FGV. “Esse é o momento ideal para a discussão. Primeiro porque nossa região é ícone em geração de energia. O fórum discutiu problemas estruturais da cidade, estado e do país. E as presenças do ministro, membros da agência reguladora e dos especialistas tiveram o objetivo de dar um norte a esses problemas”, avaliou Ricardo Essinger. (Fonte: CLAS Comunicação)

Ministro antecipa horário em palestra do Fórum de Energias do Sertão

 

O ministro das Minas e Energia, Fernando Filho (PSB), antecipou para às 11h30 desta quinta-feira (27) a palestra “Cenário Energético  do Brasil”, que estava programada para encerrar o 1º Fórum de Energias do Sertão, no auditório do Senai, em Petrolina. A alteração de horário, segundo a coordenação do evento, foi solicitada pelo Ministério das Minas e Energias devido a mudanças na agenda do ministro.

Os organizadores do Fórum, Fiepe e Sebrae, informam que a programação será mantida, observando-se apenas a mudança do horário da participação de Fernando Filho.

O fórum começará às 9h com a discussão do tema ‘A Indústria e Setor Energético’. A apresentação será de Carlos Eduardo Senna Figueiredo, da Confederação Nacional da Indústria (CNI). Em seguida, serão apresentados cases de sucesso, projetos de automação energética e edificações inteligentes. Também será discutido o Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) no cenário energético do Sertão e novas fontes de energia, finalizando o período da manhã com a fala do ministro. (Foto/foto arquivo)

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br